Mourão ignora mordaça e fala em carteira sem INSS e tropa na Venezuela

No dia em que veio à tona a ordem do presidente eleito Jair Bolsonaro para que calasse a boca, o General Hamilton Mourão abriu-a ao Valor Econômico para falar em dois assuntos que vão dar pano para manga e que têm pouca chance de acontecer, pela inabilidade com que são conduzidos e pelo sentido obtuso que contêm.

O primeiro é a “carteira verde-amarela”, que “concorreria” com a carteira de trabalho convencional, dando ao patrão o privilégio de não recolher previdência do empregado e fazendo este, se quiser, providenciar seu próprio plano de aposentadoria.

A ideia é de uma estupidez à toda prova, a começar de uma inviabilidade jurídica que só com uma Justiça pavorosa como a brasileira poderá prevalecer pela simples e evidente afronta ao princípio da isonomia.

Mas ainda é pior. É evidente que, entre contratar um empregado sobre o qual terá de recolher e outro que não, o empresário não teria dúvidas em admitir este. É tão evidente que até Mourão reconhece que não há um “plano” para evitar este “detalhe” ruinoso para todos.

Para a Previdência, porque deixará de recolher as contribuições para formar os recursos que já lhe faltam para pagar seus compromissos. Isso sem contar aqueles que, recontratados pelo novo regime e, com o tempo de contribuição anterior, em algum tempo poderão requerer aposentadoria por idade tendo parado de recolher.

Para o trabalhador, pense no que seriam acidentes de trabalho ou, pior, situações de invalidez. Seria o famoso “dane-se” ou, então, a Previdência teria de pagar a quem nem recolhia, aumentando, na prática, os benefícios de prestação continuada – se eles permanecerem – que não correspondem a uma contrapartida.

A desculpa de que a “carteira verde-amarela” seria opcional é de morrer de rir. Os mais velhos se lembram da “opção pelo FGTS” que substituía o velho instituto da estabilidade no trabalho. No ato da admissão já era obrigatório ser “optante”, pois quem se atrevesse a notar o paradoxo nem assinava o contrato.

A segunda ideia revelada por Mourão é igualmente desastrosa: diz ele que “haverá um golpe de Estado” na Venezuela e o Brasil já tem de ir se preparando para ser o líder de uma “força de paz” da ONU.

Tirando o absurdo de nos envolvermos assim em questões de outros países e o de escolher, pela ONU, quem chefiaria uma força de intervenção militar estrangeira, além do que agindo com uma parcialidade que iria significar quase uma invasão, Mourão acha que aquilo seria um “parquinho de diversões” para tropas brasileiras? Será que acha que os militares venezuelanos, depois de anos de cooperação militar com Russia e China estão armados de bodoques e espingardas de chumbinho?

É difícil e doloroso ter de dar razão a Bolsonaro em mandar Mourão calar a boca. Ainda mais sabendo que foi ele quem escolheu este cidadão como vice.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

32 respostas

  1. O Mourão de bico fechado é um Einstein. Não aquele Einstein que o professor dos Analfanaros, o “desalfabetizado” mestre Olavo, chama de tonto e que mudou toda a Física só para encobrir o fato de que a Terra não circunda o Sol….., hahahaha.
    É verdade ,……. tem um vídeo no YouTube com o teacher dizendo isso.

  2. Generais obedecerão a um capitão saído do exército pela porta dos fundos, seus filhos mimados e ao bando de aloprados que se juntou ao redor deles.

  3. Mourão devia saber que problemas trabalhistas e previdenciários de um país complexo como o Brasil não podem ser equacionados e resolvidos em bate-papos animados com correligionários, por mais inteligentes, entusiastas e patriotas que eles sejam. Principalmente quando se trata de desmontar e substituir estruturas provadas por décadas e décadas de negociações entre classes, quase sempre com resultados excelentes em relação ao crescimento econômico…e social!

    Quanto à Venezuela, Mourão se julga grande conhecedor da história venezuelana, mas infelizmente suas fontes são tisnadas por pura propaganda de americanos e de seus aliados da elite interna de lá. A Venezuela, bem sabe o General, não é o Haiti, para receber tropa de paz da ONU. A Síria, que é um país muito menor, não recebeu tropa da ONU. E relembrando o passado, tropa da ONU só foi para Gaza depois da paz negociada entre Egito e Israel. Pena que de lá saiu e deixou os gazeus abandonados. As Forças Armadas venezuelanas têm uma história bem diferente das brasileiras. Enquanto as de cá sempre foram classe-média-e-Casa Grande, com seus oficiais, e Senzala, com seus sargentos, cabos, marinheiros e soldados, as FFAA da Venezuela têm origem popular em todos os graus de hierarquia. São ex-guerrilheiros combatentes dos exércitos cruéis da Espanha. Esta é sua tradição. Não é provável, apesar dos EUA acharem que sim, que seus oficiais sejam abduzidos pelos UFOS vindos do Grande Irmão do Norte.

    1. Depois que os militares resolverem largar mão das pensões vitalícias das filhas “solteiras”, terão o direito de abrir a boca sobre direitos sociais.

      1. Ainda tem aquela lei que diz que o filhinho do milico, quando este é transferido, se estiver na faculdade tem o direito de entrar numa federal?

    1. Como eu já comentei em outro lugar, é a Guerra do Paraguai 2.0. Se a original já é uma mancha na nossa História, imagina a cópia malfeita…

  4. Difícil mesmo é saber qual dos dois é o mais burro e inepto.
    Aliás, este governo só tem burros, corruptos e fanáticos religiosos.
    Não vai sobrar pedra sobre pedra, como dizia outra inepta antes deles.

  5. Duas observações.A primeira,o senhor acha que existe algum militar das forças armadas,que sejam melhores que o Gal.Mourão?E crê na hipótese de que possam fazer frente à qualquer exército estrangeiro? Vale até,o exército paraguaio.Quanto ao JUDISSSSSSSSIÁRIO BRASILEIRO,acha o senhor que exista algum em seus quadros,melhor que o MOURÃO?GOLPISTAS,como se revelam todos os dias,ainda assim,são menos inteligentes.

  6. Esse general de pijamas é considerado inteligente. Mas não passa de um asno. O que ele fala das pensionistas do Exército? Filhas solteiras tem pensão vitalicia, que passam para as netas… Tem mulher que só casa no religioso para continuar “solteira” e continuar recebendo pensão (R$ 30.000,00 para pensionista de general e R$ 8.000,00 para pensionista de sargento). É por isso que o serviço militar é obrigatório no país: Centenas de milhares de conscritos (recrutas temporários) recebendo salário mínimo justificam numericamente pela média a folha de pagamento das FFAA. Pilantras.

  7. OS SIMIOS FARDADOS justo é reconhecer têm uma fidelidade canina com seus adestradores do Norte.
    De resto são sujeitos criados na obediência cega ao superior ,questionamento zero,lavagem cerebral de acordo aos interesses imperialistas ,tarefas poucas,privilégios ,estrelas ganhas nos escritórios,em fim SERES ABSOLUTAMENTE DESCARTÁVEIS.
    O triste de todo isto é não te-los punido pelos crimes cometidos,assim eles ainda continuam com a pretensão de ser a “reserva moral da nação” e “custódios” da ordem.Hoje estão de novo,prontos a servir mais uma vez ao Tio Sam.
    No Uruguai se abrem a boca pra falar de política vão pra cadeia.Na Argentina,volta e meia estão sentados esperando a sentença de algúm juiz.
    Estamos pagando pelo nosso famoso ” deixa pra lá” .

    1. Exatamente, não houve punição aqui pelos desmandos da ditadura então se acham no direito de fazer de novo.
      Bando de inúteis capachos americanos.

  8. Francamente torço e espero que o exército e o restante do que chamam aqui de forças armadas entrem na Venezuela.
    Vão tomar uma coça de perder o rumo de casa.
    Iriam baixar a crista rapidinho;

  9. Quanto á questão da Venezuela, nem vou comentar. Insanidade pura. Em relação à carteira verde amarela, ou seja, a infame reforma trabalhista, ela já traz por si só a reforma da previdência. Verdade?

  10. O Brasil está nas mãos de uma quadrilha tão ampla quanto desunida. Interesses já estão se chocando de forma grotesca, apenas confirmando que estamos a caminho da tragédia e do abismo.

  11. Não quero ser chato, mas a guerra com a Venezuela está se tronando cada vez mais uma realidade. E eu concordo inteiramente com o blogueiro, de que essa aventura deverá ser traumática para o Brasil. Eu diria que, objetivamente, o Brasil mais a perder do que ganhar com uma insanidade desse tipo.

    1. Sinceramente, não vejo como o Brasil teria alguma coisa a ganhar com essa besteira. Só teria a perder.

  12. Guerra híbrida, engenharia da percepção, manipulação de corações e mentes, vieses e disfunções cognitivas, viés de confirmação, wishful thinking… enfim há vários conceitos e termos envolvidos nesse ataque coordenado do capital financeiro globalizado e controlado pelo Deep State estadunidense aos países latino-americanos, médio-orientais, africanos, asiáticos e até mesmo europeus, como bem o ilustram as diversas primaveras e “revoluções coloridas”. O que me surpreende negativamente é ver um jornalista experiente como Fernando Brito insistir no auto-engano, primo-irmão do desejo ilusório, que citei usando um anglicismo, por este último ser mais abrangente que a tradução para o vernáculo.

    O último parágrafo nega a realidade óbvia, relatada no restante da postagem; Os Bozos não mandam no general Mourão e isso ficou claro nas desastradas e belicosas declarações que o general deu ao jornal Valor Econômico, respondendo à suposta ordem de “calar a boca”, oriunda do Bozo-pai. Se não “botarem o galho dentro”, os Bozos é que podem ser defenestrados do poder já no ano de 2019. Quem viver verá.

  13. A cada declaração de alguém ou de apoiadores do novo governo pode saber que vem alguma trapalhada. São os membros do clã, ministros, líderes religiosos que aspiram um lugarzinho, profissionais da mídia que relembram um passado deslumbrante nos tempos de 1964, enfim, transformam um governo que nem começou numa Babel. Isso tende a dar errado. O Brasil está exposto ao ridículo e ao deboche da comunidade internacional. Mesmo o Tio Sam dará uma meia volta e uma sonora banana pois não quer um apoio de fidelidade canina como pretendem os eleitos; não é bom para a política externa deles. A China da mesma forma mas por razões geopolíticas e econômicas não gostará de negociar com pessoas que os odeiam e não são confiáveis. Se fosse um comerciante o Brasil já estaria quebrado: privilegia um cliente em detrimento dos demais e o privilegiado vai tirar suas vantagens e sair para outros mercados. Quem elegeu esse governo vai amargar mas não adianta vir com novas passeatas ditas patrióticas e nem bater panelas; o jogo democrático deverá ser respeitado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *