Lula e o Brasil da esperança que vai morrendo

Há menos de dez anos, discutíamos o progresso, os avanços do país, jovens pobres e negros ingressando na Universidade, pobreza minguante; até uma marca de uísque fantasiava um gigante de pedra erguendo-se, uma revista estrangeira dava jatos ao Cristo Redentor, rumo ao céu.

Hoje, falamos de mais armas, mais cadeias, de menos  direitos, de aposentadorias e pensões menores que o mínimo, de trabalhar até morrer e de deixar para os filhos um trabalho quase escravos.

Muitos, cujo ódio lhes habita a alma, banidos dela qualquer sonho ou compaixão, festejam os tempos de moralidade, onde a corrupção não mais assaltaria os dinheiros públicos, permitindo as escolas, estradas e hospitais “padrão Fifa”, tão inexistentes quanto o tal “padrão”, que só encobre negócios milionários dos flamantes picaretas que dirigem o futebol-marketing.

É terrivelmente verdadeira a questão que Laura Carvalho coloca em seu artigo, hoje, na Folha:

Independentemente do peso atribuído às múltiplas causas da crise – entre erros de governos e choques externos e internos -, fica uma sugestão para as agências de checagem: quanto representa o custo total para os cofres públicos atribuído a atos de corrupção nas investigações em curso em relação ao déficit público ou à queda no PIB de 2015-2016?
Assim como os ataques a imigrantes, vendidos como “ladrões de emprego” nos EUA e na Europa, a “roubalheira do PT” como causa da crise é apenas uma simplificação sórdida forjada para alimentar uma parte da população sedenta por identificar o grupo de culpados a ser combatido. 
A esta altura, a humanidade já deveria ter aprendido que uma mentira, por ser repetida mil vezes, não se torna verdade.

Não, Laura, isso não foi e nem será aprendido nestes tempos em que a principal atividade da mídia – pior, do pensamento único refeito da economia para o comportamento – é a de escolher culpados universais e salvadores que não salvam.

O que “atrapalha” o Brasil passou a ser tudo aquilo que produziu nosso parco desenvolvimento: o Estado, os direitos sociais, um mínimo de inclusão dos miseráveis, as liberdades públicas e as garantias individuais, a Universidade, os resquícios de uma pretensão a nos firmarmos como Nação.

Na “pauta de costumes”  – só de haver um troço destes já causa calafrios – quer-se o direito de carregar um trabuco no porta-luvas, definir a cor das roupas de “príncipes e princesas” que viverão no Reino da Selva e expulsar os “marxistas globalistas” que devem estar escondidos sob as carteiras escolares, ensinando que a terra é redonda e promovendo o turismo bestialógico.

Não há simbolo mais completo desta autofágica regressão do que o único que, nas últimas décadas, foi capaz de encarnar um Brasil tão grande como é esteja numa minúscula cela em Curitiba, só maior do que as idéias miúdas dos que vêem nisso uma “grande conquista” nacional.

O gigante deve voltar a ser pedra, muda, parada, inerte e, princialmente, mantido fora das vistas, para que não seja um monumento assustador na planície da mediocridade.

Trocamos sonhos por pesadelos, talvez por, de nosso modo, acharmos que desejos bastam para fazer realidades.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

27 respostas

  1. Num país de analfabetos funcionais e que não conseguem, sequer, concluírem uma frase com lógica, não dá para esperar muita coisa mesmo. Aqui no próprio Nordeste, que JAMAIS viu um desenvolvimento geral durante os governos populares de Lula e Dilma ainda ouvia-se os quadrúpedes falando que a “corrupção do pt quebrou o Brasil”. Como dialogar com quem sequer consegue ouvir a não seu seus próprios relinchos?

    1. Isto se aplica a quase 100% das rádios do interior do nordeste. Algumas chegam a chocar pela desonestidade intelectual, como a Clube, de Jacobina, Ba

  2. NÃO ME RENDO,NUNCA ME RENDEREI.
    O BRASIL DA ESPERANÇA CONTINÚA VIVO PORQUE É O QUE NOS FAZ ESTAR VIVOS.
    O ABRAÇO DA MORTE É A PERDA DA ESPERANÇA.E ISSO ,NUNCA ACONTECERÁ COMIGO.
    ATRÁS DE NÓS VEM MUITA GENTE INOCENTE COMO PRA DEIXAR ELES SEREM DEVORADOS PELOS DELINQUENTES QUE HOJE OCUPAM O PODER.

    1. Nós não ouviremos o grito dos revoltados, mas eles estão lá. O SNI está ativo novamente desde 2016, reuniões de diretório, movimentos sociais, sindicatos, internet… … silêncio… Ninguém que suba o tom fará isso em publico, penso.

      #LulaLivre

  3. belíssimo e tristíssimo texto. tomara que chegue a quem está acreditando que “matar, entregar, extinguir, liquidar” pessoas, direitos soberania, dignidade seja um modo de “governo”.

  4. É algo que sempre tento a dizer a meus conhecidos: que a corrupção leva uma parcela menor de nossos impostos que os juros da dívida pública – e que como esse tema é tabu na Globo porque ela tem o interesse dos bancos, ela precisa buscar o “espantalho” da corrupção como justificativa ao cidadão comum pela razão dos impostos serem altos e o serviço público sofrível.

    A “jogada de mestre” nesse caso é que conseguiram vincular a corrupção como exclusividade da esquerda.

  5. Parabéns Brito! É de causar angústia, ler o seu texto e ver que é tudo verdade. O país está sendo banhado por uma sombra profunda, sob a qual recrudescem males de todas as ordens.

  6. O grande erro de todos, TODOS mesmo, foi não compreender que se tratava de uma GUERRA. É assim que tem de ser encarada a missão de transformar o Brasil ou qualquer país, em uma grande e poderosa nação. Nenhum país se projeta no mundo sem ter consciência disto. É preciso estar preparado, de preferência com a bomba atômica. Infelizmente o Brasil não tem sequer forças armadas realmente nacionalistas.

      1. Uma juíza como esta que condenou Lula evidentemente não sabe quem é Lula, além de não ter a exata noção daquilo que deve ser um juiz. Ela aproveitou sua própria sentença para nela elogiar o Moro, como quem se definisse claramente por uma ideologia, por um posicionamento político e por uma “visão especial” do estado e da justiça. Seu desempenho lembra o dos juízes que julgaram com o fígado e condenaram os autores do atentado a Hitler. Eles tremiam de tanto ódio, embalados pelo fanatismo nazista. A diferença é que aqueles tinham provas concretas da autoria do fracassado atentado. E o atentado que Lula cometeu foi semear um pouco mais de igualdade neste país que tem a maior desigualdade social do mundo. Deste grande atentado lulista há, sim, sobejas provas.

    1. Disse tudo, sonhar que poderíamos nos tornar atores no cenário global, criando o próprio bloco independente, e mantendo autoridade sobre o pre sal, no quintal do Império, sem uma estratégia geopolítica muito bem planejada… E um exército LEAL e temido é… em fim, se quando criança jogou “war” sabe que nenhum dos seus adversários permitiria. Mas… Acredito que aprendemos com o erro, e da proxima vez daqui uns 30 ou 40 anos…

    2. Bolsonarismo se gruda diretamente no tornozelo do Tio Sam, por isso se julga mais poderoso que os militares. E o Titio já começa a enviar abutres para emitir sinais de querer os militares fora do projeto de descarnamento do boi abatido Brasil. Pelo jeito, nem o mocotó vai sobrar para o povo brasileiro.

  7. Como após 1929, os “NAZISTAS”, “novamente”, querem provar que são eles, a solução do Mundo pós 2008,…as crises econômicas, sempre as crises econômicas, quem são os criminosos ? O ódio está no ar, e as armas já são solicitadas ! O Brasil, não pode ser usado como ” o bode” do Capitalismo Decadente, vamos à luta, para defender o Brasil, contra os corruptos que o governaram durante séculos, vamos à luta para conquistarmos finalmente, nossa independência, contra aqueles que nos colonizaram, nos saquearam durante 5 séculos, e que querem continuar o saque em pleno século XXI. O LULA-“Maior Líder Popular da História do Brasil” não errou, e por isso é amado pela maioria do povo brasileiro, e odiado pelos invejosos, pelos traidores. A LUTA CONTINUA, POIS O SONHO NUNCA ENVELHECE, E SÓ ACABA, COM A VIDA ! LULA LIVRE !

  8. Essa “tacada” foi duríssima, mas não inesperada, os sonhos nunca acabarão, principalmente hoje, quando mais de 70 milhões de eleitores (some-se a isso, seus familiares), sonharam com a volta de LULA. Os vendilhões da Pátria, não matarão nossos sonhos, e não ficarão impunes. SOMOS TODOS LULA !

  9. Lula estava a caminho de poder repetir, também na ONU, a frase de Fidel: “Essa noite, milhões de crianças vão dormir na rua, mas nenhuma delas é cubana”. Lula, lógico, trocaria cubana por brasileira. Isso foi interrompido. O país perdeu o bonde da história.

  10. A esperança morreu definitivamente, para não enlouquecer sem usar drogas, teremos que construir um mundo a parte. Um mundo individual, com amigos inteligentes e assistir de longe o desastre. Sinto pelo Lula, mas parei de ler e de querer saber, pois fui lá naquele famigerado prédio em que Lula se encontra sequestrado. Meia dúzia de pessoas cantavam hinos tristes e mandavam um bom dia para ele. Meu peito parecia que ia explodir, resolvi então que vou cuidar do meu jardim particular.

    1. Fernando, a tristeza faz parte da vida. Lula é luz, resistência e resiliência; é afinal um grande exemplo para todos nós. Abrace o mundo inteiro q ele nos abraçara tbm.

  11. Jamais deixarei de cobrar a enérgica ação pedagógica de parlamentares e outros sujeitos das alas progressistas das diversas instituições brasileiras, nas ruas e nos canais “virtuais”. São pessoas que têm mais grana, mais articulação, mais assessores, mais tempo. O povo trabalhador, assalariado, não pode ser culpabilizado de tudo.

  12. Aquela máxima que é possível enganar poucos por muito tempo, muitos por pouco tempo, mas nunca muitos por todo o tempo está chegando a população em geral brasileira, porém nada é instantâneo, e discursos derrotistas não tem guarida na História da Humanidade, apesar dos sobressaltos é caminha para frente.
    Quanto mais lutarmos maior será a velocidade, este que é o problema, e a solução.

  13. “O que “atrapalha” o Brasil passou a ser tudo aquilo que produziu nosso parco desenvolvimento: o Estado, os direitos sociais, um mínimo de inclusão dos miseráveis, as liberdades públicas e as garantias individuais, a Universidade, os resquícios de uma pretensão a nos firmarmos como Nação.”
    Direto ao ponto, Brito. Muito triste tudo isso. Ainda estou atordoada… Precisamos ir à luta.

  14. É doloroso testemunhar esses tempos em que o maior brasileiro que essa terra maldita chamada Brasil já produziu está preso pelas mãos e canetas dessa gente perversa, apátrida, cínica e hipócrita. São esses juizecos da república de Curitiba o alvo do meu mais profundo nojo!

  15. Parece que quem não aprendeu nada foi mesmo a prezada Laura Carvalho, pois, sim: infelizmente, uma mentira, como também uma verdade, por ser repetida mil vezes, na prática, torna-se [“]verdade[“] (ou cristaliza-se como verdade). O Brasil é o (ou um) laboratório dessas experiências comunicacionais. Agora, perfeito (na minha modesta opinião) o pensamento inscrito na saída do texto: “Trocamos sonhos por pesadelos, talvez por, de nosso modo, acharmos que desejos bastam para fazer realidades.”…

  16. A elite financeira domina o estado e os meios de comunicação.Vêem o Brasil como um local a ser explorado ao máximo e são indiferentes a questão de nacionalismo, do povo, etc. A alta classe média não é dona dos meios de produção nem do capital, mas tem o mesmo pensamento, modo de vida e administra os bens da Elite.
    No restante da classe média tem aqueles que querem se parecer com a alta classe média. São os capatazes – como diz Jessé Souza – da elite. Acham que comprar um vinho caro, viajar para Miami e comprar um carro de luxo financiado os faz pertencente a essa classe, que são aceitos na Casa Grande. Eles têm medo da aproximação da classe dos batalhadores. São os que têm ódio de Lula, não por uma suposta corrupção, mas por permitir que o pobre (preto ou branco), nordestino e suburbano tenham acesso aos mesmos bens de consumo. Lula estava tirando o valor simbólico de sua sensação de superioridade – seja pela exclusividade do acesso ao consumo, mas, principalmente o acesso ao conhecimento através do ensino universitário, que antes era exclusivo de uma casta. São movidos por esse medo, que os levam ao ódio irracional e tosco.
    Duas situações presenciadas por mim exemplificam o ódio imbecil e acesso ao estudo. Em meados do primeiro governo Dilma uma senhora, que frequentava a mesma fisioterapia com minha esposa, proprietária de pequenos hotéis, comentou indignada e com ódio o absurdo de as atendentes de seus hotéis terem a mesma televisão lcd que ela, esbravejou contra Dilma e Lula por terem causado esse “absurdo”.
    Outra situação (dentre outras parecidas que presenciei) foi a do orgulho da cozinheira e um operário de escavação de vala, vieram para a Bahia do interior da Paraíba, e conseguiram colocar na universidade seus três filhos (um faz engenharia, outra radiologia e a terceira assistência social).

    A elite financeira e alta classe média trabalham justamente sobre o desvio psicanalítico que essa faixa da classe média possui., herança de nossa formação escravista. E enquanto não resolvermos isto o Brasil da esperança vai morrendo.

  17. O DIREITO É UNIVERSAL, UNO E INDIVISÍVEL.

    Eu não consigo entender o por quê de os defensores de Lula agirem com tanta lhaneza os procuradores e juízes algozes do Eterno Presidente “Cabra da peste” do Brasil. Não adiante a defesa apresentar argumentos verossímeis contra sentenças previamente alinhavada. O complô judicial tem que ser enfrentado buscando brechas na legislação facciosa, perscrutando o espírito das leis, forçando novas interpretações doutrinárias, de modo a provocar fissuras nos Códigos protetivos da Magistratura. A caixa preta deve ser alumiada, para desnudar o corporativismo incrustado na falsa moralidade do judiciário.
    O Estado Democrático de Direito já não impera no Brasil. O País está sob forte interferência externa, com espias para todo lado monitorando declarações e movimentos das três esferas do poder, tendo as Forças Armadas em rédeas curtas com ameaças de publicidade de arquivos da época da ditadura.
    O que resta, então, ao cidadão Lula aprisionado sem a formação concreta de sua culpa, sentenciado apenas em convicções proferidas pelos “vestalinos” procuradores de qualquer esfera do direito e os juízes de piso ao teto. Ora, a guerra ainda não foi perdida; as batalhas, sim, fragorosamente perdidas por falta de estratégia e por afagar o inimigo. Parece até que a defesa trabalha para ser derrotada, vez que apresenta os mesmos argumentos nos diversos processos e já sabe de antemão qual será o veredito. Isso tem até nome no Estatuto da Advocacia: litigância temerária. Deixo claro que não estou acusando nenhum dos defensores do Nosso Amado Presidente, são apenas indignações que afloram do meu íntimo quando tomo conhecimento de mais uma “lacrada” do judiciário. Os doctoris fazem de conta que detêm a verdade e condenam o réu à prisão perpétua, em regime fechado, isolado e incomunicável, tornando letra morta o Art.5º da Constituição Federal que juraram defender.
    Os autos dos processos têm inúmeros erros de interpretação e de aplicação da norma jurídica. O Estado representado pelos Magistrados não foge à responsabilização objetiva nem os juízes, da responsabilização advinda do múnus que representa. Temos o Conselho Nacional da Magistratura, o Conselho Nacional do Ministério Público e o Conselho Superior do Ministério Público, instâncias que podem ser acionadas quando ficar patente a desídia de parte do agente público. Existe a Lei Orgânica da Magistratura (LOMAN) e a Lei Orgânica Nacional do Ministério Público, onde os operadores do direito devem obediência e a elas se enquadram. É comum ouvir-se dizer “a raposa tomando conta do galinheiro” quando se aciona tais Órgãos para denunciar magistrados e procuradores. Porém, a intenção da defesa é arranhar a pretensa invulnerabilidade dos “doutores da lei”, incomodando o universo paralelo onde habitam esses deuses da toga, que vivem refestelados em acolchoadas poltronas, com serviçais a rodo, comendo lanchinhos gourmet, usando indumentária Armani ou Louis Vuitton, desfrutando de viagens individual, familiar ou grupal, para aqui ou acolá, tudo total free e all included e em salas VIP, conduzidos por chauffeurs em automóveis novos customizados, sendo remunerado com vencimentos dentro do teto e acrescidos de auxílios indenizatórios diversos e especiais, agraciados com descanso anual de 30 dias em janeiro e julho e finalmente a aposentadoria integral, com dolo e tudo. E esse tudo às expensas do cidadão que deveria ser a razão de existência da justiça, mas é por ela tratado como “o vulgo”. Esses senhores precisam sentir que o poder não transforma o exercente em divindade, que vivem num plano material onde a punição existe para purgação dos pecados aqui cometidos contra seus semelhantes.
    Mas, e daí? Pergunta o cidadão comum. “Não vai dar em nada, são eles com eles mesmos!”. Tudo bem, eu aceito o argumento, plagiando Paulinho da Viola. O advogado de defesa não é um ADÊVOGADO, é, sim, por excelência, advocatus, o que foi chamado a prestar assistência a um acusado, e seu mister exige múnus latus sensus, que serão aplicados tanto num simples litígio paroquial como também nas altas cortes internacionais. E o cidadão continua: “os Tribunais Latinos Americanos e a OEA são subjugados aos EUA, a ONU é um Órgão Político com poder de veto das potências nucleares, a donde o “seu” advogado vai ter respeito, ou ao mesmo ser ouvido? O cidadão tá certíssimo, porém ele desconhece um provérbio africano que diz mais ou menos assim: “Se você se sente pequeno diante do poderoso não esmoreça, imagine uma pessoa dentro de um quarto com um mosquitinho a lhe infernizar”. Resta então aos nossos diligentes defensores do Imortal Presidente do Brasil seguirem para a Corte Internacional de Justiça, também conhecida como Tribunal de Haia, cidade holandesa, e de lá atrair a atenção do mundo para as arbitrariedades cometidas pelos fiscais das leis e os aplicadores de justiça neste imenso e maravilhoso País.
    O DIREITO É UM SÓ, AQUI E ALHURES, APENAS EXIGE ALGUÉM PARA DIZÊ-LO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *