O vírus não tem classe. Suas vítimas, sim

Elio Gaspari, em sua coluna de hoje, na Folha e em O Globo, publica um avassalador artigo-reportagem, dando conta de que, à beira da explosão da pandemia do novo coronavírus, há nada em matéria de providências para que se cumpram os mandamentos constitucionais sobre o “acesso gratuito e universal à saúde”( Art. 196) e a participação das instituições privadas de “forma complementar do sistema único de saúde, segundo diretrizes deste”.

Vale a reprodução, é questão do mais alto interesse público:

A fila única para a Covid-19 está na mesa

Elio Gaspari

O médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto defendeu a instituição de uma fila única para o atendimento de pacientes de Covid-19 em hospitais públicos e privados. Nas suas palavras: “Dói, mas tem que fazer. Porque se não brasileiros pobres vão morrer e brasileiros ricos vão se salvar. Não tem cabimento isso”.

Ex-diretor da Agência de Vigilância Sanitária e ex-superintendente do hospital Sírio Libanês, Vecina tem autoridade para dizer o que disse. A fila única não é uma ideia só dele. Foi proposta no início de abril por grupos de estudo das universidades de São Paulo e Federal do Rio.

Na quarta-feira (29), o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Zasso Pigatto, enviou ao ministro Nelson Teich e aos secretários estaduais de Saúde sua Recomendação 26, para que assumam a coordenação “da alocação dos recursos assistenciais existentes, incluindo leitos hospitalares de propriedade de particulares, requisitando seu uso quando necessário, e regulando o acesso segundo as prioridades sanitárias de cada caso”.

Por quê? Porque a rede privada tem 15.898 leitos de UTIs, com ociosidade de 50%, e a rede pública tem 14.876 e está a um passo do colapso.

O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (ex-diretor de uma Unimed) jamais tocou no assunto. Seu sucessor, Nelson Teich (cuja indicação para a pasta foi cabalada por agentes do baronato) também não. Depois da recomendação do conselho, quatro guildas da medicina privada saíram do silêncio, condenaram a ideia e apresentaram quatro propostas alternativas. Uma delas, a testagem da população, é risível e duas são dilatórias (a construção de hospitais de campanha e a publicação de editais para a contratação de leitos e serviços). A quarta vem a ser boa ideia: a revitalização de leitos públicos. Poderia ter sido oferecida em março.

Desde o início da epidemia os barões da medicina privada mantiveram-se em virótico silêncio. Eles viviam no mundo encantado da saúde de grife, contratando médicos renomados como se fossem jogadores de futebol, inaugurando hospitais com hotelarias estreladas e atendendo clientes de planos de saúde bilionários. Veio a Covid-19, e descobriram-se num país com 40 milhões de invisíveis e 12 milhões de desempregados.

Se o vírus tivesse sido enfrentado com a energia da Nova Zelândia, o silêncio teria sido eficaz. Como isso era impossível, acordaram no Brasil, com 90 mil infectados e mais de 6.000 mortos.

A Agência Nacional de Saúde ofereceu aos planos de saúde acesso ao recursos de um fundo se elas aceitassem atender (até julho) clientes inadimplentes. Nem pensar. Dos 780 planos só 9 aderiram.

A Covid-19 jogou o sistema de saúde brasileiro na arapuca daquele navio cujo nome não deve ser pronunciado (com Leonardo DiCaprio estrelando o filme). O transatlântico tinha 2.200 passageiros, mas nos seus botes salva-vidas só cabiam 1.200 pessoas. 34% dos homens da primeira classe salvaram-se.

Na terceira classe, só 12%.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

26 respostas

  1. Deveria ter fila única sim, mas só pros menos favorecidos. Que são 90 % da população brasileira.
    O RESTO que se FODAM !
    Foram esses mesmos CANALHAS que CONTAMINARAM o Brasil !

  2. Se colar essa fila única, esses canalhas vão parar de fazer carreatas para que os trabalhadores que os sustentam se arrisquem. Contam com atendimento garantido no particular. Para eles a fila fará cair a mâscara da canalhice. É porão máscara protetora.

    1. Não se iluda. Se houver qualquer tentativa de estabelecimento de controle centralizado das vagas hospitalares privadas, eles não vão por máscara coisa nenhuma, vão começar a usar seus seguranças armados para proteger seus “direitos à propriedade”. À bala, se necessário. Esta gente não aceitará jamais ser colocada na mesma fila que todos os demais, pela simples razão que se vêem acima e além de toda a ralé que só serve para alugar força de trabalho. Nem precisará faltar vaga para algum magano, a simples ousadia de colocá-los na mesma condição de espera dos demais já bastará para desencadear sua revolta. Já vemos isto hoje, nos hospitais públicos, quando o “classe média alta” chega para ser atendido, ele reclama desde a entrada de tudo ao redor e exige ser atendido prioritariamente, em nome do “respeito aos direitos de quem paga impostos”. É o velho complexo de aristocrata que rege o comportamento desta gente.

  3. É incrível como nos comportamos com a dignidade e a passividade daqueles músicos do filme Titanic que enquanto viam o triste espetáculo do salve-se quem puder continuamos tocando nossas vidas como se não tratasse de um terrível e monstruoso desastre.

  4. Vai chegar a hora que multidões de pobres rotos e doentes vão invadir e ocupar os locais de luxo, mansões, clubes, restaurantes e hotéis que são refúgio da elite. Milhares de pobres. Num turbilhão humano impensável.

    Vão se aproximar perigosamente das madames cheirosas e de seus peitos siliconados. Vão abraçar ostensivamente senhoras penteadas e esticadas a botox. Vão postar-se excessivamente próximo aos garotos bombados de bochechas vermelhas.

    … e vão contaminar todo mundo!

  5. Vai chegar a hora que multidões de pobres rotos e doentes vão invadir e ocupar os locais de luxo, mansões, clubes, restaurantes e hotéis que são refúgio da elite. Milhares de pobres. Num turbilhão humano impensável.

    Vão se aproximar perigosamente das madames cheirosas e de seus peitos siliconados. Vão abraçar ostensivamente senhoras penteadas e esticadas a botox. Vão postar-se excessivamente próximo aos garotos bombados de bochechas vermelhas.

    … e vão contaminar todo mundo!

  6. A “EXPLOSÃO” foi prometida para primeira quinzena de Abril, depois foi prorrogada para o final de Abril e agora estamos aguardando ela em maio, que por sinal já começou.
    Talvez um dia as profecias se confirmem.

      1. Esse daí vive aqui nos comentários refutando os prognósticos do caos. Não sei a quem ele responde.

  7. A soluçao a medio prazo e criar um curso de medicina comunitaria onde podendo atender a 90% da demanda ele seja ligado a uma organizaçao q sirva em todo pais como se fosse uma carreira onde vai galgando postos dentro da carreira auferindo vantagens e se aperfeiçoando em setores como epidemiologia adminstraçao hospitalar etc e so quem fizer este curso tem acesso a esta carreira sendo vinculado a necessidade como um batalhao de pronto emprego deslocado conforme a necessidade como militar.

  8. A soluçao a medio prazo e criar um curso de medicina comunitaria onde podendo atender a 90% da demanda ele seja ligado a uma organizaçao q sirva em todo pais como se fosse uma carreira onde vai galgando postos dentro da carreira auferindo vantagens e se aperfeiçoando em setores como epidemiologia adminstraçao hospitalar etc e so quem fizer este curso tem acesso a esta carreira sendo vinculado a necessidade como um batalhao de pronto emprego deslocado conforme a necessidade como militar.

  9. Ora, ora… claro que tem classe sim!
    Os milionários enclausuraram-se em ilhas, iates, navios, e vilas riquíssimos e serão pouco afetados!
    Depois, calmamente vão aproveitar a miséria para enriquecerem ainda mais…
    Certos diletantismos e utopias são vãos!
    O caos bosossáurico está chegando…

    1. Sim, eles se enclausuram. Pensam que sua carta de impunidade é extensiva ao vírus. Mas são tão estúpidos que tentam abrir shoppings achando que com isso vão ativar a economia. Tudo indica que eles, os milionários, não fazem a mínima ideia do alcance dessa pandemia. Os do Brasil, então, ao que parece, são tão desfavorecidos de inteligência que até acreditam mesmo que o Guedes seja o dernier cri da ciência econômica, e que o PT seja comunista. E assim, perdem a última chance de construir no Brasil um capitalismo viável e socialmente equilibrado. São loucos. O PT é a última chance da burguesia nacional, e ela não percebe isso.

  10. Vale lembrar que, se não houver isolamento, não vai fazer tanta diferença assim. No cenário sem isolamento seriam necessários milhões de leitos de UTI com respirador, patamar em que mesmo a rede privada teria entrado em colapso há muito tempo.

    Ou seja, é de interesse dos clientes da medicina privada que haja o isolamento para que não falte leitos para eles mesmo no cenário em que os leitos continuam separados.

    E, no cenário atual, nem mesmo viajar para o exterior para escapar do colapso no Brasil é viável, até porque se (ou quando) a situação efetivamente se tornar desesperadora aqui a tendência é que todos os países do mundo bloqueiem vôos vindos do Brasil.

  11. O que estão esperando para estatizando esses hospitais como fez a Espanha?
    Sabemos que se não o fizerem, mesmo que intimados a atenderem uma coisa do SUS, não o farão porque aqui é a terra da mutretagem, do ganho fácil, do espertalhão. Aqui é o Brazil.
    Exatamente por isso empresários querem a volta ao trabalho. Afinal, temos 2 sistemas de saúde e apenas um irá colapsar. Adivinhe qual.

    1. Mandettinha era mandalete, pau mandado dos Planos de Saúde e grandes grupos Hospitalares…
      E Mandettinha demitiu 13 mil médicos cubanos epidemiologistas e deixou extinguir mais de 20 mil cargos da saúde!
      Devido à isso, milhares de quilombolas, índios e moradores das periferias, vilas e favelas vão morrer!
      Então, agora, eles ainda querem devorar os Bilhões do erário público e deixar o SUS afundar sozinho!
      Depois, eles fazem como o Governador do Amazonas e vem chorar as pitangas! Lágrimas de crocodilos!
      Anotem este número cruel: 150.000 mortos!
      POBRE BRASIL!

      1. É uma catástrofe anunciada, o inverno, principalmente no Sudeste e Sul, nem começou, e até Bolsodória já percebe isto, destruindo o seu sonho de 2022.

      2. Vc foi bonzinho. Tudo aponto para 500 mil mortos ou, quem sabe, 1 milhão. É só o começo. Não estou torcendo pelo pior. Meu pai acabou de operar um câncer. É uma situação delicada. Ele ainda precisa de novas cirurgias na rede hospitalar privada de médio custo. E mesmo ali, já quase não há vagas. O caos já está diante de todos.

    2. Até porque, aqui no Brasil, a saúde privada é uma ficção, na medida em que tudo o que pago para ela é abatido do IRPF… Ou seja, sou um mero agente de repasse de verba pública para a “iniciativa privada”…

  12. Vai chegar a hora que multidões de pobres rotos e doentes vão invadir e ocupar os locais de luxo, mansões, clubes, restaurantes e hotéis que são refúgio da elite. Milhares de pobres. Num turbilhão humano impensável.

    Vão se aproximar perigosamente das madames cheirosas e de seus peitos siliconados. Vão abraçar ostensivamente senhoras penteadas e esticadas a botox. Vão postar-se excessivamente próximo aos garotos bombados de bochechas vermelhas.

    … e vão contaminar todo mundo!

  13. Os responsáveis pela derrocada do Brasil, seus donos e sua mídia (da qual o ilustre colunista faz parte), destituíram a Dilma porque ela fechou as torneiras do dinheiro público que eles acessavam e abrias aquela daqueles que jamais tiveram acesso.
    O dinheiro do Centrão, dos Lemman, dos Marinhos, dos Daniel Dantas, dos Setúbal e etc., etc., etc… parou de sair e começaram a aparecer casas de apartamentos para os pobres, salários nas alturas e melhorias nas fiscalizações…
    Então, eles simplesmente a destituíram do cargo.
    O resultado está aí.
    Estão pegando nossas reservas e se lixando para quantos milhares de Brasileiros vão morrer nos corredores dos hospitais ou das calçadas…
    Milhões de idiotas completos ainda os aplaude…
    O futuro é sombrio….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *