Não é o que parece, a não ser para quem só lê manchete

Lida com calma, a entrevista do governador baiano Rui Costa, do PT, não contém nenhuma contestação a Lula, apesar da manchete da Folha que induz ao contrário.

É sempre a mesma história de apontar Lula como o “radical”, como se sua trajetória, por duas décadas ao menos, não tenha sido a de um conciliador político.

Coisa que, aliás, o próprio Costa afirma:

—Acho natural que quem ficou preso um ano injustamente faça declarações duras. Mas o Lula governou o país durante oito anos como um conciliador. Essa concertação, com empresários, trabalhadores, sociedade, fez com que o governo dele fosse de maior desenvolvimento nos últimos séculos.

A manchete diz que Lula “deve pregar” uma “pacificação” numa crítica à radicalização que seria do próprio ex-presidente. Mas leia o que ele diz:

—Temos de pregar a pacificação do país, cortar a discriminação e o ódio. Antes, as pessoas tinham vergonha de manifestar preconceito. Agora parece que têm orgulho. Certamente essas pessoas existiam, mas ficavam no armário. Precisamos que elas voltem para seus armários.

Alguém discorda de que discriminação, ódio e preconceito seja armas da direita, desembainhadas todo o tempo por este governo?

Claro que Costa adota um tom moderado, que traduz a soma de seu orientação pessoal com o lugar delicado que ocupa, como governador de um Estado num país onde o poder central está disposto a tratar com água e farinha – e poucas – governantes de esquerda. E há uma pitada, sempre presente, de um político até agora regional em projetar-se num veículo de comunicação “nacional”, entendido isso como basicamente paulista.

Curioso procurar intrigas com fatos com frases “há dez anos, o sr. seria chamado de entreguista por conceder a um grupo chinês a ponte que ligará Salvador a Itaparica”. Será que sobrou, depois da Lava Jato, empreiteira em condições de bancar este investimento, para receber daqui a anos, em pedágio? E, ainda que tivessem, a Folha não colocaria em manchete “Governador do PT concede ponte a empresa envolvida na Lava Jato?

E quando os governos petistas se opuseram a desenvolver projetos em parceria com grupos privados, daqui ou de fora?

É claro que depois de 40 anos de vida política a chance de Lula ser atraído para uma disputa interna em seu partido por uma história destas é absolutamente zero.

Isso é para os espiroquetas da pureza absoluta que se deixam levar por um título de jornal. Tanto como seria tolo que, a esta altura, vaidades e ambições não estariam excitadas em pretenderem-se ser “o PT autocrítico”, da mesma forma como há direita que sonha em ser o “mas eu não sou Bolsonaro”.

Por algumas linhas no jornal, vão se apressar em responder ao que não foi dito, senão na manchete. É assim mesmo e líder de verdade tem couro duro, não fica dando patadas feito Bolsonaro.

O que define polarizações não é a escolha pesoal de Lula, é a realidade do processo político-social.

E com o que temos hoje, não há como propor-se a ter os pés em dois barcos, porque o mar está por demais agitado.

Isso não é “ser teimoso” ou “radical”. É reconhecer que quer quer a pacificação do Brasil terá de preparar-se para uma batalha política na qual, até agora, não há outro que reúna tanta capacidade de comandá-la quanto o ex-presidente.

Rui Costa reconhece isso na entrevista e sabe que suas chances eventuais de ser o candidato do PT dependem de uma ignomínia: excluir, de novo, Lula da disputa eleitoral.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

38 respostas

    1. O PSICOPATA ANDA E CAGA PELOS CAMINHONEIROS,SEJAM MACHOS.
      QUE OS DO REBITE FAÇAM GREVE ,SERÁ BOM CONHECEREM OS TACÕES DE BOTAS MILITARES.CAMBADA DE FILHOS DA PUTA.

      1. Fábio, Alecs, Luiz Mattos, eu sei: de onde não se pode esperar nada, é que nada virá mesmo!

    2. O PSICOPATA ANDA E CAGA PELOS CAMINHONEIROS,SEJAM MACHOS.
      QUE OS DO REBITE FAÇAM GREVE ,SERÁ BOM CONHECEREM OS TACÕES DE BOTAS MILITARES.CAMBADA DE FILHOS DA PUTA.

      1. Bolsonaro ri deles. Sente que daí nada virá contra ele, porque já foram “neutralizados” pela guarda avançada neofascista.

      2. Exato. Caem sempre nas armadilhas da mídia comprada, Sentem-se importantes de estarem na Folha ou Estadão. O Blog critica, mas, também, pinçou frases do Rui Costa. Estamos é mesmo phodidos.

  1. O PT (e partidos progressistas em geral) deveria adotar uma norma: quem conceder entrevista para veículo golpista vai ter que ajoelhar no milho. Que coisa, dá pra acreditar que os caras não saibam que alguma coisa dita será extraída do contexto para atacar o próprio PT ou Lula? Dá na paciência…

  2. Na grande mídia não leio nem manchetes, há mais de dez anos. A não ser quando a blogsfera publica. É um universo paralelo, uma Matrix onde vive a maior parte dos brasileiros.

  3. Estão em guerra contra a esquerda e ainda falamos em paz?
    Essa paz e amor nos jogou no inferno.

  4. Poderia fazer uma lista dos tucanos que pedi suas expulsões do PT,Rui não encabeça,quem ocupa o posto primeiro é o Cardozo,isso em 86,seguido de Mercadante mas Rui está na lista.

    1. Esse Cardozo é uma piada, mas a Dilma é mais porque depois de toda lambança durante a Lava-jato ainda deixou a defesa do seu mandato por sua conta. Não há morcego que se mantenha pendurado.

  5. Mas é claro que aqueles que praticam traição descarada aos interesses nacionais não podem mais ficarem impunes, escondidos atrás de uma anistia. Anistia é a mãe do próximo golpe.

  6. Em um país com uma experiência histórica democrática tão breve, tão rara, entrecortada, descontinuada, o oportunismo na política é visto com certa condescendência e aceito quase como uma “habilidade” política. Não há mais espaços para a ingenuidade idiota ou para a esperteza malandra e personalista porque é a própria existência da democracia política que está em jogo e em questão.
    Vamos ser claros: o único centro democrático realmente existente é o PT e Lula ocupa exatamente o centro desse centro democrático. Podemos discutir se o PT e Lula moveram-se ou ocuparam essa posição, ou se foram as outra forças políticas que a abandonaram, provavelmente as duas coisas simultânea e consequentemente, mas nada nessa discussão altera tal fato.
    A única condição para esse alinhamento é a aceitação e o respeito às regras do jogo do Estado Democrático de Direito. Parece pouco, mas, como vimos, representa muito. A radicalização ou o extremismo político representa justamente negar ou suspender esse compromisso democrático. E esse foi o caminho meticulosamente tomado e pensado por aquelas outras forças políticas.
    Podemos e devemos permanecer radicalmente nessa posição central, ela é paradoxalmente revolucionária.

      1. A que tínhamos, que lutamos para conquistar e que não soubemos defender daqueles que a desprezam e a menosprezam, enfim, de todos os golpistas de sempre.

        1. Tínhamos, enquanto todos os interesses da elite eram satisfeitos. Bastou contrariar…
          Nosso voto não vale um vintém. A simples ameaça de coação, que nada mais do que a ameaça da perda da liberdade é o suficiente para que ela não mais exista. É o que vem acontecendo desde o final do mandato do Lula. Todo esse jogo promovido pela mídia e judiciário já demonstram cabalmente a precariedade dessa liberdade e a inexistência de democracia. O engavetamento da proposta de regulaçao das concessões das comunicações enviado do Congresso e estupidamente retirada pela Dilma certamente pela pressão de forças nada ocultas é a confirmação de que a democracia está muito longe daqui.

          1. Juiz ladrão, tapetão, cartolas fazendo suas jogadas, jogadores violentos e desleais, torcidas organizadas que mais parecem turbas fascistas, resultados acertados fazem parte da realidade do futebol, mas não fazem parte das regras do jogo. Posso odiar tudo aquilo mas nada vai fazer eu detestar aquelas regras ou o velho esporte bretão.
            Nossos hermanos argentinos, como disse o presidente recém eleito, já aprenderam que as debilidades e as insuficiências da democracia só se resolvem com mais democracia e, que eu saiba, ali também existem elites e não me parecem nem muito melhores ou nem muito piores que as nossas.
            Sobre a decantada e imprescindível “lei de meios” (como dizem nosso hermanos) é preciso dizer que nem com um Congresso formado por uma maioria fiel, alinhada política e ideologicamente com o Governo seria fácil implementar a tantas vezes proposta, ensaiada e insinuada regulação, agora imagina sem essa maioria. Lembremos que tanto Lula quanto Dilma foram massacrados quase diariamente em todos os meios e acusados de serem inimigos da liberdade de imprensa e de acalentar sonhos e tendências totalitárias (imagina!).
            Para exigir esse governo assim implacável, que certamente não foram os governos de Lula ou Dilma, deveríamos nós seus eleitores e defensores ser tão implacáveis quanto, o que não dá, para finalizar com uma última e conhecidíssima imagem futebolística, é para bancar uma de turma do amendoim.

    1. Concordo totalmente. Centro democrático é o PT, O PDT está excluído pelo Ciro, O Psol e o PC do B estão afinados com Lula e o PT. Rui Costa não foi ingênuo, coisa que ele, todos sabem disso, não o é. Ao contrário do que diz o Miro, A entrevista não era só manchete, mas, sim, uma tentativa de se sobressair às costas de Lula. Estou cansado desses petistas almofadinhas.

  7. Fernando Brito,que prazer grande ler seu artigo. Estou agradecida e te respeitando a cada dia mais e mais.Grande abraço.

  8. Esse rui é da turma da haddad……..a martraira, o cristóvão, a professorinha, a fodinha da floresta já foram …logo logo esses também se vão….

    1. É mesmo. Tudo farinha do mesmo saco. E o Stedille pedindo a volta da Marttraíra para o PT. É demais para os meus pobres anseios.

  9. Quem não conhece Rui que o compre;tem penas de tucano,bico de tucano e fala como tucano.Aliás tem um poleiro tucano dentro do PT,são amiguinhos de Alckimin,fhc,comem e dormem com tucanos.

  10. SIM,SOU XIITA POR ISSO NÃO SUPORTEI A CONVIVÊNCIA COM OS “PACIFISTAS” OU COMO DIRIA ODORICO OS “COVARDISTAS”.

  11. Pacificação. Faça-me o favor. Depõem a presidenta, encarceram o ex, acabam com os direitos trabalhistas e previdenciários, destroem a educação e a pesquisa científica, lança milhões na linha da pobreza 30% da população vive no fascismo do Bolsinistão e esse Rui me fala em pacificação. PQP.

    1. Concordo em gênero, número e gráu. São os mesmos que pregam a tão falada autocrítica do PT. São uns bundões.

  12. Interpreto a manifestação do governador do PT da Bahia de modo diferente do Brito. Penso que ele está sim contestando Lula, de forma sutil pra não receber novamente os mísseis disparados pela burocracia do PT, apenas por expressar uma opinião contrária. Observem o que estão armando contra o governador do PT do Ceará.
    Entendo que o governador do PT da Bahia está se posicionando CONTRA a polarização Lula-Bolsonaro. Desde o ano passado o governador do PT da Bahia tem se manifestado a favor de uma Frente Democrática, sem que o PT tenha necessariamente o protagonismo hegemônico que sempre teve. Está na hora de mudar…

    1. Acho engraçado quando falam em “protagonismo hegemônico”!! Fora o PT, o que existe na esquerda brasileira? O Psol me é simpático, gosto bastante do partido que, aliás, vem apoiando Lula de forma bastante veemente. O PC do B, também é um partido importante, mas, vamos e venhamos, quais partidos têm a densidade nacional do PT? Todo o resto é lorota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *