Comandante do fuzilamento do músico diz que deram 257 tiros por “susto”

Quem quiser entender o que significa a proposta de “excludente de ilicitude” da dupla Sérgio Moro-Jair Bolsonaro, leia hoje, em O Globo, o depoimento do tenente Ítalo Nunes, que comandava o esquadrão de militares que fuzilou o músico Evaldo Rosa e o catador Luciano Macedo, em Guadalupe, na Zona Norte do Rio.

Diz ele que sua tropa estava “assustada” porque teria trocado tiros com os traficantes e ouvidos estes dizerem pelo rádio (???) que queriam ver o sangue escorrer da viatura militar. O catador Luciano, que todas as testemunhas civis viram ir tentar ajudar o músico baleado seria, na verdade, um assaltante e, por isso, teriam atirado, sem explicar a razão de terem acertado o carro do “assaltado” com dezenas de tiros de fuzil.

No total, foram 257 disparos de fuzil, 77 deles realizados pelo tenente Ítalo, 62 acertando o carro de Evaldo. Nele estavam, além do músico morto, sua mulher, uma amiga, seu sogro e uma criança de 7 anos.

O relato, claro, se ajusta perfeitamente às premissas de “medo, surpresa e violenta emoção” com que se quer tornar assassinatos isentos de processo criminal.

Quem vai provar que não estavam assustados e que merecem o excludente? Ou que não foram surpreendidos? Ou que não estavam sob “violenta emoção” com as supostas ameaças que alegam ter ouvido pelo rádio?

É fuzilar e contar a história.

Afinal, morto não pode se defender.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Não sei se lembram , mas há relatos de que enquanto sobreviventes do fuzilamento, imploravam por socorro….os “soldados” riam…..

    1. deviam estar drogados, 257 tiros e só mataram dois. foi sorte, resto da família sobreviveu, mesmo com 62 tiros no veículo

    2. Vão alegar que estavam rindo do susto do tenente cagão … e todos serão contemplados com o perdão BOSTAMORIANO …

  2. O CÍNICO E DEMENTE VILAS RUINS ,DIZ QUE TUITOU CONTRA O HC DO LULA PORQUE “É CONTRA A IMPUNIDADE”.
    AGUARDAMOS O SEU TUITE ,”GENERAL” SUBORDINADO A MILICIANO,

  3. No Exército, usei e atirei com o fuzil FAL, pistola 9 mm e sub-metralhadora Beretta.
    Na época, o FAL “viajava” por até 2,4 km.
    Pergunto: Onde foram parar os 177 projeteis restantes?

  4. Os militares mentem sem sentir vergonha do que fazem.
    A direita precisa disso, vive disso.
    Alguém já fez um levantamento das mortes ocorridas nos últimos tempos???

  5. Despreparados, despreparados, imaginem em combate real que ao invés de músico tivesse um inimigo preparado. Haveria cheiro a quilómetros.

  6. Belo exemplo de militar, cagão. Imagino este sujeito sem arma nas mãos, deve ter medo da própria sombra.

  7. Se contra uma pessoa sozinha, de costas, desarmado, eles se assustaram, imaginem se fosse um inimigo real, em maoir numero, armados, treinados e prontos para combate o que teria acontecido? Estariam cagados, de joelhos, chorando e pedindo arrego. Bando de covardes.

  8. E ainda tem brasileiro a favor de pena de morte. Não precisa, já que ela está institucionalizada aqui no Brasil. Alguma dúvida?

  9. Se dispararam por susto, então é uma prova que a polícia não tem prepao.
    Não querem privatizar tudo? Porque então não privatizar a PM?
    Polícia Militar desse jeito é dispensável, não serve pra nada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.