Matar, desmatar, acovardar-se e calar. A leis da nova era

Jair Bolsonaro diz que não deixará que policiais e militares respondam por terem matado alguém.

Isso no país onde onde as mortes se banalizaram, às dezenas de milhares por ano.

Jair Bolsonaro diz que não deixará que os fiscais do Ibama apliquem sua “indústria de multas” sobre quem esteja violando leis ambientais se for para “produzir”.

Isso no país onde se desmata e se queima a rodo.

Jair Bolsonaro diz que não permitirá que os fiscais do quase extinto Ministério do Trabalho “fiquem no cangote” de empresários que ameaçam direitos ou a segurança de seus empregados.

Isso no país onde os acidentes de trabalho matam uma pessoa a cada 4 horas e meia.

Jair Bolsonaro diz que não permitirá que o professor “doutrine” seus alunos, sendo “doutrina” qualquer opinião ou conceito que não se enquadre na cartilha fundamentalista.

Isso no país onde a baixa qualidade do ensino, em boa parte pelo acriticismo, é uma realidade internacionalmente vergonhosa.

É evidente que se você for fiscal do Ibama, ou fiscal do trabalho ou mesmo professor, terá uma imensa tendência a se omitir. Vai que você multe “o cara errado” ou fale em sala “algo que poderá e será usado contra você’?

E que o policial, sabendo o criminoso que nem voz de prisão ouvirá, não está sujeito a enfrentar a falta de limites de quem sabe que vai morrer? Afinal, confronto de vida ou morte é faca de dois gumes, não é?

É claro que o resultado disso serão mais mortes, mais desmatamento ilegal, mais acidentes de trabalho e sonegação de direito e, claro, salas de aula mais tensas, com mais dos sobressaltos que o magistério já vive, com o empoderamento de provocadores e de dedo-duros juvenis.

O que as declarações demagógicas do presidente eleito vão produzir são mais transgressões, mais desorganização administrativa e maior queda na qualidade de um ensino onde já falta pensar, debater, aprender pelo confronto de ideias e informações. Aprender a data da chegada de Cabral e o nome das caravelas é mais seguro que discutir a importância das descobertas ultramarinas na implantação do mercantilismo (talvez a crítica do mercantilismo seja marxista, não é?).

Fico pensando no meu professor de francês no ginásio explicando “A marselhesa”, hoje hino da França, o risco que correria.

Recorrer a quem, se centenas de procuradores do Ministério Público Federal já divulgam manifesto em apoio ao obscurantismo e prometendo lutar contra o ” tempo precioso do aprendizado [que] é desperdiçado com a pregação ideológica e a propaganda político-partidária mais ou menos disfarçada”. O pobre coitado era capaz de ser condenado por dizer que Maria Antonieta estava indiferente à fome nas ruas de Paris, mas que, ao contrário, queria melhorar a dieta dos pobres servindo-lhes brioches.

Não haverá socorro, senão o da própria consciência, aos “infratores” da nova ordem. Ainda mais que temos no Judiciário e na mídia toda uma camada de imbecis prontos a repetir conceitos vazios, bem adequados ao “senso comum”.

A burrice, a estupidez e o autoritarismo espalham-se em círculos concêntricos e logo estarão sendo a regra por este Brasil afora.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

21 respostas

    1. Os pts deverão assim como qualquer organização que se prece a procurar corrigir eventuais erros cometidos .No entanto isto está muito longe da AUTOMUTILAÇÃO,o suicídio que a palavra —autocrítica—- assume quando se fala dos erros dos pts .
      Curiosamente ,conforme me responderam por aí o QuaQua (?) presidente do pt do RJ ,falou em autocritica,aí me pergunto ,poderia vir de outro lugar que não o Rio?

  1. entrando no reino da estupidez pelo voto de 39% do eleitorado. Que estrago conseguiram produzir.

  2. Fazer o que Brito? Contra este bando de dementes não adianta argumentar, só pegando em armas. O que, aliás, é o que mais querem (o bando de dementes), pois assim poderão demonstrar em nosso lombo suas “habilidades democráticas”.

    1. Não há a menor dúvida que tudo o que os verdadeiros poderes por trás do poder querem é que a questão seja jogada nesta arena, onde não haveria a menor chance de batê-los. Afinal, como disse muito bem o vice não-decorativo (em um ato falho, talvez), eles são os “profissionais da violência”.

    2. Concordo em parte. Se as FFAA fossem progressistas e defendessem o nosso patrimônio e nossa riquezas. Mas infelizmente, são a parte armada dos golpistas e defendem os interesses daqueles que nos exploram.

  3. Isto me faz lembrar da censura dos idos de 64 apreendendo um livro chamado A Revolução na Agricultura.

  4. O questionamento do Roberto Weber é pertinente. Fazer o quê, Brito? Só ouço reclamações de todos os lados, mas não vejo nada sendo feito de efetivo. É muita choradeira e muito mimi. Está na hora de enfrentar estes cafajestes. Mas, de que forma? Essa é a questão. Não adianta você ficar escrevendo, que, infelizmente, atinge poucas pessoas. O grosso da população é informado pela Rede Globo e watsapp.

  5. 68% do eleitorado aceita o caminho do ignorante fascista. 39% que votou nele e 29% de alienados que só pensam, no máximo, em sua própria família (o Brasil que se foda). Restou 32% contra esse movimento da estupidez-autoritária, que não consegue criar uma Frente Ampla Única. Ou seja: o anunciado abismo será uma realidade muito pior em breve…

    1. De onde você tirou esses números? Que pesquisa é essa? Não vejo essa maioria esmagadora defendendo o Bozo no meu dia a dia. Poderia trazer o link, por favor?

      1. ADMA: só hoje eu vi o seu questionamento. Portanto, desculpe. Esses meus dados são o resultado do segundo turno das eleições. É uma pesquisa confiável e que envolveu 147,2 milhões de brasileiros. Apoiaram Bolsonaro explicitamente 57,8 milhões (39%); 42,4 milhões são alienados (votaram nulo ou não foram votar – 29%) e votaram em Haddad 47 milhões (sem errar, posso considerar que votaram CONTRA Bolsonaro – 32%). Penso que são esses 32% que precisam se unir numa frente ampla única para defender o Estado Democrático de Direito. E. na minha concepção, nessa frente ampla entram TODOS os democratas (progressistas e conservadores). Um abraço.

  6. “O pobre coitado era capaz de ser condenado por dizer que Maria Antonieta estava indiferente à fome nas ruas de Paris, mas que, ao contrário, queria melhorar a dieta dos pobres servindo-lhes brioches.”
    Sensacional, Brito. E esse deve ser o pensamento dos olavetes. A escola que o Bozo quer é a “escola sem pensar”. Uma verdadeira fábrica de bolsominions, ao velho estilo dos “coroné” que dominavam o Nordeste. Dominavam, hoje não mais.

  7. Ultimamente me sinto como se estivessémos vivendo dentro de uma saga medieval do tipo “Games of Thrones”. O presidente eleito pode ser comparado a Lorde Stanis influenciado por sua sacerdotisa vermelha (no caso o bispo Edir Macedo e Silas Malafaia). Das terras do leste chegam informações que existem dragões que podem atacar o império. Ao norte, a grande muralha está sendo atacada pelos clãs selvagens (que inclusive tentam escalar a mesma) sendo rechaçados pelos guardas da muralha. O atual ocupante do trono é louco e sádico e muitos desejam que ele sai de lá…E o inverno (economico) esta chegando…..Os próximos anos da saga prometem ser trepidantes.

  8. :
    : * * * * 04:13 * * * * * Ouvindo A(s) Voz(es) do Brasil E DO MUNDO INTEIRO e postando :

    Prêmio NOBEL da Paz 2019 para LULA Já ! ! ! ! !

    :.:

  9. Pois é. Aprendendo na prática como foi possível existir a Idade das Trevas entre a Antiguidade e o Renascimento…
    Mas, que mantenhamos as nossas velas acesas em nossas mãos até que o sol possa voltar a brilhar. Bom domimgo a todos. ????

  10. Toda politica atual foi devidamente discutida nos botequins, regada a cerveja e ingnorância. Oba, oba, do prende e arrebenta, prato cheio para a CIA.

  11. Tô felicíssimo tudo está dando conforme todos de um MÍNIMO SENSO , que não votaram no ___ imbecil_prisidenti _____ previram!!! Maravilha!!! Estupendo!!!!!

  12. Estão querendo criar fato consumado com esse absurdo do escola sem partido. Esse é o verdadeiro balão-de-ensaio do governo do lixo humano. Operará desta mesma forma em todas as questões que lhe são caras: criminalização de movimentos sociais, redução de direitos e opressão da população. Nada disso está na lei, e pros trogloditas de plantão isso não importa, e na prática não importará mesmo. Tudo que eles precisam é que o lado deles faça muito barulho (já estão acostumados a isso) e que nós continuemos dóceis discutindo as vias democráticas e a repercussão ou as causas da nossa mazela atual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.