‘NY Times’ mostra como Bannon montou a história do ‘vírus chinês’

Uma longa reportagem de Amy Qin, Vivian Wang e Li-Meng Yan, para espalhar na opinião pública que o Sars Cov-2, o novo coronavírus, tinhasido criado artificialmente pelo governo chinês.

“Eles colocaram a Dra. Yan em um avião para os Estados Unidos, deram a ela um lugar para ficar, treinaram-na em aparições na mídia e ajudaram-na a conseguir entrevistas com apresentadores de televisão conservadores populares como Tucker Carlson e Lou Dobbs, que têm programas na Fox. Eles alimentaram sua crença aparentemente profunda de que o vírus foi geneticamente modificado, aceitando de forma acrítica o que ela forneceu como prova.”

O jornal revela que a Dra. Yan era apenas uma pessoa que detinha informações genéricas, mas não tinha estudos sobre o novo vírus:

“Ela trabalhou em um dos melhores laboratórios de virologia do mundo, na Universidade de Hong Kong, mas era bastante nova na área e foi contratada por sua experiência com animais de laboratório, de acordo com dois funcionários da universidade que a conheciam.”

Submetida a confrontos com especialistas norte-americanos, Yan falhou redondamente em sustentar suas versões e ainda publicou um artigo, considerado por seus pares nos EUA como pseudociência” e ” baseado em conjecturas “, repleto de gráficos e jargões científicos, para dar-lhe um “verniz de credibilidade”.

Nem é preciso dizer que Yan foi transformada em estrela nas redes sociais – ambiente preferido de Bannon para espalhar seus delírios conspiratórios – com direito a ver seus posts propagados por Donald Trump.

A reportagem, que está aberta no NYT para não assinantes, foi traduzida para o português na edição de hoje de O Globo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *