Falar muito e não dizer nada é “inteligência” ou cinismo, Tábata?

A senhorita Tábata Amaral escreve, na Folha, sobre o que ela chama de “ousadia de ir além das amarras ideológicas“.

Fui ler, atraído pela propalada inteligência-prodígio da deputada, na esperança de que, mesmo pensando diferente, poderia ser um prazer esgrimir com argumentos e razões concretas sobre o porquê de me opor às propostas concretas contidas da reforma da Previdência.

Decepcionei-me, porque o que encontrei foi um imenso “rolando lero”, que não apenas não explica o que ela viu de bom no projeto como, nem sequer, trata de nenhuma questão concreta.

A palavra “previdência” só aparece uma vez no texto. Mais, porém, do que as palavras salário, trabalho, renda, trabalhador, idoso, deficientes, inválidos, viúva, órfão, pobres, necessitados – todas de se esperar, pois se trata de seu voto sobre o regime previdenciário – que sequer uma única e mísera vez aparecem no longo artigo da moça.

Não creio que seja “ideológico” aquilo que representa o sustento de dezenas de dezenas de milhões de pessoas humildes, pois é disso que tratamos ao falar em aposentadorias e pensões, duas outras palavras que sequer dão o ar de sua graça na manifestação de Tábata.

Só muito generosidade com as palavras “bem apessoadas” que ela arruma ao longo de tantas linhas dar-lhe-iam algo diferente de zero em redação, pelo simples fato de que não abordou ou desenvolveu o tema do que venha a ser, na questão previdenciária, “ir além das amarras ideológicas”.

Recordo que, na fala que a tornou “famosa” nas redes sociais, ao questionar a embromação do ex-ministro da Educação Ricardo Vélez, a senhorita o “emparedou” exigindo posições concretas: “Cadê os projetos? Cadê as metas? Quem são os responsáveis? Isso daqui não é planejamento estratégico, isso e uma lista de desejos. Eu quero saber onde que eu encontro esses projetos? Quando cada um começa a ser implementado? Quando serão entregues? Quais são os resultados esperados?”

Dá a todos, portanto, o direito de exigir que a deputada também seja objetiva ao tratar de questões públicas.

Compreendo que Tábata queira evitar expor-se como fez no artigo com que, na internet, tentou explicar o seu voto, com “pérolas” como a de dizer que “o trabalhador só precisará trabalhar 40 anos se desejar se aposentar com a integralidade de seus rendimentos, o que não ocorre nem atualmente” o que, além de cruel, é falso, pois o cálculo da aposentadoria a partir de toda a vida laboral vai reduzir expressivamente, o valor dos proventos em relação aos do final da vida ativa.

Mas, como a deputada não dá a menor bola para o programa, as tradições, a história do partido que escolheu para se candidatar (e para eleger-se, pois não atingiu, sozinha, o quociente eleitoral de 301 mil votos da eleição para deputado federal em SP) e prefere, no artigo em que se explica – e não é este da Folha – dizer que seu voto foi definido em outro coletivo, o do tal “Movimento Acredito”, cabe perguntar-lhe o que fariam com ela, por lá.

Está lá, no site da organização para qual grandes empresários, certamente imbuídos de puro e desinteressado espírito cívico que “as candidaturas do Acredito (seria um partido político, para ter candidatos oficiais?) irão se comprometer publicamente com uma carta de posicionamentos e práticas que elas pretendem conduzir, caso eleitas. Se, durante o mandato, as ações da/ocandidata/oeleita/o destoarem do que foi combinado com o Movimento Acredito, esta pessoa perderá todo o apoio e os vínculos com o Movimento”. Traduzindo: será expulso dele.

Não é o mesmo ato que condena em seu artigo, afirmando que isso visa “reforçar o poder da liderança partidária punindo dissidentes pela máxima de que os partidos não podem passar sinais de fraqueza”?

A senhorita acha que, num caso é legítimo e em outro é “amarra ideológica” ficar obrigado àquilo com que se comprometeu?

Não sou do PDT e não me cabe opinar se deve ou não haver punição. Mas como Tábata não está falando para seu partido, mas para todos, a todos dá o direito de opinar.

Desculpe, deputada. Não existe nada de mais necessário na política brasileira que caráter e respeito aos compromissos assumidos. Nem existe nada de mais essencial, quando se vota ou quando se escreve, que tratar objetivamente das questões reais.

O resto são “amarras ideológicas”, mesmo que pareçam tão bonitinhas feito laços de fita.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

40 respostas

  1. Gostei muito, Brito. Como alguém esquece sua história e se condidata a ser aceita na casa-grande? Será que é por “amarras ideológicas”?

    1. Muito bom, Brito. Igualmente indignado com a postura cretina dessa moça (vamos tratar por moça… por enquanto), penso que ela é dessas pessoas que se impressionam com pose, prepotência e dinheiro acumulado, como é o caso desse velhote calhorda, e nada lhe diz o sofrimento, a miséria, o abandono desses milhões de pessoas, já fragilizadas, que virão, com o passar dos dias. Não se trata de inexperiência, mas, provavelmente, essa coisa horrorosa incrustada na alma deste país, que é o temor reverencial diante de quem tem dinheiro e poder e um outro tanto de caráter torto. Infelizmente, eles pressionam esses idiotas úteis, os assustam com o poder de fechar-lhes portas e, por outro lado, lhes atiram, como se atira aos cães, algumas supostas benesses. Essa pequena idiota útil não é nada melhor do que os canalhas do centrão, que venderam o voto, em troca de alguns milhões, que serão lavados, logo ali, e integrados ao patrimônio pessoal. A diferença entre eles e ela é que ela foi comprada um pouco antes.

  2. Perda de tempo com essa mocinha bancada pelo bilionário Lemann. É de direita infiltrada. A esquerda está mesmo perdida ao ficar fazendo o jogo dela que é o de confundir e não explicar, como bem dizia o Velho Guerreiro.

    1. O PSL já convidou a moça para fazer parte da bancada….E o DEM também. Acho que ela deve mudar de partido. Questão de coerencia….

      1. Ela não mudará de partido por vontade própria.
        O Lehman a paga exatamente para isto: ser uma infiltrada no lado progressista para fazer espionagem e levar as informações para o seu dono.

    2. Pois é. Minha única surpresa nessa história é saber que teve gente que ficou surpresa em saber que ela votou defendendo o interesse dos seus patrocinadores.

    1. Como resposta a uma pergunta enviesada:
      A extrema direita faz tudo pelos seus chefes … basta um estalar de dedo e a mesma estaria convicta de que gosta de chupar o véío (mijado inclusive) …

  3. Acho que ela e seu patrocinador superestimaram a inteligência e o carisma dela. E subestimaram a inteligência e a opinião fundamentada dos eleitores contrários a essa reforma.
    Acharam que ela era tão inteligente, carismática e poderosa, que seu apoio a essa deforma da previdência faria muita gente balançar em suas convicções.
    Para mim, não passa de uma idiotinha pretensiosa.

  4. Não existe merenda de graça, diz o velho ditado.

    Essa moça sabe muito bem disso, tem que “beijar” mão de quem colocou dinheiro em sua campanha!

  5. Acho que Ciro resolveu “dobrar a aposta”, com a Tabata.

    Mesmo tendo claros sinais, antes da votação da Reforma, de que ela titubeava nos interesses do campo progressista (ver entrevista dela ao Estadão, em abril desse ano), Ciro continuou dando aval, pq ela era badalada na mídia como exemplo de renovação e, ainda por cima, atraía simpatia do empresariado.

    Esperando, aí sim (creio eu), que em momentos cruciais, ela fecharia os temas com o partido, por pressão interna.
    Doce engano.

    E pode se preparar: se ela continuar no PDT, por medo da direção em perder parte do seu fundo partidário, a trairagem vai continuar.

    Afinal, como bem colocado pelo Brito, ela afirma “se livrar das amarras ideológicas” do PDT, mas não se livra, de jeito nenhum, das amarras do movimento dos ricaços.

  6. Se ela tiver um mínimo de ética, deve pedir para sair do partido.
    O PDT deve tratá-la com reciprocidade, em termos de consideração e respeito (zero).

  7. Bonitinha, mas ordinária. Escolheu um partido, elegeu-se pelas propostas que esse partido DEFENDE, entra através do quociente eleitoral, e depois TRAI o programa do partido e alega, demagoga, “amarras”…Então a CF é “amarras”. O respeito aos seus eleitores é “amarras”. Isso tem nome, deputada, CANALHICE, FALTA DE CARÁTER, OPORTUNISMO. E Tancredo Neves tinha um nome para vcs: Canalhas, Canalhas, Canalhas!

  8. Movimentos do tipo Acredito/RenovaBR são verdadeiros embustes, chupins…. uma trampa para infiltrar gente nos demais partidos.
    A unica amarra ideológica que essa tchurminha cheirosinha da “nem esquerda nem direita” tem é o com os mercadistas que os financiam…
    Nem sequer era necessário esse episódio da votação da deforma da previdência… bastante sintomático é que estamos num processo continuado de golpe (e com a tripas da farsa jato expostas em praça pública) e a senhorita “cientista política” NUNCA tocou no assunto. N.U.N.C.A… basta ver o histórico das redes sociais da sujeita.

    Afinal de contas, tipos como Lemann e Guanaes sabem bem onde colocam seus pilas…

  9. Tenho uma sugestão para a Tábata, ela que tanto se vangloria de seus conhecimentos em Astrofísica: Procure urgentemente o projeto Mars One, aquele de viagem para Marte, sem retorno, e através de financiadores bilionários, consiga uma vaga, e … Siga já para o treinamento! Vida longa em Marte!

    1. Outra sugestão: volte ao seu bairro antigo, conviva com seus antigos vizinhos, converse com eles sobre luta deles para levar a vida, viva 30 dias com o rendimentos deles, para voc? entender o quanto a sua “convicção” é apenas vontade de agradar seus financiadores, e nenhum compromisso com os 99% de brasileiros que fazem o país fucionar.

  10. Ela é um pouco sui generis. Foi financiada por Jorge Paulo Lemann (as graduações em astrofísica e Ciências políticas em Harvard). Faz parte do PDT mas votou a favor dessa reforma da previdência evidenciando que está numa sigla mais à esquerda por acaso. Na realidade, ela está evidenciando que é de centro direita. Não há nada demais em admitir isso, não é crime. Enganar os eleitores e levá-los a elege-la esperando posicionamentos que ela tem certeza que não terá. Aí sim é uma atitude criminosa! Sem contar que ela disse que não está preocupada em se reeleger pois com a formação acadêmica dela ela trabalha aonde quiser. Já está acabando até a humildade!

  11. Não confio em ninguém com 32 dentes.Não confio em ninguém de Harvard. Não confio em ninguém doutrinado pelo capital, será instrumento do mercado.

  12. Esse case Tabata é puro marketing. Falem de mim. E a imprensa a trata como Darling. Não aguento mais o tema Tabata. Não vale nada, só a grana e os interesses do Lemman.

  13. Você não foi além das amarras ideológicas, você foi atrás de outras amarras ideológica, que é justamente a sua.
    Traidora para o povo e heroína para os reaças.
    Simples assim.

  14. Será que ela indo para o PSDB do doriana alguém ficará surpreso? Uma coisa é certa: em partidos progressistas ela não será aceita. E, se for, é burrice dos dirigentes do partido. E ela convence tanto quanto o arrependimento da moçoila do SBT.

  15. É mais grave do que se imagina a posição dela. Votou a favor com medo de perder apoio do homem da grana. Será que ela continua ganhando dele por fora?
    Seria algo para os procuradores eleitorais investigarem.

  16. Lembrando que, segundo Lupi, ela também foi favorável ao fechamento de questão na votação que dizima a previdência.

  17. Tabatinha é mais do mesmo. O que tem de mais velho na politica sempre retorna com uma aparencia enganadora. Os ardis do conservadorismo, do “muda a forma pra não trocar de conteúdo”. O mau e velho hábito de manipular tontos. Qual é a diferença entre esse bibelô ideologico e o Collor de 1989 ?

  18. De uma ou de outra forma todos nós já participamos de decisões coletivas, com ou sem votação, e já fomos votos vencidos. Tivemos que aceitar o resultado e nos comportar democraticamente, civilizadamente, respeitando a vontade da maioria. Um político eleito o é graças ao partido que, quando fecha questão, faz graças a discussões internas em que houve votação. Esta deputada não podia ter contrariado a decisão do partido porque tem opiniões diferentes (ou compromissos externos diferentes) se teve a oportunidade de expor e debater seus pontos de vistas. Parecer perdido, vota-se de acordo com a decisão majoritária do partido. Por isso, e levando-se em conta a importância do voto da oposição, ela deve ser desligada do partido.

  19. A esquerda brasileira sempre caiu nessa , Joãosinho Trinta tinha razão . A esquerda intelectualizada caiu no conto do vigário , Novinha , bonitinha , falante . E ainda perde tempo , recursos , etc , para atacar a ” esquerdista ” financiada e patrocinada por Paulo Lemann , é todos já sabiam disso . Inclusive o partido que também foi benefeciado . Viva o Brasil

  20. Contrariando característica de toda juventude .a não negociação de suas creenças e opiniões,o radicalismo sadío que os leva a defender apaixonadamente uma posição determinada ,esta jovem se mostra uma calejada política do padrão brasieiro .
    Não duvidou um instante em apoiar exatamente o oposto do pensamento daqueles que nela votaram e se “render” aos interesses de seus mentores,os Lehman da vida.
    Resta a ela pegar seu boné e assumir de vez que não pertence a essa corrente política ,mas,apesar de sua arrogâcia ao declarar que com a formação que tem consegue emprego onde quiser ,ela aguarda ser expulsa do partido ,assim não perde o mandato.
    Resta dizer aos milhares de excelentes profissionais que estão sofrendo a desgraça de estar desempregados ,que aprendam com Tábata,
    “bando de incompetentes se a Tábata consegue emprego,onde e quando quiser por qué vcs não conseguem fazer o mesmo ???”
    Começou mal a menina,mas ,ainda ouviremos falar muito dela.

  21. Ela é do PDT ou do tal de “acredito”?
    Este “acredito” será “acredito no lehmann e no seu dinheiro”?
    Esta figura desprezível é uma infiltrada nos partidos progressistas para espionar a mando dos bilionários que financiam o fascismo no Brasil.
    Fora figura desprezível.

  22. O ideal é expulsar e perder o mandato, ainda mais se foi obtido pela força da sigla. Parece que o STF não permitirá a perda de mandato, o que é uma pena.

  23. Essa sujeitinha é bonitinha e ordinária! Mente descaradamente ao dizer que não tem compromisso “ideológico ” com Lemann e que não sofre pressão do grupo dele pra votar no que ele determina! Ela vendeu a sua eleição e agora tem que entregar a mercadoria! ” A força da grana ergue e destrói coisas belas”(Caetano Veloso)

  24. Não é a primeira e não será a última.

    Pessoas autoritárias como a Tabata não aceitam decisões colegiadas a não ser que concordem com as suas. E não sabem manter a decisão colegiada como a mais democrática porquê não estão nem aí pra Democracia.

    Democracia só a que lhes convêm e que atende aos seus interesses.

    Como democracia de Moro e Dallagnol.

    De Martaxa Traíra. De Hélio Bicudo. De Luciana Genro. De Fadinha da Floresta. De Cristóvão Buarque (o Reitor). E tantos outros.

    O PT teve muitos desses tipos autoritários que querem uma Democracia específica, feita sob medida para eles.

    Que não suportam o Jogo Democrático!!

    Fascistas disfarçados de Democráticos

    estão para a Política como

    Lobos em Pele de Cordeiro

    estão para a Religião!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *