Lava Jato: “delate e continue rico”

O novo pacote de vazamentos dos diálogos entre os procuradores da Lava Jato divulgados hoje pela parceria Folha-Intercept leva quem os ler ao mundo maravilhoso dos milhões, a chave que abre todas as portas, inclusive as das cadeias.

Deem pouca relevância às mensagens que tratam de uma suposta preocupação em preservar a Odebrecht e o emprego de seus trabalhadores: afinal, a empresa demitiu 82% deles (ou 228 mil pessoas) e está “em recuperação judicial” que mal lhe disfarça a falência. Aliás, essa preocupação é quase que exclusivamente expressada pelo agora ex-procurador Marcelo Miller, justamente o que está sofrendo processo no caso JBS.

A essência, ali, é a troca das delações pela manutenção do patrimônio pessoal dos delatores. E não aquele necessário ao prosseguimento de seu sustento pessoal, mas de riquezas na casa das centenas de milhões de reais.

Em nome de obter as delações, permitiu-se que, afinal, fosse “lavada” boa parte da pecúnia acumulada em negócios ilegais e que, além disso, caísse sobre a empresa uma conta bilionária de multas e indenizações relativas ao “exército” de 77 delatores que ela reuniu entre seus executivos para apresentarem versões que – claro – jamais estiveram livres do famoso “me pagaram por isso”.

O teor das delações ser negociado em troca da manutenção de parte dos depósitos ilegais feitos em favor da cúpula da Odebrecht fica claro na mensagem em que Deltan Dallagnol apresenta uma minuta de acordo na qual um dos itens seria o fato de Emílio Odebrecht, o patriarca da empresa, “admitir que houve a discussão de pautas relevantes da ODE no alto escalão do governo e de que teve ciência/delegou os pagamentos e contribuições do Grupo, inclusive via caixa 2”.

A moralidade destes acordos bem que poderia ter o título de um dos quadros do programa do velho Sílvio Santos: “topa tudo por dinheiro”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Com as últimas três reportagens sobre acordos de delações da OAS e Odebrecht, parece que a Folha domesticou a VazaJato e a transformou em complemento dos vazamentos da LavaJato. E Glenn, aparentemente, foi calado e não toca mais no assunto no Twitter há mais de uma semana. Será que foi calado pela PF ou pela Receita?

  2. Como disse o Lula ,” um verdadeiro bordel jurídico que aconteceu no Brasil ” .

  3. Já não chocam mais as revelações da vaza jato, mas sim
    1) Após mais de 3 meses, nada, absolutamente nada aconteceu em relação a Moro e cúmplices;
    2) “Se não sai no jornal é porque não aconteceu”. Semana passada, dei-me ao trabalho de dar um giro por alguns dos principais jornais do país. Nada vezes nada. O Correio Braziliense além do mais publicou extensa entrevista com o DD, estampando sua foto na capa; As 4 grandes emissoras de TV então nem se fala
    3) É a fabricação do consenso, de que fala Chomsky. Há porque estranhar que a população esteja tão indiferente?
    4) Além de nossas dificuldades históricas, sem dúvidas a imprensa é o maior problema do país pela maneira como atua aqui.

    1. Aqui no Brasil a grande mídia silencia, pois ainda tem esperanças de que a vaza jato vai acabar em pizza.
      Não vai. Deve ter mais gente acompanhando as revelações do Intercept no resto do mundo do que no próprio Brasil. Então, não adianta a grande mídia brasileira fazer a egípcia, porque cedo ou tarde vai ter que encarar a verdade.

      1. A questão é que ainda estão conseguindo disfarçar o ambiente econômico do país.
        Contudo, já não demora e a tragédia econômica construída a seis patas (orcrim Lava Jato, golpistas e presidência fraudulenta bolsomínion) mostrará a plenitude de sua cara feia e arrastará os renitentes para serem atropelados pela realidade.
        A tomada de consciência de dará da pior forma possível!

  4. O rigoroso processo de investigação em parceria com instituições internacionais que a lavajato fez tentando localizar dinheiro de Lula no exterior deveria ser estendido para todos os integrantes da lavajato, pois é bem provável que esses acordos de delação que pouparam a fortuna dos empresários tenha tido um preço.

  5. Mas, teoricamente, o alvo da “Farsa a Jato” não seria justamente os “corruptos”? A cada dia fica mais evidente o caráter quadrilheiro da Organização Criminosa comandada pelo gângster conhecido pela alcunha de “marreco de Maringá”.

  6. Uma sociedade que não se mobiliza pela morte de uma menina totalmente inocente vai se abalar com essas revelações? Pausa pra risadas! Isso virou uma novela. Vai dar em nada. Mesmo que tudo isso liberte o Lula em algum momento, e a esquerda ganhe, ela simplesmente não vai governar porque o Partido da Justiça vai atuar com um novo Moro.

  7. Quando essa turma fez concurso, eles entenderam a sigla PGR como Peguem a Grana Rapazes. Precisamos da Grana Rápido.
    Para mim esses caras não passam de filibusteiros, logo, cadeia para todos, expulsão do serviço público e sequestro de todos os bens como eles fizeram com José Dirceu

  8. Estamos esperando estes corruptos da lava jato irem pra cadeia. Com a palavra, as instituições competentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.