Canibalismo, para agitar a matilha

A estratégia escolhida por Jair Bolsonaro para enfrentar a crise interna do PSL – ao que parece, a da destituição do grupo de Luciano Bivar – não tem caminho fácil.

Temos seis meses até a data limite da filiação partidária para quem queira concorrer às eleições de 2020 e é impossível que, neste espaço de tempo, se obtenha a inédita ordem para auditar cinco anos de contas partidárias, realizar a tal auditoria, confrontá-la com perícias contrarrequeridas, julgar uma eventual destituição da direção do partido, tentar estendê-la ao diretório que a reporia, provisoriamente, obrigar à convocação de eleições que preparassem uma nova convenção nacional e eleger um comando bolsonarista-raiz para o PSL.

Faltam apenas dois meses para o recesso de fim de ano do TSE, recorde-se.

Diz o bom-senso – ainda que ande escasso por aquelas bandas – que, então, esta é apenas uma capa do que realmente se procura.

Poderia, embora pareça improvável, ser forçar a renúncia de Bivar e seus fiéis, preenchendo os cargos de comando do partido com “bons olavistas”. Não parece, até aqui, provável que o coronel pernambucano esteja disposto a isso, a menos que a coerção policial ganhe novos capítulos.

Ou cobrir a incapacidade política do bolsonarismo em construir apoio sequer entre seus adeptos, criando a capa do “combate à corrupção” para migrar, pela enésima vez, para alguma sigla (chamar de partido seria impróprio) ávida por tê-lo como negócio – e não só eleitoral.

Seja como for, adequa-se à orientação permanente do bolsonarismo de manter a matilha açulada, ainda que, desta vez, isto implique canibalismo (antropofagia seria impróprio, pela precariedade do prefixo).

Olavo de Carvalho já está conclamando por uma “união indissolúvel de povo, presidente e Forças Armadas” como forma de “salvação nacional”. Tirando a hidrofobia do General Heleno, duvido que a alta oficialidade esteja neste diapasão.

Em matéria de solubilidade, o Governo lembra a antiga propaganda que deu aos velhos Renault Dauphine de minha infância o apelido de “Leite Glória”: desmancha sem bater.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

  1. Parece que vão tirar do Lula a segurança absoluta que a proteção permanente da Policia Federal lhe confere.

  2. Vai ter ‘acerto de contas’ na milícia. Vai ter neguinho armado pra tal reunião.
    Só bandido nesse ‘partido’.

    1. Antigamente dizia q pra saber quem era comunista era so legalizar o partido. Agora é diferente. Pra saber quem é miliciano é so seguir o 17

  3. Soube pelo UOL que o capitão disse que quer transparência nas contas do PSL porque o dinheiro é publico. Ue, capitão, e o dinheiro da rachadinha praticada pelo seu filho Flávio não é público não, seu hipócrita?

    A propósito, recebi hoje pelo Whatsapp uma mensagem funcionando como propaganda de um tal de Nubank oferecendo crédito mesmo com o nome sujo. No final da mensagem vem uma mensagem do Whatsapp informando que o número não está cadastrado na minha lista e as opções denunciar, bloquear e aceitar. Ora, de que adianta denunciar ou bloquear se já tomei ciência do teor da propaganda? Então, em minha opinião essa pode ter sido um das formas de funcionamento da fábrica de fake news do capitão. As pessoas podem ter recebido notícia falsas de pessoas que nao estavam em suas listas. Tudo indica que a coisa não funcionou apenas entre grupos de Whatsapp replicando as notícias. A coisa pode ter sido muito mais ampla.
    Peço que vocês levem essa informação para a comissão que está investigando as fake news.
    A mensagem foi a seguinte:
    “Tenho 3 convites do Nubank que está liberando de 800,00 até 1.800,00 de crédito mesmo com o nome sujo. O meu veio com 1.600,00. Aqui está o meu convite: https://cartoes credito.club/nubank
    É verdade mesmo, não é vírus!”

    Agora vem um fato prá lá de curioso: 10 minutos antes da mensagens chegar eu havia reclamado pelo telefone celular para uma gerente do banco em que eu tenho conta sobre o mal atendimento em relação a um pedido de empréstimo, razão pela qual eu havia desistido. Conclusão lógica: nossas ligações por celular são vigiadas e o conteúdo repassado para o Whatsapp assim como nossa navegação na internet é vigiada pelo Google.
    Informo à comissão que a minha operadora é a dona Vivo.

    1. Pelo visto, o conteúdo de sua conversa confidencial foi repassado para a empresa “privada” (no pior sentido) que aproveitou para fazer o anúncio. Um abuso.

      1. Sim. E esse tipo de coisa só pôde acontecer porque o Whatsapp deixou uma pessoa que não está na minha lista invadir a minha privacidade.

  4. O que faz medo é que, de acordo com o andar da carruagem, brevemente só restará ao capitão nazista a opção do golpe definitivo, sem Supremo e sem congresso. Só a milicia.

  5. Bolsonaro copia fielmente o que Hitler fez com os camisas pardas. Bolsonaro quer se tornar o dono do PSL e da grana do fundo partidário. Com este dinheiro, mais de setecentos milhões de reais, ele aparelhará milícias por todo o Brasil. Feito isso, ele promoverá o golpe, fechará o Congresso, exterminará a oposição, enquadrará o Supremo trocando ministros que lhe ofereçam resistência e terá o apoio dos militares atrelados aos interesses norte americanos. Feito isso, Bolsonaro e seus filhos, reinarão sobre o Brazil.

    1. Espero sinceramente que você esteja enganado. >>> OU <<< que ao menos, miseravelmente, o plano do bozo dê todo muito errado.
      Do jeito que as coisas vão, porém… "convém ser econômico com as esperanças", como disse o próprio Fernando Brito em outro artigo.

  6. As cobras em briga pelo milionário fundo partidário…..A briga de foice está apenas começando. E o país …..que se dane….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *