“Bolsonaro é um destruidor em série”

A jornalista e premiada escritora Alexandra Lucas Coelho, no jornal Público, de Lisboa, publica intenso artigo sobre o que acontece e o que nos aguarda na educação, não só nos cortes, mas no rebrotar das manifestações da juventude que, daqui a três dias, se unificam num único protesto contra o massacre na educação. E como a rejeição a Bolsonaro atravessou oceanos e fronteiras e vai reunindo o que há de mais importante no mundo que não importa ao presidente brasileiro, o dos que pensam.

Bolsonaro inimigo do Brasil, inimigo do mundo

1. O pior inimigo do Brasil está sentado no palácio em Brasília. É o próprio presidente eleito. Escrevo esta crónica em Salvador, entre vir de Brasília e partir para São Paulo. E em menos de uma semana os crimes são tantos que fica difícil actualizar. Estamos a um ritmo mais do que diário. Bolsonaro é um criminoso horário. A cada hora, é mais chocante para o Brasil, e para o mundo, que esta criatura tenha sido eleita. Foi cúmplice quem contemporizou na campanha, ou não quis ver nem ouvir, apesar de tudo o que estava na cara, e no ouvido. Mas, pior, é cúmplice quem, depois de quatro meses e nove dias de destruição, continua a teimar, ou acena com a legitimidade democrática. Parceiros no crime de um destruidor em massa, serial.

O presidente de Portugal, que tratou Bolsonaro como “irmão” na posse em Brasília, já se escapuliu entretanto de ser fotografado ao lado do infame Moro, na Faculdade de Direito de Lisboa, apesar de a sua presença ter sido anunciada. Imagino que hoje já não seria tão palmadinhas-nas-costas em Brasília. Ou em Lisboa. Mas já não se imagina Bolsonaro em Lisboa, não é? Ou alguém, fora eleitores dele, está tão equivocado que, sim, imagina?

Gostaria de ver, ler perguntas, notícias, sobre como os governantes portugueses estão a encarar isto. O ministro Augusto Santos Silva foi questionado sobre aparecer amenamente ao lado de Moro, como se nada fosse? Alguém perguntou a Marcelo porque afinal não compareceu no encontro onde esteve Moro? Coisas que, à distância, neste périplo, pelo Brasil, gostava de saber.

Chegamos a um ponto em que foi cruzada, sem retorno, uma linha da diplomacia. Para além dessa linha, a diplomacia normal, dos lugares comuns ditos em público, não se aplica, passa a ser cúmplice.

Alguns, cada vez mais, já perceberam isso. O mayor de Nova Iorque percebeu isso, e a sua clareza firme levou Bolsonaro a cancelar a visita. O mayor de Nova Iorque simplesmente declarou Bolsonaro persona non grata. É isso que o mundo tem de fazer. Porque o pior inimigo do Brasil, que está sentado no palácio presidencial, é inimigo do mundo.

2. E o mundo começou a fazer. Mais de onze mil intelectuais das mais reputadas universidades do planeta assinaram uma carta contra Bolsonaro. Concretamente contra o ataque inédito de Bolsonaro à educação, que na última semana se tornou guerra mesmo. Bolsonaro conseguiu, aliás, o prodígio de na mesma semana em que mais atacou a educação facilitar mais o uso de armas. Entre os assinantes do manifesto contra estão académicos de Harvard, Princeton, Yale, Oxford, Cambridge, Berkeley, além das grandes universidades brasileiras, como Universidade de São Paulo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade de Brasília.

Pisei esta semana pela primeira vez a Universidade de Brasília, um campus incrível, verde, sem separação entre cidade e universidade, sem portão, sem muro, sem segurança. Sonho do antropólogo Darcy Ribeiro que — ao contrário do sonho principal de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, planeadores da cidade — está totalmente habitado. A Universidade de Brasília é sonho e é humana. É arquitectura e é gente. A cara de Paulo Freire, mestre de um sonho de educação a quem Bolsonaro também declarou guerra, recebeu-me num cartaz à entrada para o Instituto de Letras. Pelas paredes, cartazes em defesa das ciências humanas, devolvendo a “balbúrdia” a Bolsonaro. Porque uma das pérolas que veio deste governo brasileiro, durante a semana, foi a de que as universidades públicas são antros de balbúrdia, gente nua e marxismo cultural. Entre os cartazes e graffiti contra Bolsonaro, um cartaz com o título “A Queda do Céu”, livro já lendário do xamã ianomami Davi Kopenawa, cartazes em defesa dos povos indígenas, corredores e pátios fervilhando com muitos tons de pele: o Brasil.

Esta semana, o homem sentado no Planalto cortou um terço ou mais dos orçamentos das universidades públicas e institutos federais, estrangulando ou exterminando à partida ensino e pesquisa no Brasil. E, quando a luta de estudantes e professores, pais e mães já saía às ruas, foi anunciado o corte das bolsas de mestrado e doutoramento em todas as áreas, ciências humanas e exactas, da Capes, principal fonte de bolsas no Brasil.

3. Entretanto, todos os anteriores ministros do Ambiente ainda vivos se juntaram, em alarme e protesto, numa frente, para além das diferenças políticas e ideológicas. Acusaram Bolsonaro de pôr “em prática, em pouco mais de quatro meses, uma ‘política sistemática, constante e deliberada de desconstrução e destruição das políticas meio ambientais’ implementadas desde o início dos anos de 1990, além do desmantelamento institucional dos organismos de protecção e fiscalizadores, como o Ibama e o ICMbio”, resumiu o “El Pais Brasil”. Acusam Bolsonaro e o ministro Ricardo Salles de reverterem todos as conquistas das últimas décadas, que “não são de um governo ou de um partido, mas de todo o povo brasileiro”. Marina Silva usou a expressão “exterminador do futuro”.

4. Nessa altura, quarta-feira, já as ruas se tinham enchido, em defesa da educação, de Belo Horizonte a Salvador ao Rio de Janeiro. Secundaristas, muito jovens, defendendo os seus colégios públicos, como o histórico Pedro II, porque o corte não atinge só as universidades, mas sim todos os institutos federais. E universitários, e professores. Quero acreditar que estes quatro meses foram de choque e atordoamento, mas que as ruas que agora se enchem são o prenúncio de uma luta nova, de algo que recomeçou no Brasil. Em 2013, quando muitas lutas explodiram nas ruas, um Brasil ignorante, boçal, autoritário, nostálgico do esclavagismo e da ditadura, começou a capturar a energia do protesto e as redes sociais. Este ano de 2019 talvez seja o recomeço de 2013 no ponto em que 2013 se perdeu. Adolescentes erguendo livros contra gente armada.

5. Mas os próximos tempos serão duríssimos, mesmo que a luta cresça e cresça. Educação, ciência, cultura já perderam, vão perder mais. Neste périplo que estou a fazer pelo Brasil, entre universidades e livrarias, só estar com livros, com debate, com quem estuda, já parece subversivo. Então, mesmo por entre as peripécias da geringonça, gostaria de saber se o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, tem alguma ideia nova para apoiar tantos professores, estudantes, pesquisadores brasileiros, ameaçados de novos perigos. Ou a ministra da Cultura, Graça Fonseca, num momento em que os apoios à cultura no Brasil estão a paralisar, uns atrás de outros.

6. Lembram-se de quem, a propósito do Brasil, do impeachment de Dilma, insistiu que não era golpe? Escrevo esta crónica por entre as imagens do golpista Temer entregando-se à polícia.

Como o Fora Temer parece fazer parte de outra era. De perda de inocência em perda de inocência, ou inconsciência, estamos diante do horror. E os que são jovens agora, tão ou mais jovens que a jovem Greta Thunberg, como os secundaristas brasileiros que há anos já aprendem uma nova luta, cada vez mais sabem que não há outros, seremos nós a mudar isto, ou não haverá nós. Tal como não há planeta B.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. URGENTE: Sugiro que Maia, o STF e os militares da ativa leiam a critica de Reinaldo Azevedo em seu blog: ‘Autodefesa? Com 5 mil cartuchos por indivíduo/ano? É uma mentira grotesca!” Analisem o raciocínio de Reinaldo e somem com o meu raciocínio de que Bolsonaro quer armar milícias e seus seguidores fanáticos bem como criar organizações paramilitares para se manter no poder a ferro e fogo.

    1. Isso estava claro desde sempre, era o que Haddad devia ter denunciado na Campanha, mas pra uma certa esquerda Moema-Leblon se exilar em Paris enquanto o povo é massacrado é chique.

  2. A fadinha se manifestou ? . Não se viu por aqui , mas a frase valeu ” Exterminador do Futuro ” . Sem educação , sem cultura , sem empregos , sem saúde , sem . sem …. sem , . E eles bem armados .

  3. a última dos bolsonaristas

    fizeram meme com a foto de Paulo Coelho para atacar Paulo Freire
    é prácábá

  4. No primeiro parágrafo do excelente artigo está incluído o ex-candidato a presidente pelo PDT, que se omitiu criminosamente no 2º turno das “eleições” fraudulentas de 2018.

  5. Problema é que existem jovens neandertais zumbis armados do lado de lá que querem ferrar com os intelectuais do lado de cá. Enquanto não enfrentar esse problema como deve ser enfrentado, ou seja anulando essa turma para valer, de uma forma ou de outra, regrediremos ao mundo deles.

  6. Se um olhar externo está captando tudo isso, imagine-se o q passamos nós, trabalhadores dependentes de saúde e educação públicas…

  7. PENSO QUE ESSA NAÇÃO PRECISA IR MESMO ATÉ O FUNDO DO POÇO!
    QUANDO UMA SOCIEDADE SE ACOVARDA E SE OMITE DA LUTA PELOS DIREITOS CONSTITUCIONAIS INDIVIDUAIS DE CADA UM, QUANDO UMA NAÇÃO PERMITE A RUPTURA DA DEMOCRACIA POR UM COLEGIADO DE DEPUTADOS, SENADORES, JUÍZES, PROCURADORES E MINISTROS DO STF CORRUPTOS E ENTREGUISTAS, QUANDO UMA IMPRENSA VENAL DESTRÓI A IDEIA DE RESPEITO
    À CONSTITUIÇÃO E RESPEITO AOS DIREITOS DOS TRABALHADORES EM BENEFÍCIO DE UMA MINORIA DE MILIONÁRIOS, QUANDO SE PERMITE A AFRONTA AOS DIREITOS DAS MINORIAS E SE PERMITE QUE ALGUNS GRUPOS OPRIMAM OUTROS EM PRETENSO NOME DA “MORAL” RELIGIOSA DE ALGUNS FASCISTAS, QUANDO…
    AGORA, É PRECISO IR ATÉ O FUNDO DO POÇO…
    DEPOIS, TALVEZ COMEÇAR DO ZERO ATRAVÉS DA LUTA DE CLASSES E RESGATAR A DEMCRACIA PARA TODOS!
    PRIMEIRO….
    LULA INOCENTE, LULA LIVRE!
    AFUUUNDA BRAZZZIL!

  8. O NAZISMO GUERREAVA NA EUROPA E ÁFRICA, ESCRAVIZANDO E ELIMINANDO JUDEUS E DESTRUINDO A RÚSSIA no caminho para Moscou. Aí chegou ao seu próprio Inferno em Stalingrado, e à sua própria destruição e da Alemanha. Em 1942 na 5ª edição de “Psicologia do Inconsciente”, Jung, na Suíça neutra, reeditava a melhor descrição em palavras magistrais, APLICÁVEIS HOJE 77 ANOS DEPOIS, AO BRASIL, AMÉRICA E MUNDO:

    “…O HOMEM CIVILIZADO AINDA É UM BÁRBARO…UM AÇOITE DE FERRO ESTÁ À ESPERA, caso ainda se tenha a veleidade de responsabilizar o vizinho pelos seus próprios defeitos. A psicologia do indivíduo corresponde à psicologia das nações. …Em tempo algum meditar sobre si mesmo foi uma necessidade tão imperiosa…como nesta catastrófica época contemporânea.”

    “ …Muitos ainda procuram fora de si mesmos, UNS ACREDITAM NA ILUSÃO DA VITÓRIA E DO PODER,,,O autoconhecimento…a volta do ser humano às suas origens, AO SEU PRÓPRIO SER E À VERDADE INDIVIDUAL E SOCIAL, EIS O COMEÇO DA CURA DA CEGUEIRA QUE DOMINA O MUNDO DE HOJE.”
    —–
    Em junho de 1942, um dos médicos de Hitler apresentou a Jung na vizinha e neutra Suíça, que “um núcleo de oficiais alemães de alta patente estava preocupadíssimo com o COMPORTAMENTO CADA VEZ MAIS IMPREVISÍVEL DE HITLER, SOBRETUDO POR QUE ELE COMEÇARA A BEBER MUITO”. [A citação e as que seguem, são do livro “Jung, uma Biografia”, de Deirdre Bair, volume 2, páginas 164 e seguintes].

    Queriam que Hitler fosse discretamente observado e avaliado, de preferência por um psicanalista de um país neutro. COM O RELATÓRIO, “ESPERAVAM CONVENCER OUTROS FUNCIONÁRIOS E MILITARES AINDA HESITANTES, A JUNTAREM-SE A ELES NA DEPOSIÇÃO DE HITLER e para por fim a uma guerra que sabiam estar perdendo”, depois de Stalingrado. Jung recusou “citando não só as dificuldades em viajar atravessando fronteiras fechadas, mas também a saúde enfraquecida pelas privações da guerra. As desculpas foram aceitas e ele nunca mais teve notícias de ninguém tão próximo a Hitler.”

    “Wilhelm Bitter, um psiquiatra alemão… tornou-se membro dessa conspiração”…e solicitou a participação de Jung, A PEDIDO DO GENERAL WALTER SCHELLENBERG, O NÚMERO UM DO SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA. “Logo depois da derrota de Stalingrado, Schellenberg confessou que achava o Nazismo ‘inteiramente errado’”. Bitter disse “que só uma rendição incondicional imediata poderia salvar a Alemanha de uma futura ocupação Russa”.

    “QUANDO JUNG SE RECUSOU A DIAGNOSTICAR HITLER, O GENERAL PEDIU A DE CRINIS QUE O FIZESSE, ESPERANDO QUE ELE DESCOBRISSE A CONDIÇÃO DE INSTABILIDADE MENTAL DO DITADOR… uma vez que os patriotas alemães achariam mais fácil DEMOVER UM LÍDER DOENTE do que apoiar um golpe traiçoeiro”… “O objetivo era persuadir os conspiradores em potencial de que Hitler estava se tornando tão incapaz que ERA DEVER DELES contradizer suas ordens. Com ou sem seu consentimento esperavam chegar a um armistício… Schellenberg e os demais conspiradores achavam que o plano tinha boa chance… seria atraente para os ingleses.” Bitter foi escolhido para entrar em contato com Jung. Mas o plano se dissipou em agosto e os conspiradores tiveram que abandonar o projeto. Bitter se exilou na Suíça. Por esse malogro a guerra prosseguiu com seus horrores cada vez maiores, e em 20 de julho de 1944 o vice-almirante Canaris e seu grupo conseguiram explodir uma bomba para matar Hitler em reunião de alto comando, infelizmente apenas ferindo-o.

    Os horrores do Inferno aumentaram, havendo até o impensável, o “unthinkable”, “a Abominação da Desolação”, os Estados Unidos inauguraram (mau augúrio) a Era da Guerra Atômica explodindo duas bombas atômicas no Japão. Visando uma tentativa de hegemonia do Império Americano, mas conseguindo apenas a bipolarização do poder mundial com a Rússia. Depois vieram corridas armamentistas, imperialismo neocolonial americano sobre o Oriente Médio e outros. Após o fim da União Soviética, o parcial hegemonismo imperial do “Exceptionalistan”, com a fantástica doutrina do Excepcionalismo Americano, que é endossada por muitos pelo mundo afora. Finalmente, todos os desastres que ainda sofremos no mundo em consequência até hoje, mesmo passados 73 anos. E agora, com a volta da pressão Imperial Americana sobre a América do Sul, como estratégia geopolítica à progressiva decadência e problematização do poder do Império no Oriente Médio, de forma a continuar dominando importantes fontes de petróleo.
    —–
    HÁ MENOS DE DOIS ANOS ATRÁS SE CRIOU NO OCIDENTE UM SEGUNDO PRECEDENTE: Em 2017 nos Estados Unidos, UM GRUPO DE PSIQUIATRAS ELABOROU UMA SÉRIE DE ENSAIOS ANALISANDO A SAÚDE MENTAL DE TRUMP, editados no livro “O PERIGOSO CASO DE DONALD TRUMP”, pela professora de psiquiatria da Universidade de Yale, DRA. BRADY LEE. (Artigo de 05/01/2018 “Congressistas consultam psiquiatra sobre saúde mental de Trump”, em Mundo G1).

    57 DEPUTADOS (30% DO TOTAL), a maioria Democratas, e um senador Republicano, após alguns dizerem que estavam PREOCUPADOS COM O RISCO QUE REPRESENTAVA O PRESIDENTE PARA O PAÍS E PARA O MUNDO, COM SUA INSTABILIDADE MENTAL, redigiram um projeto de lei para uma comissão parlamentar especial sobre a “incapacidade presidencial” para determinar se “O PRESIDENTE ESTAVA PSICOLOGICAMENTE OU FISICAMENTE CAPACITADO PARA CUMPRIR SUAS FUNÇÕES”, INCLUSIVE COM O POTENCIAL DE DECLARAR GUERRA E COMANDAR AS FORÇAS ARMADAS AMERICANAS.

    Na Constituição Americana, além da possibilidade do impeachment do presidente, há a 25ª emenda que PERMITE AO VICE-PRESIDENTE COM A METADE DO GABINETE DECLARAR QUE O PRESIDENTE “É INCAPAZ DE EXERCER O PODER E CUMPRIR COM OS DEVERES DO CARGO, No caso de o presidente contestar a decisão baseada na 25ª emenda, o Congresso pode confirma-la por ao menos dois terços dos votos”.

    Em uma reportagem, disse o psicólogo John Gartner, professor da John Hopkins, “…Trump não tem apenas um, mas três transtornos mentais descritos no DSM – Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria”. Ele conclamou outros especialistas de saúde mental em 2017 a pedir o afastamento do Presidente. “… A combinação de transtornos torna a sua personalidade mais sombria.“ Gartner disse que a postura antiética é a dos profissionais que estão calados. “Trump é um perigo iminente para qualquer um no planeta… Minha obrigação de avisar sobre o risco sobrepõe…”.

    Em um seu artigo, o psiquiatra Spitznas, em junho de 2017, falou de Trump como tendo uma paranoia delirante e transtorno de personalidade antissocial (ASPD) (sociopata), com impulsividade, megalomania, mitomania, irritabilidade e agressividade, falta de remorso, tudo segundo o “padrão ouro“ americano que é o DSM – 5. Pessoas assim “exibem cronicamente seus comportamentos negativos, e seus sintomas PREJUDICAM SIGNIFICATIVAMENTE SUA CAPACIDADE DE FUNCIONAR… Não se pode confiar em um indivíduo paranoide que não consegue discernir perigos reais daqueles que apenas imaginam. UM SOCIOPATA, POR DEFINIÇÃO SEMPRE ATUA EM SEU PRÓPRIO INTERESSE, ARRISCANDO A SEGURANÇA E O BEM ESTAR DE TODOS…”

    “Essa exposição de Trump eleva meu grau de certeza… o diagnóstico… não exige alto grau de sofisticação para ser feito… Um indivíduo imparcial que seja Bacharel em Ciências ou em Psicologia poderia chegar às mesmas conclusões que eu…”.

    “Mas tempos desesperados exigem medidas desesperadas [denúncias]…aderi ao movimento Dever de Advertência…”

    Em outra reportagem, a Dra. Brady Lee lembra que “… muitos dos sintomas apresentados por Trump são muito comuns… MAS É INCOMUM ENCONTRAR UMA PESSOA COM SINAIS DE PERIGO NA PRESIDÊNCIA.”.

    No Brasil de hoje enfrentamos caso mais grave.

    Entretanto Trump demonstrou esperteza, oferecendo-se para fazer um teste cognitivo Montreal, o MOCA, sendo aprovado nesse ligeiro teste de 10 minutos, o que desarmou o movimento da sociedade e dos deputados. Mas o neuropsicólogo David Morales afirma que esse método é pouco adequado… ”CHAMA A ATENÇÃO QUE TENHA SIDO UTILIZADO ESSE TESTE, PORQUE É COMO VOCÊ FOSSE AO MÉDICO E TIRASSEM A PRESSÃO SANGUÍNEA. É uma coisa muito elementar e simples”.

    No Brasil os militares há muitos anos atrás liberaram o DRAGÃO. Nos nossos dias o apoiaram pensando controlá-lo e aproveitá-lo para seu próprio poder. Agora, NA CASA DO SEM JEITO, ESTÃO VENDO SEM NADA FAZER, o resultado fugir a qualquer controle. DOENÇA requer medidas de emergência, face à possível INTROMISSÃO EM DESASTROSA GUERRA, QUE DE QUALQUER FORMA DEIXARÁ SEQUELAS DE ÓDIOS CÁ NO SUL POR MAIS DE 50 ANOS PELO MENOS. Os Estados Unidos podem se dar a isso, como com os Árabes, em que ódios já perduram por 70 anos, como reconheceu Bush, com alto grau de ingenuidade e desfaçatez. Quem será JORGE agora? Quem representará JORGE depois, nos próximos e difíceis anos? Alertem-se os militares que a CIA e a NSA podem assassinar como já fizeram várias vezes antes, altos comandantes.
    —–
    De acordo com a Enciclopédia Wikipaedia, verbete em inglês traduzido livremente, O TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ESQUIZOTÍPICO é caracterizado por severa ansiedade social, DESORDEM DO PENSAMENTO, IDEIAS PARANOIDES, NÃO ENTENDIMENTO CORRETO DA REALIDADE, PSICOSES PASSAGEIRAS E FREQUENTES CRENÇAS NÃO CONVENCIONAIS. Pessoas assim sofrem de extremo desconforto em manter relações próximas com outras, principalmente porque elas pensam que seus parceiros guardam pensamentos negativos em relação a elas, e assim elas evitam formar relações próximas. Maneirismos peculiares na fala e estranhos modos de vestir são também sintomas dessa desordem mental. Podem reagir estranhamente em conversas, não responder ou falar para si próprias. Frequentemente interpretam situações como sendo estranhas ou tendo significado incomum para elas; crenças supersticiosas e paranormais são comuns. Tais pessoas frequentemente procuram atenção médica para ansiedade ou depressão ao invés de para suas desordens de personalidade.

    O TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ESQUIZOTÍPICA OCORRE EM APROXIMADAMENTE 3% DA POPULAÇÃO E É MAIS COMUM EM HOMENS (4,7% DOS HOMENS E 3,7% DAS MULHERES NOS EUA). É classificada como Transtorno de personalidade do Cluster A (ou Grupo A) (transtornos estranhos ou excêntricos). É amplamente entendida com sendo do “ESPECTRO DA ESQUIZOFRENIA”. É caracterizada por uma comum DEGRADAÇÃO DA ATENÇÃO EM GRAUS VARIADOS. Ocorre concomitantemente com maiores transtornos depressivos, distimia (permanente humor depressivo) e FOBIA SOCIAL e pode ocorrer com transtorno obsessivo compulsivo, APRESENTANDO POUCAS CHANCES DE CURA. Mais frequentemente ocorrentes com o transtorno esquizotípico são os transtornos esquizoide, paranoide, evitante e border line. ALGUNS DESENVOLVEM ESQUIZOFRENIA, mas muitos não o fazem. DÉFICITS DE COGNIÇÃO SÃO SIMILARES AOS DE ESQUIZOFRENIA, MAS QUANTITATIVAMENTE MAIS SUAVES, mas um estudo de 2004 não apoia integralmente o modelo de que o transtorno esquizotípico seja simplesmente uma forma aliviada de esquizofrenia.

    NO CASO DE USO DE METANFETAMINAS PESSOAS COM O TRANSTORNO TÊM GRANDE RISCO DE DESENVOLVER PSICOSE PERMANENTE.

    A American Psychiatric Association, Associação Psiquiátrica Americana, descreve em sua caracterização DSM-5, que a Desordem de Personalidade Esquizotípica é definida como um “pervasivo” (penetrante, dominante) padrão de déficits social e interpessoal marcado por agudo desconforto com, e reduzida capacidade para, relacionamentos próximos, bem como por DISTORÇÕES E EXCENTRICIDADES DO COMPORTAMENTO COGNITIVO E PERCEPTUAL, INICIANDO NA PRIMEIRA FASE DA IDADE ADULTA e presente em uma variedade de contextos.

    Pelo menos CINCO SINTOMAS DEVEM ESTAR PRESENTES ENTRE OS SEGUINTES: (a) Ideias de referencia (delírios interpretativos de coincidências ou fatos corriqueiros); (b) Crenças estranhas ou pensamento mágico; (c) Experiências perceptuais anormais; (d) Modo de pensar e de falar estranhos; (e) Paranoia; (f) Afetos inapropriados ou constritos; (g) Comportamento ou aparência estranhos; (h) Falta de amigos próximos; (i) Excessiva ansiedade social que não diminui e resiste, de paranoia mais do que de julgamentos negativos sobre si próprio.

    Já a Organização mundial da Saúde World Health Organization, através da classificação ICD -10, que usa o termo “Desordem Esquizotípica”, classifica-a como DESORDEM CLÍNICA ASSOCIADA COM A ESQUIZOFRENIA, mais do que uma desordem de personalidade como no DSM-5. Define o ICD-10: Uma desordem caracterizada por comportamento excêntrico e anomalias do pensamento e do sentimento (afeto) QUE PARECEM COM AQUELAS VISTAS NA ESQUIZOFRENIA, embora não tenham ocorrido anomalias esquizofrênicas características em algum momento.

    Não há distúrbios dominantes ou típicos, mas alguns dos seguintes podem estar presentes: (a) Sentimento (afetos) não apropriados ou restringidos (o individuo parece frio ou distante, indiferente); (b) Comportamento ou aparência que é estranho, excêntrico ou peculiar; (c) Pobre relacionamento com outros e uma tendência a recuar ou retrair socialmente; (d) Crenças estranhas ou pensamento mágico, influenciando o comportamento e incongruentes com normas subculturais, ou inconsistentes; (e) Ideias cheias de suspeição ou paranoides; (f) Ruminações obsessivas sem resistência interior; (g) Experiências perceptuais incomuns incluindo ilusões somato-sensórias (corporais) ou outras, de-personalização (destacamento de si próprio, ficando o mundo fora da realidade, em experiência conturbadora) ou de-realização (alteração na percepção, mundo fica parecendo irreal, sem colorido emocional, sintoma dissociativo); (h) Modos de pensar vagos, circunstanciais, metafóricos, super-elaborados ou estereotipados, manifestados por falas estranhas ou em outras formas sem incoerência crassa; (i) EPISÓDIOS QUASE PSICÓTICOS OCASIONAIS E PASSAGEIROS com intensas ilusões, alucinações auditivas ou outras e ideias semelhantes a delírio (delusion-like), usualmente ocorrendo com provocação externa

    A desordem percorre um curso crônico com flutuações de intensidade. OCASIONALMENTE ELA EVOLUI EM ESQUIZOFRENIA ABERTA. Não há início ou ataque definido e sua evolução e curso são aqueles de uma desordem de personalidade. É mais comum em indivíduos aparentados a pessoas com esquizofrenia e é acreditado como sendo parte do ‘ESPECTRO’ GENÉTICO DA ESQUIZOFRENIA. 3 ou 4 dos sintomas acima citados devem apresentar-se continuadamente ou episodicamente no mínimo dois anos..
    13 de maio de 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.