Delfim e a operação sem fim

delfmoro

Não se sabe, em detalhes, o que buscam, a esta altura, as batidas policiais ordenadas pelo juiz Sérgio Moro em locais que, segundo os jornais,  seriam ligados ao ex-ministro Delfim Netto;

Tanto tempo e tantos escândalos depois, é pouco provável que, se é que de fato existiram, já não existam provas do que seriam negócios ligados ao consórcio Norte Energia para a construção de Belo Monte.

Se não se pode saber se existem e que papéis buscam, um papel é evidente que está sendo procurado: o de protagonista do estado policial brasileiro.

Lançado na penumbra desde que cumpriu o seu papel de algoz do ex-presidente Lula, Sérgio Moro volta ao centro do noticiário, pelo menos por uma manhã, ou por um dia, ou por uma semana. Mais, quem sabe, a depender de encontrar-se algo que sirva como combustível para sua fogueira não das , mas de vaidade.

Delfim Neto, além dos 80 anos, está longe de ser o todo poderoso que foi.

O todo poderoso, hoje e quem sabe por quanto tempo e com que objetivos a mais, é Sérgio Moro.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email