Massacre não é “incidente” ou “acidente”, é nossa política prisional

O Brasil tem mais de 700 mil presos.

Se cumprirem-se os 800 mil mandados de prisão, teremos 1,5 milhão de presos.

Em cadeias onde cabem 350 mil, já sabe Deus como.

Francamente, é algum absurdo que nessa multidão funcionem facções criminosas?

Nas cadeias norte-americanas, conta tanta gente mas com muito mais estruturas, as gangues penitenciárias são imensas e controlam presídios inteiros.

Morreram 57 em Altamira, no Pará, ao que se sabe, por enquanto. Duas dezenas decapitados. Fotos pavorosas de cabeças amontoadas que não reproduzo por decência e nenhuma propensão ao sensacionalismo sórdido.

Agora, Sérgio Moro vai aos jornais, tirando uns minutos de folga de sua preocupação com hackers, para oferecer vagas “pois [poderiam] ficar recolhidos para sempre em presídios federais”

“Para sempre”, num país que não tem legislação que preveja prisão perpétua?

E se um líder de facção for isolado “para sempre” (supondo que o consigam) não aparecerá outro para substituí-lo?

Mas Sergio Moro, o ministro da Justiça, quer aumentar o encarceramento, determinando o recolhimento prisional de qualquer um que esteja sob recurso judicial. E que, por isso, estaria com a eventual atividade criminosa contida pela perspectiva de não ser preso.

Política prisional é, antes de tudo, evitar que se cometam outros crimes.

Não criar as condições para que ocorram, que é o que fazemos com a política de encarceramento em massa.

Mas a pol´tica de encarceramento que temos é um convite a isso.

Coerente com o “bandido bom é o o bandido morto”.

Melhor ainda que seja por eles mesmos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

4 respostas

  1. Como um escroque como esse pode sonha falar pelo Ministério da Justiça? Perdemos nossa capacidade de nos indignarmos!!!!!!!!!!

  2. Boa noite, Brito! Aprendo contigo. Há um reparo a fazer. A prevenção doutros crimes que se inicia no primeiro inciso do art. 282 do código de prisão penal é arroz de festa para a prisão cautelar. Os juízes utilizam-na como motivo, a remeter ao filme Minority Report. Não se pode prender para evitar crimes.

  3. Massacre não é só a politica prisional desse governo. É também a política social.
    Reforma trabalhista, reforma da previdência, fim da saúde pública, fim da segurança no trabalho, fim dos programas sociais, tudo se destina a criar uma sociedade onde a média de vida não ultrapasse 50 anos. A minoria de pobres que chegarem a 80 anos serão o parâmetro para mostrar aos demais que quem não chegou lá foi por falta de mérito próprio. Obviamente que em uma sociedade assim o estado mínimo seria suficiente. Na verdade, seria suficiente estado nenhum. Mas ai não haveria estado para conceder segurança e privilégios para os ricos.
    #impeachmentja# E dessa vez não é golpe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.