Mello Franco e o epitáfio de Dodge na PGR

Bernardo Mello Franco, em O Globo, faz justiça hoje à atuação de Raquel Dodge como Procuradora Geral da República.

Ser uma nulidade não a absolve, em absoluto, ante os absurdos sobre os quais silenciou.

Não é a omissão de uma pessoa qualquer, mas de quem tem a obrigação de defender as ameaças à democracia e ao convívio dos brasileiros.

Mandar plantar um jardim de camélias quando se deixa brotar cravos-de-defunto às liberdades.

Raquel Dodge merece o Troféu Barrichello

Bernardo Mello Franco, em O Globo

Raquel Dodge não conquistou a sonhada recondução, mas merece o Troféu Rubinho Barrichello. A cinco dias de deixar o cargo, a procuradora-geral da República descobriu que a democracia brasileira corre riscos. Chegou atrasada, como costumava acontecer com o antigo piloto da Fórmula 1.

Em sua última sessão no Supremo, Dodge denunciou o avanço do autoritarismo no país. Ela pediu que os ministros “permaneçam atentos a todos os sinais de pressão sobre a democracia liberal”.

A procuradora traçou um cenário sombrio para o futuro das liberdades civis. “Se o esforço do século XX foi o de erguer a democracia liberal brasileira, o esforço do século XXI é o de impedir que ela morra”, afirmou.

Ela também alertou contra o surgimento de “vozes contrárias ao cumprimento das leis”. Em outra passagem, disse ter mandado plantar um jardim de camélias “como símbolo contra a opressão”.

“Quero lhes fazer um pedido muito especial. Protejam a democracia brasileira, tão arduamente erguida”, encerrou, depois de um punhado de autoelogios.

A procuradora tem razão ao apontar riscos à Constituição e à independência do Ministério Público. A questão é saber por que ela demorou tanto a notá-los.

Enquanto acreditou que poderia ser reconduzida, Dodge flertou abertamente com o grupo que está no poder. Quando Jair Bolsonaro ameaçou “fuzilar a petralhada”, ainda na campanha eleitoral, ela se recusou a denunciá-lo por injúria. Alegou que a incitação à violência não continha “referência a pessoas”.

Em janeiro, a procuradora festejou o início de “um mandato de mudanças”, que renovaria “a esperança dos brasileiros”. Nos meses seguintes, segurou investigações que envolviam o presidente e virou figurinha fácil em solenidades no Planalto.

Ontem, Dodge afirmou que a democracia depende do sistema de freios e contrapesos. Faltou dizer que ajudou a miná-lo em benefício próprio. Na luta pela recondução, ela legitimou a escolha de um procurador-geral fora da lista tríplice e barganhou apoio com políticos que deveria investigar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

32 respostas

  1. Parece comportamento de mulher despeitada. O mais incrível é que só agora, quando vai ser preterida para ocuoar o cargo pela segunda vez, ela descobriu isso? Qual o QI dela? PQP. Já vai tarde, dona Raquel. E não volte mais. A democracia e a Constituição agradecem.

  2. É o cumulo do cinismo corporativista que está enraizado na instituição Ministério Publico . Uma instituição de suma importância para democracia sem controles externos e seu representante maior ser nomeado pelo poder executivo ., com sabina no senado . Esta situação no futuro terá que ser revista . Só são republicanos e atentos quando são nomeados ou indicados pelo PT .
    Raquel Dodge uma página mais que triste no MP , conseguiu ser pior que o ” engavetador da republica ” , Geraldo Brindeiro , PGR de FHC .

  3. É muita cara de pau uma pessoa alertar para o perigo do fim da democracia que ela mesma ajudou a destruir. Vá catar coquinhos, senhora, com todo respeito, claro!

  4. Não se trata de omissão, mas de conivência e participação com o processo de destruição das frágeis instituições democráticas do país. Ela não é a exceção mas a regra de comportamento dos principais responsáveis pelo poder judiciário nos últimos anos. Os órgãos do Poder Judiciário foram utilizados para caçar o mandato legítimo e democrático da presidente Dilma (Golpe de Estado e contra o sistema democrático) e para impedir a candidatura de Lula (golpe contra a democracia). Vivemos já sob Estado de Exceção e com dois presidentes sem nenhuma legitimidade democrática desovernando o país durante estes intermináveis últimos anos.

  5. Não sei se existe o Dia da Hipocrisia. Não? Deveríamos cria-lo. Até mesmo a Globo e seus filhotes saíram em defesa dessa tal democracia. E o nosso “Juiz de Merda”, que ainda ontem poderia ter soltado o Lula e não o fez, vem com um belo discurso. Contra a LV, apenas uma voz solitária, o GM. Que o Bolsonaro faça algo realmente bom para o Brasil transformando o dia 12/9 em Dia Nacional da Hipocrisia

  6. Foi ela ou a Carmesita que foi homenageada com uma foto pelo respeitabilisimo Oscar Maroni ?

  7. Qual é nome, a origem, a nacionalidade e a ocupação de Mr. Bradley Dodge, de quem Raquel, futura ex-PGR herdou o sobrenome? Será que este Tijolaço ou qualquer outro blog que se considere “de esquerda” ou “progressista” se dispõe a levantar essas informações?

    Em relação às ORCRIMS midiáticas e judiciárias – PIG/PPV, com Globo à frente, Fraude Jato (com PF, MPF, juízes), etc. – o bozo-miliciano que ocupa a presidência da república está usando das prerrogativas do cargo (ao qual foi levado com apoio das ORCRIMs citadas, assim como da milicalha golpista, vira-latas e entreguista, sem esquecer das oligarquias coloniais e do alto comando internacional do golpe, que são o Deep State estadunidense-israelense, finança transnacional e oligarquias globais, por meio de uma eleição farsesca e fraudulenta) que ocupa, para colocar em cargos-chave do aparelho de Estado pessoas alinhadas com ele. Se o Presidente Lula e a sucessora dele tivessem feito isso, provavelmente o Brasil não teria sofrido esse golpe de Esatdo imundo e covarde e não estaria sendo desmontado, destruído e entregando riquezas e setores estratégicos aos colonizadores.

  8. Elementar! Essa aí é hipócrita e falso-moralista… Tá na cara! E mais uma que tomou na carrapeta ao chocar o ovo da serpente!!!

    1. Ela vai descansar nos EUA, ao lado de seu marido americano e dos demais oportunistas que ajudaram a destruir a democracia brasileira. Mas ainda acredito numa Nêmesis implacável: todos eles serão pisoteados sem misericórdia pela história e logo jogados no esquecimento.

  9. Na minha opiniao, a “atuacao” de Raquel Dodge acabou com aquele encontro fora da agenda oficial, com Michel Temer, na calada da noite, atras da moita. O resto eh enchecao de linguica

  10. Vai ser difícil decidir quem ficará com o pior lugar na história da auto-implosão do MP: Janot ou essa cretina oportunista. Ambos conseguiram achincalhar a credibilidade da instituição de maneira irremediável. O discursinho de Dodge foi o típico “pra inglês ver”. Ela precisa de material publicado para tentar limpar seu currículo, vai emoldurar e pendurar no escritório. Espero que alguém pendure o artigo do Bernardo na parede ao lado, está ótimo!

  11. Dodge entra para a historia como mais uma que apoio o golpe e a derrocada da tão frágil democracia do Brasil.

  12. A ex-procuradora Dodge Dart
    Fez um apelo ao se desonerar
    “Não matem a democracia”
    Que eu mesma ajudei a matar
    Nem cabe aqui a preocupação
    Pra quem violou a Constituição
    Não tem mais a quem enganar.

  13. Inquestionável o artigo. Único senão é a deselegância com Rubens Barrichello. Os brasileiros deveriam se orgulhar de um piloto vencedor de onze GPs de fórmula 1, ao invés de usá-lo como eufemismo.

  14. Uma ENORME injustiça qualquer comparação deste triste figura com o Rubinho.
    O Rubinho foi um excelente piloto, ao contrário deste INEPTA que foi colocado no cargo por um dos maiores corruptos da história deste país. Esta não deixará nenhuma saudade.

    Este mello franco foi MUITO infeliz nesta compração.

  15. Raquel Dodge é uma procuradora ordinária como a maioria do Ministério Público.
    Essa instituição precisa ser eliminada, seus membros demitidos e ser criada outra com responsabilização pelos atos praticados e salários reduzidos. A vida faustosa propiciada aos “concurseiros” atrai gente ordinária como constatamos.

  16. BARRICHELLO é um sujeito do bem, bom carater, profissional e pelo que se sabe não é de Harvard, portanto tal comparação agride frontalmemte a história do piloto mais querido do Brasil. Ganhar só importa quando se joga limpo. Parabens Rubinho pelo exemplo de hombridade que sempre deu.

  17. Desde as capitanias hereditárias, o judiciário brasileiro é este circo que está aí, quem jogou luz sobre ele, gostem ou não, foi a ascensão do PT.

  18. Só o fato dela ter prorrogado no apagar das luzes a operação lava jato por mais um ano, depois do dossiê Intercept, eu já achei uma provocação com a sociedade democrática.

  19. Só não concordo compara-la ao Rubinho, sujeito boa praça que se esforçava para chegar na frente nunca se valeu de artimanhas para enganar seus adversários.

  20. Raquel Dodge parece ter dado uma senha, No livro Pigmalião de George Bernard Shaw, tem uma fala em que a vendedora de camélias descobre que foi manipulada e que diz mais ou menos assim: – Pagáras, Mr harrings, sofrerás Mr. Harring,…demonstrando sua sede de vingança. Pelo que sei Bolsonaro nunca foi professor de fonética, sua especialidade é falar e fazer merda, e Raquel Dodge nunca foi flor que se cheire, nunca plantou flores por onde andou e muito menos tem qualquer preocupação com a Democracia. mas em todo caso me parece que ela deixou um recado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.