Bolsonaro vai à luta com Moro: “Judas”

Subiu vários graus a temperatura do confronto entre Jair Bolsonaro e Sérgio Moro.

“O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse” [o ataque de Adélio Bispo dos Santos] pergunta o presidente, postando um vídeo misterioso, colocado nas redes por um usuário que apareceu e sumiu, misteriosamente e no qual haveria pessoas sugerindo “calma” ao esfaqueador.

Dois anos, quase, depois da facada de Juiz de Fora e com o caso judicialmente encerrado, tem toda a “pinta” de armação, até porque não haveria nenhum interesse a um eventual cúmplice de manter ou enviar a alguém um vídeo em que se incriminaria.

O que Bolsonaro está fazendo é acusar Moro de ter se tornado parte de uma conspiração para matá-lo.

E, portanto, de crime deliberado, ajudando a ocultar criminosos.

Com evidente intenção de atingir o público religioso, ao comparar Moro a Judas, compara-se a Cristo.

Talvez devesse comparar-se a Pedro, pois está repetidamente o golpe que quer dar, acusando disso o STF.

Não parece estar interessado em jogar numa provável “pizza”, neste caso, com a coisa se resumindo à troca de farpas políticas com o ex-ministro.

Bolsonaro parece estar pronto para uma luta de morte com Moro. E parece que tem uma faca guardada para isso.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. A Noite dos Longos Punhais, em alemão Nacht der langen Messer, foi um expurgo que aconteceu na Alemanha Nazista na noite do dia 30 de junho de 1934, quando a facção de Adolf Hitler realizou uma série de execuções políticas, logo após seu líder tornar-se chanceler da Alemanha.
    No Brasil de hoje, milicianos já falam abertamente em guerra civil, “passar o STF na bala”, e as FFAA assistem a tudo como se nada tivessem a ver com as ameaças de golpe armado.

  2. Os dois principais artistas dessa farsa foram escolhidos não exatamente por suas qualidades como artistas mas justamente por seus defeitos como indivíduos e cidadãos, defeitos que permitem encarnar à perfeição a característica burlesca de seus personagens que encaixam à perfeição às necessidades da trama. Diga-se que são péssimos atores para os papéis para os quais foram escolhidos: o do juiz incorruptível e o do líder messiânico. É claro que um juiz venal, corrupto, carreirista e covarde nunca poderia interpretar seu contrário, nem um político venal e velhaco interpretar um líder e menos ainda um líder messiânico, o que por fim dá um tom de paródia e de absurdo a todo este triste e macabro espetáculo.
    O primeiro artista era um simples e inexpressivo juiz de província, cujo olhar, voz, dicção e conteúdo mesmo das suas falas nunca o levariam ao estrelato, mas que o destino caprichoso o lançou, ainda muito jovem, no olho do furacão de um dos casos mais obscuros, sinistros e encobertos em silêncio e em sombras de nossa história, o escândalo do Banestado (aliás não deveria surpreender ninguém o fato que muitos personagens desta velha trama voltassem a atuar e a servir com papéis ainda mais destacados do que na “primeira temporada”). O fato é que o caso lhe rendeu os dividendos que ele esperava mas em troca herdou alguns esqueletos que em função do próprio caso podem ter sidos mantidos trancados no armário. As principais características do personagem e do artista são suas pretensões a alpinista social e judicial que lhe permitem atuar através do ativismo judicial interessado e inescrupuloso que serve e encaixa perfeitamente em toda a trama.
    O segundo artista era um militar de baixa patente indisciplinado que ao ser expulso do Exército, para conseguir o pão nosso de cada dia, teve que buscar a vida sem o incômodo do suor e o esforço do trabalho. Poderia ter ingressado diretamente no mundo do crime, mas com a ousadia dos canalhas preferiu dar um passo mais além e foi parar na carreira política como representante daquelas forças da ordem que operam numa zona cinzenta entre o combate ao crime e a própria atividade criminal. E é preciso admitir teve bastante mais sucesso do que jamais algum canalha igual imaginou. Aqui novamente o destino caprichoso desempenhou um papel fundamental. Assim de um personagem totalmente secundário foi alçado a protagonista pela necessidade (sempre ela) e pelas consequências inesperadas mas necessárias da própria trama.
    De certa forma os dois personagens operam a expensas de seu verdadeiro e real tamanho, estão presos e são instrumentos de uma trama maior (de onde sabem vem os superpoderes que eles fingir deter) e são cada um a sua maneira produtos de uma mente retorcida e de um pretensão maior que suas verdadeiras pretensões familiares, de chefes de família, que por uma razão ou outra flutuam ao sabor de fatos que não dominam. E agora se prestam ao último e derradeiro papel a lutar pela sobrevivência, matar ou morrer. Bom fim não lhes aguardam.

    1. Policarpo, seu texto é a mais completa e coerente análise deste episódio sinistro de nossa história. Parabéns!

    2. Parabéns pelo texto. Eu só colocaria mais uma característica de ambos: São dois recalcados insignificantes que tiveram o azar de pegar o bonde da História e estão presos na mentira que construíram, sem saber onde chegar e como sair. As tramas e mentiras os derretem.

    3. Faltou destacar o papel dos gringos nesse samba. A ascensão do primeiro teve apoio total do DoJ, enquanto o segundo foi sustentado pelas estratégias do Bannon e outros representantes dos interesses dos “irmãos do norte”.

  3. CHEGAREMOS AOS 7000,MORTOS.( que já devem ter acontecido,mas,a falta de testes e a subnotificação o atestam).
    Enquanto isso,na briga de gangues,o CRIMINOSO moro,é aguardado por uma matilha bolsonarista ,para ser xingado e amaldiçoado.
    Aos arrogantes ,que andam atropelando todo com sua “altivez”, a vida lhe reserva os tapas na cara,que se absorvidos, os fazem descer do pedestal onde se colocaram.
    Mas,isso não vale para todos,em certos indivíduos a arrogância é infinitamente maior que a inteligência.

  4. A facada providencial para esconder a incompetência desse bolso nos debates agora é ressuscitada para salvar de seus crimes como presidente. Facada de ouro está.

    1. Fakeada , isso sim. Onde foi parar a faca, a camiseta(os próprios apresentaram uma com o furo do lado errado), a proteção clara ao Adélio que pode ser vista e revista no A facada do mito? Farsa!

    2. O “dodói” não ia aos debates, mas levantava taça em final de campeonato, levava criança de três anos sobre os ombros, fazia flexão de pescoço frente a uma tropa.

  5. O ataque como melhor defesa não poderia faltar agora a Bolsonaro. Mas o estranho é esta batida monocórdica em torno da facada, que foi ressuscitada pelo Olavo como uma possível saída para uma imprensada sem saída de seu pupilo. O caso Adélio foi encerrado pela polícia. Não dá mais para fazer auê em torno dele. E se fosse vasculhado em detalhes, muita coisa haveria por investigar e explicar ao vulgo, como o curso de tiro ao alvo de Santa Catarina feito por Adélio e um filho de Bolsonaro, a impossível filiação de Adélio ao PSOL em Brasília e os vídeos que mostram seguranças do comício em Juiz de Fora protegendo o Adélio em suas investidas para dar a suposta facada. Este vídeo que falam que Bolsonaro expôs parece ser irmão deste último. A bola ainda está com Moro, apesar da valentia da defesa.

      1. Imaginem um doido atacando o demente numa manifestação com milhares de pessoas. Comparem essas pessoas com os idiotas que andam armados e atacando pessoas com violência. Essa pessoa sairia viva? Adélio saiu ileso e protegido. A faca sumiu. As pessoas donas da pousada foram mortas. Um advogado “aparece,” para defender.Ele foi reconhecido como louco e está incomunicável. Há algo de podre…

        1. Sim, e vi um vídeo (Canal Rubem Gonzalez) em que o Cláudio Pacheco (um dos membros da equipe) espeta em si próprio uma agulha de seringa por cima da camisa. Cerca de cinquenta segundos depois aparece sangue na camisa.

          Como numa facada não aparece sangue algum? Existem facas cenográficas, em que a “lâmina” desaparece dentro do cabo.

        2. Sim, e vi um vídeo (Canal Rubem Gonzalez) em que o Cláudio Pacheco (um dos membros da equipe) espeta em si próprio uma agulha de seringa por cima da camisa. Cerca de cinquenta segundos depois aparece sangue na camisa.

          Como numa facada não aparece sangue algum? Existem facas cenográficas, em que a “lâmina” desaparece dentro do cabo.

        3. Sem esquecer que até hoje, nenhuma imagem dos celulares que estavam por perto, foi divulgada
          Até batida de trânsito, sem vítimas, aparece na net em 30 minutos.
          A fakeada do Bozo não aparece em lugar nenhum……
          Também, esperar o quê do gado Terraplanista e que chama o Papa de conspirador?

        4. Sim, e vi um vídeo (Canal Rubem Gonzalez) em que o Cláudio Pacheco (um dos membros da equipe) espeta em si próprio uma agulha de seringa por cima da camisa. Cerca de cinquenta segundos depois aparece sangue na camisa.

          Como numa facada não aparece sangue algum? Existem facas cenográficas, em que a “lâmina” desaparece dentro do cabo.

  6. Eu ainda não sabia desse novo round. A ideia de colocar nas mãos do Moro, a faca, pode indicar que ele, refarà a peça. O personagem executor do papel, no caso Adélio , deverá ser orientado e fazer outro depoimento, numa reabertura do caso e indicar Moro, como mandante. Para Miliciano tudo bem ao caso

  7. Eu ainda não sabia desse novo round. A ideia de colocar nas mãos do Moro, a faca, pode indicar que ele, refarà a peça. O personagem executor do papel, no caso Adélio , deverá ser orientado e fazer outro depoimento, numa reabertura do caso e indicar Moro, como mandante. Para Miliciano tudo bem ao caso

  8. E quando a ‘conja’ foi depor, ela irá delatar PREMIADA a tal da “uma coisa só”?
    São as Leis [inexoráveis] da Natureza, estúpidos(as)!
    Aqui se faz, aqui se paga!
    Nem mesmo a cadeia perpétua redimiria os pecados hediondos desta gentalha infame e tosca!
    EM TEMPO: quem irá delatar a Globo Organizações MafioCriminosas?

  9. EU quero saber o que foi do MAL que desapareceu da barriga do OGRO ? Quero saber pq um oncologista ainda hj da assistência ao BOZO ?
    Será que Messias foi curado por Jesus ? Afinal, o pastor operou um milagre, ou este milagre foi operado por uma cirurgia de conveniência, ou seria de coincidência, que teria coincidindo com o corte da facada tb ?
    https://www.youtube.com/watch?v=fHG7bmjwir0&t=42s

  10. O STF, não iria acelerar este inquérito se não houvesse aval dos militares. Penso que está tudo preparado para um golpe e Bozo vai ficar de fora!

  11. Vou colocar o champanhe na geladeira e saborear, apesar da certeza que é um “pum” fedorento, pois os dois só teriam perdas (principalmente o imaculado juiz ladrão- nunca vai ser esquecido) e vão se ajeitar ( o juiz ladrão vai pros isteites com uma gorda bolsa de estudos e em 2022 volta como salvador unindo a direita venal). Bozo ainda tem as desacreditadas FAAs ao seu lado e impõe medo e seus ilegais quereres ao covarde STF ( já estão falando em adiar eleições…A ditadura começa na retirada de direitos da cidadania. Primeiro prefeito/ vereadore, depois senador/dep. federal/ governador/ presidente, e por fim políticos impostos numa falsa democracia, os biônicos”). Uma pequena exceção dá ensejo a grandes exceções. Mas o champanhe já está gelando…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.