a25ba0f02d020691809cbe79dc403604

Estatísticas do MS deixam sem explicação salto de 601% nas internações

É evidente que diante de Jair Bolsonaro, restou-nos apoiar o mínimo de sanidade mental que apresenta o sr. Luís Henrique Mandetta.

E assim seguiremos fazendo, porque a alternativa é entregar a saúde pública a carniceiros.

Isso, porém, não pode nos impedir de dizer que o Brasil está completamente às cegas nesta luta.

Por uma razão muito simples: o país passou a considerar casos de coronavírus apenas os confirmados por testes, ao contrário do que fez até o dia 20 de março, quando divulgava os “casos suspeitos” que eram, então, 11 mil. Os confirmados em laboratório, apenas 904.

Operou-se, ali, a redução de 90% do total, o que facilmente se pode provar ser uma, no mínimo, “inocência estatística”.

Como?

No último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, o número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), na comparação com os números de 2019, quando não havia o Covid 19, nas semanas epidemiológicas de 1 a 9 (aproximadamente janeiro e fevereiro) cresceram 17%, passando de 3.770 casos para 4.412.

Mantida esta média de crescimento – que nada tem de anormal, pois pode ser provocada por uma série de fatores – os resultados das duas semanas finais de março (as de número 12 e 13), deveriam ter atingido, respectivamente, um valor próximo a 1241 (17% a mais que os 1.061 de 2019) na semana 12, e 1.314 casos, com a mesma ampliação, frente aos 1.123 casos da semana 13 de 2019.

Mas não foi assim.

As semanas 12 e 13, somadas, passaram de 2.184 casos em 2019 para nada menos que 15.309‬! Um aumento 601% contra o que, na média das nove primeiras semanas, foi de apenas 17%.

É claro que, em meio a um pandemia de proporções inauditas no mundo, nossos epidemiologistas sabem que isso não se deve à febre do feno, ou ao pólen das flores ou a alguém ter tomado chuva.

Mas o MS só atribui 1.295 dos 12.714 casos excedentes – mesmo considerando a média de aumentos registrada nas nove semanas iniciais do ano, na média – deixando na conta de “outras razões” mais de 11 mil casos de internação, que ficam inexplicados.

Estranhamente, na hora de considerar o percentual de internações por Covid-19, o Boletim do MS diz que a isso se devem apenas 7% dos casos, o que não explica, nem de longe, a brutal variação no número de internações, exceto pela recusa em aceitar que, ao menos so ponto de vista clínico -já que não há testes – sejam devidas ao novo coronavírus.

É isso o que mostra o que aconteceupor adotar um método que minimiza o grau de espalhamento da doença quando, ao revés, poderia ser adotada a contagem por diagnóstico clínico e, depois, expurgar-se o que os testes laboratoriais seguros descartassem.

Se foi ou não uma forma deliberada de minimizar o problema, artificialmente, não posso afirmar, é claro.

Mas se harmoniza com a tese oficial de uma “gripezinha”.

E isso é fatal para a necessidade de mobilização (ou de aceitação) social das medidas restritivas, só o que temos até agora de eficácia algo provada para aliviar o sistema de saúde e sua capacidade de dar suporte aos que tiverem a sua situação agravada.

a25ba0f02d020691809cbe79dc403604

17 respostas

    1. MANDETTA = BOZOASNO
      Mandetta critica orientação da OMS e diz que Brasil testará apenas pacientes com sintomas
      https://www.terra.com.br/noticias/brasil/mandetta-critica-orientacao-da-oms-e-diz-que-brasil-testara-apenas-pacientes-com-sintomas,f7ad421308c557bb5f0bc75bb96e65a1ce3zzexs.html

      CORONAVÍRUS: MANDETTA PROMETEU 15 MILHÕES DE TESTES, MAS SÓ ENTREGOU 0,5% ATÉ AGORA
      https://theintercept.com/2020/04/02/coronavirus-mandetta-testes/

      Covid-19: Ministério da Saúde não sabe quantos testes foram feitos no país
      https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/03/covid-19-ministerio-da-saude-nao-sabe-quantos-testes-foram-feitos-no-pais.htm

      Subnotificação dificulta combate à covid-19 no Brasil
      https://www.dw.com/pt-br/subnotifica%C3%A7%C3%A3o-dificulta-combate-%C3%A0-covid-19-no-brasil/a-52919120

      RESULTADO DE TESTE DE COVID-19, SÓ UM MÊS DEPOIS DO ENTERRO
      https://piaui.folha.uol.com.br/resultado-de-teste-de-covid-19-so-um-mes-depois-do-enterro/

      Cálculo de novas mortes por covid-19 inclui óbitos com 16 dias de atraso..
      https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/09/calculo-de-novas-mortes-por-covid-19-inclui-obitos-com-12-dias-de-atraso.htm

      ————————————————————————————————————————————————

      Pessoas sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções de coronavírus
      https://oglobo.globo.com/sociedade/pessoas-sem-sintomas-sao-responsaveis-por-dois-tercos-das-infeccoes-de-coronavirus-24307692

      OMS pede testes em massa e isolamento, e alerta para mortes de crianças por coronavírus
      https://oglobo.globo.com/sociedade/oms-pede-testes-em-massa-isolamento-alerta-para-mortes-de-criancas-por-coronavirus-24307901
      “— Teste, teste, teste. Teste todo caso suspeito. Se for positivo, isole e descubra de quem ele esteve próximo. Não se consegue combater um incêndio com os olhos vendados. Você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado”

  1. Parabéns, Brito. O mais difícil é saber que poucos entendem e menos ainda se importam.
    Eu espero estar errado. Mas quando as mortes explodirem, talvez prestem atenção.

    1. Hahaha bolsonaristas malucos negando o laudo médico por cegueira ideológica.
      Em quem vamos acreditar? Num profissional formado ou num leigo e fanático?

  2. Para mim não tem importância nenhuma os que JÁ estão infectados, nem os suspeitos. O que importa é IMPEDIR a disseminação e isto SÓ com quarentena GERAL. O termômetro principal da crise é a situação dos HOSPITAIS. Enquanto eles não estiverem abarrotados de doentes e tendo que escolher quem será atendido, as coisas ainda estarão sob razoável controle. Mas para manter isso é preciso ISOLAMENTO.

    1. Vc está enganado. Como diz o texto, sem a divulgação da real dimensão da doença, as pessoas não levarão a sério a necessidade de isolamento…. Isso sem contar que há muitas pessoas morrendo em UPAs…. E não entram na estatística dos hospitais…

  3. Repito o que afirmei alguns dias atrás: se houver uma explosão no número de contágios e mortes, esta informação será manipulada ou escondida da população, como nos tempos da ditadura se escondiam os números e fatos negativos. Afinal, estamos no governo do maior mentiroso que já sentou na cadeira de presidente.

  4. Simples. Mandetta faz jogo duplo.
    O Brasil não testa a população em massa, não tem testes suficientes e só considera doente quem foi submetido aos pouquíssimos testes que tem no Brasil.
    Parece a Coreia do Norte que diz que há pouquíssimos casos lá sendo que é do lado da Coreia do Sul.
    Uma farsa. Que vida acabar com o isolamento e por a vida do povo em risco.

  5. Não vou falar do Brasil que é sempre um caso à parte, mas no mundo os números de infectados é bem menor do que as cifras divulgadas pela OMS e pelos governos nacionais pelo simples fato de que não foram feitos testes amplos na população nem mesmo naquelas cidades que são agora os maiores focos de propagação do virus. Nesses lugares as pessoas apenas acodem as urgências quando apresentam um quadro grave (normalmente de insuficiência respiratória) e não há outra opção senão ingressar em um hospital. Estes estão em sua maioria colapsados, com mais de um quarto de seus profissionais já infectado pelo virus. Logo toda estatística agora possui números bastante inferiores aos números reais de infectados pelo virus do mundo. Muito difícil saber esse número seja porque não há testes suficientes disponíveis seja pela própria vigência da quarentena na maioria das cidades e países que são atualmente os principais vetores de propagação do virus no mundo. E para piorar o quadro a dimensão econômica dessa tragédia ainda não vimos até agora seu lado mais perverso em termos de aumento do desemprego, da pobreza, da miséria e da desigualdade social, que virá necessariamente. Temo que invertemos definitivamente o ritmo do desenvolvimento, agora o terceiro mundo avança sobre o primeiro que ameaça apenas ter sido o sonho de uma noite de meio século de verão. Talvez de fato o Brasil seja o país do futuro! Pronto diferente do que me propus acabei falando do Brasil.

  6. Eles estão tentando pintar de rosa uma coisa que já tá pra lá de terrível. E vão continuar fazendo isso, mesmo que a realidade bata à porta de todos e nos esbofeteie

  7. Isso está acontecendo no Brasil inteiro. E não somente internações… Mortes também ! Já denunciei ao MPF e a deputados de oposição. Nada !

  8. Todos sabem, ou pelo menos os que não estão cegos pelo bolsonarismo, que a situação é bem mais grave do que mostram as estatísticas oficiais.

  9. Não confio no bundetta nem a pau. O currículo dele é um lixo. E não acho que ele seja um general Della Rovere. É um oportunista que achou um nicho no entorno do saco de merda que muita gente continua chamando de “presidente”. Pegou um rojão. De um lado o depravado às ordens das quadrilhas que saqueiam o Brasil, do outro a razão, o humanismo, o bem querer. O bundetta age de forma ambígua. Conflito de interesse público e pessoal privado. Mas o vírus está pouco se lixando para isso. Se o bundetta afrouxar o isolamento social agora, porque ele, o saco de merda e os milicos fizeram acordo, o resultado vai ser a morte, a morte. Se esqueceram de fazer acordo com o vírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *