Gaspari e o “suidicídio” do reitor Cancellier

canc

Importante a leitura da coluna de Elio Gaspari, pela remissão que faz à reportagem sobre o “homicídio suicida” do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina. É bom lembrar que, mesmo diante de tudo o que é revelado na reportagem citada pelo colunista de O Globo e da Folha, a única providência tomada pela Justiça foi a de censurar o Blog do Marcelo Auler, um dos raros jornalistas que não se vergou, simplesmente, à versão oficial.

Cabe, ainda, registrar que o “erro”, quando provoca a morte de alguém, é um crime, ainda que culposo. E, neste caso, derivado de outro, o crime político de o Brasil ter sido transformado num estado policial.

Cancellier não precisa morrer de novo

Elio Gaspari, em O Globo

Hoje completam-se sete meses da manhã em que Luiz Carlos Cancellier, reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, matou-se. Os repórteres Monica Weinberg, Luisa Bustamante e Fernando Molica tiveram acesso ao relatório de 800 páginas da Polícia Federal com o resultado da investigação que o levou à prisão em setembro do ano passado. Eles informam: “É uma leitura perturbadora pelo excesso de insinuações e escassez de provas”.

Cancellier foi algemado pelas mãos e pelos pés e vestiram-no com uniforme de presidiário. Dias depois, ele foi libertado, proibido de pôr os pés na UFSC, e só voltou a ela morto, para o velório.

A chamada “Operação Ouvidos Moucos” começou com um erro retumbante. A Polícia Federal anunciou espetaculosamente que investigava o desvio de R$ 80 milhões de verbas destinadas ao ensino à distância. Errado. Esse era o valor das verbas, não do eventual desvio. Tudo bem, mas qual era o valor da maracutaia? O relatório da investigação não diz. Talvez tenham chegado a R$ 500 mil, mas isso é conversa de corredor.

Não havendo sequer suspeita de que Cancellier tenha desviado dinheiro, sustentou-se que ele tentou obstruir uma investigação interna avocando-a para seu gabinete. O reitor fez isso em ato de ofício. Se ele tivesse dito que era preciso “estancar a sangria” (Romero Jucá), vá lá.

Aqui e ali pipocam breves notícias de que Cancellier fez isso ou aquilo. Recentemente, soube-se que o filho de Cancellier estava indiciado por ter recebido R$ 7.102 de um professor da UFSC. Para uma operação que começou falando em R$ 80 milhões, era pesca de lambaris. Em seu relatório, a PF documentou a transferência desse valor para a conta do filho de Cancellier, que também leciona na UFSC. Um professor depositou dinheiro de sua conta para outro cidadão, e daí? Diz o relatório da PF: “Comenta-se que os recursos transferidos (…) foram oriundos do projeto coordenado por Luiz Carlos Cancellier”. Comenta-se também que Elvis está vivo, mas não é para isso que existe uma Polícia Federal.

A operação “Ouvidos Moucos” pode ter nascido de uma mobilização exagerada da Polícia Federal, amparada pela Justiça. Algo semelhante aconteceu em alguns aspectos da “Carne Fraca”. O suicídio de Cancellier deu-lhe uma dimensão trágica. A imprensa acompanhou as exposições espetaculares e acreditou no erro do desvio de R$ 80 milhões. É possível que a própria Polícia Federal e a juíza que mandou prender o reitor acreditassem que havia uma organização criminosa e milionária na UFSC. Isso não elimina o fato de que o desvio porventura ocorrido não tinha essa dimensão. A investigação durou sete meses, e outros sete se passaram até o relatório agora revelado pelos repórteres.

O aparato do Estado na defesa da lei e da ordem às vezes comete erros ou mesmo exageros. É o jogo jogado, mas a intransigência transforma os equívocos em desastres. A promiscuidade da imprensa americana com o FBI durante o século passado até hoje custa-lhe arrependimentos. Por cá, em 1974, 44 repórteres, radialistas e fotógrafos que cobriam a Secretaria de Segurança de São Paulo escolheram os melhores policiais do ano. O delegado Sergio Fleury tirou o quarto lugar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

40 respostas

  1. Estado policialesco em Regime de Exceção, em que os atos administrativos são criminalizados e os acusados considerados culpados até se prove o contrário (Inversão do Ônus da Prova), sem preocupação com reputações, sem preocupação em difamar, em detonar o equilíbrio psicológico dos alvos escolhidos, com a participação e conivência da velha mídia, que contribui bastante para dizimar o estado mental dos acusados que, depois, mal têm direito a uma nota de reparação, quando já é tarde, muito tarde. Vai aqui uma lembrança à delegada da Polícia Federal Erika Mialik Marena. Que não durma em paz. E, se dormir, é porque lhe falta de fato caráter, ao não admitir o erro crasso.

    1. Os ratos nunca admitem o erro… é da mesma laia do Moro assassino da dona Marisa Letícia.
      Ou talvez errem propositadamente… sendo aí, membros de uma quadrilha organizada ORCRIM montada na justissinha assassina…

  2. Alguma autoridade deveria vir a público e deixar claro uma coisa:

    -UM DIA, TUDO ISSO SERÁ DEVIDAMENTE INVESTIGADO!

    Deveria ser feito um alerta aos agentes públicos que entraram nessa modinha fascista para se promover dentro de suas repartições… que eles poderão responder por esses crimes no futuro.

    Ingênuo quem pensa que tantos “erros” serão apagados… os excessos não vão passar em branco… pode ser que a punição não seja na mesma intensidade merecida… porém, ficar impune com certeza não vai.

    Existe gente inteligente e bem informada em todos os setores, a direita não vai dominar o Brasil até o final dos tempos.

  3. DOAÇÕES DA ODEBRECHT AO INSTITUTO FHC

    Painel

    Mensagem para você A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao juiz Sergio Moro na segunda-feira (30) que anexe nove emails de Marcelo Odebrecht ao processo que trata da compra de um terreno destinado ao Instituto Lula. Na avaliação dos advogados, as mensagens lançam dúvidas sobre depoimentos do empresário e podem ajudar a rebater uma das principais teses do Ministério Público, que trata como ilegais as doações feitas ao Instituto Lula por empreiteiras investigadas pela Lava Jato.

    Para todos. Cinco emails encontrados pela defesa do líder petista tratam de contribuições para o instituto do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, hoje uma fundação. Há duas mensagens do próprio FHC pedindo doações a Marcelo em 2010.

    Veja bem. Para os advogados, os emails mostram que contribuições para entidades como as criadas pelos dois ex-presidentes são legítimas e não deveriam ser vistas como criminosas, como os procuradores sustentam no caso do petista.

    Ao pé da letra. Outras quatro mensagens parecem contrariar depoimentos em que Marcelo apontou Branislav Kontic, braço direito do ex-ministro Antonio Palocci, como a pessoa identificada como B nas planilhas da Odebrecht e associada a pagamentos que teriam sido feitos a Lula.

    Leitura dinâmica. A defesa de Lula achou os emails no acervo com milhares de mensagens recuperadas por Marcelo depois que saiu da prisão, em dezembro. Moro deu aos advogados do petista 15 dias para examinar o material.

    1. Para Moro, foi bom a defesa de Lula alertar. Agora ele vai providenciar para que os tais emails do FHC não venham jamais ao caso.

  4. “A imprensa acompanhou as exposições espetaculares e acreditou no erro do desvio de R$ 80 milhões.”
    Sei, sr. Gaspari, sei… Tão inocentes, coitadinhos! Desse jeito a gente até acredita que a imprensa não combinou nada com a PF para “exposições espetaculares” das imagens…
    As mãos dos seus coleguinhas também são sujas do sangue do Reitor, sr. Gaspari. Não adianta bancar o “Pilatos” agora…

    1. Toda batida da PF, a qualquer hora, quem chega primeiro é a Globo e irmãs . Por que será?

  5. Em tempos de “O nome da Rosa”, só mesmo um Guilherme de Bascerville para desvendar os “mistérios” guardados a sete chaves pelas operações da PF.

  6. Exemplo de utilização da pós-verdade política pelo Judiciário, ou imposição da versão mentirosa. Pra polícia o suspeito já é culpado até que prove sua inocência; na justiça deveria ser inocente até prova em contrário. É aí que a troca de fatores apodrece a Lei.
    A imprensa do jabá mantem as aparências, prostituindo a ética jornalística.

  7. Mas que coisa, hein!? Se até esse historialista – perguntem a PHA o que significa esse termo – tem de admitir que NÃO FOI ENCONTRADA uma mísera prova de ilicitude cometida por Luiz Carlos Cancellier de Olivo, reitor da UFSC levado a o suicídio pela ORRIM Fraude a Jato, ou pelo filho dele, indiciado pela criminosa PF lavajateira, é porque essa turma nazifascista, golpista, oligárquica,plutocrata, cletocrata, privatista e entreguista que hoje está à frente do sistema judiciário brasileiro, este cooptado pelo alto comando internacional do golpe de Estado, que fica nos EEUU, após quase uma noa, não conseguiu NADA para justificar os crimes que vem cometendo.

    Elio Gaspari, para os que não sabem, foi quem recebeu de Golberi do Couto e Silva os documentos espólios necessários para escrever uma biografia laudatória àquele que foi mentor da ditadura militar. O historialista foi também, a mando de Golberi, quem espalhou a notícia falsa (na época não se usava o anglicismo fake news) de que, quando preso, em 1980, o então líder operário Luiz Inácio da Silva, Lula, aceitou a chantagem/suborno da turma dos coturnos, para desmobilizar enfraquecer o movimento grevista, em troca de permissão para fundar o PT. Até hoje essa notícia falsa circula e os analfabetos políticos e bolsonazi acreditam nela. Apenas por volta de 2011 Eli Gaspari admitiu que o chefão da ditadura nos bastidores, Golberi, o instruiu a espalhar a notícia falsa; a razão disso é exatamente porque Lula NÃO aceitou a chantagem que tentaram fazer com ele.

    1. Gaspari certo dia sonhou que tinha herdado um milésimo do humor do Stanlislaw Ponte Preta. Montou-se nisso e foi em frente.

  8. Sr.Garpari.O senhor,é um dos culpados.Não pela morte em si,mas por TRABALHAR,PASSAR,SER VIZINHO,SER CONCIDADÃO,enfim,tudo o que o senhor é,também e culpado da morte do aludido senhor.Mas não se preocupe,pois certamente vai para o céu.Mesmo culpado,de trabalhar nesse lixo onde está.

  9. Quando analiso estas situações de flagrante injustiça,de terrível dor e sofrimento de um ente querido,fico me perguntando,como é que o filho encara o dia a dia ,sabendo que seu pai NUNCA IRÁ RECEBER A REPARAÇÃO DA INJUSTIÇA QUE FOI COMETIDA CONTRA ELE ???
    A sua grandeza de espirito é elogiável .

  10. E o mais triste é que vai ficar por isso mesmo. A delegada segue a vida de coxinha, sorrindo e colocando botox.
    Cancelei não merecia isso. O Brasil não merece essa corja.

  11. Protagonista de inúmeras investigações alardeadas pela mídia, muitas delas com repercussão acima da necessária por provocação dos próprios responsáveis pelas apurações, a delegada federal Erika Mialik Marena, esperava-se uma apuração rigorosa pelo comando da PF, não, pelo contrário ainda ganhou uma promoção a superintendência de Sergipe, o DOPS agia às escondidas, hoje às claras, vivemos tempos pra lá de sombrios.

  12. janaína paschoal, janaina cassol machado, ´erika marena, rosa weber, mirian leitãio, rachel cheherazade, ana amélia chibata, carolina lebbos, cármen lúcia entre tanta, é a representação mais asquerosa do gênero feminino surgida em muitas décadas. Isso emergiu dos mais profundos quintos dos infernos. Enquanto isso, segue propositadamente sem solução, o violenta execução da grande mulher que foi Marielle e de outras tantas que se nominadas não haveria espaço. Temos a tarefa urgente de fechar a porta do inferno para evitar novas fugas

    1. Não poderiam ter deixado abrir, pois agora pegar um por um todos os milhões de demônios é tarefa impossível.
      Veja o filme “O Mistério da Cabana” para ter uma ideia do resultado de abrir a porteira, o que o PT fez nos últimos governos,ao deixar PMDB e PSDB crescerem.

  13. A família tem que levar à justiça a delegada, a juíza e o corregedor que condenaram à morte o reitor. O Fascismo não descansa. E não podemos dar descanso aos fascistas!

  14. Resumindo… ASSASSINARAM um homem digno e fica por isso mesmo. Absurdo. A cara do novo Brasil, estado policial.

  15. Não há nenhuma prova contra o reitor Cancellier. Aliás, os relatórios e sentenças que não se sustentam em provas pretendem se sustentar em amontoados de palavras vazias. Quanto maior a montanha de palavrório, mais faltam provas do suposto crime. É uma atitude infantilóide, típica de mentes primitivas, que acham “irrepreensíveis” os vastos papéis com papo furado. Como a história do tijolo que vale mais que o celular para o menino, porque pesa mais. O Brasil está em situação de indigência mental tão intensa que há pessoas consideradas sérias que fazem vídeos onde juram que o Caetano Veloso é um perigoso comunista, que quer confiscar as casas das incautas pessoas da classe média.

  16. Impressão minha ou o Gaspari tem medo de falar em relação promiscua entre a imprensa brasileira de hoje e policia federal e mp(minúsculo mesmo). Sempre quando houve interesse a midia brasileira vende por verdadeiro quaquer versão da pf e desse mp. Gaspari se esquceu que foi a própria imprensa que ajudou a engrandecer os “erros” da operação satiagraha que tem hoje um delegado federal asilado politicamente por agir midiacamente exatamente como hoje com a diferença de haver muito mais provas do que convicções e fofocas. “Promiscuidade entre fbi e imprensa AMERICANA”! Vai te catar Helio. Eu sabia que essa leitura me irritaria…

  17. Muitos dos responsáveis por esta esculhambação absurda que está aí, posta, trabalham na grande mídia e escrevem textos como se não tivessem nada a ver com a história.
    O Brasileiro, mamute por natureza, vai engolindo, digerindo…
    Uma hora esta canoa bate no fundo… Aí, vamos ver.

  18. Perfeito. Mas o que é curioso no Elio Gaspari é que ele vê erros (arbitrariedades) no caso do reitor, na Carne Fraca, mas quando se trata de Lava Jato ou de pegar o Lula não tem o mesmo discernimento.

  19. Imagine o estado de indignação dos familiares do Reitor. Um crime bárbaro praticado por que tem o dever de zelar prlos cidadãos e de saber respeitar a todos, ninca, jamais, permitindo um linxamento estampado em toda imprensa Maldita, Assassina, igualxinha à essa justiça de justiceiros de ocasião.

  20. A Delegada que comandou essa desastra operação, Érika Mialik Marena, ao invés de ser indiciada por coparticipação em homicídio culposo, foi promovida a Superintendente da PF em Sergipe.

  21. Dá-me um aperto no coração em ouvir falar nesse Reitor. É doido demais conhecer os caminhos que o levaram a tirar a própria vida. Como pode o nosso país ter chegado a esse nível de selvageria contra um cidadão de bem.
    Pior é que a polícia faz seu trabalho sujo, a justiça endossa, mas antes de qualquer investigação os jornalistas da imprensa marrom, como dizia Brizola, já se encarregaram de superar as duas corporações em matéria de crueldade. São como urubus.
    Fui citar esse caso, logo após o suicídio pra uma amiga coxinha, e ela: “Mas ele teve culpa”. Mais nada disse.
    E, assim, já posso dizer que perdi muitos amigos. Como eu, milhares de brasileiros. Até meu médico, residente em Brasília, contou-me que desistiu de ir a uma confraternização em família pra não se aborrecer.
    Então essa morte trágica, doída, em especial, claro, para os familiares desse professor, por certo respeitado por muitos, e estudioso para ocupar tal cargo, é apenas mais um fato terrível acontecido nesses tempos difíceis. Sua morte será lembrada eternamente, pois faz parte, direta ou indiretamente, do golpe, porque o golpe transformou água em sangue, a luz em sombras, a esperança em pesadelo.

  22. Correndo o risco de ser chato e repetitivo, recomendaria a leitura de Os Juristas do Horror (disponível na rede). O estilo é agradável e não demanda conhecimentos de juridiquês. Lá está o retrato do que vivemos hoje, com o judiciário alemão servindo um partido, que, no nosso caso, pode ser uma “causa” ou grupos de interesses, não importa, o efeito é o mesmo

  23. Assistam o documentario sobre a morte (assassinato) do Reitor
    O que a Morte do Reitor da UFSC tem a ver com você! Documentário que mostra o que de fato aconteceu com o Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo.
    Contra o abuso de autoridade!
    Conta o Estado Fascista!
    Contra a Mídia manipuladora! https://www.youtube.com/watch?v=g6AxTq1h6qw&t=2s

  24. Ele escreve onde? Trabalha para quem? Parece querer isentar a imprensa de sua grande parcela de culpa no que ocorre hoje no Brasil. O caso do Reitor, as operações anti-corrupção, a proteção generalizada aos políticos emplumados, a perseguição aos políticos ” inimigos”, os filmes na Net Flix, ……tudo isso tem o dedo da mídia a quem o jornalista serve. A propósito, como estão as investigações do crime contra a vereadora no Rio? Qual o balanço das ações das Forças Armadas na contenção do crime? Houve o golpe, Lula está preso e o que foi que melhorou no país? E a paerda de 15% do PIB após o golpe e a lava -jato? E os 15 milhões de desempregados e mais 20 milhões de informais? E a entrega do pre-sal? E a falência da saúde e dos ensino público? E…..? Imprensa séria estaria criticando com fatos e dados a situação atual do país que está moribundo e cobrando de quem está a frente do (des)governo golpista.

  25. Caro Fernando Brito,hoje matéria no mau dia Brasil fala sobre o suicidio assistido de um cientista Australiano,onde ele fala que a vida dele era universidade,quando retiraram de lá veio a vontade de morrer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.