Meirelles age como candidato, esnoba Temer e promete reforma

maisrealistas

Com o coro de Rodrigo Maia, Henrique Meirelles correu a se exibir para o “mercado” e dizer que, mesmo com Michel Temer jogando a toalha, ele, bravamente, vai empurrar a retirada de direitos dos trabalhadores com a reforma da Previdência, gostem ou não os brasileiros, queiram ou não os deputados.

Meirelles tenta mostrar que ele, sim, tem a autoridade que falta a Temer e que é capaz de fazer a reforma, nem que seja em 2018 (em ano de eleição?) ou, quem sabe, em 2019… Candidatíssimo, embora o negue.

“Idealmente deve ser votada este ano e vários líderes estão dispostos a trabalhar nessa direção”, afirmou. “Se não der, tem que se enfrentar no próximo ano”, afirmou Meirelles. “Mesmo os partidos que são contra (a reforma), é bom que torçam para que a reforma seja aprovada para não terem que enfrentar este problema caso ganhem as eleições.”

Ele diz que “a reforma da Previdência não é uma questão de escolha, mas uma questão fiscal”, embora, claro, as questões fiscais sejam também escolhas, sobre quem e quanto taxar e quanto e a quem pagar.

Meirelles usou o exemplo do México para sustentar que o brasileiro se aposenta muito cedo (aos 59 anos, em média), diante da média de 71 anos daquele país. Como a expectativa de vida no México é pouco abaixo de 77 anos, significa que a aposentadoria, então, “dura” apenas seis anos antes da morte.

A não ser quando alguém, como Meirelles,  se aposenta com 57 anos de idade, e não com a “merreca” do INSS, mas com  US$ 750 mil anuais, R$ 2,5 milhões – ou R$ 200 mil mensais, ao câmbio de hoje.

Fora a “caixinha” do conselho da  JBS, segundo ele próprio, para “não fazer nada“.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

  1. O golpe deu errado. Ao invés de eliminar definitivamente o PT e Lula do centro do cenário político, dois anos depois os colocaram de novo de volta ao centro. A ideia do Golpe era limpar e aplainar o terreno político e econômico para que um candidato tucano pudesse facilmente ganhar a eleição de 2018. Como terrorista desesperados lançaram os aviões sobre o edifício político que eles mesmo caprichosamente construíram e confortavelmente viviam. Claro que ninguém poderia sair ileso dessa aventura louca. Mas vamos ser realistas, eles tinham alguma outra alternativa que não o Golpe? Claro que não.
    O que os golpistas não contavam é que a essa altura do campeonato ainda não tivessem nenhuma opção viável eleitoramente. Deveríamos comemorar? Sim e Não. Sim porque demonstra que vale a pena apostar pela democracia. E, não porque acredito que os golpistas não vão aceitar mais uma derrota e podem definitivamente tomar o caminho sem volta do árbitro, do autoritarismo e da ditadura.

  2. Este, sem dúvida, é o “governo” constituído pelos brasileiros mais asquerosos, repulsivos, sem vergonha e escrotos que já houve. Judiciário e mídia não ficam atrás.

    1. Hoje é só meia jornada de trabalho? Assim não vai sobrar para comprar farinata do Dória ein?!
      tic tac tic tac
      Ou será que diminuíram a ração para os “colaboradores” do mbl/rl
      tic tac tic tac
      O mbl/rl vai de táxi?
      tic tac tic tac
      Ou vai de Novo?
      tic tac tic tac
      Ou vai de recruta zero?
      tic tac tic tac
      Ou vai de Meireles
      tic tac tic tac
      Ou não sabe para onde vai?

  3. Ah, Meirelles, acha mesmo que o mercado vai querer mostrar sua face real, de bicho papão dos direitos? De ferrador do trabalhador? Vão preferir mil vezes um Huck, um Doria esfarelado a dar esse poder a quem não deveria aparecer tanto.

    Quem tiver um tempo pra responder esse formulário sobre confiança em partidos, ficarei muito grato! Ainda mais se puder compartilhar com outras pessoas!
    http://goo.gl/forms/uMT9xysOxCiVg6jw2

  4. Eu só digo que com esse negócio de candidatura pra lá e pra cá,no nosso caso com Ciro Gomes-PDT/CE(Tasso Jereitista e nada de Brizolista e desculpe ao lendário Brizola e brizolista pela comparação) e com o PCdoB nessa aventura de Manuela candidata(nós lulistas não temos moral nenhuma para criticar qualquer que seja as atitudes do PC DO B,diferentemente dos vendidos,canalhas,ingratos e covarde do PSB salvo
    raríssimas excessões.Estou me referindo em especial a família Campos),tudo vai caindo no colo de Bolsonaro-O Messias.

    Na cidade onde estou no momento,de sábado para cá eu já vi uns 5 carros com adesivos desse sujeito e todos os modelos de pobres de direita:porcarias dos idiotas da FIAT,Upi(?)da volks e cia.

    Gostaria de dizer que o PC DO B tem todo o direito de ter candidato,mas como nós ainda temos Lula para salvar o Brasil,apesar dos crimonosos de toga,deveríamos unir forças para ganharmos em 2018,mas pelo que vi de gente como Tarso Genro do PSOL e afins,nessa era em que Bolsonaro não precisa de programa eleitoral gratuito e muito menos comer pela mão da Globo(esse cara e Lula são os dois únicos),parece que querem que nós continuemos afundados até o pescoço no rio tietê.

  5. O jornalista carioca Fernando Brito poderia convidar os economistas que trabalham com a auditora fiscal Maria Lúcia Fatorelli a desmascarar de vez as bravatas do vaidoso Meirelles, pelo menos quanto a tão alardeada reforma previdência. A TV Senado noticiou que em 13/11 a Assembleia do RJ vai receber economistas de vários estados brasileiros e internacionais -como o inglês Michael Roberts- especializados em fazer auditoria de países atacados pela dívida pública, i.e, achacados pela banca internacional predadora de economias e direitos, de quem o evasor de divisas Meirelles é oficial representante no Brasil. Enquanto o ‘nobre’ resquício medieval inglês, a Rainha, encolheu-se em silêncio após a revelação de ter escondido e multiplicado boa parte do seu pessoal e real tesouro em modernos paraísos fiscais -negando a tradição inglesa/capitalista de produção, extração da mais-valia, etc, e preterindo os bancos da City- o gerente oficial da banca no regime golpista brasileiro e “vizinho” da majestade britânica na mesma “ilha” de evasão fiscal, o altissonante Meireles, lança sem pudor, não só sua candidatura a presidência –como se dissesse:fi-lo porque qui-lo e daí– como vai além no disparo 9188/17, ato de Desinvestimento, para destruir de uma vez só -É Campeão!- empresas públicas e todos os bens e serviços –água, esgoto, energia, estradas, Saúde e Educação nacionais, em solo e sub-solo( nióbio, bauxita,ferro,etc). Se auditores financeiros, advogados constitucionalistas, trabalhadores, movimentos sociais, políticos, sindicatos, militantes, estudantes, não construirem uma articulação politica capaz de deter essa avalanche de maldades financeiras que ameça nos soterrar agora, tal como na barragem de Mariana, só restará a terra arrasada, e a mais difícil recomposição. Se nada impediu até agora o avanço do internacional capitalismo financeiro sobre direitos anteriores adquiridos a duras penas, nada também impediu, impede ou impedirá que os despossuídos de sempre, outrora escravos, depois servos, jornaleiros avulsos, assalariados, trabalhadores, desempregados ou lúmpens consigam uma vez mais historicamente resistir. Quando será vencida a atual batalha frente ao capital em suas múltiplas formas de atuação, domínio e golpes contra a soberania popular, o trabalho e necessidades humanas e quais serão as regras de luta possíveis a nos orientar diante da progressão do caos, são questões que devem fortalecer a arma da crítica, fortalecer o pensamento político, fortalecer todas as ações políticas contra a opressão do capital.
    Que a visão fina da auditoria fiscal e o punho firme de percucientes constitucionalistas possam participar e colaborar para a ação política de denúncia e combate ao golpe em todas as instâncias. Abaixo o golpe.

  6. Ele tem que aguardar. Se o Lula vencer em 2018, poderá continuar como Ministro da Fazenda para acalmar o mercado.

  7. Os CANALHAS GOLPISTAS estão DESESPERADOS! Não conseguiram entregar o “serviço” para o qual a grande burguesia nacional e estrangeira os contratou, que era DESTRUIR a previdência dos brasileiros!
    Aliás, entregaram o serviço pela metade com a aprovação da “reforma” trabalhista. E mesmo assim não foi do jeito que o “deus” mercado queria, pois este exigia MAIS supressão de direitos.
    E em 2018 é q não vão mesmo aprovar a destruição da previdência, nem q comprem cada deputado a peso de ouro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.