O STF vai mesmo julgar a suspeição de Moro?

A menos que surja alguma revelação sensacional, bombástica,  de (mais) uma intervenção facciosa de Sérgio Moro no processo contra o ex-presidente Lula, não creio que a 2ª Turma do STF vá declarar sua suspeição amanhã, na continuidade do caso em que já há os votos contrários de Luiz Edson Fachin e Cármem Lúcia, dois que só votarão em qualquer questão contrária ao ex-juiz de Curitiba e houve “firma reconhecida” na ilegalidade.

A atitude mais provável  será ou a retirada de pauta ou o envio da questão ao plenário, se houve possibilidade regimental, o que pode ser facilitado pelo fato de Cármem Lúcia, recém-eleita presidente da Turma, ter poderes sobre a pauta da sessão de amanhã.

É importante recordar que nem a tibieza intrínseca, nem as pressões externas e muito menos a veia cúmplice do Supremo, coletivamente, deixaram de existir e, se não permanecem nos mesmos níveis de antes, pouco baixaram.

E claro que, em circunstâncias normais, a declaração de suspeição de Moro seria uma obviedade. Mas, se estivéssemos em circunstâncias normais, o agora ex-juiz jamais poderia ter chegado a isso ou, menos ainda, ao Ministério da Justiça.

Nunca é demais lembrar que estamos num país onde o Supremo Tribunal Federal é tutelado ainda pela mídia e pelas pressões militares que se explicitaram, grosseiramente, na mensagem intimidatória que lhe mandou, ano passado, o general Villas Boas. E que esta tutela é possivel porque há, dentro dele, uma parcela de ministros que, por razões ideológicas, não se envergonham em abandonar a letra da lei para adotar uma exótica psição de “intérprete da vontade popular”.

Vai ser preciso mais – muito mais – do que seria, jurídica e politicamente, necessário para a revisão de tudo que se construiu de forma política e irregular.

Isto é, acho, o provável. Mas estamos em plena temporada de escândalos, seja o do juiz que violou a lei para ser parte, seja o do tribunal constitucional que não dá muita “bola” para a letra da lei.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

  1. Concordo. Desse STF não se deve esperar nada já que como bem disse Romero Jucá sobre o golpe “com Supremo e tudo”. Todas as forças que se somaram ao golpe tendo a frente a Rede Golpe não armaram tudo isso para morrerem na praia. Porém, os vazamentos da Vaza a Jato são um bom começo para desmascarar essa farsa jurídica, mas ainda não seu fim. Esses golpistas não vão desistir fácil e vão utilizar todo o tipo de jogo sujo e ilegalidade para se manterem no poder.

  2. Infelizmente, o histórico de escândalos arquivados, esquecidos, digeridos não nos deixa muita margem pra acreditar que as togas mudarão. Ou enfrentam ameaças e chantagens agora ou se disfarçam de samambaia. Aposto na samambaia

  3. Provavelmente julgue e não aceite a suspeição de Moro, o que significa que Lula continuará preso e o Moro sairá “inocentado”. Fazer o contrário seria ter que admitir os erros do judiciário que foram conscientes, programados e pagos regiamente com salários absurdos e privilégios inimagináveis (isso é o que está explícito, sem contar outros mimos). Tropeços e dificuldades sempre aparecerão para os golpistas, mas não seria a suspeição de um juiz herói e conveniente para o processo fascista que se instalou no Brasil que iria mudar o rumo das coisas. O clima na direita e no judiciário é de deboche em relação ao Intercept e eles sabem que se aguentarem o tranco por algumas semanas tudo volta à gostosa vidinha de quem se locupleta dando uma gostosa banana ao país e ao povo.

  4. Obviedade maior é a condição de refém da maioria dos ministros, diante de sabe-se lá quanta “gente de bem”.
    A maioria desses ministros com certeza tem conta em moedas estrangeiras no exterior, não declaradas em seus impostos de renda, abastecidas com recursos de origem ilegal. E os que abasteceram as contas têm as provas cabais.
    A mídia e a população já deixaram de ser razão para os ministros se acovardarem. As revelações são sérias e foram levadas a sério pela maioria do povo e da imprensa.

  5. O STF faz parte do Clube do Golpe. Houveram varias oportunidades de se retornar aos trilhos da lei. Mas, em todas eles votaram contra. Como consequência se criou um monstro.

  6. Instituições democraticas devem ser sempre respeitadas, mas canalhas nelas empossados não. Já jogaram a dignidade de seus mandatos no lixo, não tem como feder mais façam o que fizerem arbitrariamente contra a justiça, no entanto a conta-gotas, o povo vai acordando, levantará um dia de seu berço não tanto esplendido atualmente. Homens de verdade surgirão e esses canalhas pagrarão o preço.

  7. ” dele, uma parcela de ministro que, por razões ideológicas, não se
    envergonha em abandonar a letra da lei para adotar uma exótica posição de
    “intérprete da vontade popular”.”
    Me desculpe, mas se vontade popular valesse alguma coisa o Lula seria presidente do país e não preso político.
    O que estes caras são é bandidos e estão até o pescoço dentro do golpe. Isto foi claramente explicitado pela frase lapidar “COM STF, COM TUDO”.
    VOCÊS PRECISAM PERDER O MEDO E DENUNCIAR O QUE ACONTECE DE VERDADE NESTE PAÍS: ESTAMOS EM UMA NOVA DITADURA MILITAR, DESTA VEZ MUITO PIOR QUE A DE 1964 PORQUE ESTA FOI UMA ASSOCIAÇÃO ENTRE MÍDIA, MILICOS, JUDICIÁRIO, MPF, PGR E GRANDES EMPRESÁRIOS.

  8. Otários, vão ser arrastados para o centro do Caos que Sergius Narcissus Mõro está criando!
    Quando tentarem sair será tarde!
    STF : CANALHAS , CANALHAS, CANALHAS!

  9. Nem com confissão assinada e com firma reconhecida a tal zelite vai largar o osso. Foram longe demais para saírem de cena de cabeça baixa.

  10. As pessoas ainda não entenderam o que é a HJC – Hermenêutica Jurídica Conveniente. É uma criação brasileira para burlar a Lei e a Constituição. Consiste em arranjar um jeitinho de interpretar a Lei e a Constituição de modo a encaixar e fazer valer a votante do julgador,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.