O império não tem piedade

A notícia de que o Brasil foi retirado da lista de países que, pela classificação de “em desenvolvimento”, merecem algumas vantagens na Organização Mundial do Comércio, mais que ser outro sinal de desprestígio dos EUA ao país cujo presidente segue Donald Trump com a submissão e cachorro e mendigo, não tem tido a leitura mais terrível de seu significado.

É que seu alvo principal é a China, justo no dia em que o país procura voltar, ainda que parcialmente, ao trabalho, em meio ao um desastre sanitário que tem mais de 43 mil infectados e passou das mil mortes.

Estaríamos na lista de qualquer jeito, mesmo que o sujeito que dirige o país não tivesse dado a cara do Brasil a bater, com o objetivo de colocar uma possível – mas ainda remota – entrada na OCDE como “conquista” de seu governo inútil.

No caso da China, é um sinal que, mesmo diante da iminência de queda da economia que é, reconhecidamente, o “motor” do comércio global, o governo Trump não lhe estenderá a mão.

O surto e coronavírus deu a Trump a chance de agir sem que os chineses possam reagir.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. Os Estados Unidos da América nunca respeitaram país algum. Lutaram e gastaram uma quantidade de dinheiro incalculável para destruir a União das Repúblicas Socialistas, perderam. A Rússia atropelou o poder hegemônico militar estadunidense, em tecnologia e grau de precisão e letalidade. A China desmonta, passo a passo, a hegemonia econômica estadunidense. O império está em decadência e quem se alinhar a ele terá o mesmo destino. O Brasil está condenado ao fracasso como nação e seu povo pagará pelo destino que escolheu , quer por omissão, quer por decisão política inconsequente.

    1. Tem toda a razão.

      Isso é responsabilidade dos 57.797.847 que votaram no mico, 2.486.593 que votaram em branco, 8.608.105 que anularam seus votos e 31.371.704 que nem foram votar, totalizando 100.264.249 cidadãos brasileiros responsáveis por este estado de coisas.

      Faço parte dos 47.038.963 que votamos no professor doutor Fernando Haddad.

  2. É uma atrás da outra e não aprendem que quanto mais se abaixa, mais se mostra a bunda. Nem podem ser considerados vira-latas porque, até esses, quando agredidos, reagem. Desprezo total, vergonha alheia!!

  3. Mais do que a China, o ALVO americano aqui nesta ação são os países do bloco BRICS (a Rússia era o único fora desta lista dos em desenvolvimento) e em retaliação econômica a toda a estrutura do bloco que desafia os EUA e o dólar.
    Banco BRICS e comércio dentro do bloco sem dólar são ameaças REAIS a hegemonia econômica dos EUA…

    Esta ação americana até demorou…

  4. O perder as vantagens de ser um país em desenvolvimento na OMC, era inerente à candidatura à OCDE, e o Brasil perdeu o certo pelo incerto, pois nada garante que o país entre nesse grupo, e com a política externa que pratica muito dificilmente vai entrar, pois basta o veto de um dos países membros para não entrar. E a França, Alemanha, e Áustria já mostraram que não têm boas relações com um governo de milícias. Nunca o Brasil teve um governo tão incompetente nem no tempo da ditadura. O brasileiro em vez de evoluir, parece que retrocede, e isso vai-lhe custar muito caro, não só aos que votaram no bozo, mas sobretudo aqueles que não votaram. Vão-se preparando para péssimos tempos que se avizinham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *