Justiça quadruplica sua folha de pagamentos em 20 anos

A manchete do Estadão seria de fazer o país pensar, se o país andasse querendo pensar.

O Judiciário – só o federal, nem se contam os estaduais, que seguem a “jurisprudência de vencimentos” dos juízes da União – quadruplicou seus gastos com pessoal desde 1995, ostentando um pagamento médio, hoje, de R$ 48,5 mil a cada juiz.

Foram 297% de aumento, em termos reais, descontada a inflação. Como a despesa salarial teria aumentado 120% se acompanhasse a  número de juízes e de servidores, diz o jornal, é possível afirmar que os ganhos de pessoal, também em termos reais, muito mais que dobraram, considerados vencimentos e “penduricalhos” remuneratórios.

Proeza que o salário-mínimo, aquele da “vergonha nacional” não alcançou.

Isso, claro, sem contar o reajuste que vem aí, depois da aprovação dos 16,4% de elevação dos vencimentos dos ministros do STF, que se replicarão para todo o quadro de “excelências” em todos os níveis. E que, de quebra, logo elevarão os ganhos de parlamentares e das corporações que têm seus vencimentos referenciados neles.

Estranho país o nosso, onde os juízes tomam o poder, tomam o Orçamento Público e não tomam vergonha da injustiça.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. “Me engana que eu gosto de toga preta”. Essa é a turma de ungidos que quer passar a Nação a limpo, mas antes limpa os cofres do Brasil.

  2. Sou funcionário do Judiciário Estadual à quase 30 anos e vivi essa “mudança”. Só que essa mudança é desigual dentro do Judiciário. Se fosse publicada a evolução dos salários dos servidores e dos magistrados, em 2 tabelas separadas, o povo ficaria ainda mais espantado. Os magistrados seguem (e criam) critérios à parte para eles próprios. Resoluções criando dias de crédito, de compensação, etc… vão fazendo com que acumulem muitas indenizações. Que claro, não sofrem desconto de verbas previdenciárias e Imposto de Renda. Se vocês pesquisaram os salários de Juízes e Promotores vão ficar espantados com o percentual pequeno de desconto de Imposto de Renda, pois o que mais tem nos demostrativos são créditos não sujeitos a descontos.

  3. Quero que meu filho seja JUIZ quando ele crescer. Melhor emprego do Brasil, as garantia: Comparação com DEUS! tem poder absoluto e 1001 umas gratificações!! Ser jornalistas, ECO!!! Melhor ser JUIZ!!!

  4. Fernando, só pegando o gancho daquele outro artigo, onde você cita a ‘nobre’ preocupação com o “sagrado tempo tempo da educação que não pode ser roubado para prática politico-partidária”.

    Eu meu pergunto: Quantos destes ‘fidumaséguas’ moveram um segundo do seus milionários tempos para questionar a situação medieval do (não tão sagrado) templo da educação no Maranhão da família Sarney? Questionar o absurdo que era a estrutura escolar que aquela família de gafanhotos produziram. Né não?

  5. Já escrevi aqui e repito, quem sabe uma hora seja publicado: Fidel resolveria com simplicidade. A guilhotina também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.