O cemitério de aviões novos é da Boeing, não da Embraer

Os bobalhões que defenderam a venda da Embraer para a Boeing não cansavam de falar na supremacia tecnológica da gigante norte-americana sobre a brasileira.

Gostaria de olhar a cara deles olhando as fotos, publicadas pelo jornal inglês Daily Mail, de um “cemitério” de aviões Boeing 737 Max, um dos mais novos lançamentos da empresa, com 35 aeronaves.

No deserto da Califórnia, tostam quase 10% dos 376 aparelhos, novos em folha, parados no mundo inteiro, depois que dois deles caíram logo após decolar, matando 330 pessoas.

Há outros, onde repousam, entre outros, 8 aparelhos da brasileira Gol. O prejuízo, por baixo, considerando o preço de US$ 12 mil dólares por dia do aparelho, passa fácil de US$ 4,5 milhões diários, sem contar os custos de pessoal, instalações e peças de reposição imobilizados pela paralisia dos aviões, nem as perdas concorrenciais com a redução de voos.

Seria maior o número de prejuízos, em vidas e em dólares, se a empresa não tivesse acobertado as falhas de projeto percebidas desde 2017, segundo a National Public Radio, emissora estatal norte-americana.

Você é capaz de imaginar o que aconteceria se estes aviões condenados fossem da Embraer?

O brigadeiro Ércio Braga – com quem tive a honra de conviver, no passado, quando ele, na reserva, se filiou ao PDT – está certíssimo em dizer que a venda da Embraer foi um negócio da China para a Boeing e um desastre para os brasileiros.

A carteira de encomendas da brasileira em aviões de até 150 passageiros era maior tanto que a da Boeing quanto da Airbus.

Graças a isso, a americana tem um aparelho a vender depois do desastre do 737 Max – que variava de pouco abaixo a pouco acima desta capacidade, conforme o modelo e a configuração – aeronave que, provavelmente, se voltar a voar, nem mesmo estará mais em linha de produção.

Matamos a indústria aeronáutica, como matamos nos anos 60 a possibilidade de uma indústria automobilística, como matamos – duas vezes – a indústria naval, a de informática e, agora, vamos completando a morte da indústria de máquinas e equipamentos, que não preservamos no acordo com a União Europeia (leia-se, Alemanha).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. Alguém poderia citar algum negócio feito com países estrangeiros por esse governo que foi, pelo menos, bom para o Brasil, além de, obviamente, ter sido ótimo para o outro lado?

      1. 3 caminhões cheios de Avocados exportados para “los hermanos argentinos”. E milhares de automóveis importados de lá. Para ser mais exato, pickups e minivans.
        Fazendo uma conta, pelo alto, o quilo do abacate nos supermercados gira em torno de 8 a 9 reais. 3 carretas dariam 81.000 quilos. Logo, 81.000 x 9 = R$-729.000.
        O equivalente a 6 boas pickups.BAITA NEGÓCIO. Para os argentinos, óbvio.

    1. Olha, não sei se é verdade, mas foi motivo de júbilo entre os apoiadores do Bozzo a venda daqueles 2 caminhões de abacates.
      Consta que foram vendidos por preço muito bom, o que deu um “up” na nossa balança comercial.

  2. A classe média e alta brasileira é a escória mais imunda, entreguista e covarde do planeta, e todo mal que lhe acontece não só é merecido como é bem-vindo.

  3. O povo brasileiro não sabe de nada disso. Aliás o povo brasileiro não sabe NADA. Nunca soube, porque sempre foi doutrinado, “domesticado”, transformado um zumbi imbecil e dócil com a elite.

    1. Hoje, conversando como uma jovem a respeito dos acontecimentos atuais (evangélicos, vazajato, lavajato etc), percebi que ela estava totalmente desatualizada. Mas o pior é que ela mostrava impaciência com o assunto. Ela disse que não gostava de política. Que não tinha a mínima ideia do que estava acontecendo no País.

      A IGNORÂNCIA PASSOU A SER UMA VIRTUDE!!!
      Por isto os evangélicos estão tomando o poder também!!!

    2. Doutrinado por quem? Justamente pela organização criminosa da famiglia Marinho, vulgo Criminosa Rede Globo de Televisão. É essa organização criminosa e antinacional que domestica e transforma em zumbis milhões e milhões de brasileiros, em especial da classe merdia. Essa organização criminosa da famiglia Marinho tem que ser destruída (com exceção dos equipamentos, instrumentos e prédios tem que ser estatizados).

      1. não ..doutrinados pela grande mídia ..isso não é só obra dos Marinho ..mas dos Frias, Mesquita, Saad, Abravanel e tantos outros
        ..doutrinados por partidos e associações de empresários que se dizem liberais liberalizantes e que, vez em sempre, nos jogam direto pra dentro da boca dos tubarões

        ..pior, pior que quando tentamos buscar ajuda, aí vem o outro lado da mandíbula, ou jornalistas CANALHAS que faturam pra nos desinformar ou pora dos funcionários públicos de carreira e suas Corporações (em especial os nababos do judiciário e FFAAr) que acabam por nos engoli duma vez, e sem mastigar ..com STF e tudo

      2. Nem seria tão difícil.
        Bastaria que um governo democrático proibisse, ao amparo da lei, que essa organização produzisse ou transmitisse programas jornalísticos.
        Fundamentos legais para isso existem aos montes.
        Eles que continuassem fazendo novelas e programas de auditório para o povo que, infelizmente, só tem acesso a TVs abertas.

    3. É o efeito rede Globo, que está mais é pra fábrica de bobos, tolos.
      Enquanto existir essa industria da manipulação, será impossível construir-se um país.

  4. O problema é que estamos apontando os erros para o Bozo, quando ele é manobrado pelos militares. Ao Bozo cabe fazer as palhaçadas, que o põe em evidência. Enquanto isto os militares vão manobrando para se dar bem. A partir do momento que o governo do Bozo for insustentável, os militares assumem como salvadores da pátria. Por isto é importante apontá-los também como responsáveis no governo Bozo.

  5. Estão destruindo o Brasil, e muitos da esquerda querem que fiquemos parados esperando 2022 chegar…
    Temos que derrubar o governo AGORA. Os vazamentos do Intercept provaram que foi golpe, que as “eleições” foram fraudadas.
    Quantos milhares de empregos (diretos e indiretos) foram destruídos com a venda da Embraer?
    Tem que estatizar a Embraer, a Vale, e tudo o que for estratégico para o Brasil.

  6. Temos que trazer de volta nossa Embraer anulando esse negocio fraudulento e os outros praticados por esses vendilhões da pátria !!Quando o Estado Democrático de Direito for restabelecido, temos que punir esses canalhas de forma exemplar, sugeria guilhotina mas perda de bens, cadeia e banimento da vida política já me satisfaz !!????????????????

  7. Os aviões da Embraer são de uma categoria completamente diferente dos aviões da Boeing e da Airbus (a Airbus comprou o programa CSeries da Bombardier que era o competidor direto da categoria dos aviões da Embraer). Esse desastre não era previsto. Os Embraer provavelmente ajudarão a tapar uma parte do buraco deixado agora pelos modelos menores da familia MAX mas não tudo.

    A Boeing quer realmente investir no Brasil e na Embraer. a perspectiva é aumento de quadro de funcionários e vendas, e consequentemente mais impostos! Só temos a ganhar!

  8. Vem aí o russo Irkut mc-21. Equivalente ao 737 e o Airbus A-320. Resta saber se:

    1) O avião será bom;
    2) Se os EUA não vão sabotar.

    Depois, virá outro concorrente, o chinês Comac c-919.

    1. 1 ) Acredito que será bom, assim como o chinês.
      2) Não precisa os EUA sabotar, os próprios russos fazem isso. Uma empresa do México tem 22 mc21 dos quais 15 estão no solo por falta de peças. É de costume a Rússia pecar no fornecimento de assistência em suas aeronaves. Ano passado a fabricante teve que indenizar a companhia aérea em 44milhoes de dólares por conta das aeronaves não poderem voar por falta de manutenção.
      3) (esse é por minha conta) o mercado de aeronaves não comporta mais um player, se comportasse haveriam empresas ocidentais que teriam suportado à concorrência Boeing-Airbus, mas todas sucumbiram, foram compradas, faliram ou se fundiram, muitas hoje ainda existem mas fabricam apenas peças ou seções completas para as duas gigantes.
      Essas aeronaves russas e chinesas ficarão em sua maioria voando em empresas dos países onde são fabricadas.

      1. O mc21 ainda está em fase de homologação.

        Certamente o modelo dessa empresa no México é outro.

  9. Sem entrar no mérito da venda pois são outros 500, gostaria de esclarecer alguns equívocos por parte do autor.
    Os E2 da Embraer são aeronaves regionais que levam de 90 à 144 passageiros e voam no máximo 4600km. Os 737 Max levam de 153 à 230 passageiros e voam até 7130km. São aeronaves completamente diferentes para propostas diferentes, dizer que a Boeing terá um aparelho para vender e que esse será os E2 no lugar dos 737 é querer colocar uma picape para fazer safra.
    O 737 certamente voltará a voar e não só continuará a ser produzido como ainda está sendo produzido. As 35 aeronaves da foto não são nada comparados ao próprio pátio da Boeing cheio de jatos 0km.
    Projetos de novas aeronaves tem essa particularidade de às vezes dar errado, foi assim com a cabine do DeHavilland Comet que desintegrava no ar, foi assim com a válvula do leme do próprio 737 que derrubou 2 aeronaves no início de carreira, foi assim com a porta de carga do dc10 que derrubou 2 aeronaves, foi assim com o sistema fly by wire do a320 que se acidentou cheio de jornalistas no dia de sua exibição, e também foi assim com o emb110 bandeirante que era apelidado carinhosamente de fábrica de defuntos. O EMB110 bandeirante teve 501 unidades fabricadas pela saudosa Embraer das quais, até hoje constam registros de pasmem, 96 acidentes com 552 mortes, quase 1:5 aeronaves, a pior taxa da história da aviação.

    Não fico feliz com a venda e até entendo e aceito questionamentos-estamos numa democracia-sobre se ela será ou não benéfica para o Brasil e seus trabalhadores, e isso só o tempo dirá.
    Mas a matéria está manipulando as informações para expressar uma opinião.

    1. Como você mesmo refere, sao modelos que, na margem se tocam em faixas de uso. Idem no alcance, o de aviação continental. Mesmo ligeiramente menores em número de passageiros e alcance, são um patamar sólido para o desenvolvimento de modelos ligeiramente maiores e mais autonomos tem distância de vôo. O grave, no caso do Max, foi a detecção do defeito e a ausência de providências.

      1. De 144 para 230 assentos é muita mas muita diferença. Idem 4600km
        para 7130km. Para vc ter uma idéia os Embraer são regionais enquanto o 737 estava fazendo voos Brasil-Florida.
        Não, não dá pra aumentar muito a capacidade dos E2, o 195 já é a versão esticada da aeronave e ela é de corpo estreito, 2+2 lugares, igual ônibus. Os 737 são 3+3, cabe 50% mais gente num mesmo comprimento.
        Mas sim, independente de haver o problema dos Max, a Boeing estáva na iminência de substituir o 737 por uma aeronave completamente nova, no estilo fibra de carbono como é o 787, o programa já tinha até nome, New Midsize Airplane, ou 797, levaria de 225 à 275 passageiros e voaria até 9000km concorrendo com o A321neo podendo fazer Vôos entre Europa- costa leste dos EUA.
        Porém ainda ficaria uma lacuna entre os 153-230 assentos se o Max saísse de linha.

        1. querido, vc foi nas configurações limite. Não é assim. Mesmo com alcance maior, não são muitas as rotas sem escala . SP-Manaus não é bem “voo regional’

  10. Ontem ouvi o neo-responsável Reinaldo Azevedo chamar Maduro de ditador vagabundo
    e asqueroso. Já eu vejo Maduro como um patriota democrata que defende a soberania de seu país e de seu povo. O anti-vira-lata. Mas como não é francês ou alemão, é tratado dessa forma pelo vira-lata Reinaldo Azevedo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.