O falso ‘caos’ argentino: corte de US$ 30 bi na dívida externa

Lembra da previsão de Jair Bolsonaro de que, com uma vitória da chapa Alberto Fernández-Cristina Kirchner, o pais vizinho ia cair no caos e os argentinos se acumulariam para entrar no Brasil, em busca de segurança?

Pois é, um ano depois, eles não estão muito melhores que nós no combate à pandemia como, também, conquistaram credibilidade internacional – comparada à nossa deterioração aos olhos do mundo – ao ponto de fechar um acordo com os credores da dívida do país em bônus lançados no exterior, que a trocarão por novos títulos, com 46,5% de deságio, numa economia para o país de 3o bilhões de dólares.

Nem o Ministro da Fazenda e o ex-presidente do BC argentinonos tempos de Maurício Macri – Luiz “Toto” Caputo e Guido Sandleris – puderam deixar de elogiar os termos do acordo, uma das promessas de campanha de Fernández.

Enquanto isso, o “amigão” do mercado por aqui, vê nossa dívida pública saltar, para atingir, até o final do ano, 100% do Produto Interno Bruto.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

6 respostas

  1. Este governo será derrotado pela economia . E levara o povo as ruas . Como dizem por essas bandas pelo ” bucho ” .

  2. A CHINA já disse: “..o BRASIL não é o unico país da América Latina a produzir alimentos..”

  3. Me assustei com a falta de um “só” no primeiro parágrafo.
    Ha duas questões importantes aí. Primeiro o cumprimento das propostas de campanha e a forma humana como encaram a Pandemia. Segundo a postura da direita diantes dos acertos. Não se parecem em nada com o Brasil

  4. O que esperar-se,de um sujeito,cujo nome começa com a silaba inicial, BOL,não lhes lembra alguma coisa?Pode ser BÓS,que também lembra ,outra coisa,não é verdade?

  5. Observe o texto “eles não estão muito melhores que nós no combate à pandemia como” , eles não só estão muito melhores que nós no combate à pandemia, como

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *