Mello Franco e os “dividendos da facada”

Lúcido artigo de Bernardo Mello Franco, hoje, em O Globo:

“Madrugada de sexta-feira, entrada da Santa Casa de Juiz de Fora. Cercado de câmeras e microfones, o deputado Flávio Bolsonaro é questionado sobre o estado de saúde do pai. Ele responde em cinco segundos e emenda uma mensagem política: “Vocês acabaram de eleger o presidente. Vai ser no primeiro turno”.

Passado o susto, a campanha do PSL parece viver um momento de euforia. O atentado a Jair Bolsonaro abriu uma nova fase na corrida ao Planalto. No cálculo frio da política, já ficou claro que o ataque renderá dividendos eleitorais ao capitão.

O presidenciável era criticado por abusar de gestos agressivos e declarações irresponsáveis, como “invadiu, é chumbo” e “vamos fuzilar a petralhada”. Agora o candidato que prega a violência virou vítima da violência. Na hipótese mais conservadora, a metamorfose tende a reduzir seu índice de rejeição.

Bolsonaro também ganhou uma trégua dos adversários. Os comerciais que desgastavam sua imagem já sumiram do ar. Os marqueteiros não tiveram escolha. Atacar um candidato hospitalizado significaria desferir uma facada na própria campanha.

O atentado ainda resolve outro problema do capitão. Filiado a uma sigla nanica, Bolsonaro surfava nas redes sociais, mas sofria com a subexposição na TV. Tinha direito a uma pequena fração da propaganda obrigatória, além do registro de sua agenda nos telejornais. Desde quinta-feira, ele domina o noticiário. Seus oito segundos se multiplicaram em horas de cobertura jornalística.

Embora tudo indique que o agressor é um desequilibrado que pensava agir por ordem divina, os bolsonaristas não se constrangeram em dar tom político ao episódio. “Eu não acho, eu tenho certeza: o autor do atentado é do PT”, acusou o vice Hamilton Mourão, sem apresentar qualquer prova. “Se querem usar a violência, os profissionais da violência somos nós”, emendou o general.

O pastor Silas Malafaia, veterano em baixarias eleitorais, divulgou boatos na mesma linha. “O criminoso que tentou matar Bolsonaro é militante do PT e assessora a campanha de Dilma ao Senado”, afirmou. Dupla mentira: o criminoso esteve filiado a outra sigla, o PSOL, que também não tem responsabilidade pela agressão.

O atentado aumenta a tensão de uma campanha que já estava radicalizada. Os rivais de Bolsonaro reagiram no tom adequado, solidarizando-se com a vítima e condenando a violência. Ele ensaiou moderar o discurso, mas emite sinais contraditórios. Ontem posou no hospital fazendo o gesto de atirar.

Enquanto se recupera, o capitão deve ser representado pelos filhos e pelo general Mourão. Na noite de sexta, o vice mostrou que está alinhado com o companheiro de chapa. Em entrevista à GloboNews, ele chamou um torturador da ditadura de “herói” e admitiu a hipótese de um golpe militar em caso de “anarquia generalizada”. O oficial mencionou a figura do “autogolpe”, expediente usado por presidentes autoritários em repúblicas bananeiras.

Que ninguém se engane: depois do atentado, o bolsonarismo continuará a ser o que já era. Só que com mais chances de chegar ao poder.”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

45 respostas

  1. Chances de chegar ao poder eu não sei, mas de continuar a truculência isso já está demonstrado. O capitão parece que não raciona logicamente. Para a desgraça dele e de muitos brasileiros, infelizmente.

  2. Boçal Nato ficou mais exposto na mídia, é fato, mas isso só continuará porque o PIG assim o quer, já que virou o “plano B” deles.

    Não creio na tese do ganho de votos pela solidariedade, já que trata-se de alguém que tem muita rejeição justamente pela empáfia e ódio.

    Mais difícil ainda é o delírio de ganhar no primeiro turno, pois simplesmente não há possibilidade matemática para tal.

    Para isso acontecer ele teria que virar um “Cristo” – só se a Globo bancar uma “turnê” pelo Brasil, em que ele se interna num hospital de cada estado, cada cidade, com a desculpa das “consequências” da facada, a saber: Dor de dente, queda de cabelo, espinela caída, dor de ouvido, etc.

    1. Também acho. Ninguém muda voto porque um candidato com mais de de 60% de rejeição foi ferido. O artigo do Mello Franco reproduz o desejo da direitona e da mídia canalha como se fosse realidade.

    2. Esse tal de Flávio Bolsonaro não deve ter um mínimo de amor pelo pai. Não pensou duas vezes em faturar eleitoralmente com o atentado. Parece até muito satisfeito.

        1. Vc sabe que o Bolsonaro era deputado estadual no RJ e a mulher dele, a primeira, era vereadora, ambos pelo mesmo partido. Aí surgiu uma desavença conjugal e o capitão não titubeou: alijou a mulher da disputa política e em seu lugar colocou o primeiro filho. E este nem pestanejou: aceitou de pronto o mimo do pai. Aí esta a gloriosa família Bolso.

          1. Afinal, esperar o que de um cara que chama a própria filha (uma criança!) de “fraquejada”? Quem sai aos seus não regenera.

      1. Filho de peixe peixinho é.
        Fascista não pensa em família, fascista pensa em poder.
        E esse dito e filho de um peixe fascista.

  3. Escancararam! O Brasil já vive uma ditadura. O que era suspeita agora está revelado, os milicos estão sorrateiramente por trás do golpe. Triste país. Estamos condenados a viver eternamente sob os coturnos dessa lai.

  4. Quem tem que preocupar com a superexposição do Bolsonaro é o Alkimin… esse sim, vai para o ralo.

  5. É o caso de se perguntar, quem é pior para o país, Bolsonaro ou Alkimin??? Tirando como exemplo os governos FHC, vê-se claramente que o Bolsonaro é um mal menor.

  6. O matuto velho continua a acreditar que no Brasil não há coincidências!
    O troglodita nazista ‘já-ia’ BOSTAnossauro foi ‘sFACHINhado’ pelo script da Globo/CIA!
    Esta farsa tem que ser investigada rapidamente!
    Depois que passar o período eleitoral, os mafiosos filhos do “dotô” Robert(o) Marín(ho) vão “vazar” a notícia de quem foi o diretor de dramaturgia (ir)responsável pela fraude secular!
    Sim, e ficará por isso mesmo, data venia do ‘sFACHINhador’ do STFede!
    E do TSE!
    (…)

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Filho de Bolsonaro mostra na rede social camiseta fake com mancha vermelha e furo

    Publicado em 9 setembro, 2018

    (…)

    FONTE: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/filho-de-bolsonaro-mostra-na-rede-social-camiseta-fake-com-mancha-vermelha-e-furo/

  7. Está difícil, muito difícil. Os petistas e aliados sozinhos são donos de proximamente 30% do leitorado. Os que aderem ao seu programa, que admiram o Presidente Lula e sabem de sua importância, as pesquisas mostram que estão próximos de mais 10%. É sonhar que os eleitores de Lula, diante ou de uma farsa, ou aproveitamento de um deplorável acontecimento, para tirar proveito eleitoral, possa mudar de voto. Assim, tirando as esquerdas que estão também concorrendo, principalmente os eleitores de Ciro Gomes e Ricardo Boulos, as possibilidades de mudança de voto só pode ocorrer no campo da direita. Mesmo assim, como impacto da facada não chegou a produzir os efeitos desejados, apesar dos esforços da Globo & cia., não se deu uma comoção, uma imensa maioria percebeu o grotesco da situação, não impactou a opinião pública. Esse tipo de análise, vinda da Globo, serve mais para dar seriedade às pesquisas marretadas que tendem a surgir. Ver se recuperam o dinheiro jogado fora (R$ 600 mil) nas pesquisas que mostravam que Lula/Haddad venceriam já no primeiro turno. Quem sabe, com uma boa marreta eles não conseguem um milagre?

  8. Pessoas adversárias políticas dele não se solidarizarao com nazistas por causa do atentado ainda questionado.

  9. Um dado muito importante tem passado ao largo dos jornalistas progressistas: foi logo após a internação de Bolsonaro que o filho apareceu na mídia para informar que “graças a Deus foi apenas um furo superfical; ele está bem”. Ontem soube por um blogueiro que essa imagem foi retirada do ar, depois do sucesso do pai com as outras versões.
    De repente, de um furo insignificante, partiu-se para um estado gravíssimo, que teria a faca invadido o fígado e pulmões do capitão.
    Aí, é feita uma entrevista com um casal de médicos, que nega tudo, e declara que o paciente chegou com uma hemorragia interna; a faca teria rompido uma artéria, que leva o sangue aos intestinos delgado e grosso; que a operação foi bem sucedida para estancar o sangue, estando o delgado sanado, e o grosso dependendo o paciente de uma bolsa, etc.
    Vai o paciente de Minas para SP, e do Einstein não se ouviu até o momento nenhum boletim médico sobre as condições do paciente. Não se trata de qualquer hospital, mas de uma referência nacional, e, portanto, pode muita coisa, até mesmo a ausência de notícia do fato por razões desconhecidas.
    Outro dado esquisito nessa história é a gente ver imagens de pessoas adentrando uma UTI, com imagens para ninguém duvidar, quando sabemos ser isso anormal. Em todo hospital as visitas a pacientes em UTI, quando não são proibidas, são restritas a uma ou duas pessoas da família, principalmente, por dia.

    1. Dados não podem ficar pra trás. Momentos antes, quando visitava o Hospital, seguranças voluntários se desentenderam com seguranças oficiais.

    2. A primeira notícia que aparece no Google surgiu às 15:11 hs. A bolsa de valores disparou às 16:13. Alguns lugares da mídia dizem que o atentado foi por volta das 16:40, outros que a entrada no hospital foi às 16:40…

  10. Esse negócio de dizer que ele é vítima da violência é contraditório. Os marqueteiros e aliados dele podem dizer isso. Mas são os primeiros a agirem com violência ao atacarem o PT, como Janaina, Mourão, Magno, Malafaia, os filhos e o próprio devem ter dito. Já agiam antes, a desejar a morte de Dilma, de Lula, aos ataques ao acampamento de Lula, dos fãs desse cara, serem praticamente de feminicidios, desejar a morte dos eleitores petistas. Na medida que as inserções de Alckmin passavam na TV, o eleitorado iam tomando cada vez mais aversão a Bolsonaro, e um extremista – do mesmo naipe do eleitorado dele e até como ele… só esperou uma oportunidade pra deferir o golpe. Mas se ao invés da faca, fosse uma arma? E digo mais, eleitores a averso a ele, não estão vendo ele como vítima, não. Mas o responsabilizando pelo ocorrido.

  11. Dois dias antes da facada, o MSN divulgou um encontro de Bolsonaro com João Roberto Marinho, na Globo. Fora o assessor dele, o banqueiro, que promoveu esse encontro.
    Vimos que após a inquisição feita a Haddad, na Globo News, com todos os jornalistas dispostos a agredi-lo, foi a vez de Mourão, já com o seu candidato internado. O General, diferente de Haddad, teve chance de mostrar suas grosserias, ele, sim, quase insultando Míriam Leitão, ou calando-a, porém teve direito a café e pão de queijo segundo soube.
    Como a Globo não é flor que se cheire, a entrevista com Mourão, embora com ele mostrando o seu lado mais grosseiro, pode ser o serviço que a gente ainda não assimilou.
    Se as pesquisas mantem-se quase as mesmas, porém dando a Bolsonaro o primeiro ou segundo turno, e sem Lula na parada, com Haddad abaixo de Ciro e Marina, nâo será difícil Bolsonaro vir a ser o candidato da Globo.
    Semana passada, quando Bolsonaro não era cogitado pela empresa, o mote dado era para que ninguém atacasse Haddad, um desconhecido, assim permanecendo o petista sem expressão nas pesquisas. Atacá-lo seria dar-lhe visibilidade. E, nesse papo que eu ouvi, tendo como condutora Renata Loprete, ela mesma deu essa ideia, encerrando com a outra, de poder Marina, abaixo de Bolsonaro ser a preferida para lidar com o capitão no segundo turno. Ou seja, qualquer um serve, desde que não seja PT, ou com ele tenha algum vínculo, caso de Ciro Gomes.

  12. Muita coisa lúcida (“Que ninguém se engane: depois do atentado, o bolsonarismo continuará a ser o que já era…””…)… Apenas não sei se, efetivamente, “só que com mais chances de chegar ao poder.” , mesmo porque no poder eles/elas já estão (e não saíram nunca, nem mesmo nos governos populares progressistas Lula e Dilma) mas não estão ainda especificamente na futura Presidência da República, o que só acontecerá se dermos mole e já passarmos a também cantar o “já-ganhou” deles/delas (que eles/elas querem que a gente cante)…

  13. Eleições chegando e a gente não pode esquecer dessa lista dos 367 deputados que votaram a favor do impeachment. Que deram o primeiro passo para colocar o país nessa degradação.
    Pedro Vilela PSDBAL
    Maurício Quintella Lessa PRAL
    Marx Beltrão PMDBAL
    JHC PSBAL
    Cícero Almeida PMDBAL
    Arthur Lira PPAL
    Valadares Filho PSBSE
    Laercio Oliveira SDSE
    Jony Marcos PRBSE
    Fabio Reis PMDBSE
    Andre Moura PSCSE
    Adelson Barreto PRSE
    Tadeu Alencar PSBPE
    Pastor Eurico PHSPE
    Mendonça Filho DEMPE
    Marinaldo Rosendo PSBPE
    Kaio Maniçoba PMDBPE
    Jorge Côrte Real PTBPE
    João Fernando Coutinho PSBPE
    Jarbas Vasconcelos PMDBPE
    Gonzaga Patriota PSBPE
    Fernando Coelho Filho PSBPE
    Eduardo da Fonte PPPE
    Danilo Cabral PSBPE
    Daniel Coelho PSDBPE
    Bruno Araújo PSDBPE
    Betinho Gomes PSDBPE
    Augusto Coutinho SDPE
    André de Paula PSDPE
    Anderson Ferreira PRPE
    Wilson Filho PTBPB
    Veneziano Vital do Rêgo PMDBPB
    Rômulo Gouveia PSDPB
    Pedro Cunha Lima PSDBPB
    Manoel Junior PMDBPB
    Hugo Motta PMDBPB
    Efraim Filho DEMPB
    Benjamin Maranhão SDPB
    Aguinaldo Ribeiro PPPB
    Uldurico Junior PVBA
    Tia Eron PRBBA
    Paulo Azi DEMBA
    Márcio Marinho PRBBA
    Lucio Vieira Lima PMDBBA
    Jutahy Junior PSDBBA
    José Carlos Aleluia DEMBA
    João Gualberto PSDBBA
    Irmão Lazaro PSCBA
    Erivelton Santana PENBA
    Elmar Nascimento DEMBA
    Claudio Cajado DEMBA
    Benito Gama PTBBA
    Arthur Oliveira Maia PPSBA
    Antonio Imbassahy PSDBBA
    Zé Silva SDMG
    Weliton Prado PMBMG
    Toninho Pinheiro PPMG
    Tenente Lúcio PSBMG
    Subtenente Gonzaga PDTMG
    Stefano Aguiar PSDMG
    Saraiva Felipe PMDBMG
    Rodrigo Pacheco PMDBMG
    Rodrigo de Castro PSDBMG
    Renzo Braz PPMG
    Raquel Muniz PSDMG
    Paulo Abi-ackel PSDBMG
    Odelmo Leão PPMG
    Newton Cardoso Jr PMDBMG
    Misael Varella DEMMG
    Mauro Lopes PMDBMG
    Mário Heringer PDTMG
    Marcus Pestana PSDBMG
    Marcos Montes PSDMG
    Marcelo Aro PHSMG
    Marcelo Álvaro Antônio PRMG
    Luiz Fernando Faria PPMG
    Luis Tibé PTdoBMG
    Lincoln Portela PRBMG
    Leonardo Quintão PMDBMG
    Laudivio Carvalho SDMG
    Júlio Delgado PSBMG
    Jaime Martins PSDMG
    Franklin Lima PPMG
    Fábio Ramalho PMDBMG
    Eros Biondini PROSMG
    Eduardo Barbosa PSDBMG
    Domingos Sávio PSDBMG
    Dimas Fabiano PPMG
    Diego Andrade PSDMG
    Delegado Edson Moreira PRMG
    Dâmina Pereira PSLMG
    Carlos Melles DEMMG
    Caio Narcio PSDBMG
    Bonifácio de Andrada PSDBMG
    Bilac Pinto PRMG
    Walter Alves PMDBRN
    Rogério Marinho PSDBRN
    Rafael Motta PSBRN
    Felipe Maia DEMRN
    Fábio Faria PSDRN
    Beto Rosado PPRN
    Antônio Jácome PTNRN
    Rodrigo Martins PSBPI
    Júlio Cesar PSDPI
    Iracema Portella PPPI
    Heráclito Fortes PSBPI
    Átila Lira PSBPI
    Sergio Vidigal PDTES
    Paulo Foletto PSBES
    Max Filho PSDBES
    Marcus Vicente PPES
    Lelo Coimbra PMDBES
    Evair de Melo PVES
    Dr. Jorge Silva PHSES
    Carlos Manato SDES
    Sóstenes Cavalcante DEMRJ
    Soraya Santos PMDBRJ
    Simão Sessim PPRJ
    Sergio Zveiter PMDBRJ
    Rosangela Gomes PRBRJ
    Rodrigo Maia DEMRJ
    Roberto Sales PRBRJ
    Pedro Paulo PMDBRJ
    Paulo Feijó PRRJ
    Otavio Leite PSDBRJ
    Miro Teixeira REDERJ
    Marcos Soares DEMRJ
    Marco Antônio Cabral PMDBRJ
    Marcelo Matos PHSRJ
    Luiz Carlos Ramos PTNRJ
    Julio Lopes PPRJ
    Jair Bolsonaro PSCRJ
    Indio da Costa PSDRJ
    Hugo Leal PSBRJ
    Francisco Floriano DEMRJ
    Fernando Jordão PMDBRJ
    Felipe Bornier PROSRJ
    Ezequiel Teixeira PTNRJ
    Eduardo Cunha PMDBRJ
    Dr. João PRRJ
    Deley PTBRJ
    Cristiane Brasil PTBRJ
    Cabo Daciolo PTdoBRJ
    Aureo SDRJ
    Arolde de Oliveira PSCRJ
    Altineu Côrtes PMDBRJ
    Alexandre Valle PRRJ
    Alexandre Serfiotis PMDBRJ
    Vitor Valim PMDBCE
    Ronaldo Martins PRBCE
    Raimundo Gomes de Matos PSDBCE
    Moses Rodrigues PMDBCE
    Moroni Torgan DEMCE
    Genecias Noronha SDCE
    Danilo Forte PSBCE
    Cabo Sabino PRCE
    Adail Carneiro PPCE
    Victor Mendes PSDMA
    Sarney Filho PVMA
    Juscelino Filho DEMMA
    José Reinaldo PSBMA
    João Castelo PSDBMA
    Hildo Rocha PMDBMA
    Eliziane Gama PPSMA
    Cleber Verde PRBMA
    André Fufuca PPMA
    Vitor Lippi PSDBSP
    Vinicius Carvalho PRBSP
    Vanderlei Macris PSDBSP
    Tiririca PRSP
    Silvio Torres PSDBSP
    Sérgio Reis PRBSP
    Samuel Moreira PSDBSP
    Rodrigo Garcia DEMSP
    Roberto de Lucena PVSP
    Roberto Alves PRBSP
    Ricardo Tripoli PSDBSP
    Ricardo Izar PPSP
    Renata Abreu PTNSP
    Pr. Marco Feliciano PSCSP
    Paulo Pereira da Silva SDSP
    Paulo Maluf PPSP
    Paulo Freire PRSP
    Nelson Marquezelli PTBSP
    Missionário José Olimpio DEMSP
    Milton Monti PRSP
    Miguel Lombardi PRSP
    Miguel Haddad PSDBSP
    Marcio Alvino PRSP
    Marcelo Squassoni PRBSP
    Mara Gabrilli PSDBSP
    Major Olimpio SDSP
    Luiz Lauro Filho PSBSP
    Keiko Ota PSBSP
    Jorge Tadeu Mudalen DEMSP
    João Paulo Papa PSDBSP
    Jefferson Campos PSDSP
    Herculano Passos PSDSP
    Guilherme Mussi PPSP
    Goulart PSDSP
    Gilberto Nascimento PSCSP
    Floriano Pesaro PSDBSP
    Flavinho PSBSP
    Fausto Pinato PPSP
    Evandro Gussi PVSP
    Eli Corrêa Filho DEMSP
    Eduardo Cury PSDBSP
    Eduardo Bolsonaro PSCSP
    Edinho Araújo PMDBSP
    Duarte Nogueira PSDBSP
    Dr. Sinval Malheiros PTNSP
    Celso Russomanno PRBSP
    Carlos Sampaio PSDBSP
    Capitão Augusto PRSP
    Bruno Covas PSDBSP
    Bruna Furlan PSDBSP
    Beto Mansur PRBSP
    Baleia Rossi PMDBSP
    Arnaldo Jardim PPSSP
    Arnaldo Faria de Sá PTBSP
    Antonio Bulhões PRBSP
    Alexandre Leite DEMSP
    Alex Manente PPSSP
    Tampinha PSDMT
    Professor Victório Galli PSCMT
    Nilson Leitão PSDBMT
    Fabio Garcia PSBMT
    Carlos Bezerra PMDBMT
    Adilton Sachetti PSBMT
    Professora Dorinha DEMTO
    Lázaro Botelho PPTO
    Josi Nunes PMDBTO
    Dulce Miranda PMDBTO
    César Halum PRBTO
    Carlos Henrique Gaguim PTNTO
    Rocha PSDBAC
    Jéssica Sales PMDBAC
    Flaviano Melo PMDBAC
    Alan Rick PRBAC
    Rôney Nemer PPDF
    Ronaldo Fonseca PROSDF
    Rogério Rosso PSDDF
    Laerte Bessa PRDF
    Izalci PSDBDF
    Augusto Carvalho SDDF
    Alberto Fraga DEMDF
    Thiago Peixoto PSDGO
    Roberto Balestra PPGO
    Pedro Chaves PMDBGO
    Marcos Abrão PPSGO
    Magda Mofatto PRGO
    Lucas Vergilio SDGO
    Jovair Arantes PTBGO
    João Campos PRBGO
    Heuler Cruvinel PSDGO
    Giuseppe Vecci PSDBGO
    Flávia Morais PDTGO
    Fábio Sousa PSDBGO
    Delegado Waldir PRGO
    Daniel Vilela PMDBGO
    Célio Silveira PSDBGO
    Alexandre Baldy PTNGO
    Nilton Capixaba PTBRO
    Marinha Raupp PMDBRO
    Mariana Carvalho PSDBRO
    Marcos Rogério DEMRO
    Luiz Cláudio PRRO
    Lucio Mosquini PMDBRO
    Lindomar Garçon PRBRO
    Expedito Netto PSDRO
    Silas Câmara PRBAM
    Pauderney Avelino DEMAM
    Marcos Rotta PMDBAM
    Hissa Abrahão PDTAM
    Conceição Sampaio PPAM
    Átila Lins PSDAM
    Arthur Virgílio Bisneto PSDBAM
    Alfredo Nascimento PRAM
    Tereza Cristina PSBMS
    Mandetta DEMMS
    Geraldo Resende PSDBMS
    Elizeu Dionizio PSDBMS
    Carlos Marun PMDBMS
    Toninho Wandscheer PROSPR
    Takayama PSCPR
    Sergio Souza PMDBPR
    Sandro Alex PSDPR
    Rubens Bueno PPSPR
    Ricardo Barros PPPR
    Paulo Martins PSDBPR
    Osmar Serraglio PMDBPR
    Nelson Padovani PSDBPR
    Nelson Meurer PPPR
    Marcelo Belinati PPPR
    Luiz Nishimori PRPR
    Luiz Carlos Hauly PSDBPR
    Luciano Ducci PSBPR
    Leopoldo Meyer PSBPR
    Leandre PVPR
    João Arruda PMDBPR
    Hermes Parcianello PMDBPR
    Giacobo PRPR
    Fernando Francischini SDPR
    Evandro Roman PSDPR
    Dilceu Sperafico PPPR
    Diego Garcia PHSPR
    Christiane de Souza Yared PRPR
    Alfredo Kaefer PSLPR
    Alex Canziani PTBPR
    Wladimir Costa SDPA
    Nilson Pinto PSDBPA
    Júlia Marinho PSCPA
    Josué Bengtson PTBPA
    José Priante PMDBPA
    Joaquim Passarinho PSDPA
    Hélio Leite DEMPA
    Francisco Chapadinha PTNPA
    Delegado Éder Mauro PSDPA
    Arnaldo Jordy PPSPA
    Marcos Reategui PSDAP
    Cabuçu Borges PMDBAP
    André Abdon PPAP
    Valdir Colatto PMDBSC
    Ronaldo Benedet PMDBSC
    Rogério Peninha Mendonça PMDBSC
    Mauro Mariani PMDBSC
    Marco Tebaldi PSDBSC
    Jorginho Mello PRSC
    Jorge Boeira PPSC
    João Rodrigues PSDSC
    João Paulo Kleinübing PSDSC
    Geovania de Sá PSDBSC
    Esperidião Amin PPSC
    Cesar Souza PSDSC
    Celso Maldaner PMDBSC
    Carmen Zanotto PPSSC
    Sérgio Moraes PTBRS
    Ronaldo Nogueira PTBRS
    Renato Molling PPRS
    Osmar Terra PMDBRS
    Onyx Lorenzoni DEMRS
    Nelson Marchezan Junior PSDBRS
    Mauro Pereira PMDBRS
    Luiz Carlos Busato PTBRS
    Luis Carlos Heinze PPRS
    Jose Stédile PSBRS
    José Otávio Germano PPRS
    José Fogaça PMDBRS
    João Derly REDERS
    Jerônimo Goergen PPRS
    Heitor Schuch PSBRS
    Giovani Cherini PDTRS
    Darcísio Perondi PMDBRS
    Danrlei de Deus Hinterholz PSDRS
    Covatti Filho PPRS
    Carlos Gomes PRBRS
    Alceu Moreira PMDBRS
    Afonso Hamm PPRS
    Shéridan PSDBRR
    Remídio Monai PRRR
    Maria Helena PSBRR
    Jhonatan de Jesus PRBRR
    Hiran Gonçalves PPRR
    Carlos Andrade PHSRR
    Washington Reis PMDBRJ
    Abel Mesquita Jr. DEMRR
    Alberto Filho PMDBMA

  14. Não sei pq os blogs da esquerda dão espaço pra artigos boçais como esse: pra se comprovar a tese do sujeito acima, os 40% que estão com Lula , de repente vão olhar pro Bolso e dizer-Nossa, coitado , temos que ajudar o Bolso.Os 10% do Alkmin , que são eleitores avesso á barbárie tbem. Os 10% do Ciro tbém. Tenha paciência , esses “intelectuais “acham q o povo é completamente idiota. Por isso amo o Lula ,é a sabedoria popular , é o matuto velo, o resto é fumaça…

  15. Voce pode escolher, votar na violência da qual o vice se diz profissional, ou votar no trabalho, você quem sabe qual o futuro quer. A Globo prefere a violência, vende mais jornal. Quem serão as vítimas?

  16. EU NÃO ACHO EU TENHO CERTEZA QUE ESSE ESFAQUEAMENTO FOI ARMAÇÃO DA PRÓPRIA TURMA DO BOLSONARO, PARA QUE ELE FOSSE VISTO COMO SANTINHO. TROUXA É QUEM CAIR. NEM BOLSONARO NEM POLICIAIS VALEM NADA

  17. Verdadeiramente esses políticos matreiros — que tem se elegido com pregações absurdas, pra não dizer incoerentes, como é o caso desse capitão, cuja plataforma tem sido fazer apologia da violência –, têm o eleitor brasileiro na conta de imbecil; e com razão porque isso tem dado certo pra eles, pois conseguem facilmente se eleger; não só eles, mas inclusive filhos, como é o caso do capitão que foi esfaqueado..
    Então, a vergonhosa conclusão a que, infelizmente, temos de chegar é que há algo de podre no entendimento de grande parte de nossos patrícios, o que faz com que este país tão grande e amado não consiga se firmar como Nação de respeito.
    Somos o povo mais agressivo do planeta — aqui mata-se pra ver o tombo — e, em contra-partida, somos também o povo mais religioso; aqui, igrejas são negócios muito lucrativos e isentos de impostos. Isso vem corroborar a visão desses políticos espertalhões: somos mesmo uns verdadeiros imbecis que torcemos por quem nos vive explorando!!!

  18. Antes do “atentado” elle visitou os Marinho……………………………… Super exposição nas telas do JN. Será o Brasil “um país de tolos”?

  19. Muita gente falsa deixou de falar comigo por causa do Bolsonaro.
    O cara ainda nem foi eleito e já tá melhorando a minha vida.????

  20. Não houve facada alguma.
    Esse esFAKEamento é tão verdadeiro quanto uma nota de R$ 3,00.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.