Facebook dá ‘cartão amarelo” a Bolsonaro e derruba 14 ‘lives’

Demorou, mas afinal o Facebook tomou providências contra Jair Bolsonaro por sua propaganda enganosa sobre efeitos terapêuticos da cloroquina e outras drogas do dito “kit covid’, segundo a coluna de Guilherme Amado no portal Metrópoles, de Brasília.

14 lives presidenciais foram retiradas da plataforma, com a seguinte explicação:

“Após análise cuidadosa, removemos vídeos do canal Jair Bolsonaro por violar nossas políticas de informações médicas incorretas sobre a Covid-19. Nossas regras não permitem conteúdo que afirma que hidroxicloroquina e/ou ivermectina são eficazes para tratar ou prevenir Covid-19; garante que há uma cura para a doença; ou assegura que as máscaras não funcionam para evitar a propagação do vírus”

Um dos vídeos tinha, também, a participação de Eduardo Pazuello, então ministro da Saúde, que dava seu aval silencioso ao charlatanismo presidencial.

Segundo Amado, “na próxima violação que o presidente cometer, ele sofrerá um strike (derrubada total), ou seja, ficará por uma semana sem poder usar o canal”.

É vergonhoso ara nosso país ter um presidente da República censurado numa plataforma de redes sociais por charlatanismo.

Bolsonaro vai chiar e ameaçar e teria razão de esta censuro tivesse razões políticas, mas não têm, são de ordem de Saúde Pública.

Viramos chacota até nas redes, com um charlatão no poder.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email