Mourão acha que salário minimo é “vaca sagrada” a ser profanada

Nem sei quem é o autor da frase, que ouço desde criança: “salário mínimo, vergonha nacional”.

O salário mínimo, afinal, era uma grande conquista dos trabalhadores, porque significava, na prática, abolição da escravatura.

Só não estava completada.

Ao menos tínhamos alguma vergonha de ser tão pouco.

Mas o vice-presidente Hamílton Mourão, o mesmo que achava o 13° dalário uma “jabuticaba”, invenção brasileira , agora o chama o salário mínimo de “vaca sagrada”, uma divindade mítica que não pode ser atacada, mas deve.

Ele a  serviu, hoje à noite, no banquete que recebeu dos empresários da Fiesp, a um preço que, por cabeça, deve ter ficado perto do tal maldito salário.

Disse que “o salário mínimo que não é mínimo”, cujo aumento, acima da inflação, é “uma contradição, onde as classes mais favorecidas recebem mais do que as menos favorecidas”.

Claro que não explica de onde vem esta brilhante conclusão.

Mas nem precisa, para que a gente compreenda qual é o grau de crueldade desta gente.

O Brasil está nas mãos de um facínora ensandecido e, se delas escapar, cairá nas mãos de um facínora sereno.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

  1. EU REPUDIO A TUTELA ASSASSINA DAS FORÇAS ARMADAS.
    EU REPUDIO A EXISTÊNCIA DAS FORÇAS ARMADAS,ELA DE NADA NOS SERVEM,SÃO TORTURADORES,ASSASSINOS ESTUPRADORES E TRAIDORES DA PÁTRIA,MERECEM O PELOTÃO DE FUZILAMENTO EM QUALQUER DEMOCRACIA DO MUNDO POR NÃO CUMPRIREM OS MAIS BÁSICOS PRINCÍPIOS NA DEFESA DA SOBERANIA E DAS RIQUEZAS NATURAIS.

  2. Se a intenção é impedir que a distribuição de renda piore então o salário mínimo tem que ser reajustado em pelo menos a inflação mais o ganho de produtividade do trabalhador nacional. E em uma situação como a nossa, em que a distribuição de renda é ruim, esse aumento tem que ser ainda maior por um tempo, até chegar a uma distribuição de renda razoável.

    O ideal seria chegar ao nível de certos países europeus onde a diferença no rendimento é pouca, onde os maiores salários no legislativo, executivo, e judiciário — já incluídos todos os benefícios — não chegam nem a três vezes a média salarial do país.

  3. Desculpem a sinceridade mas, nos meus momentos de pessimismo, eu só vejo duas chances do Brasil se livrar dessa elite hedionda:
    1 – uma guerra civil
    2 – um conflito com a Venezuela onde o país saia humilhado como a Argentina saiu das Malvinas

  4. Facínoras ensandecidos, ambos os dois… que não reconheço como presidente nem vice… vixe ! ! ! … . . .

  5. Que se passe a reajustar as aposentadorias dos militares pelo critério ora apresentado pelo asno-vice. Que país, meu Deus! Um cavalo doido na presidência e um burro na vice-presidência!

  6. “O Brasil está nas mãos de um facínora ensandecido e, se delas escapar, cairá nas mãos de um facínora sereno.”

    Mais nada é necessário dizer.

  7. “O Brasil está nas mãos de um facínora ensandecido e, se delas escapar, cairá nas mãos de um facínora sereno.”

    Mais nada é necessário dizer.

  8. Desculpem a franqueza, mas só mesmo um energúmeno pode pensar assim; Lula, com sua política de valorização do salário-mínimo, provou que o país cresce quando o pobre tem mais dinheiro; além disso ser uma obrigação de qualquer governo honesto e patriótico: zelar pelo bem estar de seus filhos menos aquinhoados. Por favor, general, repense o que o senhor afirmou!

  9. Reunião de ricos e milionários para prometê los a redução de salários dos miseráveis . A parte da servidão que não é voluntária ao capital .

  10. Chega-se à conclusão que o empresariado só aceita pagar o vale transporte (para o empregado chegar ao trabalho) e o vale alimentação (para manter o empregado vivo). Qualquer valor ou direito acima disso eles vão tentar eliminar. O vice percebeu ou tinha essa informação, aí jogou para a platéia.

  11. Essa eu não vou nem comentar. Não dá: “Disse que “o salário mínimo que não é mínimo”, cujo aumento, acima da inflação, é “uma contradição, onde as classes mais favorecidas recebem mais do que as menos favorecidas”.”

    Mas, por falar em vaca sagrada que deve ser profanada, vou perguntar: O q o digníssimo e feliz participante e atração de tão elegante banquete acha das taxas de juros no crédito privado – até no consignado – serem muito, muito, mas muito mesmo acima da inflação?
    Né não?

  12. Devemos sempre lembrar que quem arruinou o poder de compra do salário mínimo foi a ditadura militar.

    O ápice daquilo que foi criado por Vargas se deu durante o governo JK, mas depois do ditador Médici, entrou num mergulho igual ao Boeing 737 Max 8.

    Para se ter uma ideia, mesmo com todos os ganhos que o PT proporcionou (e a respectiva chiadeira da Globo), ele ainda não tinha se recuperado completamente, pois ainda equivalia ao poder de compra do final do governo Geisel.

  13. Mourão lembra-me dos tempos de segundo grau quando tonitroantes arautos fardados e à paisana da “revolução democrática de 64″ (cá prá nós, essa também é ótima) faziam convocações heroicas para qualquer ‘dá cá uma palha” e que adoravam chamar de sacrifício em nome da Pátria: “lutaremos até a última gota de (SEU) sangue”!
    Safadeza também é humor.

  14. Considero que os militares, mesmos os mais intelectualizados, sofreram uma lavagem cerebral de neoliberalismo da qual é necessário que se livrem urgentemente, e de maneira radical, para que possam entender minimamente o que se passa hoje no mundo. Para começar, els deveriam saber que a Rússia não é mais o país antiquado e armado com sucatas ultrapassadas da ex-União Soviética, como seus colegas do Pentágono parecem ainda querer que eles acreditem que seja. A roda da Fortuna mudou, quem patrocinava gloriosas guerras justas hoje é considerado como o maior patrocinador de guerras injustas e sujas do mundo, e o mundo se encaminha para outras lideranças. .

  15. Mourão é o Bozo Two. O bipolar da relação. Um verdadeiro Strange Case of Dr Jekyll and Mr Hyde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.