Dólar vai chegando a R$ 6. O Brasil está barato, mas nem assim querem

50% de desvalorização cambial em menos de 5 meses é, para qualquer economia e em qualquer situação é dose pra leão.

Pois o dólar, que saltou agora a R$ 5,93 , tem, garantida, a quebra da impensável marca de R$ 6, ainda mais se Celso de Mello liberar as cenas do Duelo no Talquei Corral, da reunião botequinal, digo, ministerial.

A queima de nossas reservas – cerca R$ 50 bilhões, segundo dados do próprio Banco Central – está servindo apenas para alimentar a especulação.

O resultado prático, mantida a política de liquidação a qualquer preço de nosso patrimônio para o capital estrangeiro, é que tudo ficou pela metade do preço.

Nem assim, porém, o capital estrangeiro quer conversa com o Brasil.

A saída de capital estrangeiro da Bovespa atingiu, até o dia 8, R$ 73 bilhões desde o início do ano.

A saída da crise econômica do Brasil ou será com o estado ditando uma política econômica ou não será.

E isso é impossível com o atual governo.

Que, além de não ter política alguma. está imobilizado por vídeos porno-administrativos e pela “política” de evitar reunião de ministros para não dar mais problemas.

O caminhão vai ladeira abaixo, sem motorista.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

    1. Sim, perfeito, esse era o corolário, “tudo menos o PT”, a destruição da economia e do que restava das instituições democráticas foram os custos colaterais e operacionais da “operação” e pagamos TODOS nós.

  1. Motorista tem,o problema é que tá com overdose de cloroquina e tem que esconder os crimes dos filhos delinquentes!

  2. e pensar que em 2015 com a selic a 14,25% e compulsório de 65% tinhamos condições de reverter a crise com os pés nas costas, mantendo-se a preponderância dos bancos públicos desburocratizando operações de investimentos com uma queda progressiva nas taxas, podia-se obter taxas de crescimento até maior do que no primeiro triênio da década. Nesse cenário a queda das taxas não provocaria evasão de divisas, pelo contrário, atrairia mais. E em se mantendo altos níveis de investimento no setor produtivo tanto público como privado com uma queda tão agressiva tanto da selic como do compulsório, a dívida cairia pra baixo dos 30% do pib. O que se fez foi o pior possível, queimaram-se todas as fichas por nada. Reduziu-se juros e compulsório abortando investimento no setor produtivo. Isso sim é suicídio econômico.

  3. Vai de ladeira abaixo, não sem motorista, mas com um motorista “amarrado”, como chamamos, aqui no Ceará, a quem não sabe dirigir.

  4. “O caminhão vai ladeira abaixo, sem motorista.”
    Se não tivesse motorista era até melhor — podíamos esperar pela sorte. Mas, inafortunadamente, tem um motorista que procura a ribanceira.

  5. Seria melhor que não tivéssemos motoristas….estamos nos aproximando do auge da demência. As idéias que circulam entre os atuais motoristas só não são pior do que a dos alucinados palpiteiros que os acompanham. São como drogados em crise de abstinência. Numa dessas leituras retorcidas da realidade uma dessas mentes “privilegiadas” formulou um elogio da política econômica do biênio 2014-16 (naquela época ele a abominava, e era um tarado do centro da meta e a inflação ou a Dilma era um monstro que ia nos devorar). Não, não pense em mea culpa, nem em “meia” culpa, nem em culpa qualquer ou autocrítica, vocês não tem ideia do nível de demência dos meninos e meninas da Faria Lima. Um desses mancebos formulou o seguinte primor de raciocínio. Diante da incapacidade de reverter o quadro depressivo com as seguidas reduções da taxa de juros talvez fosse o caso de “proteger” “nossa” divisa AUMENTANDO DE NOVO NOSSA TAXA DE JUROS BÁSICOS. Sim, o dependente químico avia o aumento nas doses diárias de cocaína e metanfetaminas. A ideia genial é manter a atratividade do “cupom de juros” para os chamados hedge funds que especulam com nossa divisa e nossa taxa de juros. Já que Maomé não vem à Montanha, isto é, os gringos não vem às compras de nossas jóias por mais barato que esteja, porque não a montanha ir a Maomé, isto é, empacotamos uns derivados financeiros bem rentáveis e oferecemos aos “gestores” de fundos. É como se Gustavo Franco baixasse no corpo de um desses meninos e meninas do Mercado, oferecendo 50% de rentabilidade em papel público. Já não sei se é crise de abstinência ou uso de LSD mesmo. O que estão colocando na água dessa gente ein? Essa pergunta de fato não sei responder, agora uma coisa eu sei e posso afirmar: ELES ESTÃO TOTALMENTE DESGOVERNADOS E QUEREM NOS DESGOVERNAR.

  6. O gado de direita, os marrecos da av. paulista agora estao satisfeitos com o pais arrasado e o real nao valendo nada, é o chiqueiro que o pobre de direita adora. Ninguem vai querer investir o “dim dim” na brazuela bolsonariana, uma republiqueta desgovernada.

  7. Fernando Brito, desculpa mudar de assunto, mas gostaria de sugerir que vc pesquisasse os processos envolvendo Regina Duarte (Regina Blois Duarte), eu não entendo os termos jurídicos. Fiz uma pesquisinha:

    A produtora da Regina Duarte em sociedade com os filhos – A Vida e Sonho Produções Artísticas Ltda – tem 17 páginas de processos no Jusbrasil: https://www.jusbrasil.com.br/topicos/38926628/a-vida-e-sonho-producoes-artisticas-ltda?fbclid=IwAR2FPbL6tgboh3lYH3NWkKJOzd79Z0nkZYSEr8fKmGKgcFFuItjSaeR5w_k.

    A empresa de confecção que ela tem, ou tinha, junto com duas sócias – Laduarte Moda e Confecções Ltda – também está envolvida em processos: https://www.jusbrasil.com.br/topicos/46968559/laduarte-modas-e-confeccoes-ltda?fbclid=IwAR2p1uNjsqemXti1FL9YAezNTNaY71y0gAdgWO_LAQQAKF8rniBoFHlTCl8.

    Ela e outros, incluindo Jorge Abujamra Filho estão envolvidos num processo antigo de uma propriedade rural, Sítio Tamboré, terra da União que envolve um ex aldeamento indígena – num recurso, Regina Duarte alega Ocupação e requer não sei o quê. https://www.jusbrasil.com.br/diarios/documentos/188031806/andamento-do-processo-n-0018007-5420004036100-sp-apelacao-civel-13-05-2015-do-trf-3?fbclid=IwAR3zZC0r0CKQl3VR-3bUufGWd23IggHYANFGJWQ77JIzxwxPhfmnBPLOC5U

    Eu não tinha certeza, mas verifiquei que ela ainda possui a fazenda de Barretos. https://cnpj.biz/08615356000141

  8. De país do futuro a país sem presente e futuro. Do pleno emprego ao desemprego. Do SUS ao cemitério. Das vacinas à pandemia. De legalista a fascista. Das instituições fortes às inexistentes. Do “é o cara” ao ” é o fascista”. Do sonho ao pesadelo. Da Presidência às milícias. Da soberania à colônia.

  9. Botaram uma senhora formada em turismo e hotelaria para ser presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, IPHAN. Parece fazer parte de orientação do governo federal para dar mais ênfase aos negócios do que à cultura, além de garantir que tudo no país fique sob controle de amigos e familiares, sem importar se são aptos ou não para ocupar cargos. Aliás, quando enfiaram o IPHAN no Ministério do Turismo, certamente já tinham em mente a exploração turística do patrimônio e nada mais. Talvez ela tenha alguma qualificação ainda não revelada, mas ao que parece são dois os fatores que influíram decisivamente na nomeação: Ser casada com um policial federal que foi segurança de Bolsonaro na campanha de 2018 e ser amiga muito próxima do Léo Índio, o famoso primo dos Bolsonaro. Os historiadores do país e outros especialistas da área estão de cabelo em pé com esta nomeação e dizem que ela não tem formação suficiente e específica para o cargo. Porque ainda que possa entender superficialmente dos bens materiais do patrimônio, ela teria de entender também dos bens imateriais, alguns dos quais até correm sério risco de desvirtuamento e sobrevivência exatamente pelo avanço da atividade turística. Oxalá a falta de recursos tolha qualquer iniciativa mais predatória enquanto dure esta tragédia administrativa nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *