Os deuses mandam flores à família de seus mortos

Velorio (1)

É dolorosamente cínica a nota que as associações de policiais, procuradores e juízes federais divulgaram  ontem, através da Folha.

Cumprida a formalidade burocrática de apresentarem pêsames e dizer  – caponianamente – que “se solidarizam com sua família nesse momento de dor” dizem que “vêm a público repudiar afirmações de eventuais exageros”  na operação que levou à prisão e à morte do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier.

E por que não houve “eventuais exageros”?

Houve investigação dos procedimentos adotados? Não

Houve reavaliação sobre o ato de prender alguém sem ouvi-lo, pela simples alegação de uma ou duas pessoas de que ele “não queria” investigar supostos problemas que teriam ocorrido, inclusive, fora de sua gestão? Não

Algum tipo de reflexão sobre o significado de levar à cadeia um reitor já pelos seus 60 anos, tirar-lhe as roupas, penetrar-lhe as intimidades? Não.

Sabe por que delegados, promotores e juízes federais podem garantir que não houve “eventuais exageros” no episódio?

Porque, para eles, as corporações de  deuses da lei, não há limites e, portanto, não há exageros.

Os integrantes das respectivas carreiras, não apenas na referida operação, como também no exercício de suas demais atribuições funcionais, norteiam-se pelos princípios da impessoalidade e da transparência, atuando de forma técnica e com base na lei.”

E o que o garante? Ora, eles próprios e, por isso, nem é preciso investigar e reavaliar. La garantia somos nosotros, los dioses.

Criticar-se erros policiais e judiciais agora é fazer aquela coisa sórdida, a política: “uma tragédia pessoal não deveria ser utilizada para manipular a opinião pública”.

Que manipulação, doutores? Um ou outro colunista de jornal reclamando?

Porque a grande mídia manteve quase completo silêncio e, ao contrário, participou da história de que o homem agora morto tinha desviado dinheiro num tempo em que nem dirigente da Universidade era.

Sublimes, do seu Olimpo, dizem: “as autoridades públicas em questão, em respeito ao investigado e a sua família, recusam-se a participar de um debate nessas condições”.

Quais são as condições que “podem”? Aqueles em que vocês estão sempre certos e o resto “não vem ao caso”?

Vocês deixaram, faz tempo, de representar a lei e a Justiça. Representam, agora, a arrogância, a desumanidade e a soberba autoritária.

Deveriam, a esta hora, estar pedindo e colaborando para esclarecer a tragédia da morte de um homem.

Mas se não são capazes disso,  fiquem quietos e não produzam tal cinismo.

Respeitem, ao menos, a família do morto e seus amigos.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

48 respostas

    1. Que injusto que você é, Jorge! Toda a polícia, o judiciário e seus anexos não valem um tostão furado. Não há e nunca houve justiça neste país. A polícia federal e o ministério publico, por exemplo, usam prender e torturar para obter delações premiadas por vagabundice. Eles não tem competência e conhecimentos para sair às ruas e fazer investigações como são feitas na França, na Alemanha, Suíça, sem estas demonstrações vulgares de histrionismo caipira e depois trazem ao Brasil o resultado de seus achados… E o judiciário brasileiro faz de conta que não viu porque estas investigações feitas com competência e sem alvoroço acusam justamente aqueles que eles protegem: os políticos do psdb.

  1. Na última sexta feira, no voo noturno Brasília-Porto Alegre, da Avianca, estes ‘deuses’ decidiram retirar um passageiro de mais de 70 anos por suposta agressão a uma bela senhora na hora do embarque, já com duas horas de atraso. No corredor do avião ele teria segurado o pulso da bela enquanto ela colocava sua maleta no bagageiro. A reação desta mulher foi extremamente violenta: gritou e bateu no velho além de te-lo chamado de filho da puta. Alguns minutos após, dois policiais federais entraram no avião, não ouviram ninguém a que eu saiba (eu estava na fileira logo atrás do velho), e levaram o senhor para fora do avião. Espero que ele esteja vivo ainda. Mas perdeu o voo. E a bela senhora, que suspeito pertencer a uma casta cada vez mais saliente , não teve qualquer prejuízo por ter agredido um idoso, claramente humilde e vestido com simplicidade.
    Fico imaginando qual a formação de um sujeito que decide , por convicção, impedir uma pessoa de viajar?

    1. A Questão que você coloca é muito séria João, não houve uma só pessoa em defesa do Idoso? A “bela senhora” deveria ter sido denunciada por , ao menos, uma testemunha que se insurgisse contra a DESORDEM INSTITUCIONAL que grassa neste país. A bela frase – AS INSTITUIÇÕES FUNCIONAM NORMALMENTE, NÃO parte de um Democrata e sim de um FASCISTA, para eles está tudo em perfeita ordem e o brasileiro é um povo ordeiro, na verdade tem sido CORDEIRO em plena imolação. TUDO PELA CIDADANIA!

  2. Um caso SÉRIO, tanto quanto essa crise política, é saber como é a ENTRADA de armas pára as comunidades ou favelas.

  3. … Ainda sobre os assassinos [seletivos] de reputações em favor do golpe vagabundíssimo ainda ora em curso…

    ***

    DELEGADO E EX-REPRESENTANTE DA INTERPOL APONTA ABUSOS NO CASO DO REITOR

    Quem matou o reitor foi quem concorreu para a degradação pública de sua história. A vítima não teve direito à subjetividade da amargura, nem à dor com a qual não conseguiu viver. A imprensa jogou sal na subjetividade de uma ferida idiossincrásica. Coisas do limite humano! E agora, cumpre perguntar: quem promoveu a degradação pública de pessoas, destruiu biografias – inspirado numa série de outras similares? Que juiz para proferir uma sentença, ora assume papel de acusador, ora de palestrante formador de opinião pública?, questiona Armando Rodrigues Neto, delegado aposentado da PF

    9 DE OUTUBRO DE 2017

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: https://jornalggn.com.br/noticia/o-cadaver-do-reitor-explica-o-sentido-da-operacao-ouvidos-moucos-por-armando-coelho-neto

  4. O cadáver do Reitor explica o sentido da Operação Ouvidos Moucos
    Por Armando Coelho Neto – jornalista e advogado, delegado aposentado da Polícia Federal e ex-representante da Interpol em São Paulo

    DELEGADO E EX-REPRESENTANTE DA INTERPOL APONTA ABUSOS NO CASO DO REITOR

    Quem matou o reitor foi quem concorreu para a degradação pública de sua história. A vítima não teve direito à subjetividade da amargura, nem à dor com a qual não conseguiu viver. A imprensa jogou sal na subjetividade de uma ferida idiossincrásica. Coisas do limite humano! E agora, cumpre perguntar: quem promoveu a degradação pública de pessoas, destruiu biografias – inspirado numa série de outras similares? Que juiz para proferir uma sentença, ora assume papel de acusador, ora de palestrante formador de opinião pública?, questiona Armando Rodrigues Neto, delegado aposentado da PF

    9 DE OUTUBRO DE 2017

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: https://jornalggn.com.br/noticia/o-cadaver-do-reitor-explica-o-sentido-da-operacao-ouvidos-moucos-por-armando-coelho-neto

  5. Como ele senorteiam-se pelos princípios da impessoalidade e da transparência, atuando de forma técnica e com base na lei.”
    Do Blog d Nassif de Raquel Wandelli

    #EXCLUSIVO | PADRE DENUNCIA: “FOMOS IMPEDIDOS DE PRESTAR APOIO ESPIRITUAL AO REITOR QUE SE SUICIDOU”
    Ao celebrar missa em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cancellier neste domingo (8/10), pela manhã, no Templo Ecumênico da UFSC, o padre William Barbosa Vianna fez uma denúncia espantosa: ele e outro frei foram impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, embora esse direito seja garantido pela Constituição. Cancellier foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial.
    Segundo o padre, a primeira recusa ocorreu quando a Pastoral Carcerária tentou visitá-lo no dia da prisão, em 14 de setembro. A segunda, quando a prisão de Cancellier foi relaxada, mas a juíza o manteve exilado da universidade e em reclusão domiciliar noturna. Sabendo de seu abalo emocional, os padres novamente tentaram socorrê-lo, mas não obtiveram permissão para visitá-lo, mesmo tendo essa prerrogativa.por lei.
    Assessor da Pastoral Universitária da UFSC, Vianna alertou: “É preciso lembrar que o direito à assistência religiosa é garantido pelo artigo V da Constituição”. Até então, sabia-se apenas que Cancellier foi privado do apoio de amigos, principalmente de pessoas de sua convivência na gestão da universidade. Durante la missa, Vianna eu o artigo V da Constituição, inciso VII: “É assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva”.
    Este é o Brasil que se tornou insuportável com esse stf de merda.

    1. … Renato Arthur “manda um recado para o Fernando Brito”:
      “por favor, retifique o título desse excelente ‘post’:
      ‘Os Demônios assassinos mandam espinhos para as famílias das suas vítimas!'”

  6. Obrigado Brito por expressar tão bem o sentimento de muitos brasileiros que ainda respitam os seus semelhantes.

  7. Acho que generalização é perigosa. Há pessoal muito bom, honesto, digno e trabalhador em todos estes serviços, seria o mesmo que dizer que todos os atores da política (os políticos) são corruptos. O que nos deixa pasmo é a falta de atuação ou a extrema lerdeza de eventuais corregedorias ou equivalentes.

    1. Conhece aquele ditado, Werner: “quem comigo anda comigo se parece”? Se existem os bons e eles não fazem nada é porque se parecem com os demais.

    2. Há, Werner. Mas a manifestação foi das associações de delegados, de promotores e de juízes. Foi, portanto, coletiva.

    3. a generalização é pertinente, pois todo homem bom, honesto, digno que se cala é covarde, é conveniente com coisa errada

  8. Mataram o reitor. Mataram a Marisa. Querem matar a jararaca. Ops,, esta o pau tem que ser mais embaixo. Não conseguirão. A esquerda voltará e a caixa preta do judiciário terá que ser reformulada para o bem de todos e felicidade geral da nação. Parabéns Brito por ir fundo nesta realidade desastrosa que vivemos e sentimos da atual justiça brasileira. Texto perfeito.

  9. Esta é a parte mais chocante da nota: “as autoridades públicas em questão, em respeito ao investigado e a sua família, recusam-se a participar de um debate nessas condições”. Quer dizer que o investigado só merece respeito depois de morto? E a família do investigado também? O pior de tudo é saber que nada vai acontecer a nenhum deles.

  10. Padres da Pastoral carcerária denunciam terem sido impedidos de prestar apoio espiritual ao reitor, como garante a Constituição a qualquer prisioneiro. Tentaram no dia da prisão e depois, quando ele foi confinado a sua própria casa. Sabiam que ele estava mal e precisava desse apoio. A matéria está no Jornalistas Livres.

  11. Escreveu td o que esses canalhas precisam ler .tomara que depois que todo esse golpe passar essa corja toda seja responsabilizada pelos desmandos.

  12. Era notório que PF lá da “New Republic” de Curitiba, iria mais cedo ou mais tarde praticar Antropofagia e até contra o seus, o ego a falta de profissionalismo, a falta experiencia, o espirito divino, a parcialidade, a aplicação de cunho ideológico, a satisfação em apenas prender para se ufanar diante da mídia e das elites que servem, aquela elite protegida com muita falácia e muita coisa errada empurrada abaixo do tapete, que “não vem ao caso”. Diante de um juiz solicito a sorrisos e cochichos em fotos vips com investigado que até tende a matar o primo, ou seja “agente mata antes de delatar”, um juiz que se presta a isso que como Mutley caça medalhas dos seus pretensos DiCK Vigaristas da vida pública e midiática nacional, não é, nunca foi e nunca será um juiz de verdade, para min não é, não preenche requisitos pata tal envergadura, é um principiante embragado com os EUA, só isso um coitado, que mau sabe ocupar o cargo que tem, aliás muito bem pago, acima do teto, e muito, muito mais que merece. O mais curiosos é que citam os EUA como modelo, mas nunca citam o modelo de justiça que tem lá que é completamente diferente desse compadrio, de advogados parentes de juizes famosos e estendem suas carreiras e escritórios numa especie de neo nepotismo tupiniquim, desembargam filhos e filhas para que paguemos e assim continuem seus deliberantes sinistros de riqueza e bem viver, um quinto da demanda do STF prescreveu, e era bom que se investigassem o que prescreve, pode ter certeza que amigos rabulam nesses processos num interesse que se investigar da forma que se investiga na lava jato, não sobraria juizes, só sobraria decanos e insanos bem pagos, inoculados com auxílios de toda forma. A vergonha deixou de ser vergonha e passou a ser a imoralidade moral, direitos, apenas direitos que até podem ser legal, afinal a causa própria é muito bom para aprovarmos o nossos desejos financeiros, exceto os desejos e os direitos do povo em que eles tiram a hora que querem e do jeito que querem em qualquer reunião mequetrefe qualquer, regada nos intervalos com sanduíche de salmão e atum. Viva os divinos deuses togados e fardados ou uniformizados, os donos do Brasil. Vivaaaaaaaaaaaaaaaa

  13. Acho que estamos falando de um serpentário, uma das faces do fascismo no Brasil atual.

    Operadores da justiça atuando como justiceiros, não tendo que se reportar a ninguém a não ser a si mesmos e à uma mídia interessada que os estimula e protege – e, quando necessário, lhes dá instruções, aprovações ou limites (vide o caso da bravata, seguida de desistência, dos procuradores da Lava Jato em relação à Mossack Fonseca).

    1. Gostaria também de ouvir esses artistas que, de forma acriteriosa, ou porque são de direita mesmo, aderiram e até encenaram em filme esse lavajatismo sem limites.

      Lavajatismo que, na sua sanha persecutória, se crê dispensado de apresentar provas ou pedidos sinceros de desculpas.

      Lavajatismo que, para justificar e prolongar a sua própria existência, irá ver corrupção ate em berço de bebês. Não achando, inventará uma.

  14. Mostra bem o desastre a que chegamos.
    Deuses imbecís e arrogantes.
    Façam uma apuração mínima, que é a sua obrigação.
    A acusação é gravissima, tornada falsamente nula pela ação silenciosa da imprensa, e merece o afastamento da juiza e da delegada. Ou prender quem nem é suspeito pode, mas afastar autoridades que cometeram ilegalidade e violência, não.

  15. Polícia Federal! Instituição que deveria ser exemplo da aplicação da lei! Cada vez mais se coloca acima da lei e dos direitos próprios e do cidadão. Querem cada vez mais poder e autonomia fazendo abaixo- assinados em praças pùblicas de forma oportunista! Se o poder e a autonomia fossem utilizados em benefício do cidadão seria até louvável reinvidicar! Mas todos sabem que não! É preciso rever tudo, passando pelo presidente, ministro da Justiça, até chegar aos escravos soldados de polícia, A nível federal principalmente e até estadual.

  16. Ação corporativista que só aumenta meu asco pelos desmandos praticados ao extremo pela pf, mpf, e juizeca janaína.

  17. Ação corporativista que só aumenta meu asco pelos extremos desmandos da pf, mpf, e juizeca.

  18. E o tipo de “Desculpa” ou “compaixão” sem Sentimento ou reconhecimento de culpa!! É bem ao estilo assim… “Olha me desculpa, me perdoa por ter lhe dado um soco no Rosto, mas você ficou com a cara na frente.. Culpa Sua eu ter sido violento”

  19. Bravo, Brito! É assim que se enfrenta “fascistas fora-da-lei”, de frente.
    A morte e o posterior suicídio do reitor da USC, Cancellier, não pode ser em vão, somemos forças a indignação de Floripa para exigir investigação e julgamento pela justiça de fato e de direito, dos responsáveis por essa abominável eliminação em vida da vida racional de um cidadão, levando-o posteriormente ao suicídio e a morte corporal.
    “Assassinaram” Cancellier três vezes, a última depois de morto também o corpo, através da mídia que permaneceu distorcendo a acusação e subtraindo o Fato do suicídio e suas razões, do conhecimento dos cidadãos brasileiros, desinformando-os sobre o caso ao não divulgarem o Fato como ele é em relação a causa da morte e as responsabilidades, explicitamente registrada pela vítima fatal, desse estado jurídico de exceção com convicção, gestado na república de Curitiba para bem servir aos interesses inconfessáveis da operação lavajateira.

  20. No âmbito de PF, deveria haver o afastamento imediato da tal delegadinha Barbie, que já demonstrou outras vezes passar por cima de Leis e códigos de conduta. No âmbito do judiciário, o mesmo com a tal juizeca. As duas candidatas a déspotas, que usam o Estado e corporações como escudo próprio. Senão as corporações pagarão um alto preço.

  21. O apoiado dos evangélicos, dos moralistas de Araque e dos extremistas radicais prega que bandido bom é aquele que tu gasta só uma bala para mata-lo e ainda indica o calibre para a mortificina. Este é o saldo da perseguição ao Lula pela mídia, pelo judiciário, pelos evangélicos, pelos fanáticos da direita, pelos verdadeiramente corruptos de Brasília e por todas as pessoas de mau senso e sem juízo deste país. Viva a intolerância e a ignorância dos nossos contrários. A pátria os agradece.

  22. E os ABUSADORES da PF e do Judiciário querem continuar abusando… Tornaram-se DÉSPOTAS não esclarecidos, o pior dos mundos! (só o PSDB está protegido…)

  23. Uma das atribuições da PF é tráfico de drogas e de armas.

    Muito estranho que essa delegada “ferrabraz” tenha apoiado nas redes sociais um certo candidato em 2014.

    Ela que é do “métier”, não sabia de nada?

    1. Pois é,isso é algo que sempre me perguntei.Se até um simples CIDADÃO (óbvio não incluo os imbecis,os coxas) sabia em 2014 época de eleições, a vagabundagem do ´bandido tucano.Como é que havia delegados da pf apoiando esse verme? existem duas opções, e as duas são terríveis para o Brasil.

  24. Brito, você não decepciona nunca! Certeiro. Esse pessoal veio se justificar com mimi porque sabem que cometeram um erro. Mas a consciência não lhes pesa. Só querem sai bonito na fita perante a sociedade.

  25. As “instituições”, outrora republicanas, são, na verdade, as autoras intelectuais da morte do Reitor Cancellier pois são elas são os braços longos da ditadura midiático-judicial que oprime a nação. Os crimes hediondos cometidos durante a prisão ILEGAL de Cancellier revelam que tudo foi uma conspiração eivada de espírito vingativo orginário de seres trevosos que jamais deveriam ter visto a luz do dia. Ao negarem até assistência espiritual ao Reitor-mártir ficou patente que se tratava de uma vingança pessoal e todos que trabalham na UFSC sabem de quem partiu a ordem.

    https://www.revistaforum.com.br/2017/10/08/padres-denunciam-que-pf-negou-direito-espiritual-ex-reitor-da-ufsc/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.