Bolsonaro “jura de morte’ Mandetta. É o método miliciano…

Jair Bolsonaro aplicou o “método miliciano”.

“Jurou de morte” o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, hoje, ao participar de um ato de fanatismo religioso à frente do Palácio da Alvorada.

“algumas pessoas do meu governo, algo subiu à cabeça deles. Estão se achando demais. Eram pessoas normais, mas, de repente, viraram estrelas, falam pelos cotovelos, tem provocações. A hora D não chegou ainda não. Vai chegar a hora deles, porque a minha caneta funciona. Não tenho medo de usar a caneta, nem pavor. E ela vai ser usada para o bem do Brasil. Não é para o meu bem. Nada pessoal meu”

Mais claro, impossível.

Mandetta é um futuro cadáver, se Bolsonaro continuar tendo nas mãos a sua “arminha” de caneta Bic.

Um ministro da Saúde não tem condições de continuar a exercer suas funções se o homem que tem a obrigação de lhe prover de meios para a batalha que tem de enfrentar diz, de antemão, que ele vai “morrer” administrativamente.

Sua estrutura de comando está definitivamente abalada, agora que foi “promovido” à condição de “pato manco”, aquele que ainda está no cargo mas já não está no poder.

Sua autoridade segue sendo minada. Quanto tempo resistirá?

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email