Como agir certo e falar bobagem…

O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, até que vinha se comportando com discrição e seriedade diante das ameaças de chegada ao Brasil do coronavírus que está colocando a China em emergência. Há poucos casos suspeitos aqui – nenhum confirmado – e as providências para receber, daqui a alguns dias, os brasileiros retidos em Wuhan, aparentemente estão sendo corretamente tomadas.

Mas o ministro, hoje, parece que se deixou contaminar pelo imbecilovírus que grassa no governo Bolsonaro e disse a jornalistas que estava recomendando “etiqueta sanitária” aos brasileiros no carnaval, que consistiria em espirrar com o cotovelo cobrindo o nariz e a boca.

Sim, eu sei, ele está certo, agir assim é a forma menos “espalha-vírus” de se espirrar, mas dito assim, solto, é um prato cheio para virar chacota e funcionar ao contrário.

O ministro poderia ter tratado a questão como ela é, uma ausência completa de sinais e presença do vírus aqui e as precauções que estão sendo tomadas, com os poucos casos suspeitos, com os voos que estejam – e acho que já não estão – chegando da China e nos portos brasileiros.

Mas resolver fazer graça e o resultado é um horror. Até no The Guardian, da Inglaterra, a tal “etiqueta” virou notícia:

Luiz Henrique Mandetta pediu aos foliões brasileiros que exerçam “etiqueta respiratória” quando o carnaval começar no final deste mês. “O que estamos sugerindo é etiqueta respiratória”, disse ele a repórteres, segundo o jornal Valor Econômico, resposta do Brasil ao Financial Times. “Lave as mãos várias vezes ao dia; se espirrar, coloque o cotovelo na frente.

Como faz falta um bom senso…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email