Escola com “faca nos dentes”, diz ministro da “Educação”

Na sondagem feita por Jair Bolsonaro para a  escolha do futuro Ministro da Educação o critério não era ter um espírito aberto, capaz de trabalhar com toda a diversidade própria do ambiente escolar e, especialmente, universitário.

Ao contrário, era “ter a faca nos dentes”, descreve uma atitude de confronto, aguerrida, bem pouco apropriada – aliás, como a menção a facas, diante de nossa história recente – a quem precisa, necessariamente, construir consensos e objetivos comuns a dezenas ou centenas de milhares de educadores. É o contrário do que se ouve da boca do ministro indicado Ricardo Vélez Rodriguez, em sua primeira “entrevista”, aliás a uma advogada de extrema-direita, Bia Kicis, eleita na “onda” do ex-capitão, quando ele descreve sue primeiro encontro com o presidente eleito, dia 28.

— Achei [Bolsonaro] uma pessoa que não tem meias palavras, não tem pé atrás. Faz as perguntas mais diretas. Ele me perguntou: “Velez, você tem faca nos dentes para enfrentar essa guerra?” Eu falei: “Senhor presidente, estou nessa guerra há 30 anos. Porque há 30 anos o marxismo está aí presente, marginalizando gente, fazendo ‘fake news’. Então, a gente tem que estar sempre alerta. Não pode dormir no ponto” .

Vê-se contra quem Rodriguez quer usar “a faca”: o marxismo que seria, na visão obtusa (ou seria cegueira aguda?) destes fanáticos. Não a formação de professores, não a sua sub-remuneração, não a crescente desqualificação do magistério, não as escolas ausentes ou deficientes, não as distorções no acesso dos mais pobres a uma educação de qualidade, não a evasão escolar, não o baixo rendimento intelectual dos estudantes, não o despreparo para enfrentarem a vida mas … o marxismo!!!!

E, contra Marx, o ministro invoca o astrólogo Olavo de Carvalho, que vai se tornando cada vez mais o ideólogo da estupidez.

Aguarda-se para ver a crise nas universidades no início do próximo ano, quando a “faca” sair dos dentes e entrar nas verbas da Educação. Este energúmeno não dura um ano na pasta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Se olharmos a biografía desta topeira ,é uma “excelência” no campo da filosofía ,o que prova mais uma vez ,canudo universitário para muitos se revela mais um objeto fálico do que uma garantía de sabedoría .

    1. Não é o canudo, o problema é do canudo brasileiro. Filosofia aqui é uma tristeza, conheço as trajetórias de vários medalhões da área. Para eles a filosofia aqui é recitar algo europeu e pronto.

  2. Eu acho que o mais dramático é saber a que eles realmente estão se referindo. Pra esses excrementos, “marxismo” são os avanços e conquistas sociais obtidos pelas sociedades mais desenvolvidas do mundo.

  3. O problema não é nenhum deles (o ministério gangue) durar nem um ano. O problema são os quatro anos do bolsonazi. Vamos precisar de muita resistência e luta, na dimensão de que falava Brecht – aquelas pessoas indispensáveis, que lutam todos os dias, “que lutam toda a vida; [e que] são imprescindíveis”.

  4. O que mais me impressiona é que esses “luminares” são todos um poço de ressentimento, de inveja e mesquinhez. Ficaram “marginalizados” porque são incompetentes, não estudam, não pesquisam, só querem os louros. Agora querem se vingar de quem sempre fez o dever de casa. Bando de frustrados!

  5. Não acredito que os tais ministros do Bolsobosta estejam sendo escolhidos assim, somente, ou com indicação de algum fulano ou de algum beltrano.
    Tenho a impressão de que todos estão passa do por testes rigorosíssimos e por sabatinas das mais implacáveis, sendo nomeados, caso a caso, quem apresente os maiores coeficientes de estupidez, sujeira biográfica…
    Só assim para entender que haja tanto lixo por metro quadrado na (indi)gestão que se aproxima!

  6. Caro Fernando:
    “— Achei [Bolsonaro] uma pessoa que não tem meias palavras, não tem pé atrás. Faz as perguntas mais diretas. Ele me perguntou: “Velez, você tem faca nos dentes para enfrentar essa guerra?” Eu falei: “Senhor presidente, estou nessa guerra há 30 anos. Porque há 30 anos o marxismo está aí presente, marginalizando gente, fazendo ‘fake news’. Então, a gente tem que estar sempre alerta. Não pode dormir no ponto” .
    “O que é ideologia?
    1. “É a falsa consciência social de uma época, de um grupo”
    ´2. É uma falsa consciência a fim de justificar privilégios de grupos e de classes sociais”
    “As duas faces da ideologia:
    A POSITIVA: é um conjunto de idéias que orienta o comportamento do homem no seu percurso existencial.
    A NEGATIVA; É a soma de príncípios engendrados, destinados à justificação de privilégios de grupos, de classes sociais, nações e indivíduo.”
    ” A escola é um aparelho ideológico ( porque dissemina ideologia ) usado pelo Estado para reproduzir as relações sociais existentes e manter a produção pela qualificação diferenciada da força de trabalho.”
    “Dos elementos culturais, sustentáculo do sistema em que se apóia o Estado, destaca-se a escola como peça-chave.Façamos, para melhor análise, a discriminação dessas categorias sem, contudo, exaurí-las de todo:
    a) salário mínio que se ajusta à ordem social dominante.
    b)negação da propriedade como função social.
    c)lucro empresarial sem a correspondência ou equivalência com salários e tributos.
    d)afastamento de lideranças que possam desestabilizar as relações de produção das empresas e do próprio Estado..
    …..O ordenamento político jurídico jamais poderá ser confrontado no sentido de contrariar os interesses das classes dominantes.
    …” as elites do país, agiram sempre no escopo de fazer com que o brasileiro descreia dele próprio, do seu país, do seu destino, desconheça a sua história e com isto se desfigurar na luta por seus direitos. … Ressalte-se : o sistema escolar foi o primeiro aparelho ideológico instrumentalizado pelas elites.”
    O trecho entre aspas foi extraído do livro A REPÚBLICA DAS ELITES, de Agassiz Almeida, Ed. Bertrand Brasil
    Esse governo que ganhou as eleições através de fraudes com fake news é um representante das elites e aos seus interesses será subordinado, logo a ideologia dominante não poderá ser diferente das classes dominantes.

  7. Quando se deseja o “poder” e seus privilégio$$$, é muito fácil nomear um inimigo. No ideário “eleito”, é o marxismo. Conveniente para encobrir a ausência de projetos e de sonhos, ainda mais se referentes a educação pública. Será que as escolas básicas (mesmo que nem todas) ainda terão livros didáticos escolhidos por professores? Mudarão as Diretrizes Curriculares? E o Programa de Merenda Escolar? Aff… O futuro ministro nem deve saber do que estou dizendo…

  8. Avante até o pau quebrar!….Contra as Falanges do Mal legitimadas por brasileiros idiotas!….

  9. Esse ministro da educação é a copia fiel da mediocridade que vai ser esse governo,chama-lo de energúmeno ainda é muito pouco.

  10. Essa gente obtusa q nos desgovernarão convenceu parte do eleitorado igualmente obtuso q o PT dominava a máquina governamental e q eles tinham q se unir para só assim conseguir desalojar um inimigo descomunal. Ou seja, roubaram o nosso papel no enredo (aliás tá tudo virado, vide o texto do tal reinaldo, ex-veja). A minha dentista, antes do 1° turno me disse, justificando o fato de ir votar no Bozo: ‘O PT é muuuuuito poderoooooooso….’. E eu ali incrédulo ouvindo e olhando aqueles olhinhos azuis bem perto de mim! Aí, caiu a ficha! Se os bem alvos, dos olhos claros e com curso superior pensavam assim, imagina o resto… Vários moradores de apartamentos receberam dos vizinhos a mensagem sobre o horário de verão e as urnas eletrônicas: ‘não vote na primeira hora e nem na última, ou o voto não será computado’. Ou seja, o PT é tão poderoso q controla as urnas e usa o tempo a seu favor. Só unidos eles venceriam. Bom, seria até cômico, caso eu vivesse em outro país. Até riria! Esse discurso será mantido. Tudo de errado será culpa do marxismo e comunismo, até que a patuléia se canse. mas por hora ela está pra lá de receptiva. Num supermercado outro dia um cara reclamava dos preços. E ele mesmo já tinha a solução: ‘Bolsonaro vai dar um jeito!’

  11. Para Bolsonaro será bem mais difícil dominar as mentes do que foi para os nazistas: Quer que os mestres brasileiros partam para cima da juventude do país “com a faca nos dentes”, para amedrontá-los, torná-los beócios, acríticos e obedientes à escravidão. Neste contexto, não poderia mais haver concurso público para professores. Se houvesse, seria apenas uma escolha que selecionaria os mais idiotas e arrogantes em. Não haverá mais ensino, haverá centros de formação de imbecis. O Nazismo tinha os judeus como bode expiatório de todos os males. Foi fácil para eles, porque todo mundo sabia quem eram os judeus. O Bolsonarismo vai precisar de oceanos de doutrina para ensinar ao povo o que é o demônio do marxismo e porque ele deve ser combatido. Resultado: vamos à praia, que é melhor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.