Os brucutus de Rondônia são a emanação de Bolsonaro

Sai o “kit gay”, entra Machado de Assis; no lugar da “mamadeira de piroca”, ponha-se Aurélio Buarque de Holanda; em vez de “golden shower”, proíba-se Euclides da Cunha e, liberado o “imbrochável” capitão, vete-se o indigitado Franz Kafka, ou Kafta, como prefere o Ministro da Educação…

O index librorum prohibitorum da Secretaria de Educação (!!??) de Rondônia, governado pelo coronel Marcos Rocha, do PSL e a caminho da aliança bolsonarista, é uma tragicomédia dos tempos em que vivemos.

A obscura Irany de Morais, que assina eletronicamente a lista, como a Dona Solange rondoniense, é só a mão desta história, como a censora da ditadura era a extensão do regime.

Todo este horror, infelizmente, infelizmente, é a consequência prática do que disse, há um mês, Jair Bolsonaro, quando disse que ia “suavizar” os livros escolares, cujo defeito era ter “muita coisa escrita”.

— Tem livros que vamos ser obrigados a distribuir esse ano ainda levando-se em conta a sua feitura em anos anteriores. Tem que seguir a lei. Em 21, todos os livros serão nossos. Feitos por nós. Os pais vão vibrar. Vai estar lá a bandeira do Brasil na capa, vai ter lá o hino nacional. Os livros hoje em dia, como regra, é um amontoado… Muita coisa escrita, tem que suavizar aquilo

Pois é: “Em 21, todos os livros serão nossos”…

E como Machado, Euclides, Rubem Fonseca (que no Ipês conspirou por 64), Mário de Andrade e até minha amiga e contemporânea de faculdade, Rosa Amanda Strausz não são “deles”, fogueira para seus livros com aqueles “amontoado” de muita coisa escrita.

Um detalhe, porém, deve ter escapado a muitos.

A proibição a Rubem Alves, citado no rodapé da lista com um recolha-se para todo e qualquer livro seu, vai além da estupidez literária.

É que Rubem, um educador, psicanalista e pastor presbiteriano morto em 2014, foi parceiro de Paulo Freire e, como se já não bastasse este “pecado”, também um adepto da teologia da libertação no campo evangélico.

Quem fez a lista não era um tolo que a formulou por ignorância. Sabia muito bem o que estava fazendo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. Essa gente perturbada tambem ataca em setores como reiki, veganismo macrobiotica, yoga e acupuntura. P eles tudo e ameaça.

    1. Olha, Flavio, eu sou vegano, me trato com acupuntura e pratico meditação. E não compactuo com fascistas. Nem com a esquerda eleitoreira, que quer se adaptar ao golpe. O que estamos vendo é que a luta tem que ser pela DERRUBADA do governo. Não podemos esperar 2022 chegar.

      1. Se eles nao respeitam a esquerda enquadrada no esquema imagina qualquer atitude para tornar o povo mais autonomo. Nem ouve mais pstu e pco. Foram silenciados.

  2. Será que ele sabe que o Euclides da Cunha era militar com uma patente razoável e que o livro Guerra de Canudos foi um diário de guerra? Alguem conte pra ele. “Pouca saúde e muita saúva, os males do Brasil são”.

  3. Ontem vi essa noticia e levei um tempo para acreditar,realmente para mim isso mostra a morte de um país.

  4. “Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas. Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do voo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o voo. Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados.. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.”

  5. Uma pequena homenagem a Rubem Alves.
    “Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas. Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do voo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o voo. Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em voo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o voo, isso elas não podem fazer, porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.