Moro joga uma casca de banana diante de si mesmo

O ato de Sérgio Moro colocando a Força Nacional de Segurança de prontidão para atuar na manifestação de indígenas marcada para a semana que vem, na Esplanada dos Ministérios é, além de revelador de sua intolerância, uma tremenda “casca de banana” para o ex-juiz, jogada por ele mesmo.

É claro que o fez por ordem de Jair Bolsonaro, que atacou o encontro dos indígenas, segundo ele pago por dinheiro público. Como seria este pagamento, claro, não disse e a cooordenação do movimento nega, afirmando que seus recursos provêm de doações e de uma “vaquinha virtual

Poderia ter articulado uma solicitação do Governo do Distrito Federal para dar apoio à Polícia Militar, mas se pôs à frente de um possível confronto, no qual, pelo que conhecemos de nossas forças policiais, pode descambar fácil, fácil, para violência.

E machucar índios, embora tenha sido uma das práticas prediletas da chamada “civilização ocidental” nos últimos séculos,  hoje, é passaporte fácil para o território da maldição na mídia internacional, onde Moro está acostumado a ser incensado.

Vai fazer companhia a Bolsonaro como persona non grata em universidades e encontros internacionais.

“Rugas com a congi” é só uma brincadeira perto da encrenca que isso será.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

33 respostas

  1. pensei nisso
    vai que os valentes soldados da guarda fique com medo ou tomado de forte emoção…
    e aí o tiro e um índio caido – isso vai dar um reboliço que nem tenho como imaginar

    1. Está parecendo que o objetivo é este mesmo. O “medo” e a “forte emoção” podem desencadear atos de barbárie por parte de gente que, condicionada por seus superiores dementes e agressivos, não tem a menor dificuldade de esquecer de onde veio, a que povo pertence e despejar sobre os verdadeiros donos deste país sua sanha sanguinária. Podemos ter aqui, diferente do que muita gente vem imaginando com votações no congresso, um divisor de águas, e águas tingidas de sangue.

        1. Sabe o que é pior Rita é que se algo assim acontecer não vai dar em nada!!!!! A grande mídia não irá divulgar, os blogs falaram mas não tem o mesmo alcance das GM e some-se a isso o estado atual de letargia em que se encontra o brasileiro e os partidos de esquerda que já não conseguem mobilizar neia dúzia de gatos pingados. Vamos passar por um período muito sombrio….coitado dos meus filhos não sei onde irão conseguir trabalho porque ao que tudo indica o Brasil vai virar um grande Panama onde só o mercado financeiro importa.

          1. por isso mesmo meu terror só aumenta

            ainda tenho esperança que a opinião mundial sirva pra alguma coisa

          2. Bom a União Europeia já se manifestou contra os embargos dos EUA sobre Cuba. Vamos ver aqui com relação ao Lula? Já está havendo pressão de deputados de esquerda nesse sentido na França.

          3. eu ainda tenho esperança
            sou uma otimista incorrigivel, é uma questão de sobrevivência para mim, teimar, teimar e ter esperança que vamos conseguir

        2. Sobre a Flávia Andrade: Veja a foto do perfil dela: https://disqus.com/by/disqus_SrKNBkD5md/
          Agora veja a foto nro 44 dessa sequência de “fakes negras” : http://agarotadoblog-an***.blogspot.***/2011/07/fotos-de-fakes-negras.html(o endereço foi alterado para não divulgar fotos de terceiros)

          Lembra daquele perfil Antônio Lemman? Ele usava uma foto fake também : http://www.nerdmaldito.com/2013/03/voce-sabe-quem-e-o-gordo-nerd-dos-memes.html
          Uma vez perguntei e ele confirmou que era um meme, mas não disse pq usava essa foto.
          Pode ser coincidência, nem posso afirmar que seja a mesma pessoa, mas parece um estilo organizado para passar certa imagem, em um caso um nerd de esquerda(maconheiro), neste caso uma jovem negra.
          Já pela foto dá para perceber que querem criar uma simpatia nos leitores de esquerda.
          Aquele Antônio Lemman depois que o atacamos sempre que postava, acabou deletando o perfil, já tinha poucos links(tava meio queimado).
          Mandei para o moderador também.
          Estão atacando o 247 agora, como atacavam a Gleisi, esse Lemman e outros, sempre falando como esquerdistas.

          1. é impressão minha ou a fofa sumiu?
            ontem procurei por ela e necas

            ela nem me respondeu quais foram as matérias do 247 que os zamigo tiveram que excluir por estarem (sei lá o que)

            cada a pessoa?
            mais um que some sem deixaree rastro? rsrsrsrs

          2. O perfil continua mas ficou quietinha, parece.
            Não entendi qual foi a denúncia que ela fez sobre amigos. Foi nessa mesma matéria que discutiu comigo?

          3. Sim, esse canalha entra só para defender a privatização.
            Quase todos fazem a mesma coisa, defendem Lula genericamente, mas fazem um ataque sistemático a Gleisi, ao 247, as empresas públicas, é sempre assim, disfarçados. Bem de canalhas.
            Quando falam muito “nosso líder”, “nosso Lula” etc, tem que desconfiar, é o que faz essa Flávia, a gente pode falar essas expressões de vez em quando, eles usam sistematicamente.Pior que enganam gente de esquerda que dá likes e concorda com eles.
            Abraços Rita.

      1. sim
        violenta emoção sinto eu cada vez que lembro que habito o mesmo planeta que eles

  2. O dinheiro que paga convescotes da “banda de pop-rock” Sejumoro e seus Procuradores, por acaso é sempre privado?

  3. O que diz a CF sobre isto? E a esquerda cirandeira preocupada com censura do stf? Esses desgraçados da lava jato jogam muito sujo…e as vezes se precisa entrar um pouco….um pouco… na lama ..pra pegar os peixes graúdos que assaltam esse país….

  4. Aos poucos, os bolsonaristas começam a se dar conta que “fazer arminha” significa o cano estar virado pra si mesmo. Se ocorrer violência ou morte na manifestação indígena, a culpa será do Moro e o tombo poderá acarretar graves consequências.

  5. Rosângela a congi deve está vociferando , meu conge não tem nada a vercom o pedido foi do general , como ele não podia atender ?

  6. Conheci o policial que matou Amaral Vaz de Melone na greve dos cortadores de cana em Guariba(SP).Morava eu em uma cidade pequena onde Usinas eram praga,cada pequeno sitiante arrendava suas terras pois dava mais lucro devido as dificuldades impostas ao pequeno impossibilitando financiamento para o plantio e bastava uma seca para quebrar-lhes a espinha de vez,restava o arrendamento e a vida na cidade trabalhando sem qualificação,alguns até no corte de cana.
    Pois bem, conheci esse ex PM,tornou-se alcoólatra e usuário da cannabis. Apareceu na cidade ninguém sabe como,foi expulso da PM e tornou-se um boia fria.
    Eu organizava uma greve contra a Usina Colorado,região de Ribeirão Preto e após uma reunião em minha casa ele ficou pra trás e me confidenciou o fato com os olhos visivelmente vermelhos.
    Perguntei quem deu a ordem e respondeu ter sido o medo,teve medo,atirou por medo e disse que todos os PMs tinham medo e que se o POVO soubesse desse medo a repressão nunca mais existiria.
    Fiquei receoso,claudicante com esse rapaz e não tirava os olhos dele mas nunca deu trabalho,pelo contrário era fiel a greve e atuante.
    Morreu anos depois devido uma cirrose,sem família,ao menos que soubesse,fizemos seu enterro e hoje está la entre tantos boias frias.

    1. Um vulcão dá sinais de que vai entrar em erupção violenta. Aí vem um “gênio” e diz: “é simples, vamos colocar uma enorme rocha na boca do vulcão, para ver se seguramos a erupção”. O resultado será uma explosão muito mais violenta. O Marreco de Maringá terá que fugir para Machachutz.

  7. se vai servir pra ele tb se tornar persona non grata em “eventos” comerciais, acho é pouco, Nós já estamos lascados mesmo; o país, destroçado; as instituições em frangalhos. Quero mais é que só sejam bem recebidos no bordel paulistano

  8. Mas não esqueçam o editor do blog e os leitores que os generais – os de pijama e os da ativa – é que elaboraram a tal portaria. O chefe do SNI, Augusto Heleno, é citado nominalmente no documento.

  9. Alguém deverá dizer ao fascista Heleno,que o Brasil não é o Haití.
    As mortes aqui ,virarão manchete no dia seguinte .
    Esquecer o Haiti,e o poder que tinha de ser dono da vida e da morte do sofrido povo de lá, sería bom,para ele e para o Brasil..

  10. Está fazendo o mesmo que todos “heróis nacionais” das elites brasileiras fizeram, dos bandeirantes ao Duque de Caxias. Ou seja, está pronto para violentar índios, negros, pobres e qualquer um que os represente. Isso é perceptível desde a destruição do produção nacional e dos empregos com a lava jato à prisão do Lula e o código criminal para matar pretos favelados. O máximo que ele vai conseguir no final, é virar nome de rua.

  11. Haverá morte, acho. Horrível esse país governado por bandidos.
    Horrível essa América do Sul… O tiro de Alan Garcia na cabeça e sua morte no hospital têm a ver com a lavajato peruana. Moro, procuradores, Odebrecht têm matado gente…

  12. Nem precisa machucar. A casca de banana é tão evidente que até daria dó da estupidez de um sujeito como esse ministrinho da Justiça caso ele não fosse o grande sacana que é. Basta que a mídia consiga enquadrar bons ângulos de fotos dos escudos, capacetes, botas e armas da Força Nacional frente a um índio armado de penas coloridas e mais nada. Nem precisa haver violência física, a violência explícita de uma foto como essa é forte candidata a manchetes e capas de revistas, jornais e sites internacionais. Batalhões de fotógrafos e cinegrafistas já devem estar esfregando as mãos.

  13. Pois é, tem todos os ingredientes para descambar em violência, já que sabemos que soldados mataram um músico com 80 tiros, por que não matariam índios? Na visão do homem da congi, eles irão defender o território nacional e também os cidadãos de “bens” dos belicosos, selvagens e ” bichos em jaulas”. Diga- se de passagem, este último adjetivo, foi uma das infindas pérolas ditas num discurso do ” perigoso”.

  14. Há 4 meses, escrevi em um post neste site algo que agora me permito repetir: …”a ‘preferência’ dada aos indígenas traduz algo que conheço muitíssimo bem. Sempre que conversava sobre o coiso e sua campanha, citava como muito estranha a falta de ênfase em dois dos mais profundos preconceitos fardados do Brasil: índios e vizinhos de língua espanhola. Quem conhece os gendarmes nacionais sabem que isto é algo atávico e constantemente
    alimentado nas casernas, a desumanização dos indígenas…
    Não haverá nenhuma surpresa ou escusável emoção, apenas a passagem ao ato de um sentimento que permeia os militares desde sempre. Quem conhece as tropas sabe do que estou falando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.