Corrupção seletiva

O resultado da votação sobre a abertura de um processo de impeachment do governador Wilson Witzel (69 dos 70 votos a favor) e o volume de dinheiro apreendido na casa do subsecretário de Saúde do Pará, Peter Cassol (R$ 748 mil) mostram que, além da pandemia, entramos também num quadro de pandemônio político-institucional.

Tão evidente de que se encheram de irregularidades as despesas com o enfrentamento da epidemia é, também, que a ação policial tem um evidente viés bolsonarista, por se dirigirem, até agora, contra seus arqui-inimigos. exclusivamente.

De duas coisas não se pode ter dúvida: de que a camada de políticos que assumiu o controle da vida pública sob o discurso da moralidade é o que de mais sujo este país já conheceu e a de que só há maldição policial para os que entram na cota dos “malditos” que desafiam o poder absoluto de Jair Bolsonaro e de seu clã.

Aos demais, para os que seguem a regras da milícia, como no caso das”rachadinhas” queirosianas, as investigações se arrastam, os suspeitos sequer são ouvidos e desaparecem – literalmente – dos holofotes.

A Justiça seletiva, todos sabemos, é a pior das injustiças, porque os conceitos morais e éticos só valem para um dos lados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. DISTRAÇÃO,DESVÍO DE FOCO,PALHAÇADA,ENGANO.
    Ninguém convive com os números da Covid sem sofrer dano, e como evita-lo????
    fazendo isto , e pior !!! nós entramos nessa !!
    1.300 mortos contabilizados nas últimas 24 horas,com tendência ao aumento,O RESTO NÃO TÊM A MENOR IMPORTÂNCIA,(e isso eles sabem)

    1. Eu acho o contrário. Bolsonaro não está nem aí para a Covid e seus mortos, tanto que suas declarações são chocantes e sem a menor preocupação em dissimular. O que ele quer é destruir seus inimigos e faz isso também de forma despudorada e debochada.

  2. DISTRAÇÃO,DESVÍO DE FOCO,PALHAÇADA,ENGANO.
    Ninguém convive com os números da Covid sem sofrer dano, e como evita-lo????
    fazendo isto , e pior !!! nós entramos nessa !!
    1.300 mortos contabilizados nas últimas 24 horas,com tendência ao aumento,O RESTO NÃO TÊM A MENOR IMPORTÂNCIA,(e isso eles sabem)

  3. A pandemia não é NADA diante da tragédia política, institucional, judicial, social em que o Brasil mergulhou. O país foi sequestrado, sob o beneplácito do povo mais imbecil do planeta. O que está sendo plantado por essa turma, pode nos condenar a um futuro assustador em pleno século XXI.

  4. A percepção da população em geral, até mesmo entre os “arrependidos”, de que a corrupção é a origem de todos os males do Brasil, não mudou. Bolsonaro vai ganhar é muito com isso.

  5. A percepção da população em geral, até mesmo entre os “arrependidos”, de que a corrupção é a origem de todos os males do Brasil, não mudou. Bolsonaro vai ganhar é muito com isso.

  6. Diante da demonstração de força oposicionista dada pelas manifestações de domingo, o bolsonarismo resolveu usar sua última carta. Há algum tempo atrás, quando da saída de emergência do Marreco e da devida repercussão na grande mídia hegemônica, escrevi que o tripé bolsonarista havia perdido dois de seus sustentáculos: o apoio juridico-justicialista e o apoio cúmplice do baronato da midia, mais alinhados com o extremismo “cheiroso” dos tucanos que com a crueldade do justiçamento miliciano. Diante do enfraquecimento individual e da tentativa de criação de um movimento — no sentido sociológico do termo — pela “centro-direita” financeiro-peessedebista, inclusive instrumentalizando a justa indignação e desespero popular e objetivando sua derrubada sem alterar a política econômica, Botolini vai exibir a carta da força bruta, a única que lhe resta e, paradoxalmente, a que mais gosta de fazer uso. Os elementos que ousam, ou ousaram (haja vista a rápida capitulação de Witsel), brincar de oposição dentro da estrutura institucional, verão que deixaram exposto seu flanco mais frágil, não tendo brecado a tempo o aparelhamento dos órgãos de segurança pelo braço forte do projeto miliciano. Serão devassados, intimidados e deverão rapidamente escolher entre a capitulação e humilhação pública (nada mais a gosto dos truculentos) ou a execução política, pela prisão pessoal e dos seus. Os próximos inquiridos no “dá ou desce” serão os edis do Legislativo, ainda mais ao alcance que os governadores, pela capivara que a maioria possui. O embate institucional, se ocorresse, seria com o Judiciário, mas francamente duvido muito que o mesmo, embora mais altaneiro e arrogante por suas premissas, vá comprar briga com marginais claramente dispostos a tudo. Infelizmente, vai sobrar novamente para o grosso da população, que deverá escolher entre a perda do frangalho democrático que ainda resta e entregar-se ao despotismo iletrado de primatas (como os agressores da anestesista carioca, p.ex.) ou jogar dados contra a morte por infecção em movimentos massivos de rua no ápice de uma pandemia mortal, para exigir o retorno do Estado de Direito e amparar os membros institucionais que comungarem do mesmo objetivo e que ainda forem capazes de lutar. Sem embates frontais, não haverá nenhuma chance contra o desespero do projeto fascista, o problema é que novamente custará muito caro aos que menos deveriam pagar.
    Triste arremedo de pátria que tornou-se pária…

  7. Diante da demonstração de força oposicionista dada pelas manifestações de domingo, o bolsonarismo resolveu usar sua última carta. Há algum tempo atrás, quando da saída de emergência do Marreco e da devida repercussão na grande mídia hegemônica, escrevi que o tripé bolsonarista havia perdido dois de seus sustentáculos: o apoio juridico-justicialista e o apoio cúmplice do baronato da midia, mais alinhados com o extremismo “cheiroso” dos tucanos que com a crueldade do justiçamento miliciano. Diante do enfraquecimento individual e da tentativa de criação de um movimento — no sentido sociológico do termo — pela “centro-direita” financeiro-peessedebista, inclusive instrumentalizando a justa indignação e desespero popular e objetivando sua derrubada sem alterar a política econômica, Botolini vai exibir a carta da força bruta, a única que lhe resta e, paradoxalmente, a que mais gosta de fazer uso. Os elementos que ousam, ou ousaram (haja vista a rápida capitulação de Witsel), brincar de oposição dentro da estrutura institucional, verão que deixaram exposto seu flanco mais frágil, não tendo brecado a tempo o aparelhamento dos órgãos de segurança pelo braço forte do projeto miliciano. Serão devassados, intimidados e deverão rapidamente escolher entre a capitulação e humilhação pública (nada mais a gosto dos truculentos) ou a execução política, pela prisão pessoal e dos seus. Os próximos inquiridos no “dá ou desce” serão os edis do Legislativo, ainda mais ao alcance que os governadores, pela capivara que a maioria possui. O embate institucional, se ocorresse, seria com o Judiciário, mas francamente duvido muito que o mesmo, embora mais altaneiro e arrogante por suas premissas, vá comprar briga com marginais claramente dispostos a tudo. Infelizmente, vai sobrar novamente para o grosso da população, que deverá escolher entre a perda do frangalho democrático que ainda resta e entregar-se ao despotismo iletrado de primatas (como os agressores da anestesista carioca, p.ex.) ou jogar dados contra a morte por infecção em movimentos massivos de rua no ápice de uma pandemia mortal, para exigir o retorno do Estado de Direito e amparar os membros institucionais que comungarem do mesmo objetivo e que ainda forem capazes de lutar. Sem embates frontais, não haverá nenhuma chance contra o desespero do projeto fascista, o problema é que novamente custará muito caro aos que menos deveriam pagar.
    Triste arremedo de pátria que tornou-se pária…

  8. Tem que postar material da campanha do Witzel com o Bozo e vinculara a corrupção deles como ato conjunto. A esquerda é muito boa em “pensar”, mas é igual a enceradeira: roda, roda, mas não sai do lugar, não sabe expressar o que pensa.

  9. Sobre estas ações “isentas” da amada PF da bananilandia, pondero/lembro que muitas situações de gastos que hoje e principalmente no AMANHÃ serão taxadas de SUPERFATURADAS, ETC, ETC, devem sempre ser analisadas com o olhar do dia/época em que ocorreram (nos casos até aqui basicamente/resumidamente respiradores superfaturados).

    Considerar hoje superfaturado algo que se compara com compras com PREÇOS NORMAIS e TEMPOS NORMAIS não é honesto moralmente (minha avaliação).

    Só para exemplo: neste mesma época (recente, 60 70 dias atrás) o país não tinha alcool gel….mascaras…este era o contexto desesperador dos governadores e prefeitos atirados ao mar (Mandetta inclusive havia confiscado toda a compra e produção que ocorresse no territorio)…lembremos então do único remédio que até aqui tem salvado realmente as pessoas: os RESPIRADORES.

    Obs.: não estou isentando os ladrões que assim agiram, mas antes de EU queimar alguma reputação vou SEMPRE analisar caso a caso, e pessoa a pessoa envolvida na questão. O nefasto ainda vai mirar a PF em governadores e prefeitos progressistas e ai? Teremos que defende-los, conceitualmente falando. Os ladrões de fato, cadeia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.