Continue “errando”, Lula, e você vence no 1° turno

É impressionante como a grande imprensa brasileira tem a ideia do “partido único”.

Tudo o que não é aquilo que ela defende é errado, arcaico, desastroso e – numa palavra – inadmissível.

Hoje, a “Coluna do Estadão” diz que “os devotos de Lula [não] têm coragem de admitir” mas, apesar da liderança folgada nas pesquisas, o calejado ex-presidente petista vem cometendo, sim, erros táticos na condução de sua pré-campanha e revelando fragilidades e inconsistências de sua agenda”.

O maior deles, diz, seria o anúncio de pretender revogar a “reforma trabalhista” de Michel Temer.

Abstraia-se o fato de que, por eliminar direitos e garantias trabalhistas, não poderia ser outra a posição de um líder trabalhista; mais, de alguém que brotou para a política de suas origens sindicais. “Inconsistente” seria se a defendesse.

Olhe-se apenas sob o ângulo da efetividade da reforma para o que ela se propôs, destravar a criação de postos de trabalho e gerar ” 6 milhões de empregos”, nas palavras do festejado Henrique Meirelles. Passaram-se quatro anos e o resultado, quando não foi zero, foi negativo.

Então, por que é errado? Ora, é porque é, e não é preciso nem conveniente dizer qual a razão.

Lula se aproxima da vitória eleitoral, talvez já no primeiro turno justamente por significar para a a população a retomada do emprego, da ocupação e dos direitos do trabalho, o revés das posições de Bolsonaro, às quais não mereceram reparo do jornal quando se expressaram na frase “melhor algum emprego sem direitos do que direitos sem emprego”.

Perderam-se os dois.

O jornal apressa-se em dizer que Sergio Moro e João Dória “acordaram” e protestaram fortemente contra a intenção de Lula.

Seria conveniente que ambos, então, expusessem claramente que direitos pretendem tomar em troca de que empregos pretendem dar.

Se for de entregador de lanches, é justo que o povo brasileiro possa saber disso e julgar se essa precarização do trabalho está resolvendo o drama deste país.

Do contrário, pelas pesquisas eleitorais, é de se dizer: “continue errando”, Lula, por favor.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.