Brasil só perde com alinhamento total aos EUA

O Valor publica hoje o que deveria fazer muita gente repensar a ideia primária de que “o que é bom para os EUA é bom para o Brasil”, frase estúpida pronunciada por Juraci Magalhães, embaixador brasileiro nos Estados Unidos no início da ditadura militar de 1964.

Estamos comerciando menos com o país de Trump do que fazíamos com o país de Obama, voltando aos níveis de comércio de 2009, quando a economia estava deprimidíssima por conta de crise do subprime. Aliás, os mesmo níveis que tínhamos no período FHC.

E nas exportações, apesar do dólar nas alturas, muito menos ainda. Os EUA ainda são, é verdade, o segundo maior destino de nossas exportações, mas representam hoje pouco mais de um quinto do que representa a China.

Elevar o comércio com os EUA não é, com certeza, uma tarefa fácil, porque somos competidores em áreas importante como soja e milho. Mas nunca estivemos nestes patamares desde a década de 1990, em valores, e isso é estar três décadas atrasado.

Na contramão, a elevação dólar e a retração do setor industrial também reduziram as importações, que só não ficaram mais baixas porque 7% deste total se refere a uma única compra, a de uma de uma plataforma de petróleo de US$ 1,2 bilhão.

A acusação sempre feita à esquerda, de não dar valor às relações econômicas com os EUA e o aceno da direita que, sendo “amigos íntimos” dos norte-americanos só teríamos vantagens provam-se, pelos números, uma balela.

O aumento das políticas protecionistas por lá, enquanto nos exigem todas as fronteiras abertas é uma via suicida para nossas relações comerciais.

Ao contrário da frase célebre, talvez um dia façamos compreender que o que é bom para o Brasil é bom para os EUA, porque somos um grande mercado de consumo, porque somos uma potencial plataforma de exportação, porque temos uma história de relacionamento que vem desde a revolta das 13 colônias que fundou aquele país.

Há séculos, porém, impera por lá a ideia de que um cachorrinho é o melhor amigo e, infelizmente, também aqui as mentes miúdas ainda pensam assim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *