O pacto golpista sobrevive pela inércia e vence pelo arbítrio e cansaço

capas

Matias Spektor, num interessante artigo sobre o vazio da candidatura Luciano Huck – expresso no uso repetido de um “ressignificar” que ninguém sabe o que significa, mas ” virou moeda corrente em grupos de renovação política nascidos no eixo Leblon-Vila Madalena na esteira do impeachment” produz um resumo muito feliz sobre os períodos FHC, Lula e Temer:

FHC fez suas reformas impondo à própria base aliada a pauta do combate à inflação; Lula fez o mesmo com o combate à desigualdade. Temer, cuja agenda não foi aprovada nas urnas, não precisa disso: sobrevive graças ao pacto nacional, com o Supremo e com tudo.

Afinal, é isso o que estamos assistindo: nunca um governo se expôs tanto ao ridículo, nem ao desgaste diante da opinião pública mas, “é o que temos” e, se o Judiciário cumprir o papel que tem neste “pacto” o que – na visão deles – continuaremos a ter depois das eleições de outubro.

A classe média, ou parte dela, vive sonhando com o Brasil onírico que tínhamos (??) antes do “lulopetismo”.

O patrimônio nacional é vendido, contra a opinião dos brasileiros que, sem eleição, não vem ao caso.

O mercado segue ganhando como sempre, antes, durante e depois da “Era PT”.

A exclusão social voltou à toda, com as ruas cheias de indigentes, salários em corrosão, empregos em extinção, no retrato da “viração possível” que nem mesmo as estatísticas genéricas escondem.

Nas ideias, vivemos um período medíocre e obscuro, perdidos em “tretas” sobre o politicamente correto e silêncio sobre o essencial, aceitando a agenda da mídia que erige Anitta e Pablo Vittar – nada contra ambos – como referências de “empoderamento”.

Agora, o “pacto da mediocridade” em que nos mergulharam, desde que as “jornadas de junho”, o “padrão Fifa” e o neomoralismo foram impingidos – sem grandes resistências, é verdade – à sociedade, prepara-se para cortar o mais forte vínculo entre o Brasil real, o do povão, e a política, com a cassação da candidatura Lula.

O golpe do golpe nos encontra cansados, não apenas da luta principal, mas de toda as derivação a que somos obrigados, todos os dias, para tratar de temas de comportamento pessoal e moral privada que, absolutamente, nada tem a ver com a esfera pública.

Neste tempo de ameaça à essência da democracia: o direito de que o povo seja o juiz supremo dos destinos do país, não podemos nos permitir tergiversações.

Porque é este o direito essencial de 204 milhões de pessoas que ficará na mão de três senhores.

E a decisão se o pacto da mediocridade, afinal, continuará regendo os destinos do Brasil.

 
 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

9 respostas

  1. Eu acrescentaria que o pacto golpista sobrevive pela inércia e vence pelo arbítrio e cansaço e turbinado pela covardia deste povo varoníl.

  2. estamos em pleno golpe vão inviabilizar Lula e impedir manifestação pela internet em blog que não for favorável ao governo , depois de imporem a lei da ficha limpa, vão impingir a lei da fake new, onde informações que não vierem da globo estarão proibidas e também os comentários. O Brasil se tornou uma ditadura do judiciário e da mídia a nós restara trabalhar p/ sustentar essa camarilha.

    1. Quem sabe se isso acontecer o povo para de chorar na internet e sai as ruas né não. Na época das diretas já não tinha internet.

  3. Querem assassinar o Lula politicamente, por tirá-lo da disputa eleitoral em que sua vitória é líquida e certa. Marcaram o julgamento para o dia 24 Janeiro, entre o ano novo e o Carnaval, época de férias nas Universidades e escolas secundárias, locais de onde podem surgir potenciais manifestações públicas. Ou seja, o TRF 4 passou um recibo de que teme reações vindas de baixo. É bom atentar para o fato de que até as vésperas do suicídio de Getúlio Vargas – em agosto de 1954 num outro dia 24 – reinava a defensiva entre os apoiadores do presidente. Era notável a relativa passividade nos bairros populares cariocas diante da escalada de denúncias da corrupção que teria origem no Catete. Quando a notícia da morte do “pai dos pobres” se espalhou, o país entrou em catatonia coletiva, que se desdobrou em violentas ondas de protestos no Rio de Janeiro.

      1. Alícia

        Cachorrinha vadia !
        Você se faz de engraçadinha é ?
        Porque você não vai procurar rolas?
        Suas piadinhas infames não têm a menor graça. Seja mais autêntica, impalinha de Thompson !
        Vagabinha.
        Barbie.
        Kkkkk

  4. Mais um aumento de preços dos combustíveis.
    O povo vai pagar a conta do golpe do desgoverno de golpistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.