Bolsonaro isolado; Heleno gruda Exército ao desastre

Os editoriais dos principais jornais brasileiros neste final de semana, todos violentos não apenas contra Jair Bolsonaro não perdoam o general Augusto Heleno, um personagem que, deveriam atentar os militares, é considerado pelo Estadão “não só (…) completamente despreparado para o cargo que ocupa, como considera ” democracia” o regime em que Bolsonaro manda e os demais obedecem”.

“Mais do que isso: colabora decisivamente para que suas atitudes irresponsáveis, de natureza essencialmente pessoal, pois sua função não é falar em nome do governo, sejam confundidas com o pensamento das Forças Armadas. Assim, urge que os comandos militares desvinculem as Forças Armadas desses … para desgraça do País, chegaram à Presidência nas eleições de 2018. Se não o fizerem imediatamente, e de maneira clara, correm o risco de de ver sua imagem, duramente reconstruída depois de 20 anos de ditadura, atrelada a um governo que flerta dia e noite com a ruptura.”

O Globo pergunta que o general da reserva considera que as Forças Armadas se disporiam a quebrar a ordem institucional que perdura há 32 anos, investindo contra o Supremo, que cumpre ritos legais, respaldados na Constituição?

Diz que Heleno atraiu “justificadas reações de repúdio e para confirmar que o calejado general da reserva passou a fazer parte do núcleo ideológico do bolsonarismo”.

A Folha endurece no título – Bolsonaro mente -, diz que ” o encontro do ministério entra para a história dos 130 anos da República no Brasil como um dos episódios mais execráveis do exercício do poder presidencial” e descarrega chumbo sobre o aval de Augusto Heleno – sugerindo que fala em nome das Forças Armadas – ao mentiroso.

A apuração dos crimes atribuídos ao Presidente] não pode se deter, ademais, diante de ameaças abjetas como a do general Augusto Heleno, do GSI, segundo o qual uma eventual apreensão do celular presidencial teria “consequências imprevisíveis”. Dados a baixeza e o desvario mostrados numa reunião formal, assusta de fato imaginar o que Bolsonaro diz em privado.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

31 respostas

  1. Os canalhas da mídia tentam se descolar do delinquente-genocida,mas, suas pegadas na luta desenvolvida para evitar a chegada dos pts ao poder,estão juntas.
    Caminharam lado a lado ,eles sabíam,eles conhecíam muito bem a quem apoiavam,porque se algúm mérito tem o fascista presidente,é o de NUNCA TER ENGANADO NINGUÉM A RESPEITO DE COMO ATUARÍA SENDO PRESIDENTE.

    1. A mídia é responsável pela produção executiva da demonização do PT e do desfecho do golpe de 2015-16, e por isso jamais será perdoada. Mas agora temos que contar com sua artilharia para detonar o maior de todos os perigos que já rondaram o Brasil desde que os Holandeses se fincaram em Pernambuco: A ameaça de ditadura fascista-entreguista do Olavo de Carvalho / Steve Bannon, que corre o risco de ser concretizada por sua marionete Bolsonaro, que encanta os militares da linha dura com sua voz gritada de sargento de instrução durão.

      1. Bolsonaro no desespero já deu a senha, quando REPETINDO, disse.
        – “AGORA” está fácil criar a Ditadura no Brasil, o povo está preso em casa.

    2. Concordo. Tem o DNA da mídia, tem as pegadas da mídia, tem as digitais da mídia. E tem os áudios e os vídeos durante esses anos todos confirmando tudo isso.

  2. O generoso heleno gostaria de ser o golbery do novo regime.
    Todavia, lhe falta, além do estofo, capacidade cognitiva para chegar a altura do coldre do sobra e eminência parda da ditadura de 64.
    Sobra-lhe, então, a opção de quasímodo a tocar o sinos de capelas ideológicas onde se reúnem além de aloprados outros psicopatas e oportunistas do séquito miliciano.

    1. Mais ou menos como um aprendiz de motorista (Heleno) pilotar um calhambeque (Bozo) com pretensão de disputar uma corrida de Fórmula 1.

    2. Mais ou menos como um aprendiz de motorista (Heleno) pilotar um calhambeque (Bozo) com pretensão de disputar uma corrida de Fórmula 1.

    1. Essa declaração do ajudante de ordens do silvio frota é clássica dos fascistas. Quando acuados partem para a ofensiva de forma agressiva e intimidadora, tentando mostrar uma força que não tem e acuar os adversários. Se a reação dos democratas e anti-fascistas for de titubeio, eles avançam e passam o rodo. Se, pelo contrário, são enfrentados, covardes que são, mostram ainda mais sua fragilidade.
      O momento deles é de desespero, e por isso, jogam todas as fichas. Se colar, colou. Já tentaram isso quando foram citados para o interrogatório. Nao colou, enfiaram o rabo no c* e foram de cabeça baixa para o interrogatório.

  3. Nunca se fez em um palácio de governo, neste caso o Palácio da Alvorada, uma reunião de extremo baixo nível como esta do dia 22 de abril de 2020.
    Não poderia esperar diferente de damares, bolsonaros, araujos, guedes e helenos, por que até duvido da sanidade mental destes coitados.
    Infelizmente não posso dizer a mesma coisa dos únicos adultos presentes: os militares e os generais de palácio.
    Ficará para a história a participação neste exemplo extremo de baixeza e precariedade moral e cívica.
    Guardo uma cópia para exemplificar algum dia o horror deste período.

  4. Estão arrependidos?Ora,parem de MENTIR.Basta que o VERME BÓSTA-NARO,abra os cofres,e vocês todos,voltam ao NINHO ANTIGO.Esqueceram onde é.Nos cofres públicos.

  5. Reinaldo Azevedo fez a análise mais pertinente sobre a situação: temos um subversivo na Presidência da República armando milícias para uma guerra civil. Bolsonaro revela, sem qualquer pudor, o seu intuito assassino contra a população brasileira. E chamou os generais à responsabilidade.
    Este é o aspecto mais grave e que está quase sendo ignorado no debate da imprensa.

    1. Preparar a guerra civil nao deveria ser nenhuma novidade. Foi anunciado ha tempos pelo transparente presidente. O que deveria ser novidade eh a sociedade efetivamente preparar-se para essa possibilidade.

  6. General Heleno era “frequente contato” do juiz Lalau, condenado a 26 anos e seis meses de prisão, diz Jânio de Freitas
    Publicado por Kiko Nogueira – 23 de Maio de 2020, DCM – Diário do Centro do Mundo
    Em 2018, Jânio de Freitas escreveu sobre as relações do general Heleno, ministro-chefe do GSI, com o juiz Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, condenado a 26 anos e seis meses de prisão pelos crimes de desvio de verbas, estelionato e corrupção na construção do Fórum Trabalhista de São Paulo.
    Na sexta, Heleno divulgou uma “nota à Nação brasileira” dizendo ser “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável” o “pedido de apreensão do celular do presidente da República”.
    Heleno, lembra Janio, foi “auxiliar do general Cardoso no Planalto de Fernando Henrique”: Constatou-se então que o general Heleno era o mais frequente contato do juiz Nicolau dos Santos Neto, exclusive familiares. Como o general negasse por escrito, em carta, pude expor aqui a prova de sua ligação com o juiz mais tarde condenado e preso por corrupção, na obra do novo Tribunal da Justiça do Trabalho, em São Paulo.
    O SNI estava extinto desde Collor e assim continuava, no dizer de Fernando Henrique. No entanto, Lalau passava ao general Heleno, com presteza sistemática, informações sobre os graúdos paulistas e seus negócios, os políticos, a imprensa.
    Entre outros temas. Era a preservação do policialismo, com todos os seus defeitos. E mais um: a falsidade da inexistência de espionagem interna.Se dado a nostalgias, o general Heleno poderia ser tentado a esclarecer o eleitorado sobre um fato sempre omitido. Seu nome é acompanhado, muitas vezes, de citação ao comando que exerceu da Força brasileira no Haiti.Sem referência, jamais, a que esse comando foi encerrado bem antes do prazo, por um motivo sem precedente: a ONU pediu que o general brasileiro fosse retirado do comando. A respeito, só ficou registro da chegada do general Heleno, abalado a ponto de chorar. (…)
    Embora nenhum se compare à perda da oportunidade de mostrar aos eleitores que Bolsonaro não é único nas ideias e modos, não tem originalidade. É produto que foi fabricado em série.

  7. Ao final do processo, Adolf Hitler usou contra si o recurso do suicídio.

    Não ficou de pé para enfrenta toda sua covardia, comportamento típico dos TIRANOS!

  8. Para bom entendedor : “Veja, meu amigo, em que mundo estamos vivendo, ausente de amor ao próximo, de solidariedade, de um esforço mínimo para ao menos diminuir o sofrimento dos desamparados, dizia o senhor que caminhava à esquerda do companheiro, ambos bem dispostos, bem vestidos, provavelmente a caminho de suas atividades diárias. E continuando descreveu que no dia anterior havia presenciado um fato desalentador. Logo de manhã, tendo de ir ao Banco, deparou com uma pessoa deitada na calçada, semi consciente mas gemente, de causa obscura, e todos passavam ao largo, olhavam e continuavam sem nada fazer. Afirmou ter ido até o Banco, gastado bem uma hora lá, quando voltou a pessoa continuava no mesmo lugar e nas mesma condições, ninguém a tinha acudido, não é desalentador ?. Não sabe o que pode ter acontecido com o coitado”. Que beleza ! Não temos mais aquela imprensa do passado, calhorda, golpista, mentirosa e elitista, que sempre se alinhava a qualquer golpe ao regime democrático. Estão aparecendo jornais novos, vibrantes, imparciais, que jamais precisarão fazer “mea culpa, mea máxima culpa”, exemplo desses Estadão, Globo e Folha, estamos salvos !

  9. Eu me pergunto: esses barões da mídia podem derrubar uma presidente eleita pelo voto direto sem provas concretas, podem levar à cadeia o presidente mais popular e efetivo da história do Brasil e agora querem derrubar o que criaram? Será que esqueceram o voto e a justificativa deste crápula no impeachment de Dilma Roussef? Pois deveriam é pedir desculpas ao povo brasileiro por terem decisivamente contribuído para a criação desta situação.

  10. Não são tolos como dizem Afinal, conseguiram prender a imprensa e formadores de opinião a uma fake-reunião de propaganda. Temos que ficar alerta.

  11. A HISTÓRIA DO QUE CHAMAM “mídia”,nunca foi diferente,em qualquer lugar,onde a divisão de classes,privilegia os ricos,ínfima minoria,contra as maiorias.As maiorias,por se tratar de MILHÕES DE IMBECILIZADOS PELAS DITADURAS DAS MINORIAS,crê sempre,sempre sem opor qualquer dúvidas,do que dizem seus senhores,os ricos.E a “mídia”,executa o seu papel,que é propagandear as ideologias dos ricos.Então,não se queixem,pois isso é obra da maioria,dirigida pelos PATRÕES.Então,tudo o que a IMPRENSA ESTA TENTANDO,é encontrar um caminho menos antipático às maiorias,mas todos são,disfarçadamente,BÓSTONARISTAS.NÃO VAMOS NÓS,AS ÍNFIMAS MINORIAS,NOS ILUDIR.

  12. “desses … para desgraça do País, chegaram à Presidência nas eleições de 2018.”

    Essa é impagável. É de um cinismo assustador, né não?

  13. O Ministro da Defesa e seus comandantes, bem como, todos os militares da ativa que hoje manifestam posicionamentos políticos inadmissíveis em qualquer democracia do mundo, devem ser todos convocados pelo Congresso Nacional a prestar esclarecimentos ao povo brasileiro sobre suas palavras. Em nome do soberano desta nação, o povo, deputados e senadores têm a obrigação de abrir essa caixa preta de onde saem ameaças ao Estado e à ordem democrática.
    A covardia e a omissão destroem a nossa democracia. Basta!
    Senhores parlamentares, honrem os cargos que o povo brasileiro lhes conferiu!

    PELA CASSAÇÃO DA CHAPA FRAUDULENTA!
    DIRETAS JÁ!

  14. Logo no início dessa lambança governamental miliciana e despreparada esse general já começou a desmoralizar as Forças Armadas, foi quando noticiado a participa?ão de Flávio Bolsonaro nas criminosas rachadinhas ele, um general que deveria ser exemplo para as tropas, foi rapidamente compactuar com o crime dizendo ser crime irrisório. Mostrou aí sua verdadeira fachada. Ali naquele momento sua patente deveria ser retirada.

  15. 22 de Abril 2020, esta dia precisa ficar eternizado na memória nacional como o Dia da Vergonha , o dia em que as valorosas e briosas FA tomavam cafezinho enquanto assistiam o Circo do Capetão miliciano !

  16. O grito da mídia corporativa chega atrasado, e muito. Deveria ter gritado aos quatros ventos quando os generais ameaçaram romper com a democracia e colocar os tanques nas ruas, caso não prendessem o Lula , se libertassem o Lula, se deixassem o Lula concorrer às eleições. Mas faziam parte do golpe. Agora Victor Frankestein não controla mais sua criatura. Esperemos um final menos trágico para o País.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.