Bolsonaro agora diz que tem pressa, mas não faz pressão por vacina

Em mensagem no Facebook, Jair Bolsonaro diz agora que tem pressa na vacinação, e que “apenas” não fará pressão sobre a Agência de Vigilância Sanitária para que ela seja aprovada rapidamente.

Não fazer pressão sobre recomendações técnico-científicas seria de fato muito bom, não fosse o presidente useiro e vezeiro em fazê-la, como aconteceu com a demissão de dois ministros da Saúde e praticamente obrigando o Ministério a baixar um protocolo de uso da hidroxicloroquina.

Ou que tenha, irresponsavelmente, oferecido ivermectina e nitazoxanida (Annita), esta “descoberta” pelo astroministro Marcos Pontes.

Também seria tranquilizador se o presidente da Anvisa não fosse um vice-almirante que está lá sem nenhuma experiência em vigilância sanitária, mas que fez escolta a Bolsonaro naquelas manifestações contra o Congresso e o STF.

A história de que seria o “excludente de responsabilidade” que os laboratórios estariam exigindo em seus contratos com governos deveria, em tese, ser suplantada pelo exame da Anvisa sobre sua eficácia e segurança. E isso não está sendo empecilho para os mais de 30 países que já iniciaram a vacinação, número que deve dobrar até terça ou quarta-feira.

Mas não era sobre o órgão regulador que o Presidente deveria fazer pressão pela vacina. Deveria ter feito onde não fez, exigindo do Ministério da Saúde planos precoces e completos para a vacinação, assim que houvesse vacina, com estrutura de armazenamento, transporte, suprimento de material – seringas, equipamento de proteção para os vacinadores, cadastro de acompanhamento da vacinação – importantíssimo por ser vacinação em duas doses, que devem ser de composição idêntica e aplicadas no intervalo exato.

Não fez e, por isso, ficamos para trás.

O resto é o diversionismo no qual é mestre e que nos fará, certamente, ser um dos último países a começar a imunizar seus cidadãos.

Leia nota de Bolsonaro:

– A PRESSA PELA VACINA:
-Existem 4 laboratórios que desenvolvem estudos clínicos de vacinas no Brasil. Contudo, nenhum deles até agora, apresentou junto à ANVISA, pedido de uso emergencial ou de registro.
– A ANVISA é uma Agência de Estado, não de Governo. Sua atuação é independente e reconhecida no mundo todo, pela excelência do trabalho dos seus Servidores.
-Temos pressa em obter uma vacina, segura, eficaz e com qualidade, fabricada por Laboratórios devidamente certificados. Mas a questão da responsabilidade por reações adversas de suas vacinas é um tema de grande impacto, e que precisa ser muito bem esclarecido.
– O Presidente da República, caso exercesse pressões pela vacina, seria acusado de interferência e irresponsabilidade.
-Tão logo um Laboratório apresente seu pedido de uso emergencial, ou registro junto à ANVISA, e esta proceda a sua análise completa e o acolha, a vacina será ofertada a todos e de forma GRATUITA e NÃO OBRIGATÓRIA.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *