ONU condena surto pró-ditadura. Satisfeito, Bolsonaro?

Pronto, Jair Bolsonaro conseguiu o que queria.

A ONU Direitos Humanos divulgou  comunicado no qual pede para que o presidente brasileiro “reconsidere” os planos de comemoração do aniversário do golpe militar de 1964, informa a Rádio França Internacional.

Jamil Chade, no UOL, informa que o relator especial sobre a promoção da verdade, justiça, reparação e garantias de não-repetição, Fabián Salvioli, chegou a chamar de “imoral” a iniciativa de Bolsonaro.

” Isso não é um problema de direita ou de esquerda. É tortura, desaparecimentos e execuções extrajudiciais, e isso é inaceitável.”

Não importa que o Brasil se exponha a uma vergonha internacional, nem que nossos militares acabem – alguns achando ótimo, infelizmente – servido de objeto para mais uma “bateção de boca” sobre o tal globalismo marxista, a nova delirante teoria da conspiração do presidente e do energúmeno que está à frente do Itamaraty.

O que importa para ele é que vai estar “causando”, arrumando uma oportunidade de proclamar uma “soberania” que não existe quando se trata de entregar uma base de foguetes ou um empresa de fabricação de aviões aos Estados Unidos.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. já tô imaginando o que Olavo de Carvalho vai responder
    esse povo é tão previsivel… até os termos são sempre os mesmos

  2. A ONU não está na fila das audiências com o novo Planalto. É “comunista”…. Aliás, a entidade já se manifestou sobre a prisão/sequestro do Lula?

  3. Se a ONU já tivesse julgado Lula, em vez de estar sentada sobre o processo, talvez NADA disso estivesse acontecendo no Brasil.
    Para demagogias inócuas a ONU é rapidinha, mas para julgar Lula parece o Gilmar quando pode vistas.

    1. Concordo totalmente com você sobre a lentidão do parecer do processo de Lula, mas não concordo sobre ser “demagogia inócua” a questão do insano e perverso Bozo querer comemorar período de mortes e perseguições etc. etc. etc., Antônio. Abraço.

    2. Embora eu seja obrigada a concordar, por outro lado fico pensando se essa “lentidão” da ONU também não se deve ao fato de que, quando emitiu a “liminar” (entre aspas porque não tenho certeza se é o termo correto) para Lula ser candidato, o próprio PT desistiu e lançou a candidatura de Haddad… ????

  4. ONU condena mas não prende, absolve mas não liberta, ONU só existe no plano das ideias. Com alguns com direito a veto, e sem força, nem mesmo moral, é objeto decorativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.