Assassinato de vereadora mostra exterminadores sem medo da intervenção

marielle

Há pouco de informação sobre a autoria do assassinato de vereadora Marielle Franco, do PSOL, mas todas as evidências indicam que ela e seu motorista foram vítimas de exterminadores e não de assaltantes fortuitos. As marcas dos tiros, concentradas na parte posterior da janela do banco traseiro, onde ela viajava, indicam que havia um alvo determinado e premeditado.

Numa cidade onde uma intervenção na área de segurança e, por isso, mais sujeita a batidas e blitzen policiais, isso significa que quem se dedica à indústria da morte não está nem um pouco intimidado por isso.

Uma mulher negra e nascida na Favela da Maré, numa dramática ironia, acaba sendo vítima de um crime brutal cujos autores em nada se sentiram contidos porque a intervenção na segurança se volta contra gente negra e nascida nas favelas como Marielle. Mais simbólico ainda é o fato de que ela integrava a comissão de vereadores destacada para acompanhar a intervenção na segurança pública.

A repercussão do caso, porém, indica que, ao menos desta vez, haverá apuração rápida do crime. Neste momento, o caso já está tendo uma repercussão – aqui e lá fora – que torna impossível que esta morte, como ocorre com a de tantas mulheres negras de origem pobre, caia no esquecimento da hipocrisia.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

27 respostas

  1. pois eu estou duvidando que os verdadeiros culpados sejam descobertos e julgados

    1. Precisamente o que eu estava pensando quando li o ultimo parágrafo do artigo. Não existe justiça no Brasil para os quatro “P” – pobres, prostitutas, pretos e petistas. Ou antes, a seletividade da justiça é escancarada e abjeta.

      1. se for mesmo gente que não gostou da atuação dela acusando a violência da PM etc, podemos ficar esperando sentados até o final dos tempos

    2. Se brincar, vão dizer que foi “queima de arquivo” por parte do PT, igual a grande mídia fez com o caso de Celso Daniel

    3. Pode ter sido morta por denunciar a milícia, PM´s. Pode ter sido morta para justificar ainda mais a intervenção. Neste país da “justissa’ e do “‘judisiário” pode tudo.

  2. infelizmente será apenas mais um número nas estatísticas. passada a comoção, o esquecimento. Os assassinos estão bem protegidos. E nunca vamos saber quem dá a proteção

  3. Como “sem medo da intervenção”? Não seria “à vontade por causa da intervenção”?

    Pois, afinal de contas, dias atrás, um general, o mais alto na hierarquia, verbalizou que não queria – ele e a sua corporação – que existissem futuras Comissões da Verdade para apurar crimes cometidos pelo exército de ocupação, e suas forças auxiliares, no Rio de Janeiro, Como só é necessário Comissão da Verdade para criminosos, o general estava claramente querendo “licença & impunidade” para o cometimento de crimes pelas tropas de intervenção.

    O general ainda não teve a garantia formal da impunidade que deseja para suas tropas, mas sua sinalização já despertou os instintos de uma nova geração de torturadores, estupradores e assassinos, pronta e armada até os dentes para repetir a barbárie da infame geração dos torturadores, estupradores e assassinos de 64, impune até hoje, mesmo com Comissão da Verdade.

  4. A policia está tão infiltrada por bandidos que eles ousam assassinar à luz do dia e em plena rua uma representante eleita pela sociedade. A Intervenção não os intimida e ela estava reclamando do assassinato, por policiais, de um jovem que estava voltando da igreja

  5. Para aqueles que acham que os golpistas vieram para brincar, veja abaixo a lista de líderes da esquerda assassinados após o golpe de 2016. Isso é bem a característica dos estados fascistas, onde a direita toma o poder e começa a eliminação de seus oponentes. Se permitirmos que Lula (o maior líder da esquerda e dos trabalhadores) seja preso por esses fascistas, a esquerda toda …
    https://uploads.disquscdn.com/images/09af2b81e42fc50db2fa44a7b16d9314bec92957ba39d11e754f329b0e07903c.jpg

  6. é briga de crime organizado, a vereadora foi usada para um grupo enviar um recado para outro.. eles não estão se entendendo no estado.. e não são loucos de guerrear entre si.. então, alternam ações mirabolantes para enviar recados..

  7. Podem chegar à identidade dos executores, mas chegarão à identidade dos mandantes? Eis a questão!

  8. Acho que não é uma questão de medo, mas de conivência. O país está nas mãos de facínoras fascistas. O caso Marielle e as milícias do Rio têm a participação de militares, ou ex-militares, da PM e bombeiros. No mínimo.

  9. É um bom momento pra mostrar o mundo a cara desse regime fascista que tomou conta do Brasil, avante movimentos! Levem esse cadáver pras ruas e coloque na conta daqueles que destruíram o país.

  10. Os assassinos da vereadora não tem medo porque já saíram da pré-escola, não vão tomar duras nos muros das creches.

  11. Ainda estou achando muito fracas a repercussão e a reação diante deste crime que leva a situação a outros patamares. O limite final foi transposto e daqui pra frente as coisas assumem proporções gravíssimas. Todos os que lutam por democracia, liberdade e humanidade passam a ter suas vidas correndo risco real.

  12. Perseguição descarada contra o ex-presidente LULA, intervenção militar e agora assassinatos seletivos contra líderes da oposição. O que mais falta?

  13. pos esquadrões d amorte dos anos 70/80 voltaram só que agora eles matem politicos de esquerda!!

  14. O que se vê é o aproveitamento do assassinato da vereadora “sem partido” (que a Globo insiste em não identificar como sendo do PSOL) pelos políticos do golpe para propor mais e mais legislações de perfil cada vez mais duro, antidemocrático e anticonstitucional para alguém que justamente era crítica da intervenção federal…
    Foi profusa a lista de iniciativas legais ventiladas no Congresso para votação neste viés oportunista divulgadas pela Globo/GoboNews… TRISTE

  15. Rui Costa do PCO já vem dizendo há algum tempo que a esquerda está sob risco e não percebe a dimensão do problema.

  16. lembram da juiza que tbm foi executada dentro do carro chegando em casa?
    pois é
    qualquer semelhança não é mera coincidência

    Marcada para morrer

    A juíza Patrícia Acioli estava em uma lista de doze pessoas marcadas pra morrer, segundo investigadores. O documento foi encontrado com Wanderson da Silva Tavares, o Gordinho, acusado de ser chefe de uma milícia em São Gonçalo, preso em janeiro deste ano em Guarapari, no Espírito Santo.

    De acordo com fontes da polícia, nos últimos dez anos a juíza foi responsável pela prisão de cerca de 60 policiais ligados a milícias e a grupos de extermínio.

    Em setembro do ano passado, seis suspeitos, ente eles quatro policiais militares, foram presos. Segundo as investigações, todos faziam parte de um grupo envolvido no assassinato de 11 pessoas em São Gonçalo. A juíza Patricia Acioli foi quem expediu os mandados de prisão.

    Ela trabalhava na quarta vara criminal de São Gonçalo. A juíza tem um histórico de condenações contra criminosos que atuam na cidade. Quadrilhas que agem na adulteração de combustíveis, no transporte alternativo entre outros crimes.

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/08/juiza-assassinada-sofreu-emboscada-e-levou-21-tiros-diz-delegado-no-rio.html

  17. Um ministro do STF que contrariava poderosos foi riscado do mapa, e a pericia no avião disse que tava tudo certo, agora imagne com uma simples vereadora Municipal, mulher, negra e de origem humilde.
    Aqui é Brasil terra de ninguém.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *