O Dops do Bolsonaro

A Folha revela como é, sim preciso um forte movimento antifascista no Brasil, ao mostrar a absurda investigação contra 579 servidores federais e estaduais de segurança e alguns professores universitários que fariam parte de uma corrente de opinião antifascista e que, aliás, não são acusados – nem acusáveis – de nada, exceto de ter pensamentos antitotalitários.

É o senhor André Mendonça – no mesmo dia em que é exposto como facilitador do desvio de armas da Força Nacional de Segurança, ao revogar a exigência de que tivessem (como já era exigido antes) um chip de identificação resistente à fraude de raspagem do número no seu chassis, promovendo uma investigação ilegal, que centraliza e distribui aos núcleos que quiser (será que algum paralelo?) a relação dos “malditos” servidores que ousam ser a favor da democracia.

Há também, no dossiê do Dops do Ministério, referências a três conhecidos professores universitários, todos com passagens respeitáveis em instituições públicas: Paulo Sérgio Pinheiro, (ex-secretário nacional de direitos humanos no governo de FHC); Luiz Eduardo Soares ( secretário nacional de Segurança Pública no primeiro governo Lula) e Ricardo Balestreri (ex-presidente da Anistia Internacional no Brasil).

Tudo é citado em bobagens como esta:

Verificamos alguns policiais formadores de opinião que apresentam número elevado de seguidores em suas redes sociais, os quais disseminam símbolos e ideologia antifascistas”.

Ora, antifascismo é obrigação de qualquer democrata, que se recusa adotar supremacismos raciais, agressões aos direitos humanos, discriminação de pessoas, métodos truculentos de ação política e tudo o mais que representa o fascismo.

Mas, como Bolsonaro acha que antifascistas são “marginais e terroristas”, embora a eles não tenha sido atribuído algum crime ou ameaça, lá foram os esbirros do ministro “terrivelmente evangélico” produzir um “dossiê araponga”, certamente com uma bem nítida cópia para os fascistas que zumbem em volta do governo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. Oh, oposição
    Oh, esquerda…. quando vão começar a apresentar pedidos de impeachment para cada um dos ministrecos do desgraçado?
    É necessário aumentar a pilha que está debaixo da bunda do Maia!
    É necessário marcar na testa direita demotucana a cumplicidade deles com o governo fascista.

    O imbeciloide fascista andré mendonça merece ser posto no seu devido lugar… no LIXO!

  2. Com a palavra o MINIstro da “justiça”, “o terrivelmente evangélico” do BozoMorovírus!

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

      1. Enquanto isso as boiadas do mafioso paulo JEGUES vai passando “que nem umas condenadas”!

        $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

        OPERAÇÃO SUSPEITA
        BB cede carteira de crédito ao BTG em meio à nova ameaça de privatização
        Enquanto Paulo Guedes, um dos fundadores do BTG Pactual, fala à imprensa do anúncio de quatro grandes privatizações nos próximos 90 dias, pela primeira vez Banco do Brasil realiza cessão de carteira a um banco que não é de seu conglomerado
        06/07/2020
        (…)

        https://spbancarios.com.br/07/2020/bb-cede-carteira-de-credito-ao-btg-em-meio-nova-ameaca-de-privatizacao

        e aqui

        https://valor.globo.com/financas/noticia/2020/07/02/bb-vende-carteira-de-r-29-bilhes-a-fidc-administrado-pelo-btg.ghtml

  3. Ando numa fase de pessimismo completo quanto ao Brasil. Aqui dentro, nesse chiqueirinho institucional, não vejo como surgir nada de bom. Estou começando a “delirar”, achando que só um “novo Jimmy Carter” poderia promover uma nova abertura democrática no Brasil. Biden não tem nem pinta de Jimmy Carter, mas talvez a influência de Sanders… Enfim, estou começando a buscar esperanças nas coisas mais fantasiosas. Rssss

  4. E a coisa só vai crescendo,tem gente que ainda fala não ser possível essas perseguições em uma democracia.
    Democracia onde?
    Na ditadura palavras indignadas não surtem efeito.
    A maioria de nós viveu a ditadura e muitos sabem o que faz uma ditadura retroceder.
    Essas desgraças não nos exime de culpa.
    Aceitamos deporem uma mulher honesta,a mais honesta de todos na política,aceitamos prenderem um lider sem provas para vencerem eleição.
    Estamos “indignados” vendo o desmonte do País,vendo traições que em qualquer “democracia” levariam traidores ao corredor da morte e em alguma já estariam executados.
    Como foi dito com muita propriedade:” O brasil não tem povo,tem público”.
    A tudo assistimos indignados como se indignar-se resolvesse.
    Com covid ou sem covid só as ruas sem medo de bala de borracha, spray de pimenta,cassetete,cadeia ou morte salvam as futuras gerações pois a nossa perdida está.

  5. Tudo isso é lenha para nossa indignação. Mas, sequer tangencia a imensa população que nos rodeia. Pessoas trabalham, ficam desempregadas, sofrem com perdas e doenças, preocupam-se com filhos. Como nós. Entretanto, não nos comunicamos. Nossa indignação está em outra língua. Penso que é urgente resolver isso.

    1. Perfeito, mas antes é preciso adaptar o léxico à realidade desse povo cujo símbolo é Zumbi dos Palmares.

  6. Que há coisas acontecendo e ninguém sabe, isso com certeza é verdade. Há coisas estranhas envolvendo armas no país. Há coisas estranhas envolvendo sacerdotes. Há loucos no poder, e são capazes de achar que a Revolução Francesa foi feita por comunistas que pregavam a absurda “igualdade” entre cidadãos de bem e criminosos congênitos. Estes podem ser capazes de tudo, tudo mesmo, e mais alguma coisa. A mídia mais conservadora, até mesmo ela precisa, por necessidade existencial, investigar e denunciar tudo o que possa sobre estas coisas que estão a acontecer.

    1. Há coisas estranhas em toda América Latina,na Bolívia vão impedir o Partido de Evo,no Equador tornam Correa inelegível,a Nicarágua reagiu a tempo descendo o cacete e parece ter uma sobrevida,na Venezuela são os aliados que a protegem em El salvador aparece um moleque ” nem de direita nem de esquerda” eleito pelo Mercado..
      Uma nova e devastadora operação Condor em curso orquestrada pelo País com garras de Águia e ainda os indecentes falam em teoria da conspiração.
      Se o continente se acomodar sera uma jornada rumo ao inferno sem direito a retornar.

  7. Precisamos desaparecer rápidamente, somos como dinossauros antes do meteoro, com a diferença que já temos consciência da grande explosão. Estamos ainda presos aos velhos valores da liberdade, da igualdade e da fraternidade, aos velhos valores e as velhas instituições democráticas, ao velho sonho solidário do socialismo. É preciso dar passo aos novos falsistas mas também aos novos antifalsitas , deixemos que eles se enfrentem em suas “guerras culturais”, em suas “guerras híbridas”, com suas “fakenews”, suas “bombas semióticas”. Não existem mais atores políticos, apenas “espectros”; não existe mais relação de causa e efeito, condições necessárias, consequências, apenas narrativas; não existe mais interesses e ideias, apenas dinheiro e poderes ocultos (que novidade!). Eles se merecem, eles merecem essa “nova idade média situada no futuro”. Às gerações futuras, depois que todo esse horror passar, não vai faltar material para seus satíricos e cronistas sociais.

    1. Seu fatalismo recheado de ironia parece demais com o estilo de seu patrono Lima Barreto. Mas quem persegue anti-facistas é fascista. É fascista na batata, como diria o Lima. Quem vai duvidar disso?

  8. Apesar de saberem que o fascismo, cedo ou tarde, se volta contra eles, os liberais costumam namorá-lo, acreditando que se trata de um mal menor na sua disputa contra as esquerdas.

  9. a prensenca na lista de nomes como, Paulo Sérgio Pinheiro e Ricardo Balestrerisao de certa foma sao garantia q vira forte resposta internacional. Jah passou da hora de empreenderem um forte boicote externo contra o Brasil. Infelizmente todos pagaremos o pato mas nao ha alternativa. De dentro eh q nada vira para nos ajudar, isso jah ficou claro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *