O pão-de-ló

“Eu sou que nem pão-de-ló, quanto mais me batem, mais cresço”. A frase, que ouvi tantas vezes de Leonel Brizola em campanhas eleitorais, aplica-se hoje perfeitamente a Fernando Haddad nos enfadonhos debates de televisão entre candidatos.

Recuperando trechos do debate, que não pude assistir ao vivo, e lendo sua análise nos jornais e sites, fiquei impressionado com a convergência no nada.

Rivais sobem tom contra Bolsonaro e Haddad em debate na TV“, diz a Folha; Centro sinaliza união em debate e ataca ‘radicalismo’ de Haddad e Bolsonaro, afirma o Estadão, enquanto O Globo escreve que “Em debate, candidatos a presidente atacam Bolsonaro e Haddad, e criticam polarização.

É mais do mesmo que venho afirmando aqui: todos tentando comer do prato do antipetismo e, portanto, todos ficando com algumas migalhas, porque o “grosso”  disso já está com Bolsonaro.

A meu ver, o mais equivocado de todos é Ciro, que tinha uma avenida aberta à sua frente para ser o que de fato é: um dos mais ácidos críticos de Michel Temer, o odiado. Era um campo onde, afinal, reinaria praticamente sozinho ou poderia disputar com Haddad.

Escolheu  ser “mais um” antipetista e o resultado é que saem todos numa “geleia geral” onde até o histriônico Cabo Daciolo agora resolveu entrar.

Falam contra “o radicalismo”, mas seu comportamento agressivo destoa completamente da ideia que acham pretender passar.

Fica nítido ao espectador que ali não há esperança de vitória, trata-se apenas de “segurar o meu eleitor”.

E eleitor, na última semana, não se segura, exceto os militantes: ou se ganha ou se perde.

Haddad, se não tem boa “presença de palco” – ponto forte de Ciro – está transmitindo sinceridade e uma calma paciente que para alguns de nós, mergulhados na polêmica política, chega a incomodar.

Do ponto de vista da comunicação política, porém, ele está certíssimo: está falando a eleitores que estão em casa, os olhos brigando com o sono, cansados. E cumpre seu objetivo, de resto fácil num debate sem peso eleitoral: não produzir ou deixar que se produza qualquer ato que lhe possa tirar votos.

Cresce pelas críticas dos outros que, assim, ratificam sua condição de favorito.

E que, fazendo do antipetismo agressivo e raso seu cavalo de batalha, acabam ficando com cara de “ajudantes do ex-capitão”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

32 respostas

  1. Oposição bisonha, não tem plano de governo.
    Ficam falando do deus deles e criticando o PT.
    Parece mesa redonda sensacionalista e não um debate político.

  2. Eu olho pra essa foto e penso que um dia esse negócio de querer juntar os candidatos num “debate” com pretextos democráticos vai ter ficado pra trás, dos tempos em que a tevê era a única maneira de conhecer quem eram aquelas pessoas. Parece tão anacrônico e tão “jogos vorazes” ao mesmo tempo. E fico tentando imaginar se existe do outro lado do aparelho de tevê pessoas que genuinamente queiram ouvir o que é dito para além do que já decidiram, de acordo com o ambiente em que estejam visceralmente inseridas.

  3. Será que um debate chocho realizado às 22 horas de um domingo e na emissora do cara que manifestou apoio ao Coiso tem capacidade de influir em alguma coisa? Nem perdi tempo com isso.

  4. Esse modelo está ultrapassado. Ontem tentei , assistir mas vi uns 20/30 minutos quando minha esposa falou ” Esse Alckimin tem 20 anos que fala a mesma coisa,a Marina coitada até hoje não se sabe o que pretende se for presidenta”; resolvemos mudar de canal. Haddad ganhou votos pela falta de compromisso, mensagem e clareza de programa de governo dos outros presentes, exceto o Ciro que abe o que fazer no governo mas não diz como e também continua com uma cruzada suicida contra o PT; gratuitamente ofende e ontem também sobrou para o Alckimin. Enfim, até o capitão foi beneficiado mesmo ausente. Uma perda de tempo esses debates; nada de construtivo. Uma mesa redonda esportiva é bem melhor e causa mais impacto.

  5. Lamento por aquele que deva por obrigação profissional acompanhar esse tal de debate eleitoral.
    Não sou militante de nenhum partido,mas meu voto está decidido hà décadas
    .Pessoas que precisam de debates para definir seus votos ,fora uma pequena parcela da sociedade que navega em águas calmas sem ser rico,o resto é POBRE,TRABALHADOR,PEQUENO COMERCIANTE em fim,se tivessem consciência política ,não teriam dúvidas.
    Fazer o quê,eu imagino um mundo em que as pessoas não votem em pessoas ,mas em IDÉIAS.Um dia ,quem sabe.

    1. Infelizmente, temos que votar em pessoas, pois muitos traidores trocam ideias por dinheiro e poder. No debate, temos como traidores claros do ideal de esquerda, Ciro e Marina. Como traidores da democracia e apoiadores de Temer: Alckmin, Álvaro dias e Meirelles.

  6. Ciro infelizmente parece que tomou um caminho sem volta. Não vai seguir o conselho lúcido do PHA. Deve estar com o projeto de receber a herança do PSDB e se tornar oposição ao PT. Isto apenas não consistiria em algo errado, mas o pior é que parece estar aderindo ao uso da mentira.

  7. Estão colhendo os frutos da ação do gênio de Lula, que matou, exceção de Bolsonaro que conta com os votos das viúvas da ditadura, todos os demais candidatos, especialmente os golpistas escondidos em outras denominações partidárias. Estão sem discurso, todos, que possa atingir o povão, e estão perdendo parte da classe média.

  8. Bolsonaro já empregou a fsmília, seu único projeto, foi competentíssimo, faz discurso contra políticos em geral no entanto todos os parentes se garantindo em algum cargo bem remunerado. Ele realmente é inteligente e sabe muito bem usar os burros. Merece não?

  9. Ciro, na sua onisciência – ou seria arrogância? – julga saber mais das intenções de Haddad que o próprio petista: “Me perdoe, Haddad, mas você não acredita em nada do que disse”

  10. Sinceramente, eu não gostaria que o Ciro terminasse assim. Ele procurou este caminho! Dançou assim como a Rainha das Selvas. Ciúmes pra que te quero!

  11. Nada a reparar ou a acrescentar.
    Aproveito para registrar um incômodo pessoal. Eu odeio a burrice, essa força avassaladora da natureza, como diria Nelson Rodrigues. A burrice tem um poder de destruição que nenhuma arma apocalíptica feita pelo homem consegue alcançar. Vejo-me por ela cercado, a não ser, é claro, que o burro seja eu. É possível, afinal, umas das características dos burros é a de não reconhecer a burrice, inclusive e especialmente, em si próprios.
    Eu não estenderei pitacos à burrice dos candidatos em geral. Há, entre eles, burrices, as mais variadas, indo das episódicas às encalacradas. Mas, se tivesse de escolher, o burro do ano seria Ciro. Nem vou cansar alguém explicando, é auto explicativo.

  12. As vezes eu penso, que O PT/Haddad e Ciro, tem um acordo velado. “Ciro voce critica o PT, pois mantem um pouco de simpatia (ou menos antipatia) da direita e da extrema direita, nós não lhe criticamos e voce estará no nosso governo, para o bem desta naçáo”.

  13. Jair Michelnaro – 50 Tons

    “… A julgar pelas últimas eleições presidenciais e pelo resultado de pesquisas mais recentes, a sociedade brasileira ainda vê com muito bons olhos a presença do Estado na provisão de serviços públicos universais e gratuitos de saúde e educação; de um sistema de aposentadorias que atenda à massa de trabalhadores que não conseguiria poupar o suficiente para viver com dignidade na velhice; de uma rede de proteção social para os vulneráveis, e até mesmo na exploração de setores estratégicos como petróleo e energia elétrica. Ou seja, a forte rejeição à corrupção não levou a população a defender uma agenda ultraliberal.
    Nesse contexto, a transformação de Jair Bolsonaro em um fantoche de um projeto baseado no extremismo de mercado — hoje rejeitado pelos mais renomados proponentes do liberalismo econômico mundial — pode ter aberto uma avenida para a sua derrota nas urnas. O superministro da economia em um eventual governo Bolsonaro, Paulo Guedes, defende publicamente a “Ponte para o Futuro” de Temer; a permanência de membros de sua equipe econômica; o fim dos reajustes automáticos de salário mínimo; a privatização de todas as empresas estatais; o abandono do sistema atual de Previdência; a reforma trabalhista; a transferência dos melhores alunos do sistema público de ensino para as escolas privadas, sepultando de vez a qualidade da educação pública no país; e até mesmo o aumento de impostos para a classe média…”

    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/laura-carvalho/2018/09/o-bobo-da-corte.shtml

    http://www.tijolaco.com.br/blog/laura-carvalho-bolsonaro-e-temer-ao-quadrado/

  14. Discordo, desde Lula o PT não tinha um candidato que se expressasse tão bem, Dilma era uma lástima e ainda assim ganhou duas vezes……

  15. A censura aqui está alta. Faço análises sensatas para um debate de alto nível, mas insistem em me censurar. Será que é porque eu aponto as contradições do petismo? Deve ser. A que ponto chegou àqueles que “rogam pela democracia”? Hoje são hipócritas e cegos.
    Ciro 12.

  16. A fala do Bozo de que “não ligará para Haddad caso perca a eleição” foi uma “delícia” de se ouvir, como diria Ciro Gomes. Reconheceu a derrota antecipadamente.

  17. Eu assisti ao debate inteirinho. Posso garantir que não foi um debate chocho, estéril. Não foi. Ontem a polaridade foi combatida como única alternativa. Tanto o Coiso, quanto o PT foram fortemente criticados. As respostas de Haddad não foram convincentes à contundência das críticas. (coitado do Haddad, tem que defender o indefensável). Até Boulos fez uma crítica ao modo do PT fazer política (acordos de bastidor com corruptos continua existindo). Ontem foi enfatizada uma idéia. Precisa ver se ela vai frutificar nesta semana, que Alckmin disse ser de-ci-si-va…

  18. Tentarão candidato paraguaio correndo por fora, Alckmin ou Ciro, pra derrubar Bozzo do 1º Turno e operar Haddad com logaritmo no 2º. Cama, peido e canja de galinha, capitão.

  19. Ciro não foi antipetist, não seja injusto. Fez suas críticas, e questiona o Haddad sim, civilizadamente e dentro do que o debate permite, e como concorrente do Haddad.
    Discordo mto de ti, Brito. Queria que o Ciro fizesse o que? Falasse do pt como se fosse o candidato do Pt? Para depois o Lula chegar lá e apontar o Haddad candidato. Tal questão só beneficiaria o Pt, pois no final, ganharia os votos do Lula quem o Lula indicasse, simples assim.

  20. Reinaldo, sei o que você quer dizer nas entrelinhas. Confesso que acho você um
    direitista inteligente. A
    única forma de impedir que o PT volte ao poder é a turma do bolsonaro e do seu candidato
    alkimin votar numa terceira via que possa realmente vencer Haddad. De fato,
    essa terceira via é o Ciro gomes mesmo. Só que a turma do PSDB pode até ser inteligente, mas não tem nenhuma humildade. E quando eu digo nenhuma, quero dizer nenhuma mesmo! E a turma nazifacista de extrema direita, além de não ter
    humildade, é composta de trogloditas, reacionários, e homofobicos e não tem absolutamente nada a ver com a natureza dos brasileiros e isso, com certeza, vai refletir no segundo turno. Alem disso, essa turma nao tem tutano nenhum. E aqui, novamente, quando eu digo nenhum, é nenhum mesmo!
    Não dá mais
    tempo da turma se
    organizar para uma reviravolta nesse nível, mesmo por que a coisa tem que ser feita agora no primeiro turno. Então, meu filho, sinto muito, mais seu recado oculto vai ficar deveras prejudicado. Nesta altura do campeonato e com os ânimos acirrados, a ultima coisa que a turma nazifacista vai fazer é tomar
    banho de inteligência. Embora ela seja composta de mulheres limpinhas e cheirosas, no quesito inteligência, sobretudo, emocional, a turma não é ‘higiênica’ não. Vocês da direita, bolsonaristas ou não, vão ter que tolerar o PT mais uma vez. Portanto, seu recado mais ou menos ‘oculto’ fica prejudicado.
    É isso.

    1. . A turma do Alckmin odeia o Ciro. A turma do Bolsonaro chama ele de comunista. Falo por viver em grupos de WhatsApp, nos quais a maiorida Possuem mtos bsonaristas. Para vc ter ideia, há nesses grupos mais vídeos contra o Ciro Gomes do que contra o Haddad, como se qm fosse para o segundo turno fosse o próprio Ciro.

  21. Vou corrigir meu comentário anterior respondendo, por equívoco, a Reinaldo Azevedo, caso ele seja
    publicado. O artigo é do Brito e nao dele. Em resumo: a turma da direita não tem humildade para um voto útil e a turma da extrema direita é limpinha, cheirosa e não defeca na rua, mas carece de um banho de inteligência, sobretudo, emocional .
    Neste quesito, essa turma de facistas, machoes, homofobicos, racistas e hipócritas não
    é higiênica não.

    .

  22. Opa, Haddad é Brizola agora. Já já vira Deus. Daí vai fritar ovos com Ana Maria Braga com seu colar de tomates.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *