Coisa de velho, por Nilson Lage

Conheço o nazismo desde criancinha.

Gente próxima de minha família morreu lutando contra ele nas encostas geladas de morros na Itália.

Meus instrutores no Colégio Militar eram ex-combatentes. Falavam-me da guerra e das razões da luta em que se empenharam.

Li autores do fascismo, dei aulas sobre isso.. Estudei a relação umbilical entre a ideologia da eugenia, o darwinismo social e a deformidade moral que leva à seleção dos homens conforme sua utilidade econômica, a ponto de justificar os campos de extermínio.

Sei que o país é governado por assassinos de jovens prisioneiros e heróis de salas de tortura.

No entanto, saber é diferente de sentir.

E é terrível sentir-se desprezado como um traste na etapa final da vida, exatamente quando o amor próprio se sustenta de feitos e sonhos do passado.

Muito mais doloroso do que vocês pensam.

Não dá para ver a tela do computador: os olhos estão molhados e molham o rosto.

Coisa de velho.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Quem cuida dos seus velhos desesperadamente quando estão doentes, para impedir que pararam e depôs sofre porque partiram, não sente a dor só Lage, mas sabe que é dolorido. E sente que um nazista está no lugar errado. O novato é da mesma estirpe do chefe

  2. Triste o país que depois de um quarto de século de ditadura e todas as suas violações, a ela recorre novamente menos de 30 anos depois, ignorando todo o sofrimento de uma geração e inclusive dando um alerta aos seus remanescentes: “Se tivermos que escolher entre vocês e um jovem, boa partida…”. Nas entrelinhas, claro, isso só valerá para os pobres.

  3. E É DOLOROSO VER AS FORÇAS ARMADAS BRASILEIRAS ADOTAREM IDEIAS NAZI-FASCISTAS E COLABORAREM PARA DESTRUIR A NAÇÃO BRASILEIRA!
    ONDE FICARAM OS ÓRGÃOS DE INTELIGÊNCIA DAS FORÇAS DESALMADAS QUE NADA DETECTARAM… SÃO PAGOS PARA QUÊ?
    QUANDO ISSO ACABAR, TEREMOS UM PAÍS DESTROÇADO… DE NOVO!
    ENTÃO, OS MILICOS VIRÃO PEDIR ANISTIA…

  4. Mano, tenho muita idade e sinto o mesmo. Só que minha filosofia de vida contempla a reencarnação e sei, muito mais do que creio, que toda ação tem uma reação, e ela virá, cedo ou tarde, e não será pela mão do homem.

  5. Que texto incrível! Não há como não se sentir em Praga ao tempo do Açougueiro de Praga. Este novo general da saúde carimbaria sem pestanejar gente como o Noam Chomsky como inabilitado pela idade para receber tratamento. Toda a grande geração de artistas e intelectuais dos anos 60 e 70, que ainda está ativa a todo vapor, estaria marcada para morrer.

  6. Novo Ministro da Saúde: Nelson Teich.
    “T” de “Terceiro”, “eich” de “Reich”.
    Nelson Terceiro Reich.
    Bem apropriado ao “governo” Bolsonaro.
    Então, o que esperar dele? Que se contradiga?
    Só se for!!!!!

  7. Terrível, terrível, terrível! Nao sei medir dor ou revolta, coisas tao frequentes entre os bons. Mas ao menos sei que compartilho das suas, Sr. Nilson, pode ter certeza!

  8. Fiquei tocado pelas palavras do Professor Lage. Solidarizo-me com ele pela condição dolorosa de ter consciência dos caminhos da história e vê-la se repetindo. Também sinto-me atingido pela consciência e pela impotência de buscar uma reação, mesmo que “no braço” contra este governo nazi-miliciano. Também falta-me juventude e sobra-me conhecimento e sentimento.

  9. Brito, não tenho sua idade ainda, não tenho o seu vasto conhecimento, nem suas experiências de vida, mas dói em mim também. Quantas vezes já me escorreram lágrimas ao ler seus textos ou outros que nos mostram onde o país se meteu com a ascensão do fascismo tupiniquim.
    É realmente triste e desesperançoso, principalmente por pensar que país meu filho de agora um ano e meio vai herdar no futuro, sendo que há dez anos, parecia que o país do futuro tinha se tornado, finalmente, o país do presente.

    Coisa de um pouco menos velho.

  10. Ainda é possível resistir. E penas que escrevem como a sua não tem idade. Podem ser mais poderosas que as armas fascistas, porque são dirigidas para a vida e não para a morte. E por não cultuarem a morte, multiplicam o amor e a solidariedade.
    Precisamos de pessoas como você para manterem o norte dos que insistem em lutar.
    Só para lembrar, o whatsapp agora só encaminha uma mensagem. Agora estamos em igualdade de condições. Só falta neutralizar as empresas de disparos em massa, se não já foi feito.
    E os mais mais velhos ainda podem bater panelas, tão temidas pelos generais, segundo recente declaração do Gal. Villas Boas.

  11. Meu tio, morreu quatro dias antes do armistício bombardeando nazistas. Mas era de umas Forças Armadas que não existem mais.

  12. Força Nilson, vc não está sozinho!! Vc tem sua própria experiência, sua idoneidade para te amparar, e nossos pensamentos progressistas tb!!

  13. Tenho 42 anos, meia idade, e sinto o mesmo que você, Fernando. Me sinto, cada dia mais, em Berlim 1933.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *