O paraíso é o da Tuiuti, o inferno é o da direita

vice

O velho Briza, na sua sabedoria atávica, falava de algo que os bobalhões da teoria não conseguem entender.

O processo social.

Hoje, almoçando tardiamente num “a quilo”- num bairro de classe média reacionária – a tevê transmitia o julgamento dos desfiles de carnaval e dois sujeitos torciam, um pela Beija-Flor  outro pelo Salgueiro e ambos concordavam que a Paraíso do Tuiuti deveria ser a campeã do Carnaval.

Todos eles sabiam que não seria ela a vitoriosa e se surpreenderam de ter perdido por apenas um décimo.

Mesmo torcendo por suas escolas “grandes”, reconheciam que  a escola do “não sou escravo de nenhum senhor” era a vitoriosa real.

Nem falo de “armação”, pois o julgamento de uma escola por “quesitos” é como avaliar a beleza de um corpo esquartejado.

O fato é que o enredo, o samba e o desfile tiveram um sentido atávico também.

Nada do que é dito ali, de forma racional, teria mobilizado multidões.

A arte mexe com isso, com o que está aquém e, sobretudo, além da racionalidade.

Os marqueteiros, que a tudo tratam como “case”, deveriam por tento nisso.

Há uma torrente de insatisfação que não é superficial quanto o que imaginam ser  a força do “novo” encarnado pelas velhas práticas, como este blog mostrou durante o Carnaval.

Vai passar, como dizia o Chico, nessa avenida um samba popular e, como aconteceu agora, cada paralelepípedo dessa cidade vai se arrepiar.

Um sentimento que, talvez, fique como “vice-campeão”. Pode ser. A Beija-Flor mais se adequou aos tempos do “politicamente correto”.

Mas, como reconheceram os dois torcedores do “comedouro”, o sangue fluía era na Tuiuti.

Os intelectuais farão pouco disso.

O povo, para eles,  é um alienado, como  alienados eram meus interlocutores casuais, talvez prontos a repetir o discurso de “corrupção” como o grande mal.

Mas, dentro deles, algo se despertara.

Bem mais fundo, profundo, fecundo.

A história, esta senhora – caprichosa por óbvio – escreveu algo em seu livro aberto. Mas que, como nos versos de John Donne, a entendidos é dado-lê-lo.

Ou “não sou escravo de nenhum senhor” não é o mesmo que traduzia o “não mais será escravo de ninguém”?

Às vezes é preciso ser meio doido para ser lúcido.

O povo não precisa ir a comício para fazer o seu comício.

Amanhã a gente volta à política, onde estamos cheios de velhas novidades…

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

  1. E além de tudo que dissestes, essa foto com a legenda “Vice…” foi genial. Meu cérebro sorri à ironia.

  2. Esse carnaval foi realmente o melhor dos últimos 50 anos.

    Zeca Pagodinho humilhando o já considerado pior prefeito da história de São Paulo e o fenômeno mundial Paraíso do Tuiuti-A melhor escola de samba do Brasil no
    momento.

    Beija Flor ganhou mas não convenceu ninguém(assisti no youtube os dois desfiles da campeã Paraíso do Tuiuti e a escolha dos bicheiros Beija Flor)deve ter tido muito carregamento de trigo igual no jogo Argentina x Peru em 1978 e acordos politicos igual Sarney e Roberto Marinho,por exemplo.

    E a escola de samba privada dos atores da globo rebaixada.

    O segundo lugar da Paraíso foi muito esquisito para não falar abertamente em roubo.

  3. Lamento não concordar com tanta empolgação ,por um simples espetáculo que nada mudará (é meu sentimento).
    Se as medidas concretas ,agressivas,ilegais,avassaladoras,imorais do governo dos golpistas não conseguiu mexer com os brios de uma massa,não será esta escola ,que fará o milagre.
    Pior ,quando via as imagens das ruas cheias ,empolgadas atrás de uma “alegria ” efêmera,vazia ,ME FAZIA PENSAR,COMO ESSA MASSA SAI AS RUAS SEM NENHUM ESFORÇO PARA FAZER FESTA E NÃO SAI AS RUAS PRA LUTAR POR UMA VIDA MELHOR!!!!
    A CONCLUSÃO QUE CHEGUEI APÓS MAIS UMA AMOSTRA DE ESTUPIDEZ DE UMA MASSA APARENTEMENTE FELIZ E QUE É O CAMPEÃ DE CONSUMO DE ANSIOLÍTICOS E ANTIDEPRESSIVOS ,É ,FODAM-SE!!!

    1. Então não perca seu precioso tempo digitando fel niilista na rede. E você não perde por esperar, pois vem aí o capítulo seguinte do gigantesco espetáculo popular, que será a Semana Santa. Com a palavra a Igreja Católica.

      1. Tomas, por mais vontade que eu queira que Hocus estivesse errado, quanto ao que a massa venha a fazer para derrubar este governo e reimplantar a democracia, eu tenho que admitir, que a inércia ira’ tomar conta, apos o carnival.

      2. Vc não me conhece meu caro ,tenho feito em meus mais de 60 anos muito mais por mudar o mundo do que vc seu BOSTA,com ações concretas e não com gritinhos histéricos e infantis.
        Guarde sua arrogância,tem muito para aprender.Quando vc ainda estava no saco do seu pai,eu já enfrentava junto com muitos outros os agentes dos regimes em ações concretas ,reais.
        Vou lhe dizer que eles fazem com o “protesto”da Tuiti,…limpam a bunda. Pense um pouco antes de defecar por aqui.

  4. É isso aí, parabéns FB a sua Cidade jamais lhe negou ser a mais politizada isso é fato é sempre será assim nesse país Continental e orgulho dos brasileiros a Nação não precisa de golpes, de quebrar sua Gioven Democracia a semente da revolta está plantada e só uma questão de tempo e a Nação voltará a navegar em águas tranquilas e sol de brigadeiro disso não temos dúvidas.
    Quando os trairas e vende pátria imaginaram que estava tudo nas trevas. eis que aparece um samba cheio de glória e arte e fez a terra tremer!! Parabéns a escola e seus bravos guerreiros.

  5. A G.R.E.S Paraíso do Tuiuti derrubou o dito que diz que o carnaval é o ópio do povo. O ópio é a Globo, desde a ditadura!

  6. Porra CARA não precisa exagerar na inteligência, a direita pira e o MBL sai estorvado, assim.
    Vou mandar uma doação para um salmão com um bom vinho.
    Abraço fraternal.

  7. O carro alegória da Tuiuti, que criticava a Rede Globo foi “escondido” pela emissora carioca durante a transmissão dos desfiles !!!

    Fora ‘Grobo’ !!!

    1. C.V.C.M.P

      Acho que finalmente você falou algo com nexo.
      Só não precisava colar um texto tão comprido.
      Tá se recuperando boneca!
      Vadia !

  8. A relação entre bicheiros e escolas de samba
    QUA, 14/11/2012 – 10:00
    ATUALIZADO EM 14/11/2012 – 14:06
    Por Marco Antonio L.
    Do Observatório da Imprensa
    É carnaval!
    Por Mauro Malin em 13/11/2012 na edição 720
    Quem precisar de elementos de convicção para aceitar o fato de que crime organizado e poderes constituídos possuem laços “carnais”, como diria Carlos Menem, deve ler a reportagem de Leandro Souza e Hudson Corrêa – “As notas falsas do Carnaval. Como o jogo do bicho usa as escolas de samba para desviar recursos públicos e lavar o dinheiro da contravenção” – publicada na edição nº 756 de Época (data de capa 12/11/2012).
    Isto vem a propósito de afirmações contidas no tópico “A imprensa e os mortos sem nome
    ” (ver parágrafo que se inicia com “Criminalidade e política estão ligados…”).
    Os repórteres da Época trabalharam a partir de investigação feita pelo Ministério Público (MP) estadual do Rio de Janeiro. Os poderes envolvidos são a prefeitura do Rio de Janeiro, a Câmara de Vereadores e o Tribunal de Contas do Município (TCM). Seus interlocutores nos negócios são próceres da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio) como Aílton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães, Anísio Abrahão David e Antônio Petrus Kalil, o Turcão, condenados pela Justiça Federal a 48 anos de prisão cada um, acusados de “chefiar o crime organizado dos jogos ilegais, de corromper policiais e de agir com violência para manter seus negócios”. Estão em liberdade por determinação do STF. Negam os crimes pelos quais foram condenados.
    Faltou dizer que o apelido de Aílton Guimarães Jorge não é uma alegoria. Ele serviu no DOI-Codi do então I Exército, é acusado de ter torturado presos políticos. Eis uma descrição de suas atividades no contrabando, praticadas durante as folgas do DOI-Codi, feita por Elio Gaspari em A Ditadura Escancarada :
    “No final de 1972 o capitão Guimarães, escoltado por um sargento, juntou-se à guarda que protegeu na praia do Caju a desova de uma carga de três caminhões com roupas e cosméticos.” Etc.
    O retrato do prefeito Eduardo Paes não é dos melhores. Abriu concorrência em 2009 para a organização do desfile carnavalesco. O TCM, supostamente para proteger a Liesa, impugnou o certame. A prefeitura, sob o argumento de que a realização do desfile estava em risco, cancelou a licitação. Depois de garantir ao MP que não mais repassaria verbas para a Liesa, Paes criou o Viradão do Momo, atividade que lhe permitiu dar dinheiro à entidade dominada por bicheiros.
    Mídia e empresas
    Diz a reportagem que a Liesa, organizadora do desfile do Grupo Especial, …
    “… é responsável pela venda dos ingressos para o Sambódromo, pelos direitos de transmissão de imagens para as TVs e pelos direitos autorais pela execução dos sambas. A Liga também tem recebido os patrocínios da Petrobras [governo federal] e do governo estadual do Rio. Essas receitas somam cerca de R$ 74 milhões por ano. As agremiações também embolsam dinheiro de merchandising, mas esses valores não são divulgados.”
    Os bicheiros do Rio criaram ao longo de décadas uma estrutura ilegal – mas não exatamente clandestina – que serve a várias modalidades criminosas, entre elas a “máfia dos caça-níqueis, que disputa a poder de tiros e assassinatos o espaço para a instalação de máquinas em bairros do Rio de Janeiro”, como escreve aÉpoca , e também ao narcotráfico.
    No livro Comando Vermelho (1ª ed. em 1993), Carlos Amorim descreve:
    “O dinheiro ‘sujo’ da droga vira dinheiro ‘limpo’ por meio de mecanismos legais de aplicação gerenciados por cidadãos acima de qualquer suspeita– a maioria advogados. Mas também tem empresário metido na lavagem de dinheiro, com investimentos na construção civil e no comércio. Há uma forte suspeita de que alguns banqueiros do jogo do bicho no Rio têm ligações com o esquema de lavagem dos lucros da droga.”
    Prefeituras, prefeituras…
    A Época não a explicita, mas alude a essa ligação, que, em condições normais de temperatura e pressão, deixaria a prefeitura do Rio em situação no mínimo embaraçosa:
    “A omissão da prefeitura e das demais autoridades públicas representa a conivência com a contravenção e suas práticas, que incluem a lavagem de dinheiro sujo e o financiamento da violência.”
    Mas o que se sabe é o contrário: se a prefeitura quisesse corrigir as coisas, estaria criado um tremendo furdunço. “Agenda negativa”, sabe como é…
    E que ninguém se iluda: esse tipo de contubérnio, como diria Ruy, não é exclusividade carioca. Nos municípios brasileiros, a partir de certo porte (população e/ou renda
    per capita), tem Carnaval, jogo do bicho, coleta de lixo, crack, “exploração do lenocínio”, superfaturamento, cabide de empregos, “habite-se”… e níveis de pobreza que, se permitem aos governos dizer que tantos por cento passaram da “classe” lixão para a “classe” favela, garantem, na base da pirâmide, a oferta de mão de obra barata necessária à viagem ascensional das “classes” emergentes. Na pior das hipóteses, para manter tudo como dantes no quartel de Abrantes.
    A turma que está no topo da pirâmide, essa deita e rola. Alguma vez foi diferente?

    GGN DO NASSIF

    1. C.V.C.M.P

      Acho que finalmente você falou algo com nexo.
      Só não precisava colar um texto tão comprido.
      Tá se recuperando boneca!
      Vadia !

        1. Você é mesmo um babaca! Acha que copiar e colar textão impressiona? Se colar textão fosse sinônimo de inteligência, você já teria arrumado um emprego decente em vez de ficar se prestando . a este papel asqueroso. O cara copia e cola texto maior do que o próprio texto publicado pelo dono do blogo para impressionar… Os caras que você defende estão cagando e andando para sua existência. Não venha tentar passar por isentão com certos comentários porque a gente te conhece de outros carnavais. Patetão!

  9. O desfile foi como um espelho uns olharam e encararam o que são realmente e o papel que desempenharam de fato em nossa história recente, outros saborearam a certeza que a verdade e a inteligência sempre aparecem e encontram uma maneira de manifestar-se.

  10. Vi coisas milagrosas provocadas pelo desfile da Tuiuti. Uma coxinha empedernida, que já vinha balançando graças a conselhos de sua filha que está estudando no Canadá, transformou-se numa eufórica torcedora que vibrava com a revelação dos manifestoches montados em patos e de panela na mão. E seu marido, com tendências tucanas bem visíveis, gritava que realmente tinha havido um golpe e que a escola deveria ser campeã.

  11. Brito, só tenho uma coisa a dizer: você é genial. O desfile da Tuiuti foi um tapa na cara da elite, dos politicos e juristas mediocres desse país. E tome-lhe povo. A eleição espera os políticos vendidos. A reforma da previdência já foi jogada na lata do lixo. Mas vamos ficar atentos, esses q estao3 no poder são traiçoeiros.

  12. “Há uma torrente de insatisfação que não é superficial”. Não adiantam os alertas, recados ou mensagens dos militares.O nosso povo pobre está cansado, aviltado e envergonhado com toda essa sujeira politica, administrativa, judicial e policial. O povo pobre brasileiro não quer voltar a ser escravo de nenhum senhor. Quer ser livre, Quer ser respeitado como cidadão. Quer alcançar o bem estar social igualmente a todos seus irmãos. Não adianta defender ou estar a serviços do povo rico, abastado ou do segmento republicano togado, policial ou politico. O povo humilde quer viver do seu trabalho, ter seus filhos educados e receber assistência médica adequada e eficaz.Se vocês servem a classe rica que fiquem com elas, mas deixem em paz os que querem paz…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.