Bolsonaro diz que epidemia é “mais fantasia”. É o ‘papai Smurf’ amarelo…

Você por acaso viu algum médico sanitarista dizendo que o “o coronavírus não é lá estas coisas”?

É lógico que não e, sem contribuir para pânicos, todos chamam a atenção para os cuidados, além da higiene, com aglomerações humanas.

Porque o argumento de que outras doenças matam mais que o coronavírus – o que é verdade – tem sido deturpado para que pessoas não levem em conta que estamos diante de um surto mundial de contágio que põe em risco, com uma grane taxa de mortalidade, as pessoas idosas e/ou com problemas de saúde preexistentes e que, mesmo que estas circulem menos, jovens, adultos e até crianças podem levá-la a estes.

O coronavírus tem uma característica terrível: a sua alta transmissibilidade e é isso que joga o mundo em crise: é preciso parar viagens, fechar escolas e fábricas, reduzir ou eliminar o afluxo a centros turísticos, restringir ou eliminar pontos de concentração de pessoas, como bares, restaurantes, competições esportivas, congressos, conferências, feiras de serviços e de produtos industriais e todo o tipo de situação que aproxime pessoas.

Por vezes, bloquear cidades e regiões inteiras, como fizeram a China, a Coreia e, agora, a Itália.

Não estão fazendo isso e qualquer um pode imaginar o prejuízo econômico que isso representa, para se convencer que não é masoquismo, mas o bloqueio necessário.

Claro que não de maneira alarmista ou irresponsável, mas quando a situação perde a segurança sanitária. Ontem, a Espanha suspendeu as aulas e a razão está nos números de hoje: quase 500 novos casos confirmados e mais 12 mortes em 48 horas.

Governantes energúmenos e pessoas que não se dão conta de que, muito além das vitimas diretas, milhões e bilhões serão afetados pelos efeitos econômicos do vírus.

Trump disse que o vírus “não mata tanto assim”. Bolsonaro fiel à cartilha, disse lá no seu parquinho na Flórida:

No meu entender, muito mais fantasia, a questão do coronavírus, que não é isso tudo que a grande mídia propala ou propaga pelo mundo todo”.

Chineses, sul-coreanos, italianos, iranianos, espanhóis, que adoecem aos milhares e que choram seus mortos não pensam o mesmo.

Mas há idiotas por toda a parte, como os 3.500 marmanjos e marmanjas que fizeram, em meio à epidemia na França, um encontro de “smurfetes” para provar que não têm nada na cabeça além de um chapéu infantil.

Lá foi de azul. Aqui, se não desmarcarem, será de amarelo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. Posso estar errado, mas na frase do bozo levantando dúvida sobre as eleições, ao afirmar que possui provas e não as apresentar, configura um crime de responsabilidade crasso, sem margens para ‘desdizer’.

    1. Como disse um vereador: que o Bozo prove o que disse, ou esse vereador irá entrar com processo de impeachment.

      Caso ele prove o que disse (eleições fraudadas), irá pedir a anulação destas. Afinal, foram fraudadas.

    2. O problema é que não tem um dia que passa sem que o desgraçado cometa crime de responsabilidade ou lesa-pátria. E nada acontece.
      Entrega da Boeing? Nothing happened. Entrega de Alcântara? Nothing happened. Destruição sistemática dos órgãos de fiscalização? Pfft.

      1. Em um golpe que continua vivo, todos são cúmplices, todos golpeiam! Se a adormecida esquerda não reagir, até onde vai isso?
        Até a destruição total, inclusive da esquerda!

  2. Se um terço dos habitantes de Wuhan fossem contaminados, numa conta de padaria, seriam quatro milhões de pessoas.

    Em outra conta de padaria, mantida a mortalidade de 3%, seriam 120.000 mortos.

  3. O COVID-19 é problemático não só por causa da sua transmissibilidade, mas também por outras características que tornam a contenção e isolamento muito mais difíceis, se não impossívels:

    – A maioria das pessoas apresenta sintomas leves, e uma parcela considerável não apresenta sintomas. Isso quer dizer que uma boa parte dos infectados nem sabe que tem a doença, e ao não saber continua espalhando ela.

    – O seu período de incubação é longo, e durante parte dele a pessoa já é contagiosa, o que quer dizer que mesmo as pessoas que desenvolvem sintomas claros podem seguir espalhando a doença por dias antes de perceberem algo.

    – Foram identificados pacientes onde a doença parece ter entrado em hibernação, sumindo os sintomas — e, inclusive, deixando de ser detectada mesmo por testes clínicos, e provavelmente deixando de ser contagiosa — por algumas semanas antes do paciente voltar a apresentar sintomas.

    – Por conta das características acima é praticamente impossível controlar a doença em portos de entrada; mesmo testes mais invasivos como medir a temperatura de todos os passageiros e barrar aqueles que apresentam qualquer febre ou tosse não detectam mais do que um terço dos infectados. Por conta da possibilidade de dormência nem mesmo quarentena obrigatória seria capaz de impedir sua entrada.

    Dado isso, mais o fato de ser praticamente tão contagioso quanto a gripe e, por ser um virus novo, ninguém no mundo ser imunizado, alguns cientistas trabalham com a possibilidade de até 80% da população ser infectada. Com uma taxa de mortalidade próxima de 1%, isso representaria aproximadamente um milhão e meio de mortes só no Brasil. Mesmo uma taxa de mortalidade parecida com a da gripe poderia matar o equivalente a cinco anos de acidentes de trânsito.

  4. FERNANDO, 
    POR FAVOR NÃO APROVE ESSA PUBLICAÇÃO. 
    É APENAS PARA SUA VISUALIZAÇÃO.

    Estou em viagem e não consigo acessar o Messenger. Vou enviar a revisão aqui pelo Disqus enquanto estiver sem meu computador. 

    …….
     um surto mundial de contágio que põe em risco, com uma grane (GRANDE) taxa de mortalidade

  5. Acho que vc exagera, Fernando. Há, sim, pessoas técnicas do ramo de infectologia alertando para o pânico desmesurado e prejudicial. P.s. o sistema de comentários é muito complicado.

  6. É ridículo acreditar que do nada surge um vírus demoníaco para acabar com a humanidade. Geração espontânea não existe! Dos 198 ratinhos de laboratório contaminados pelo vírus, só dois morreram! Quem se acha mais frágil que um ratinho de laboratório, que se esconda em casa! A teoria dos germes só serve para enriquecer a indústria farmacêutica! E alimentar os delírios catastróficos de muitos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *