Helena Chagas e a bolha de Bolsonaro

A jornalista Helena Chagas, em artigo no site Os Divergentes, parece partilhar da percepção que muitos observadores da cena política estamos tendo: a de que Jair Bolsonaro vai se tornando, cada vez mais, prisioneiro de sua própria bolha político ideológica.

Acrescento ao que ela diz, e muito bem, apenas um detalhe para que o leitor considere – e é algo que venho repetindo ao avaliar as pesquisas de popularidade: também no apelo público esta bolha está tanto se estreitando quanto se solidificando, perdendo a capacidade de ser permeável, absorver e crescer.

Bolsonaro se isola num governo com a cara dele

Helena Chagas, n’Os Divergentes

Prestes a completar seis meses, o governo Jair Bolsonaro está ficando a cada dia mais com a cara de Jair Bolsonaro. Não tem mais o perfil que parecia ter emergido das urnas de um governo dividido em núcleos igualmente poderosos – militar, político, econômico e familiar-ideológico – lutando pelo poder. Muito antes do que se pensava, um desses grupos venceu, e agora os demais ou se subordinam ou são postos para correr.

Bolsonaro não deixou margem a dúvidas sobre quem manda com as últimas demissões de generais em seu governo: Santos Cruz (Secretaria de Governo), Floriano Peixoto (rebaixado da Secretaria Geral para a presidência dos Correios), Juarez Cunha (ex-Correios) e Franklimberg Ribeiro (Funai). Além de afastar qualquer resquício de suspeitas sobre uma eventual tutela militar, o presidente mostra que a verdadeira essência do governo está representada pelo núcleo familiar-ideológico.

Entre os critérios que nortearam o afastamento de Santos Cruz – e certamente o de Floriano Peixoto, a ele ligado – estão o da desconfiança e o da intolerância com opiniões contrárias. Esses sentimentos, somados ao forte viés ideológico e à fixação no passado, estiveram também por trás da demissão de Joaquim Levy no BNDES.

É curiosa a forma como Bolsonaro elogia as qualidades de seu substituto, Gustavo Montezano, enfatizando aquela que, para ele, parece ser a principal missão do presidente de um dos maiores bancos de fomento do mundo: desbaratar uma suposta “caixa preta” deixada pelo PT. Uma gestão de olho no passado.

Bolsonaro colocou na secretaria-geral um major reformado da PM que tem como principal predicado trabalhar com ele há 15 anos e ser de sua confiança. Às vésperas da votação da reforma da Previdência – que, mal ou bem, vai passar -, anuncia a retirada da articulação política das mãos do político Onyx Lorenzoni para o general Luiz Eduardo Ramos.

A ala política estranhou o esvaziamento extemporâneo de Onyx. A cúpula das Forças Armadas está perplexa com o expurgo de seus melhores quadros.

Nada tem muita lógica, a não ser a da paranoia dos que se acham sempre no alvo de conspirações que enxergam em sua própria copa e cozinha. Formando um governo com os filhos e amigos ideológicos, regido pela teoria da conspiração, Bolsonaro vai se isolando.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

27 respostas

  1. O bozo está mostrando método. ” Até a loucura tem método” dizia Hamlet ao observar Desdemona(?) desvairada e delirante.

  2. Comportamento de delinquente,desconfía de todos ,se refugia naqueles que o acompanharam no pasado.
    Só que imbecil como ele é,não percebe que afastando-se daqueles que o levaram ao poder acelera os tempos da sua saída.Porque aqueles tem também o poder de rapidamente chutar a sua bunda.
    Torço pela aceleração desse processo que sangra o país,QUERO VER OS REAIS DONOS DO GOLPE ASSUMINDO O QUE REALIZARAM POR TRÁS DAS CORTINAS,SEM DAR A CARA.
    MOSTREM SUAS CARAS, até aqueles que desde uma cadeira de rodas ,olham a vida, que lamentávelmente nada lhes ensinou.
    AO MENOS UMA VEZ ,TENHAM CORAGEM.

  3. Bolsonaro é um ditador e suas prioridades são os interesses de sua família e de sua turba, composta por milicianos e pelos que pensam e se comportam como bolsonaros.
    Ele sabe que em algum momento vão tentar tirá-lo da presidência. Ele não vai sair por bem, inclusive porque sabe que isso representaria o fim da carreira política de todo o clã, com sério risco de acabarem todos na prisão. Por isso, está preparando sua turba para dar um golpe armado (por isso insiste na liberação do porte de armas e munição) e impor no Brasil um regime absolutista sob o domínio da dinastia bolsonariana. Ele é tão louco, que acredita mesmo que essa é a melhor forma de governar um país e ainda por cima se julga o escolhido por Deus para impor no Brasil esse regime.
    Claro que ele vai precisar de generais para seu plano ter sucesso. Vamos ver de que lado o exército vai ficar.

    1. Emília, os militares ainda não o retiraram do poder porque não conseguiram avaliar qual será sua reação. Ele conta com o apoio das baixas patentes das ffaa, polícias militares de quase todos os Estados, milicias, religiosos fundamentalistas, bolsominions armados e empresários (tipo havan). Ele pode, a qualquer momento, colocar esse contingente na rua a apoiá-lo. Quem irá conter? Seu desejo é se tornar ditador para autorizar uma matança geral da população pobre. Ele é um torturador em potencial, mas o exército não permitiu que ele fosse um deles naquela época. Estamos sendo governado por um psicopata. Para quem pode, a melhor saída é o Aeroporto do Galeão.

  4. Como na visão dos americanos nossos generais não passam de Sargentos Garcia, sem ZORRO, Bolsonaro ouviu isto quando visitou a CIA, e está tratando eles dessa forma. Um dia o Sargento Garcia prende o Zorro. kkkkkkk Pura verdade. Desde que o olerite esteja gordo e em dia até continência à bandeira americana vai está tudo bem.

  5. O Exército poderá não se recuperar jamais por ter participado deste que está sendo o pior governo que o Brasil já teve. Um fracasso absoluto na economia, à qual nenhuma reforma da previdência trará um mínimo sequer de alento, e um fracasso perigoso para a soberania em todas as outras áreas de governo. O Exército está sem pensar, ou está se deixando levar pelo fígado e não pelo cérebro e pelo amor à Pátria. Poderá jamais ser perdoado pela participação central no desastre deste governo anti-nacional, voluntarista, personalista e individualista.

    1. Vou repetir algo já dito por mim. Os generais não tem mais o controle das tropas mas sim o Bolsonaro ou alguém acha que ele foi a formatura de sargentos da aeronáutica a toa, me digam quantos Presidentes foram a formaturas de generais???? Quanto mais de sargentos, mas o Bolsonaro foi .

      1. Ele pode ter o controle do toda a tropa de asnos fardados, mas sem munições pra um único dia, isso é inócuo.

      2. Sim, as camadas “baixas” tanto das forças armadas como das forças de segurança nos estados, mais milícias e vários líderes evangélicos.

  6. Esse isolamento é o caminho para uma repetição da maldição Collor/Dilma……só precisa mais algumas semanas e coragem para Maia, coragem que, apesar da canalhice, não faltou em Eduardo Cunha !!!!

  7. Bolsonaro lembra aquele aluno expulso que passa a odiar a escola, os ex-colegas e os professores. E se puder, volta e destrói tudo.
    Acredito que ele está fazendo isso com o Exército.
    Ele está formando seu próprio exército, a milícia.

  8. O triste é que a gente não se organiza na oposição para derrubar essa quadrilha de oportunistas. Como não há organização, vamos assistindo a bancarrota da arquibancada

  9. Articulação política nas mãos de general é a mesma coisa que uma metralhadora nas mãos de um índio. A bolha bolsonarista será estourada em pouco tempo.

  10. O Exército poderá não se recuperar jamais por ter participado deste que está sendo o pior governo que o Brasil já teve. Um fracasso absoluto na economia, à qual nenhuma reforma da previdência trará um mínimo sequer de alento, e um fracasso perigoso para a soberania em todas as outras áreas de governo. O Exército está sem pensar, ou está se deixando levar pelo fígado e não pelo cérebro e pelo amor à Pátria. Poderá jamais ser perdoado pela participação central no desastre deste governo anti-nacional, voluntarista, personalista e individualista.

  11. Trabalhei 20 anos no meio político e uma constatação pude fazer: toda liderança que superestima seu poder acaba por semear um inimigo aqui, outro ali. Quando vê, plantou uma selva em torno de si e não é mais capaz de identificar quem é aliado ou inimigo. Então começa a destruir pontes e se isola. Quando se vê, está isolado e sendo atacado por todos os flancos, justamente por aqueles ex-aliados sobre os quais tripudiou. Bolsonaro já vê os arbustos na altura da cintura. Está rompendo pontes numa velocidade que só quem tem pouco traquejo político consegue. Seu fim está próximo e os hoje aliados vão engolí-lo. À esquerda só resta continuar desnudando suas arbitrariedades, minando sua penetração junto à opinião pública. O resto ele mesmo vai providenciar. Seu fim será deprimente.

  12. Não sejamos tolos, não sejamos pegos de surpresa : Bozonaro prepara aos poucos o Putsch, o verdadeiro assalto ao poder. Milícias armadas mais baixos oficiais mais evangélicos mais clubes de tiro mais classe mérdia acéfala mais quadrilhão do judiciário…A frente é ampla !
    O pior está por vir !!!

  13. Onde estão os ótimos quadros do Exército? Este Santos Cruz, com certeza, não é! Basta ler o texto dele, publicado antes da eleição, quando declara voto ao boçal e diz “como recuperar o Brasil depois de 18 anos de corrupção lulopetista”. Esse general de pijama é um obtuso, como todos aqueles que participaram da campanha no Haiti e hoje são os que comandam o Exército. Se há bons quadros nessa força, eles devem estar escondidos e escanteados. Não se iludam, o cara não é um ótimo quadro só pq o boçal o demitiu.

  14. Comportamento mafioso, de famiglia
    A democracia é um negócio completamente estranho para ele, apesar de ter ficado 28 anos no congresso, ou talvez por isso

  15. Pois eu,não compartilho da ideia,que o BÓSTA-NARO,esta se distanciando do seu núcleo de poder.Ele não esta,nas DESMORALIZADAS FORÇAS DESARMADAS,cuja maior aspiração e servir OS ESTADO-UNIDENSES,no que eles lhes ordenarem.Para isso,basta alguns mosquetões das décadas passadas,para treinar tiro ao alvo,que é o único eu fazem,as custas dos cofres públicos.O núcleo de poder desse ai,são as milícias ,espalhadas por todo o pais,e um povo COVARDE para qualquer outra coisa,senão,pedir esmolas e aplaudir as carruagens dos ricos,quando estas,não lhes passam por cima.E naturalmente o JUDICIÁRIO SEM OUTORGAS E UM MP E UMA POLÍCIA,sempre prontos para prejudicar o povo.O resto,são tentativas de analizes sem fundamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *