O ‘herói’ de Bolsonaro era segurança de bicheiro assassinado

Quando, em pleno Carnaval, Alcebíades Paes Garcia, irmão do ‘bicheiro’ Maninho (Waldomiro Paes Garcia) foi emboscado e assassinado, este blog, apenas com a memória e publicações de jornais, lembrou que o ex-PM Adriano Nóbrega, fuzilado dias antes na Bahia, tinha ligações com ele.

Hoje, na Folha, Cátia Seabra e e Ítalo Nogueira, documentam esta ligação, com os depoimentos, em juízo, de Rogério Mesquita (também assassinado depois), que confessou ter indicado, em 2004, o então PM, amigo de Fabrício Queiroz, para ser segurança de “Bidi”. Adriano estava preso, mas indicava outros policiais para fazerem a guarda o irmão do contraventor.

No ano seguinte, ele recebeu a medalha Tiradentes de Flávio Bolsonaro e” foi defendido por Jair em discurso na Câmara em outubro do mesmo ano, após ser condenado no processo de homicídio”.

Portanto, aquele que Jair Bolsonaro chamou de “herói” e disse ter mandado condecorar, já era, àquela altura, segurança de bicheiro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. Esse foi o caminho de muitos dos torturadores que foram anistiados mas perderam o emprego com o fim da ditadura. A criação da Liesa, Liga das Escolas de Samba do Rio de janeiro é intrinsicamente ligada a essas pessoas, capitaneadas pelo finado ex-presidente Capitão Guimarães, desculpe a redundância. Todos provenientes dos grupos militares da tortura e de extermínio, e que sobreviveram e sobrevivem muito bem encarregados da segurança dos chefões do jogo do bicho.

  2. AS FORÇAS ARMADAS SÃO UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA,O BRAÇO ARMADO DO BANDIDO JAIR BOLSONARO.

  3. AS FORÇAS ARMADAS SÃO UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA,O BRAÇO ARMADO DO BANDIDO JAIR BOLSONARO.

  4. Todo mundo gosta do ” bicho” , imagine ele rachado .No Rio as rachadinhas vão além da assembleias .

  5. Esse foi o caminho de muitos dos torturadores que foram anistiados mas perderam o emprego com o fim da ditadura. A criação da Liesa, Liga das Escolas de Samba do Rio de janeiro é intrinsicamente ligada a essas pessoas, capitaneadas pelo finado ex-presidente Capitão Guimarães, desculpe a redundância. Todos provenientes dos grupos militares da tortura e de extermínio, e que sobreviveram e sobrevivem muito bem encarregados da segurança dos chefões do jogo do bicho.

  6. O tempo não ajuda Bolsonaro. Quanto mais o tempo passa, mais comprometimento, mais choque e mais sobressalto lhe aparece. Gozado é que os bichinhos de estimação do capitão querem dizer agora que o Maia está dando um golpe no seu mito. E chamam nada menos que as Forças Armadas para tomar providências contra o Maia e deter seu golpe contra… Contra… Contra o quê mesmo? Contra a implantação da ditadura? A carga de robôs está toda em cima do Maia, só porque a Globo o mostrou fazendo negociações com empresários na Espanha, em nome do Brasil. Depois de um concurso interno de apelidos, resolveram chamar o Maia de Nhônho Safadão. Ah, ah, ah…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.