“Filia que eu subsidio”

Do Estadão, na edição de hoje, a proposta inacreditável de Jair Bolsonaro de criar os “SubsiDeus” na conta de luz, para obter ajuda na coleta de assinaturas para seu “partido”:

O presidente Jair Bolsonaro quer conceder subsídio na conta de luz para templos religiosos de grande porte. A pedido dele, uma minuta de decreto foi elaborada pelo Ministério de Minas e Energia e enviada para a pasta da Economia, mas a articulação provocou forte atrito no governo. A equipe econômica rejeita a medida, que vai na contramão da agenda do ministro Paulo Guedes, conhecido por defender a redução de benefícios desse tipo. O Ministério de Minas e Energia confirmou que o assunto está sendo avaliado.
Embora o movimento seja para beneficiar templos religiosos de forma ampla, os evangélicos são o alvo da medida. A bancada desse segmento é hoje a principal base de sustentação do governo e Bolsonaro tem atendido suas reivindicações desde que assumiu a Presidência. A influência de líderes evangélicos sobre o Palácio do Planalto é cada vez maior e o próprio presidente já disse que quer tê-los por perto na administração.
Com essa perspectiva, muitos templos já anunciaram a disposição de ajudar Bolsonaro a coletar as quase 500 mil assinaturas necessárias para criar seu novo partido, o Aliança pelo Brasil. Bolsonaro também já avisou que pretende indicar um ministro “terrivelmente evangélico” para o Supremo Tribunal Federal. Os evangélicos representam 29% dos brasileiros e podem ser o fiel da balança na campanha de Bolsonaro à reeleição, em 2022.

Isso não é sobre luz, é sobre trevas medievalistas nas quais estam0s mergulhando.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

21 respostas

  1. “POBRES” PASTORES TERÃO CONTAS DE LUZ SUBSIDIADAS E O POVO “RICO” ACENDENDO CANDIEIRO.

  2. Próximo passo: elevar em um ponto percentual as alíquotas de todos os impostos para repassar aos templos.
    Justo, muito justo!
    Justíssimo!!!!!!!!!

      1. Um imposto adicional de 15% para ser repassado às igrejas, afinal e a segurança do céu.
        Que desgraça! Como usam o bem público para encher seus bolsos.

    1. E de dar nó em trilho de trem.isso é entregar esse país ao capeta. E dizem porai que o Lula é ladrão e safado.

  3. Já andava desconfiado dessa aversão gratuíta do bozo ao xiitismo do Irã: é inveja. Quero uma dessas pra chamar de minha.

  4. Nos vamos bancar essa conta. Luz mais barata para colocar o Brasil cada vez mais nas trevas. E esses porcarias de políticos nao tomam nenhuma providência. Bando de filhos de uma puta. E esse merda, não esquenta, o capeta já tem o seu nome. Seu e de todos esse evangélicos hipócritas que apoiam essa safadeza. Aqui ou na outra vida, vocês vão pagar caro pelo que estão fazendo com nosso pais e com os mais pobres. Dizem que cultuam Deus e não seguem o exemplo do seu filho Jesus. Cultuam Deus adorando as ações do diabo. É tudo filho da puta.

  5. Acho que uma consulta popular aos subsídios às religiões e as benesses aos tres poderes nas tres esferas de gestão seria saudável para a nossa democracia e talvez rendoso para a economia.

  6. Sobre o Subsídio na conta de luz das igrejas. A Constituição de 1988, sobre tal assunto, assim giza:

    Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

    I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;

  7. São muitas as perguntas sobre isso. O subsídio é apenas para templos? Ou é extensiva à fabrica de roupas da igreja? Mesquitas e terreiros também serão contemplados? Ou apenas igrejas e sinagogas “jadaico-cristãs”? A casa do pastor também entra na dança?

  8. Ao minutar no decreto “templos religiosos de grande porte” leia-se “se exclui deste benefício os centros espíritas e de Umbanda”.

    Cai na justiça pelo EVIDENTE caráter de preconceito religioso….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.