Mudanças no Governo Temer: “vem comigo, que depois eu te conto”

reizin

Igor Gadelha e Carla Araújo, no Estadão contam como o Planalto liga trocas nos ministérios a projeto eleitoral.

Os partidos – dá para  chamar assim os condomínios de interesses que estão na base governista? – só manterão o controle dos ministérios se comprometerem-se a apoiar “o candidato do Governo”.

Qual? Adivinhou?

Mas o sr. Michel Temer não anunciou que ele não disputará as eleições? Está em O Globo, literal, explícito, definitivo, sem margens a um “pode ser”.

— Não. Tenho dito reiteradamente. As circunstâncias é que ditam a conduta. Eu não serei candidato. 

Como, claro, não era ligado a Eduardo Cunha, nada tem a ver com o Porto de Santos e não conspirou pelo impeachment.

Já se viu que somos governados por um homem sem o menor apego à verdade, à lealdade e, sequer, à livre formação de consciência eleitoral da população.

O imperador da politicagem, no controle da máquina, exige dos súditos o “venha comigo e depois eu te conto o que farei”, embora todos saibam o que deseja fazer.

E nessa marcha, arrasta consigo as instituições, em especial o Exército, colocado como cabo eleitoral de sua nova imagem: o homem da segurança pública.

Não se pode conceber que as Forças Armadas queiram este papel, a menos que, em suas estratégias, esteja planejado entrar por qualquer porta no poder e, outra vez, não ter como dele sair.

O estado de desordem em que vive o país não provém das favelas cariocas. Vem da Praça dos Três Poderes, ocupada pelo crime organizado comandado por um homem sem caráter ou escrúpulos.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Como que, então, o sujeito quer se reeleger, disputar uma eleição? os indícios apontam para isto e a máquina já inicia os movimentos. Resta saber a resposta da população e é aí que mora o perigo. Geralmente a coisa descamba…………………….e eu não espero desdobramentos que não sejam lesivos aos interesses do país e do povo.

  2. É claro que no preço do apoio do mdb a qualquer candidatura estará embutida a exigência da garantia de impunidade para temer e o resto daqueles que se prestaram a derrubar Dilma para que se iniciasse o processo de recolonização do brazil. temer não quer ser candidato de verdade porque sabe que não tem a mínima chance, mas ameaça com a própria candidatura porque ela impediria que qualquer outro candidato pudesse contar com o tempo e a estrutura do mdb durante a campanha. Barganha total. Tudo aquilo que se viu durante o governo de Maluf em SP, tudo que se viu em termos de barganhas durante os governos sarney e fhc foi brincadeira se comparado ao que aconteceu nestes menos de 2 anos. Muitos coxinhas, que deveriam enfiar as panelas nos rabos, agora fogem para Portugal, país governado pelos socialistas.

    1. Gângster por gângster, Temer dá de relho em Al Capone.
      Enquanto o gângster italo-americano detinha o poder apenas no sub-mundo do crime e conseguia corromper o poder do estado para manter este poder, o gângster libano-brasileiro detem o poder no posto mais elevado da república e desde ali comanda as instituições do estado brasileiro em proveito próprio e de sua quadrilha e atua como como cappo di tutti cappi alcançando articular (e dominar) todas as organizações mafiosas do país (dentro e fora do aparelho do estado), da máfia da lava-jato à máfia da mídia (globo à frente), até os bicheiros e PCC, passando pelas máfias empresariais que corrompem políticos com caixa 2 em troca de toda a sorte de falcatruas, e pela maçonaria, que o ungiu como a cara do golpe.
      É o país entregue ao crime, com um gângster no comando.

  3. Temer não manda mais nada. Sim, a estratégia das Forças Armadas é de autoria própria (leia-se um nome que está no comando dessa estratégia desde o pré golpe). Temer tenta se segurar nos tanques pra não ser preso. Acordemos porque esse governo acabou faz algum tempo.

  4. O mais triste, patético,trágico é ver como um usurpador faz o jogo dos trairas e vende pátria, e como eles estão vendendo as riquezas da grande Nação brasilis essa impotência deixa o Povo pobre e sua classe média ou seja os quase pobres sem ação, só cabe a classe política não fixar que essa invasão seja completado e a Nação totalmente destruída. Uma frase do Povo argentino para seu líder”Maurício macri lá puta que te pario ” um belo desabafo!!!

  5. Concentro minha atenção no penúltimo parágrafo, transcrito abaixo:

    “Não se pode conceber que as Forças Armadas queiram este papel, a menos que, em suas estratégias, esteja planejado entrar por qualquer porta no poder e, outra vez, não ter como dele sair.”

    JUCÁ – [em voz baixa] Conversei ontem com ALGUNS ministros do Supremo. Os caras dizem ‘ó, só tem condições de [SEM TRANSCRIÇÃO; FSP alega inaudibilidade] sem ela [Dilma]. Enquanto ela estiver ali [Na Presidência da República, entenda-se] , a imprensa, os caras querem tirar ela(sic!), essa porra não vai parar nunca.’ Entendeu? Então… Estou conversando com os generais, comandantes militares. Está tudo tranqüilo, os caras dizem que vão garantir. Estão monitorando o MST, não sei o quê, para não perturbar.

    A fala acima é trecho dos mais inofensivos do diálogo entre o senador-profeta, Romero Jucá, e o ex-senador tucano e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, deixado vazar ao PIG/PPV pela ORCRIM Fraude a Jato, em maio de 2016, uma semana após o afastamento da Presidenta Dilma pelas quadrilhas políticas do Congresso Nacional.

    Diante de tais evidências e provas como manter a ilusão e o auto-engano pueris em relação às FFAA, que NADA fizeram contra o desmonte dos setores estratégicos (petróleo, eletro-energético, de defesa, nuclear, etc. ) e que NADA fez para evitar a entrega da EMBRAER para a Boeing?

    1. Chama o Rui Pimenta do PCO para desconstruir ideologias profundas, teimosas e criadas sob medida para a dominação da sociedade brasileira. A reflexão mais básica saiu pela única porta que sempre foi aquela dos milicos.

  6. No entanto, para Ciro Gomes, trata-se de um “lutador”. Ao acusar Dilma por “não ter lutado” deu como exemplo “a luta” do ilegítimo para manter-se no governo. Estamos bem de presidenciáveis. Canalha! Canalhas!

      1. Dilma = 1000 vezes mais inteligente e corajosa do que todos esses golpistas que se alimentam no corporativismo podre da oligarquia escravocrata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.